Pregação preparada pelo Pr. Elissandro Rabêlo

Leitura: Salmo 117

Texto: Salmo 117


“Louvai ao SENHOR, vós todos os gentios, louvai-o todos os povos. Porque mui grande é a sua misericórdia para conosco, e a fidelidade do SENHOR subsiste para sempre. Aleluia!”


Amados irmãos em Nosso Senhor Jesus Cristo

Acabamos de ler o menor de todos os salmos e também o menor de todos os capítulos da Bíblia. Salmo 117 contém apenas 17 palavras em seu texto original. Como todos os salmos, ele também tem o seu lugar na vida de Israel, o povo de Deus no Antigo Testamento. Ele faz parte de um conjunto de hinos de louvor que eram cantados por Israel durante as festividades da Páscoa (113-118). Nessa festa o povo comemorava com alegria e gratidão a libertação do cativeiro egípcio. No entanto, é interessante notar que este pequeno salmo pertencente à nação de Israel constitui uma mensagem do próprio Deus que atinge toda humanidade em qualquer época ou lugar. Seu conteúdo é direcionado a todas as nações da terra. Neste salmo, o próprio Deus está convocando todas as nações a louvar o seu nome: “Louvai ao SENHOR, vós todos os gentios, louvai-o todos os povos (Sl.117.1)” Todo ser humano está incluído neste chamado de Deus para o louvor. Deus ordena que todos os povos, independente de raça, cor, língua ou nação, louvem o Seu Nome. Portanto, a mensagem do salmo 117 é esta:

Tema: Todos os povos devem louvar ao SENHOR

Diante desta ordenança do SENHOR para que todos louvem a Ele, precisamos responder as seguintes perguntas:

  • 1. O que significa louvar ao SENHOR?
  • 2. Por que todos devem louvar ao SENHOR?

3. Por que o povo de Deus louva ao SENHOR?
O que significa louvar ao SENHOR? Todos nós conhecemos a palavra “aleluia”, pois esta palavra se faz presente em vários salmos e hinos que cantamos. Mas será que todos nós conhecemos o significado original da palavra aleluia? O salmo 117 nos ajuda a entender o significado dessa palavra. A primeira e a última palavra do salmo 117 é a palavra “aleluia”. Aleluia é uma palavra hebraica que traduzida para o português significa: “Louvai ao SENHOR (Que Deus seja louvado)”. A palavra aleluia expressa a ordem de Deus para que todos os povos o louvem. Mas o que é louvar ao SENHOR? O dicionário define o verbo “louvar” como sendo: elogiar, exaltar, bendizer; glorificar. Louvar significa dar a devida honra e glória a alguém que é digno. O único Ser que é digno de todo louvor e adoração é o Nosso Deus, que criou os céus e a terra. Ele exige que todos louvem o seu nome.

Quando falamos em louvar a Deus, podemos pensar logo que isso se refere apenas a músicas e cânticos. De fato, por meio dos nossos cânticos podemos louvar a Deus (Sl.71.22; Ef.5.19). Porém, louvar a Deus não se limita apenas a abrir a boca e cantar salmos e hinos. A música faz parte do louvor, mas ela sozinha não constitui o verdadeiro louvor que é devido a Deus. Alguém pode cantar e tocar um instrumento e mesmo assim não estar louvando a Deus. Pode ser que o coração daqueles que honram a Deus com os lábios esteja longe de Deus. De nada vale cantar para Deus se ele não é louvado em nossa vida. Deus é devidamente louvado quando aquele que o louva com salmos e hinos se aproxima dele com profunda e sincera gratidão, como também com obediência, alegria e confiança.

Louvar ao SENHOR significa reconhecer sua glória e majestade e submeter-se ao seu domínio com alegria e fé. Louvar ao SENHOR é proclamar a sua Pessoa e seus atributos com a nossa vida. Quando Deus chama todos os povos a louvar seu nome Ele os está chamando a exaltar e glorificar seu nome em atos e palavras. Deus quer ser proclamado e exaltado por suas criaturas, por isso convoca todos os povos a louvar seu nome.

Louvar a Deus é buscar a sua glória em todas as coisas, em tudo o que fazemos. Quanto a isso, Paulo escreveu o seguinte: “Quer comais, quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus” (1Co.10.31). Louvar ao SENHOR é fazer tudo para a glória dEle. “Tudo” inclui nossos atos, palavras e pensamentos em todas as áreas da nossa vida. Quando Deus nos ordena: Louvai ao SENHOR, ele está exigindo de nós o seguinte: “Honrem-me em tudo que vocês fazem; no culto, louvem meu nome com alegria e gratidão; em sua casa, louvem o meu nome por meio de uma vida familiar exemplar; no seu trabalho, proclamem o meu nome com a sua boa conduta, na sociedade, manifestem a minha glória através de uma vida de obediência e confiança em mim”. O louvor que Deus exige de nós deve abranger todos os aspectos de nossa vida. E isso é um dever de todo homem. Todos devem louvar a Deus em tudo o que fazem.

