Pregação preparada pelo Pr. Thyago Lins

Leitura: Romanos 13

Texto: Romanos 13:11-14

Amados irmãos e irmãs em Cristo Jesus,

O que vocês fariam se de repente, agora, os céus se abrissem e vocês ouvissem a voz de Deus dizendo: “Chegou o momento! Acabou o tempo! Eis a hora da verdade! O momento final e decisivo de toda história da humanidade! Dentro de algumas horas meu Filho descerá dos céus, glorioso, para julgar vivos e mortos!”?

O que vocês fariam se isso acontecesse? O que vocês fariam irmãos se soubessem que vocês tinham pouco tempo e que estavam vivendo suas últimas horas? E que dentro de pouco tempo seus destinos eternos, paraíso ou inferno, seriam selados? O que vocês fariam se estivessem com seus corações cheios da certeza e da expectativa do breve e pertíssimo retorno de Cristo? Como seria sua vida nesse clima de ansiedade para se encontrar com Cristo, o Rei dos reis e Senhor dos senhores?

Amados, quero dizer algumas coisas acerca dessas questões:

Primeiro, se vocês não vivem nesse clima e expectativa e se preparam para esse momento triunfal, vocês estão falhando e em sério perigo.
Segundo, se vocês não vivem nesse clima e expectativa e se preparam para esse momento triunfal vocês estão demonstrando falta de entendimento ou esquecimento do tempo em que vocês vivem.
O nosso texto tem muito a nos instruir e exortar acerca deste assunto. Quando Paulo se dirige aos cristãos em Roma, afirma que eles conheciam o presente tempo em que viviam. Eles tinham sido instruídos acerca disso. E que época é essa? Que período de tempo é esse que eles estavam vivendo?

Observem que Paulo usa uma variedade de metáforas. Ele fala sobre noite e dia, escuridão e luz, fala sobre o alvorecer e sobre o dormir e despertar. Ele diz: “E digo isto a vós outros que conheceis o tempo: já é hora de vos despertardes do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto do que quando no princípio cremos. Vai alta a noite, e vem chegando o dia”. Esse é o tempo em que eles viviam! E que nós vivemos também! A Palavra de Deus chama essa época em que nós vivemos de “últimos dias” (At 2.16-17; 2Tm 3.1), de “os fins dos séculos” (1Co 10.11), de “últimos tempos” (1Tm 4.1; Jd 18) e até o Apóstolo João afirma: “Filhinhos, já é a última hora” (1Jo 2.18).

Esse tempo final não é uma coisa futura, mas se refere a esse tempo presente. É agora que devemos aguardar em grande expectativa o momento final e decisivo da história da humanidade. Lembram-se da introdução deste sermão? Então te digo: Não vamos ouvir e nem precisamos ouvir a voz de Deus dos céus dizendo que o regresso de Cristo está perto.

Não precisamos mesmo., pois o grande sino da torre com o relógio das últimas horas deste mundo perdido já soou há muito tempo com o nascimento, morte, ressurreição e ascensão de Cristo. E esse relógio em contagem regressiva, que é o tempo que resta a esse mundo, vai acabar com o triunfal toque da última trombeta, a trombeta de Deus. Após esse toque Jesus descerá glorioso dos céus para julgar vivos e mortos. (1Ts 4.16; 1Co 15.52).

Irmãos, a vista dessas coisas, não podemos ficar dormindo! Despertem, acordem! Devemos nos despertar de nosso sono! Precisamos estar atentos e em vigilância! O dia está chegando e não podemos ficar dormindo! Ainda mais quando falamos sobre um Dia grandioso e decisivo, que é o Dia da volta de Cristo! O tempo é crítico e urgente irmãos! Aproveitem bem o tempo que vocês têm! O apóstolo Paulo diz: “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo porque os dias são maus” (Ef 5.15-16). Quem está dormindo não vê o dia chegar. Quem está dormindo não pode trabalhar. Não pode se preparar para o que dia vai trazer. Ele é apanhado de surpresa para os acontecimentos do dia. Em tempos críticos e urgentes, a ordem é ficar esperto, ficar atento, acordado. Temos que está conscientes e prontos para a chegada do dia e seus acontecimentos. Até porque, para a igreja, o grande acontecimento junto com a volta de Cristo é a sua salvação.

