A carta de Tiago é um dos mais antigos livros no Novo Testamento. Provavelmente foi escrito nos primeiros 20 anos depois da ascensão de Jesus. É um livro muito prático. Trata da vida cristã duma forma tão prática que às vezes é chamado o “Provérbios” do Novo Testamento.

“Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentánea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.”

Humildade e alegria na aflição. Podemos procurar todo canto, mas não iremos achar muita humildade e alegria no meio da aflição. São coisas desconhecidas mesmo por muitos que se dizem crentes. Sabe por quê? Estas duas atitudes somente podem ser manifestadas por pessoas que verdadeiramente são filhos de Deus.

Em todas as dificuldades e tristezas da sua vida, Deus te chama hoje a se humilhar como escravo do Senhor Jesus. Ele te chama hPregação preparada pelo Pr. Kenneth Wieske

Leitura: Mateus 05.01-12; Tiago 01.01-12

Texto: Tiago 01.01


 

Amados em nosso Senhor,

A carta de Tiago é um dos mais antigos livros no Novo Testamento. Provavelmente foi escrito nos primeiros 20 anos depois da ascensão de Jesus. É um livro muito prático. Trata da vida cristã duma forma tão prática que às vezes é chamado o “Provérbios” do Novo Testamento.

Hoje começamos uma série de pregações sobre esta carta. Veremos nas próximas semanas que a carta enfatiza a essência da vida cristã: humildade e alegria, no meio das tribulações. Já percebemos este tema logo no primeiro versículo, que é o nosso texto hoje a noite.

Eu vos proclamo o evangelho de Jesus Cristo em nosso texto:

Deus nos chama a humildade e alegria, no meio das tribulações.

Tiago já começa nos ensinando com as primeiras palavras da carta. Diz que ele é “escravo de Deus e do Senhor Jesus Cristo”. A nossa tradução tem “servo”, mas a palavra significa um servo que pertence completamente ao mestre.

Têm duas coisas que devem chamar a nossa atenção. Em primeiro lugar, Tiago não faz diferença entre Deus e o Senhor Jesus Cristo. A Bíblia já diz que ninguém pode servir dois mestres. Quando Tiago, inspirado pelo Espírito Santo, diz que ele é escravo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, isto é uma declaração que Jesus é Deus!

Em segundo lugar, esta declaração de Tiago é algo inédita. Pois, ele está falando sobre o seu próprio irmão! Desde antiguidade, a Igreja entende que esta carta foi escrita pelo Tiago que era irmão de Jesus (Marcos 6:3 fala dum irmão de Jesus que se chama Tiago). Recentemente, arqueólogos descobriram em Jerusalém um caixão de pedra, que tem a seguinte inscrição: “Tiago, irmão de Jesus, filho de José”. Então, temos testemunhos da Bíblia, e da arqueologia que Jesus tinha irmãos, que nasceram de Maria e José. O ensino da Igreja Romana que diz que Maria sempre permaneceu virgem, é falso.

Sabemos que logo no início, os irmãos de Jesus não o aceitaram. João 7:5 diz, “Nem mesmo os seus irmãos criam nEle”. Então, como é possível que o irmão de Jesus, que no início não acreditava em Jesus, agora se declara um escravo do Senhor, e declara que seu irmão é Deus?

A única resposta é que o Espírito Santo mudou o coração de Tiago. Para Tiago se arrepender da sua antiga incredulidade, e chegar ao ponto de adorar seu próprio irmão como Deus, é somente possível por meio dum milagre!

Nos aprendemos em outras partes da Bíblia que, depois da sua conversão, Tiago se tornou até uma pessoa importante na Igreja em Jerusalém. Ele chegou a ser um dos presbíteros mais conhecidos daquela igreja. Paulo chama Tiago uma das colunas da Igreja, até mencionando seu nome junto com os apóstolos.

Mas, mesmo com todo este destaque, e toda esta importância na Igreja, Tiago se diz um escravo. Desde a saudação da sua carta, ele é um modelo de humildade cristã. Nesta carta, quase todas as vezes que ele fala sobre seu irmão Jesus, ele faz questão de chamá-Lo: “O Senhor”.

Isto só pode ser a obra do Espírito Santo, irmãos. Em nossos dias, é muito difícil achar uma tal humildade na Igreja. Vemos muitos se elevando, muitos se engrandecendo, mas poucos que seguem o exemplo do irmão de Jesus. Mas, é isto que a Igreja precisa. A Igreja precisa de pregadores humildes, pregadores que pela palavra e pela vida engrandecem o nome do Senhor Jesus Cristo.

O que Tiago diz não é mera conversa. Ele é presbítero da Igreja em Jerusalém, uma Igreja que estava sofrendo bastante perseguições e provações e pobreza. E, ele está escrevendo a cristãos espalhados em muitos lugares, que também estão experimentando perseguições e provações. Para estes crentes, e para os crentes de todos as épocas, Tiago ensina por palavra e por exemplo, que a essência da vida cristã é humildade nas tribulações.

De onde veio isto? Será que Tiago mesmo inventou tal atitude? De forma alguma. Não é uma coincidência que a carta de Tiago ecoa muitos temas do sermão do monte. Tiago aprendeu sua atitude do seu irmão, do seu Senhor. Ele aprendeu de Jesus, que ensinou “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus.” Isto é a fé Bíblica, irmãos: todos aqueles que conhecem Jesus como Senhor e Deus, se reconhecem ser escravos humildes e gratos. Não existe outra reação possível quando Deus nos revela sua graça. A única resposta é humilde gratidão.