Por que Deus exige que todos os homens louvem o seu nome? A razão é que Deus criou todas as coisas, especialmente o homem para o louvor da sua glória. O homem foi criado por Deus à sua imagem e semelhança para refletir a glória de Deus na terra em todos os seus atos. O homem foi criado para louvar a Deus. O homem criado por Deus tinha plenas condições de cumprir este chamado divino. Ele podia louvar a Deus perfeitamente mediante uma vida de gratidão, obediência e confiança no SENHOR. Infelizmente, nós sabemos que o homem, em virtude da Queda, errou o alvo para o qual fora criado, que era louvar a Deus. O homem se tornou corrompido e, portanto, incapaz de cumprir o propósito divino de louvar a Deus corretamente. O homem caído deixou de louvar a Deus para louvar a si mesmo e a falsos deuses. A queda provocou no homem uma corrupção tão profunda que ele deixou de adorar ao Deus Vivo para servir a ídolos mortos. Salmo 115 já nos mostra como nações inteiras se esqueceram de Deus para adorar falsos deuses (versos 4-8). Paulo também fala sobre isso em Rm. 1.25 quando se refere à corrupção humana, dizendo: “Pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente”. O homem se tornou totalmente corrompido, sem nenhuma condição de louvar a Deus corretamente.

No entanto, a corrupção do homem não anula o chamado divino para o louvor. Deus criou o homem para o louvor da sua glória. Deus exige que todos louvem o seu nome, pois todos foram criados para este propósito. Mas é justamente isso que nenhum homem tem condições de fazer com suas próprias forças. O homem preferiu não dar louvor à glória de Deus e, portanto, acabou caindo e errando o alvo da sua criação.

O que, então, é necessário para que o homem volte a cumprir o chamado divino para o louvor? Somente Deus pode restaurar o homem e dar-lhe condições de louvá-lo de novo. O SENHOR é tão misericordioso que saiu em busca do homem caído para restaurar-lhe a vida. Deus procura o homem caído para manifestar o seu juízo, e também para manifestar a sua graça em providenciar para ele a salvação de sua miséria para que volte a louvar a Deus segundo o propósito da sua criação. Já no contexto da Queda, o SENHOR revelou o evangelho de separar e resgatar um povo para si mediante a redenção que seria obtida pelo descendente da mulher (Gn. 3.15). No meio da corrupção humana, Deus tomou a iniciativa de salvar um povo para o louvor da sua glória.

O povo que Deus resgatou para si recebe um chamado especial para louvar ao SENHOR. O povo de Deus tem muitos motivos para louvá-lo. Por que o povo de Deus deve louvá-Lo? Deus merece o devido louvor do seu povo pelo que ele é em si mesmo e pelos seus atos de redenção em favor do seu povo.

O povo de Deus o louva, em primeiro lugar, pelo que Ele é: Deus é o SENHOR. A palavra “SENHOR” em letras maiúsculas é a tradução do termo hebraico “Yahweh”. Esse nome aponta para o Deus da aliança que se revelou ao seu povo e escolheu este povo para si a fim de ser louvado por ele. O Deus Criador e Todo Poderoso é também o SENHOR, ou seja, aquele que nos escolheu para ter um relacionamento de amor com ele; é o Deus da aliança que quer ser o Nosso Deus e quer que nós sejamos o seu povo. Ao povo da sua aliança, o SENHOR manifestou a sua misericórdia e fidelidade a fim de salvá-lo. Isso é uma motivação muito grande para o povo de Deus louvar o Seu Nome.

O povo de Deus o louva também pelo que Ele tem feito em favor deles. Conforme o salmo 117, o povo de Deus é motivado a louvá-lo por essas duas razões:

É grande a sua misericórdia para conosco: Literalmente o texto diz que a sua misericórdia prevalece sobre nós. A misericórdia de Deus é o seu amor leal para com o seu povo. Aqueles que desfrutam da sua aliança são objeto do seu amor pactual. Sua misericórdia é grande para conosco (povo de Deus), que são os que o temem (Sl. 103.11). Ao longo da história de Israel nós contemplamos o SENHOR manifestando a sua misericórdia em favor do seu povo. O salmo 136, que é um hino de louvor à misericórdia de Deus, nos mostra como Deus manifestou a sua misericórdia em favor do seu povo escolhido (libertação do Egito -10-15; proteção no deserto – 16-20; dádiva da terra prometida – 21,22). Certamente quando o salmo 117 era cantado na festa da páscoa, o povo lembrava-se da grande misericórdia de Deus em redimí-los da escravidão do Egito. O povo louvava ao SENHOR por este ato de amor em favor deles.

