Sermão preparado pelo pastor Marcel Tavares
Leitura: Salmo 65
Texto: Salmo 65

Queridos irmãos e irmãs,

A gratidão é algo que faz parte da vida do Cristão. A gratidão é uma marca de uma verdadeira conversão. Nossa vida cristã tem que ser uma vida de constante gratidão. Hoje temos uma oportunidade especial de ouvirmos sobre a gratidão e também de demostrarmos a mesma.

O salmo 65 é um salmo de ação de graças. Alguns estudiosos dizem que este salmo era cantado como resposta a oração do povo a Deus. O povo estava orando a Deus, e quando Ele concedia chuvas, este Salmo era um dos salmos apropriados para se cantar.

Na Palestina toda a vida era dependente de chuvas. Eles tinham um período de cinco meses de seca. As primeiras chuvas aconteciam no começo de Outubro e iam até Novembro. Depois tinham as chuvas mais tardias, de Março até Abril. Não havia as tecnologias que há hoje em dia. Sem chuva o povo passava grande aperto. Então, pense em chuva como uma benção a qual o povo sem dúvida louvava a Deus.

Chuva é algo para se louvar a Deus neste salmo, mas este salmo não fala apenas deste assunto. O salmo também fala de perdão de pecados e proteção. Então, pelo que devemos agradecer a Deus? 1) Pelo cuidado do Senhor a nossa alma. 2) Pelo cuidado do Senhor a nosso corpo (comida/colheita/lã(roupa), etc.).

Eu vos convido a louvamos a Deus neste Salmo. O tema deste sermão é o seguinte: No dia de ações de graças, só Deus é digno de todo louvor.

Louvor pelo:

A) Perdão
B) Proteção
C) Alimento e vestes

Louvor pelo: Perdão

Para quem é o louvor? O começo deste salmo mostra que Deus é o alvo do nosso louvor. Ele é o Deus digno de confiança. É o Deus fiel que cumpre suas promessas para com o seu povo. Em resposta seu povo cumpre com seus votos a Ele.

Uma coisa errada é o louvor aos homens. Existem pessoas que louvam a si mesma. Elas acham que tudo o que são e tudo o que tem é fruto da sua inteligência e força. Isso é arrogância! Isso é soberba. Tiago 1.16-17 diz: Meus amados irmãos, não se deixem enganar. Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzezs.

Existem aqueles que louvam governos. Eles são dependentes do governo. Eles acham que o governo tem que cuidar deles. Eles colocam muita fé nos políticos e não em Deus. Governos são bíblicos, mas ninguém deve fazer dele a sua babá. Então, meus queridos o louvor deve ser dado a Deus e não aos homens.

Onde Deus deve ser adorado? O salmo fala de Sião. Sião era o local de culto no Antigo Testamento. Conforme o Salmo 78, versículo 68 Deus escolheu este lugar. Deus amou o Monte Sião. Neste local amado o seu povo se reunia para adorá-lo.

Será que devemos, hoje em dia, ir ao Monte Sião para agradecer a Deus? Não, nós estamos no Monte Sião espiritual em Cristo. Nós somos a igreja de Jesus Cristo. Estamos adorando a Deus em espírito e em verdade. É aqui na igreja que respondemos a Deus com uma vida de gratidão. É aqui na igreja que dizemos a Deus que cumpriremos com nossos votos a ele. Votos feitos no batismo, na profissão de fé, ou nos ofícios.

Qual é a primeira coisa que é motivo de louvor neste salmo? Será que é a chuva e a colheitas? A resposta é não! O primeiro motivo de gratidão é o perdão. É baseado no perdão dos pecados que o cristão deve viver em ações de graças. Estávamos em dívida, fomos perdoados e fomos contados como pagadores desta dívida.

Quem nos levou a este perdão? O Deus que ouve as orações do seu povo, é o mesmo que nos levou a ele. O verso 2, diz que a Ele irão todos os homens.

O que quer dizer a palavra todos? Isto não quer dizer totalidade. Nem todos os homens vão de fato a Ele. Então quem vai até Ele para receber perdão? São aqueles que o próprio Deus escolhe e faz se aproximar dele. O todos aqui são aqueles que Deus escolhe. Conforme o versículo 4. “Como são felizes aqueles que escolhes e trazes a ti, para viverem nos teus átrios”.

Deus escolheu Israel em detrimento de outras nações. Ele prometeu dar a eles uma terra que emana leite e mel. Deuteronômio 7, fala desta escolha. Ali diz que a base para esta escolha não estava no fato de que Deus viu Israel como uma super nação. Não, eles até eram os menores. Mas a escolha é baseada no fato soberano de que Deus, por livro escolha, amou aquela nação. Deus os escolheu para ser o seu tesouro pessoal.