Sim! Presta atenção nisso! A Palavra de Deus diz: “já é hora de vos despertardes do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto do que quando no princípio cremos”. A palavra “salvação” aqui indica o resgate que Cristo fará da Igreja no último dia. Naquele momento a Igreja experimentará a salvação plena de Cristo desse mundo mal e das conseqüências do pecado. Como descrito na visão: “Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povo de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram” (Ap 21.3-4). Oh, irmãos! Essa é a alegria que nos espera!

Esse momento da salvação está chegando. Por isso Paulo usa linguagem de extrema urgência. É como se cada cristão devesse ter um despertador que está em contagem regressiva. Na verdade, esse despertador já é para estar tocando, e sempre, avisando que a grande hora já está perto. Naquela época, Paulo já sabia: Cristo pode chegar a qualquer momento! E alertava: Estejam preparados, irmãos! Isso há quase 2.000 anos. O que eu posso dizer agora? Como posso enfatizar mais ainda para vocês essa expectativa, agora que Cristo está mais perto? Irmãos, Cristo está às portas! Ele está voltando! Ele vem em breve! Está a poucos passos de sua chegada a esse mundo!

Prestem atenção nisso que vou dizer: Paulo fala aqui sobre algo que as igrejas de todas as épocas sempre devem ter. Ele fala sobre “a ardente expectativa da segunda vinda de Cristo”. Até porque as igrejas de todas as épocas, na verdade, vivem em um só período: o fim dos tempos. Paulo não está brincando! Ele diz, olha a noite já passou! Sim, irmãos! Olhem! Vejam! Acordem! O sol está nascendo! Vejam no horizonte, os primeiros raios do sol já começam a brilhar! O dia está nascendo! Oh, irmãos! Vocês vivem nessa expectativa? Tudo o que vocês fazem, dizem, pensam, desejam ou deixam de fazer é pensando na volta de Cristo que está próxima? Você ama a Vinda de Cristo? Você ora pela volta de Jesus: ora vem Senhor Jesus!? Você sempre pensa e está consciente disso? E sempre que você pensa seu coração arde de ansiedade, de alegria e de esperança por esse momento? Essa expectativa te dá mais combustível e razão para ser mais zeloso e fiel nas coisas do Senhor? Ou você está relaxado? Deitado no pecado como em berço esplêndido? Falta zelo na sua vida. Falta aquele fervor maravilhoso. Falta-te vida. Irmãos, vivam à luz da eternidade! Vivam à luz da volta de Cristo! Você está pecando se não vive nessa expectativa da volta de seu Senhor. Está agindo como o servo infiel da parábola de Lucas 12 que diz consigo mesmo: “Meu senhor tarda em vir…” (Lc 12.45). Igreja, cuidado para que a água fria dos vossos pecados e dos assuntos desse mundo não apaguem o calor da “ardente expectativa da volta de Cristo”.

Não, a igreja não deve agir assim. Essa ardente expectativa do breve retorno de Jesus deve mudar e moldar a nossa vida. Nosso estilo de vida deve estar pautado sobre essa verdade. A verdade do regresso de Cristo deve nos incentivar à santidade. Deve nos levar a aprender a dizer “sim” e “não” para algumas coisas dessa vida. Assim, Paulo começa a fazer uma série de exortações positivas e negativas que todo cristão vigilante e preparado deve estar aplicando em sua vida.