A misericórdia do SENHOR prevaleceu sobre os pecados do seu povo. Deus sempre mostrou a sua misericórdia sobre Israel; porém, Israel muitas vezes não respondia com louvor e gratidão, mas com ingratidão e incredulidade. Já no deserto, por diversas vezes, o povo se esqueceu das obras de Deus e pecou contra ele (murmuração, falta de fé, idolatria). Na terra prometida se uniram às nações pagãs e passaram a adorar falsos deuses. Muitas vezes Deus castigou o seu povo por causa dos seus muitos pecados. Ele poderia ter destruído o seu povo totalmente. No entanto, sua misericórdia prevaleceu. Pois o SENHOR é um Deus perdoador e cheio de graça; ele tem prazer na misericórdia. Sua grande misericórdia é a causa de não sermos consumidos por sua ira, mas de recebermos o seu perdão. “Ele é quem perdoa todas as tuas iniqüidades”…, pois “o SENHOR é misericordioso e compassivo, longânimo e assaz benigno. Não repreende perpetuamente, nem conserva para sempre a sua ira. Não nos trata segundo os nossos pecados, nem nos retribui consoante as nossas iniqüidades” (Sl. 103.3,7-10).

O fato da misericórdia de Deus prevalecer sobre os nossos pecados não é um incentivo para vivermos no pecado, mas é uma motivação para louvarmos e agradecermos ao Nosso Deus que nos perdoa sem mérito algum da nossa parte. Sua misericórdia é grande para com os que o temem. Com ele está o perdão para que temamos o seu nome (Sl. 130.4). Além disso, quem alcançará a misericórdia do SENHOR? A palavra de Deus nos responde: “O que encobre as suas transgressões, jamais prosperará, mas aquele que as confessa e deixa, alcançará misericórdia” (Pv. 28.13). Louvemos a Deus com a nossa vida, obedecendo a Ele, deixando os nossos pecados, pois a sua misericórdia é grande para conosco.

Sua fidelidade é para sempre: O SENHOR Deus, além de misericordioso, é fiel e verdadeiro. Sua palavra é a verdade. Suas promessas são fiéis e verdadeiras. O que ele falou e prometeu, ele há de cumprir, pois o SENHOR não é homem para que minta, mas é o Deus Fiel que não pode negar a si mesmo. Nós vemos a manifestação da sua fidelidade no seu relacionamento com Israel. Por mais que Israel fosse infiel, Deus sempre mostrou a sua fidelidade. O que ele prometeu, ele cumpriu em favor do seu povo. Vejamos alguns exemplos:

O SENHOR já tinha dito a Abraão que Israel seria escravo no Egito, mas que ele mesmo iria libertar o seu povo (Gn. 15.13,14). No tempo por ele determinado, o SENHOR resgatou o seu povo do Egito através do seu servo Moisés. O SENHOR é FIEL.

O SENHOR disse que iria guiar o seu povo pelo deserto. Em nenhum momento, o SENHOR abandonou o seu povo. Como um bom pastor que conduz fielmente o seu rebanho, o Senhor concedeu alimento e proteção para o seu povo durante toda a jornada do deserto. O SENHOR é FIEL.

Deus disse a Moisés no deserto que daria ao seu povo a terra que já tinha prometido a Abraão, Isaque e Jacó. Mais tarde, por meio de Josué, Deus cumpriu a sua palavra e deu ao seu povo a terra de Canaã por herança. O SENHOR é FIEL.

Israel tinha motivos para louvar a Deus. Eles desfrutaram da misericórdia e da fidelidade de Deus em favor deles. O salmo 117 era apropriado para eles cantarem na festa da páscoa, pois a libertação do cativeiro egípcio foi uma manifestação não só da grande misericórdia de Deus, mas também da sua eterna fidelidade para com o seu povo. O povo de Deus é chamado a proclamar a fidelidade de Deus em seu favor (Sl. 89.1; 92.2).

Da mesma forma que a igreja do Antigo Testamento tinha motivos para louvar a Deus, nós também temos. A cada domingo nos reunimos no culto para louvar ao SENHOR por sua misericórdia e fidelidade para conosco. Que motivação forte temos para louvar a Deus: ele manifestou a sua misericórdia e fidelidade para conosco nos dando o seu Filho Jesus Cristo para morrer na cruz em nosso lugar e conquistar a nossa salvação. Em Cristo, a misericórdia e a fidelidade de Deus nos foram manifestadas de forma profunda e maravilhosa.