Deus escolheu este povo para lhes perdoar os pecados. E nós? Igualmente nós, recebemos o perdão de pecados. O versículo 3 fala de pecados que estavam pesando sobre os ombros destas pessoas. Mas Deus fez propiciação de pecados pelo seu povo. Na Antiga Aliança isto era prometido pelos sacrifícios que o ofertante levava diante de Deus. Na Nova Aliança isto foi feito em Cristo. Veja 1 João 2.2 diz que Cristo é a propiciação pelos nossos pecados. Em Mateus 11.30 Cristo diz que seu jugo é suave, seu fardo é leve. Cristo aliviou a nossa carga.

Foi Deus quem nos levou a Cristo. João 6.44 mostra que o Pai faz pessoas chegarem em Cristo. Deus nos escolheu em Cristo Jesus. E agora em Cristo, nos chegamos a Deus. Sem perdão de pecados, ninguém pode ir a Deus. Então, em Cristo recebemos este acesso. Somos um tesouro pessoal do nosso Deus.

Somente por causa do perdão de pecados podemos confessar o que está escrito no final do versículo 4: Transbordamos de bençãos da tua casa, do teu santo templo. Então, temos motivos de gratidão a Deus pelo perdão.

A segunda coisa pela qual devemos louvar a Deus é a proteção que ele garante ao seu povo. Isto nos leva ao segundo ponto.

Louvor pela: Proteção.

Por causa do perdão de Deus nós nos chegamos perto dele. Agora ele nos responde as nossas orações, veja o versículo 5. Esses temíveis feitos de justiça tem a ver com a maneira como Deus protege o seu povo.

Podemos ver em outros textos o que significa isto. Em Salmo 47.3 os temíveis feitos de justiça tem a ver com o fato de que Deus subjuga as nações. Ele é poderoso sobre os exércitos destas nações poderosas. No salmo 76.8, Deus faz a terra tremer e ficar em silêncio. Podemos o que Ele fez quando tirou o seu povo da terra do Egito. Este Deus é a esperança para todos os lugares do mundo. Todos aqueles que Ele chama para si, podem ficar certos da sua proteção.

Versículos 6 e 7 fala de montanhas e mares como proteção. Se você der uma olhada no mapa da palestina vai ver que do lado ocidental, Israel está protegido pelo Mar Mediterrâneo, e do lado oriental, Israel está protegido por uma cadeia de montanhas.

Deus colocou o seu povo nesta região. Entre o mar e as montanhas. Deus colocou uma proteção natural para o seu povo. As águas não passam para cobrir a terra, nem os montes deixam de existir, porque Deus controla a criação em favor do seu povo.

Por causa da proteção de Deus em relação ao seu povo, as nações da terra tremem diante dele. Os egipcios, os assírios, os persas, os gregos e os romanos sentiram a potente mão de Deus. Ao mesmo tempo aqueles que confiam em Deus (do nascente ao poente), independente de onde são, do Japão ao Alaska, podem cantar de alegria.

A maior manifestação de poder de Deus em favor do seu povo, veio através do seu Filho Jesus. Deus enviou o seu Filho ao mundo. Ele foi a grande maravilha de Deus. João disse: Vimos a sua glória! Ele veio para esmagar a cabeça da serpente. Para libertar os cativos. Para despertar as nações com cânticos de alegria. Deus protege seu povo hoje em Cristo Jesus. Confessamos que ele é nosso Rei. Como rei ele nos governa por sua Palavra e Espírito e nos protege e guarda na salvação que Ele conquistou para nós.

Então, Deus nos perdoou e nos protege em Cristo, mas também continua a cuidar de nós no dia a dia. Isto nos leva ao útimo motivo de louvor.

Louvor pelo: alimento e vestes

A última parte deste salmo mostra Deus como um agricultor. Versículo 9: cuidas da terra e a regas. Algumas pessoas dizem que Deus não existe, e se existe, ele apenas criou o universo e depois foi embora. Eles dizem que Deus é como um relojoeiro que dá cordas no relógio e depois o relógio passa a funcionar sozinho.

Nós não acreditamos nisto. Neste final de salmo 65 vemos um Deus ativo. É Ele quem causa a abundância, também podemos dizer que é Ele quem causa a escassez. É Ele quem causa comida na mesa, também é Ele quem causa a falta dela.