Observe que tem muita coisa ruim que as pessoas fazem às escuras. Quando ninguém está vendo elas tomam coragem para realizar suas perversidades e pecados. Acham-se protegidas pelo manto da escuridão. Chama-se a isto “obras das trevas”. Mas olha o ensino da Palavra aqui. Vivemos numa época em que a noite já avançou e o dia está raiando. Esta época de trevas está chegando ao seu fim. Já estamos na última hora. O sol já desponta no horizonte. O sol está vindo. Já podemos ver avermelharem-se seus raios no céu. O dia está clareando. E já já tudo vai está bem iluminado. Tudo o que a noite encobriu poderá ser visto, porque já é dia claro. Presta atenção nisto. Cristo, o Sol da Justiça, está chegando e vai manifestar todas as obras que foram feitas escondidas. Não há nada oculto que não venha a ser revelado. Com seus olhos luminosos, Ele vai ver o mais profundo de nossas almas, mentes e corações. Tudo será descoberto. Portanto, deixemos de lado as obras das trevas. O Dia já está raiando! Diga “não” às obras das trevas!

Está na hora de vocês agirem como soldados, irmãos! Ao mesmo tempo em que vocês devem deixar de lado as obras das trevas, vocês devem se vestir das armas da luz. Vocês devem ser soldados santos. Soldados de Cristo. A vida cristã não é uma brincadeira. Temos inimigos querendo nos derrubar. Satanás e suas hostes estão sempre armando ciladas e tentações sob medida pra cada um de vocês. O mundo, com suas falsa aparência, quer sempre nos encantar e nos hipnotizar para nos esquecermos de Cristo e de sua volta. O pior é que dormimos com o inimigo. Por quê? Porque nós mesmos somos nossos próprios inimigos. A nossa carne pecaminosa está sempre nos empurrando e arrastando para os desejos e caminhos impuros! Mas vocês são soldados. Santos soldados. E vocês têm armas. Suas armas são as armas da luz. Se encham de munição de boas obras. Tome posse de um arsenal de obras santas. Obras que são aprovadas pela luz. Obras que brilham e fazem fugir a escuridão. Trevas se vencem com luz. Escuridão se dissipa com luminosidade. É assim que vocês podem combater as obras das trevas como santos soldados de Cristo. Então diga “sim” para as armas da luz que são as boas obras que brilham para a glória de Deus.

Paulo agora classifica algumas obras das trevas. Prestem atenção, irmãos. A exortação é importante e urgente. Seu ouvir e obedecer terá influência na sua vida ou morte eterna. Como alguns ladrões ou criminosos desistem de começar seus maus atos vendo que a noite já avançou e o dia tem se aproximado, sabendo que se cometerem seus crimes eles vão ser vistos e vão sofrer as conseqüências, assim Paulo diz: “nem comecem a andar” nas obras das trevas! Paulo os exorta: Observem como vocês andam, como se comportam. Ele diz: “Andemos dignamente, como em pleno dia”. É dessa forma que devemos viver! Como se estivéssemos em pleno dia. Pois tudo que a noite encobriu o dia vai revelar, a luz vai descobrir. Assim tudo que foi feito escondido neste mundo de trevas vai ser revelado e reprovado por Cristo. Andem e se comportem sabendo que Deus está te vendo e que na volta de Cristo tudo será manifestado. Quer dizer, nem pensem nesse tempo em que nós vivemos, com Cristo podendo chegar a qualquer momento, com a nossa plena salvação bem mais perto, em começar a praticar as obras das trevas. E que obras são essas?

Ele as divide em três grupos: 1. farras e bebedeiras; 2. Excesso sexual e excesso de devassidão; 3. Contenda e ciúme. Vamos ver cada grupo:

1. Farras e bebedeiras – Aqui se fala sobre festas, farras onde tem glutonaria e embriaguez. As pessoas comem e bebem exageradamente, sem controle, sem domínio próprio. A falta de moderação é a ordem! E especialmente a bebida em excesso tem um efeito horrível nas pessoas. Elas perdem o controle. Perdem a noção das coisas. Começam a falar demais e a falar besteiras. Fazem vergonha a si mesmas e àqueles que as acompanham. Naquele momento o álcool passa ser o senhor de sua vida. Quem está no controle é o álcool. Você se transforma num escravo dominado e orientado por ele. Quem anda desse jeito não está andando para se encontrar com Cristo. Não tem condições de permanecer na presença de Cristo. Farras, glutonaria são obras das trevas. A Bíblia revela que “… nem bêbados […] herdarão o reino de Deus”. (1Co 6.10).