Em Cristo, contemplamos a manifestação da misericórdia de Deus para conosco: A cruz de Cristo é a manifestação máxima da misericórdia de Deus. Naquela cruz maldita, Deus derramou sobre seu Filho a sua justa ira por causa dos nossos muitos pecados, a fim de derramar sobre nós, miseráveis pecadores, a sua infinita misericórdia. Por meio do sacrifício de Cristo, Deus nos salva da nossa miséria e nos perdoa de todos os nossos pecados. A santa ceia é uma proclamação visível dessa verdade. Nesta ceia, relembramos e festejamos com alegria e louvor, a nossa libertação do cativeiro do pecado e do diabo mediante o sacrifício de Cristo. Em Cristo, a misericórdia de Deus prevaleceu sobre os nossos pecados. Ele nos salvou por sua grande misericórdia (Ef. 2.4; Tt. 3.5; 1Pe.1.3). Não há uma motivação maior do que esta para nos encher de louvor e gratidão ao Nosso Deus.

Em Cristo, contemplamos a manifestação da fidelidade de Deus para conosco: Já no Antigo Testamento, o SENHOR prometeu enviar o seu Filho para salvar o seu povo. O Antigo Testamento está cheio de promessas messiânicas. Israel aguardava ansiosamente o cumprimento dessas promessas. E nós hoje temos o cumprimento das promessas acerca de Cristo. O Deus Fiel preservou o seu povo de todos os ataques do diabo a fim de trazer ao mundo o descendente da mulher para salvar o seu povo dos pecados deles. Na plenitude do tempo, o Deus fiel cumpriu suas promessas enviando o Seu Filho para realizar a obra redentora em favor do seu povo. Cristo nasceu, sofreu, morreu, ressuscitou e subiu aos céus para nossa salvação. Tudo isso de acordo com a fidelidade de Deus. A igreja de Cristo hoje, o novo Israel de Deus tem mais motivos para louvar ao SENHOR.

Em Cristo, Deus cumpriu as suas promessas para nossa salvação. E ainda há de cumprir uma outra promessa maravilhosa. O Senhor Jesus prometeu voltar para habitar eternamente com o seu povo. Ansiamos por esta promessa com confiança, pois aquele que a fez é fiel. Assim como Deus concedeu a terra prometida de Canaã a Israel, também nos dará a graça de habitarmos com ele no novo céu e na nova terra por toda eternidade. Cremos que, na glória, todos os crentes que já comemoram a sua salvação na santa ceia aqui na terra, participarão do grande banquete do Cordeiro com todos os santos na Canaã Celestial. Isso certamente acontecerá, pois a fidelidade do SENHOR subsiste para sempre. Por essa razão, somos motivados a louvar ao nosso Deus Fiel.

Em Cristo, Deus mostrou a sua misericórdia e fidelidade para salvar pecadores. A salvação que há em Cristo é para todos aqueles que crêem nele, independente de raça, povo ou nação. Em Cristo, Deus está restaurando um povo para o louvor do Seu Nome. O Salmo 117 traz uma mensagem de esperança para todos os povos da terra. As promessas que Deus fez a Abraão, Isaque e Jacó se estendem aos gentios no SENHOR Jesus Cristo. Paulo deixa isso bem claro em Romanos 15.8-13. Na redenção que há em Cristo nós temos condições de novamente louvar ao SENHOR. Nele somos o Novo Israel de Deus, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamar as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz (1Pe.2.9). Sua misericórdia e fidelidade nos alcançaram em Cristo.

Deus ainda está chamando pecadores através de sua igreja ao propósito para o qual foram criados: louvar ao SENHOR. Isso é possível mediante a redenção que há em Cristo Jesus. Salmo 117 é um incentivo para que a igreja pregue o evangelho de Cristo a todas as nações, pois o SENHOR deseja que todos reconheçam a sua glória e louvem o SEU Nome. Dentre toda humanidade caída ele está resgatando um povo para o louvor da sua glória. E vai chegar o dia em que uma multidão inumerável estará diante do SENHOR, louvando-o por toda eternidade. O povo glorioso de Deus cantará aleluias ao Seu Nome, pois Deus é o SENHOR e a sua misericórdia e fidelidade são grandes para conosco em Cristo. Que o SENHOR seja louvado e glorificado na nossa vida hoje e eternamente.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

Compartilhe!

Pr. Elissandro Rabêlo

Pastor na Igreja Reformada em Cabo Frio - RJ.

Leave a Comment