Será que você reconhece esta atitude em sua vida? No meio das dificuldades da vida, no meio das provações e tribulações, será que você engrandece o nome do Senhor Jesus? Será que você procura viver como um escravo do Senhor Jesus? Será que você aceita com humildade tudo que Ele coloca no seu caminho? Ou será que você quer cobrar do Senhor; será que você endurece seu coração e não aceita a vontade de Deus em sua vida? Será que você guarda um coração amargo e descontente?

Deus nos chama hoje a nos humilhar perante a Senhoria de Jesus Cristo. Ele nos chama hoje a não apenas falar, mas a viver em humildade. Quando vivemos como escravos do Senhor Jesus, estamos pregando—por meio das nossas vidas—estamos pregando Cristo aos nossos filhos, e ao mundo.

Isto é uma exortação, mas também uma promessa. A Bíblia diz, (1 Pedro 5:6): “Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte.” Deus nos chama a humildade para nos exaltar a Seu tempo.

Em segundo lugar, Deus nos chama a alegria. A saudação que Tiago usa é pouco usado na Bíblia. Só acontece três vezes; uma destas vezes numa carta que Tiago e os outros presbíteros em Jerusalém mandaram em Atos 15. Nossa tradução tem apenas a palavra, “Saudações”. Mas, literalmente significa, “Alegrem-se!”

Então, Tiago está dizendo: “Tiago, escravo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, às doze tribos que se encontram na Dispersão, alegrem-se!”

Tiago fala a Igreja “na Dispersão”: uma igreja composta de pequenas congregações, sofrendo perseguições, espalhado no mundo inteiro. Uma igreja aflita e pobre. Uma igreja em grande parte composta, naquela época, de judeus que no momento de crer no Senhor Jesus Cristo, foram rejeitados tanto pelos outros judeus, quanto pelos romanos. Uma igreja sem influência, sem poder, que era vista como uma seita pelos judeus e pelos gentios! E a esta igreja, Tiago diz, “ALEGREM-SE?”

Como isto é possível? Como é possível alguém orientar pessoas sofridas e perseguidas de se alegrar? Irmãos, isto não é possível para o homem natural. É somente possível para aqueles que estão em Cristo. É exatamente por ser escravo do Senhor Jesus Cristo que Tiago pode ser alegre nas tribulações!

Se pertencemos a Cristo, podemos e devemos nos alegrar no meio das tribulações! Não é por acaso que Tiago chama seus leitores: “…as doze tribos que se encontram na Dispersão”. Tiago está escrevendo ao povo da aliança. Ele está escrevendo ao povo de Deus, o povo pelo qual Jesus morreu. Tiago usa linguagem do pacto, linguagem da aliança. Ele fala da igreja como o Israel de Deus. Em outras palavras, Tiago está dizendo a mesma coisa do que Pedro fala em sua primeira carta: que somos um povo escolhido, um povo de propriedade exclusiva de Deus.

Agora você entende como Tiago pode nos exortar a nos alegrar nas tribulações? Qual é o nosso motivo de alegria? São muitos! Em primeiro lugar, sou escravo de Deus! Sou escravo do Senhor Jesus! Não sou mais escravo do diabo e do pecado! Em segundo lugar, meu Salvador é Deus, Ele é Senhor, Ele é soberano! Nenhuma aflição ou perseguição vem sobre mim, fora da vontade do meu Senhor! Em terceiro lugar, eu faço parte do povo de Deus. Deus me enxertou no Seu povo; faço parte do povo da aliança. Nenhuma aflição, nenhum inimigo, nenhum sofrimento pode me separar do Corpo de Cristo!

Irmãos, somente os escravos do Senhor Jesus, somente aqueles que fazem parte do povo escolhido, podem se alegrar no meio das aflições. Quando Tiago escreve aos aflitos, “Alegrem-se”, isto não é uma fraca tentativa a encorajar duma forma humana. É um encorajamento inspirado, que se baseia nas próprias palavras do Senhor Jesus em Mateus 5:11,12,

“Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós.”

Alegria nas tribulações. Somente os escravos de Cristo conseguem isto. Isto sempre tem sido um dos maiores testemunhos de Cristo, quando a Igreja manifestou alegria no meio da tribulação. Nos primeiros séculos depois da ascensão de Jesus, a Igreja se alegrava e crescia nas perseguições. Na época da Reforma, jovens moças se vestirem como noivas, quando elas foram levadas a ser sepultados vivas. Homens velhos, e pequenas crianças cantavam salmos de alegria quando estavam sendo queimados por causa da fé. Se eles deram testemunho de Cristo no meio de tais aflições, quanto mais nós devemos nos alegrar em nossas aflições muito mais leves!

Deus nos fala hoje: “No meio das suas aflições, alegrem-se!” Isto é uma exortação, mas também uma promessa. O apostolo Paulo diz em 2 Coríntios 4:16-18,

 oje a se alegrar como um membro do povo escolhido. Mais do que palavras, estas atitudes vão testemunhar do poder de Cristo em sua vida. Mais do que palavras, estas atitudes vão manifestar Cristo ao mundo. Mais do que palavras, estas atitudes vão ensinar seus filhos o que é um verdadeiro crente, um verdadeiro filho de Deus.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Compartilhe!

Pr. Kenneth Wieske

Pastor da Igreja Reformada em Surrey, Colômbia Britânica. Desde 2000, serve as Igrejas Reformadas do Brasil como plantador de igrejas. B.A. McMaster University, M.Div. Theological College of the Canadian Reformed Churches. Estudos em línguas originais no Institut Farel de L´Église Réformée du Québec.

Deixe um Comentário