2. Excesso sexual e excesso de devassidão – Reparem numa coisa irmãos: parece que uma das marcas das obras das trevas é realmente a falta de moderação e controle. Isso especialmente na área sexual. Esse é um dos tipos de pecados que mais assola a igreja. Paulo fala aqui sobre a imoralidade sexual. Sobre uma vida onde não existem regras e a ordem é seguir os desejos da carne. Paulo condena aqui a prostituição, a pornografia, o adultério e qualquer prática libertina. Quem vive assim não está apto a se encontrar com Cristo. Deus nos fala: “… nem impuros, nem adúlteros, nem sodomitas […] herdarão o reino de Deus”. (1Co 6.9-10).

3. Contenda e ciúme – Mais uma vez confirmamos que isto é verdade: uma das marcas das obras das trevas é realmente a falta de moderação e controle. Paulo proíbe aqui a prática de desavenças, brigas, discussões destrutivas, inveja, infâmias etc. Paulo já havia ensinado a prática do bem e da paz. Ele disse: “Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens; se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens”. (Rm 12.17-18). Cuidado com o seu ânimo e a sua língua: ela pode te levar ao inferno também! Aquele que age assim vai ter que baixar a crista diante de Cristo. Tal pessoa não tem a mínima condição de ficar tranquilo diante do santíssimo Jesus Cristo. A Palavra diz que “…nem dos maldizentes […] é o reino de Deus”. (1Co 6.10).

Com pecado não se brinca. Devemos romper radicalmente com ele. Cristo está chegando e devemos estar preparados. Em vez de praticarmos as obras das trevas devemos andar decentemente como em pleno dia. Como fazer isso? O que fazer se caímos nesses pecados? Se gostar de farras e bebidas é o nosso fraco? Se podemos tudo para Cristo mas, quando o assunto é controlar nossos desejos sexuais, Cristo fica em segundo plano? O que fazer se um rostinho bonito ou se nossos desejos falam mais alto do que a voz do Bom pastor que nos chama à santidade? O que fazer irmãos, se não conseguimos controlar nossas línguas e não somos pacíficos? Que atitude devemos tomar quando nos faltam controle e domínio próprio para termos uma vida decente e santa para a glória de Deus? Como ter uma vida preparada para o regresso de Cristo?

A Palavra de Deus diz: não pratiquem as obras das trevas “mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e nada disponhais para a carne no tocante às suas concupiscências”. Para um grande dia temos que nos vestir a caráter. E para o maior e mais decisivo dia de toda história da humanidade, quando Jesus Cristo voltar glorioso do céu, que roupa caberia para esse dia? Que tipo de roupa estaria adequada e a altura desse maravilhoso e grande dia? Irmãos, não há roupa melhor, roupa mais linda, mais pura, mais brilhante, mais gloriosa do que esta que Paulo nos exorta a vestirmos! Que roupa é essa? É o próprio Jesus! Para podermos nos encontrar com Cristo temos que nos parecer com Ele. Para romper com o pecado, Jesus deve ser o padrão, o modelo para o nosso estilo de vida. Vistam-se dEle, irmãos! Vistam-se de sua justiça e de sua santidade. Cubram-se das boas obras de Cristo. Imitem Jesus em suas vidas. Que os seus alvos não sejam menos do que serem santos como foi Jesus. Devemos buscar amar como Jesus amou. Obedecer como Ele obedeceu a seu Pai. Ser fiel até a morte como Ele foi fiel. Sigam seus passos! Vocês precisam da justiça dEle. Só Cristo pode te dar o manto perfeito. Ele cumpriu toda a vontade de Deus em nosso lugar. Creiam nEle e a justiça de Cristo será sua também. Revistam-se das boas obras que Cristo nos ensinou por sua vida e Palavra. Assim, você estará bem vestido naquele dia e não ficará de fora da Festa das Bodas do Cordeiro. Assim, você terá condições de se encontrar com Cristo e de estar sob a sua luz.