No Domingo 10, na resposta 27, confessamos o seguinte sobre a providência de Deus: …assim ervas e plantas, chuva e seca, anos frutíferos e infrutíferos, comida e bebida, saúde e doença, riqueza e pobreza e todas as coisas não nos sobrevêm por acaso, mas de sua mão paternal.

Vemos aqui um Deus que causa a terra ficar rica. Ele ordena isto. Ele causa os riachos transbordarem para que nunca falte o trigo. Do trigo o povo tem o pão, que era a base da alimentação dos israelitas. As chuvas e as estações são controladas por Deus. Ele dá comida aos animais. Salmo 104, verso 27, diz: Todos eles (homens e animais) dirigem seu olhar a ti, esperando que lhes dês o alimento no tempo certo.

A chuva era determinante para uma boa vida em Israel. Deus preenchia com a quantidade de água os sulcos (as valinhas ) que eram feitas na lavoura. Deus traalhava em favor da lavoura do seu povo como um perfeito agricultor. Neste salmo ele está fazendo tudo na medida certa. Os trilhos estão bem feitos. A irrigação está perfeita. A produção será boa.

As chuvas em quantidades certas, são bençãos da aliança. Deuteronômio 28. 1, 12a: Se vocês obedecerem fielmente ao SENHOR, o seu Deus, e seguirem cuidadosamente todos os seus mandamentos que hoje lhes dou….O SENHOR abrirá o céu, o depósito do seu tesouro, para enviar chuvas à sua terra no devido tempo e para abençoar todo o trabalho das suas mãos.

Quando a lavoura vai bem, isto é motivo de gratidão! Deus concedeu esta benção. Deus concedeu boas chuvas! Você deve louvar a Deus por isso! Você não pode ser orgulhoso e hostentar a sua produção como se isto fosse resultado da sua esperteza. Se Deus fechar os céus, nada feito.

Com todas as tecnicas disponíveis, o homem não pode produzir chuva. Existe uma tecnica bem polêmica (“tecnica da semeadura de núvem”). Esta técnica consiste no lançamento de substâncias no ar que ajudam a formar gotas de chuva (jogam sal na atmosfera). Essas substâncias são lançadas de avião na base ou no topo das nuvens consideradas capazes de originar precipitação.

Ao entrar em contato com o vapor de água, essas partículas grandes atraem partículas menores e levam a formação de gotas de águas mais pesadas que começam a se precipitar, até que, as chuvas caem. O procedimento é muito caro. E, não é garantido. Isto descontrola o ambiente. Há comprovação de diminuição de chuvas nao local onde o experimento foi realizado.

O melhor é ser obediente e esperar a benção de Deus. É ele quem coroa o ano com boas colheitas, com abundância de gado (versículo 11 em diante). Até os locais um pouco mais secos, menos ferteis, como estes desertos no versículo 12, são abençoados com colheitas.

Nos versículos 12 e 13, podemos ver como Deus está abençoando a terra de Israel inteira. Versículo 12 “deserto”; versículo 13 “colinas”; versículo 13 “campos e vales”. Olhando esta benção de na imaginação poderíamos ver olhando para os montes, as plantações de milho e trigo, os campos cheios de gado forte, produzindo muito leite, gado bom para corte.

De fato é uma visão abençoada. Todas as pessoas tendo pão, comendo carne, fazendo bolo, comendo tâmaras, romas, figos (variedade de frutas), bebendo leite a vontade, todos tomando um bom vinho, se vestindo bem no inverno, porque conseguem extrair uma boa lã das ovelhas; Vendendo os seus produtos para fora do país e prosperando financeiramente. Tudo isto por causa da benção de Deus.

Neste culto de ações de graças, meus irmãos e irmãs, que consideremos a benção de Deus sobre nossas vidas nesta última colheita. Tenho ouvido que os irmãos foram muito abençoados. Os irmãos tem recebido o perdão de pecados, tem sido protegidos e tem recebido boas chuvas.

Então, qual deve ser a sua resposta diante de Deus? Cumpram com os seus votos feitos a Deus. Venham fielmente adorar a Deus nos domingos! Vivam como sacrifício de gratidão a Deus. Amém a Deus! Amém ao seu irmão ou irmã que se assentam ao seu lado domingo após domingo. Manifestem esta gratidão a Deus! Se assim for , Deus continuará a abençoar vocês! Essa é a promessa não do pastor, mas são promessas do Deus da Aliança ao seu povo obediente. Amém!

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Pr. Marcel Tavares

Pastor na Igreja Reformada do Brasil Maranata, em Unaí-MG. Bacharel em divindade pelo Instituto João Calvino.