Ao mesmo tempo em que devemos nos vestir de Cristo temos que parar com certa atitude que não combina com o vestir-se de Cristo. Paulo diz que se deve parar de fazer para si mesmo providente cuidado para satisfazer os desejos da carne. O que significa isso? Paulo sabe bem como é a atitude do pecador. Muitos são os que falam que não conseguem largar alguns pecados em sua vida e viver em santidade. Dizem que a carne é fraca e as tentações são fortes e irresistíveis. São muitos os que caem nos mesmos pecados constantemente e dizem que não teve, de jeito nenhum, como escapar da tentação.

Sabemos que realmente a carne é fraca. Mas Cristo nos libertou da escravidão do pecado. Temos a sua Palavra e Espírito. E a Palavra de Deus nos diz que “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar” (1Co 10.13). Mas por que será que muitos sempre caem e caem de novo nos mesmos pecados? Porque parece que muitos estão sempre presos nas teias do pecado e não conseguem vestir-se de Cristo?

É justamente pela atitude que Paulo nos proíbe aqui de termos em nossas vidas. Paulo nos proíbe de fazermos provisões e planos para satisfazer os maus desejos da carne. Devemos parar de ficar pensando e premeditando nos pecados que queremos fazer e como vamos realizá-los. Irmãos, agir assim não dá! Parem de brincar com o pecado. Larguem seus pecados de verdade. Não podemos fazer parceria com o pecado. Não usem suas mentes a serviço do pecado. Pensado e planejando em como satisfazer nossos maus desejos. Assim não vai dar para nos vestir de Cristo. Assim não vai dar para levarmos uma vida santa. Vocês devem fazer os dois: digam “sim” para Cristo e “não” para o pecado! Vistam-se de Cristo e parem de premeditar em como satisfazer os desejos da carne. Paulo diz em Fp 4.8: “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável,, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, seja isso que ocupe vosso pensamento.” Sobre o homem justo, o Salmo 1 diz: “Antes, o seu prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.” Vamos assim nos vestir totalmente de Cristo e fazer com que nossos pensamentos, palavras e atos sejam totalmente levados cativos ao Senhor Jesus.

Concluindo:

Cristo está chegando, irmãos. Sua luz logo nos iluminará. A noite já passou e o dia está raiando. Um novo tempo está nascendo. Nossa salvação está cada vez mais perto. Que os seus despertadores estejam sempre tocando e te avisando sobre esse momento. Vamos nos despertar! Vamos nos preparar para esse Dia! Santifiquem-se! Desista dos pecados! Vista-se de Cristo! Quero terminar com o texto de 1Ts 5.4-9, 23, que diz: “Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse Dia como ladrão vos apanhe de surpresa; porquanto vós todos sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite, nem das trevas. Assim, pois, não durmamos como os demais; pelo contrário, vigiemos e sejamos sóbrios. Ora, os que dormem dormem de noite, e os que se embriagam é de noite que se embriagam. Nós, porém, que somos do dia, sejamos sóbrios, revestindo-nos da couraça da fé e do amor e tomando como capacete a esperança da salvação; porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançar a salvação mediante nosso Senhor Jesus Cristo […] O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo seja conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”.

Que Deus nos abençoe.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Compartilhe!

Pr. Thyago Lins

Pastor na Igreja Reformada em Maragogi - AL.

5 Thoughts to “Romanos 13:11-14”

  1. Muito importante falarmos sobre isso! A igreja vive um estado de mornidão espiritual que não é bom.
    Parabéns Pastor!

  2. Oliveira de Brito

    Gostei isto mesmo que deve ser pregado ensinado

  3. Oliveira de Brito

    Gostei isto mesmo que deve ser pregado ensinado.

    Parabens – pastor

  4. Joas

    Meu irmao muito forte
    Vc soube explica certinho oq tavo precisando
    DEUS te abençoe sempre meu querido

  5. Jennifer

    Que mente e sabedoria de excelência ,Deus abençoe

Deixe uma resposta para Oliveira de Brito Cancelar resposta