Pregação preparada pelo Pr. Alexandrino Moura

Leitura: Oséias 01.01-02.01

Texto: Oséias 01.01-02.01


Amada Igreja do Senhor Jesus Cristo.

Como estava a situação religiosa do povo do Senhor na época do profeta Oséias? Será que estavam servindo ao Seu Senhor e Salvador com toda dedicação? Hoje à noite nós vamos ver através da profecia de Oséias a situação do povo de Israel e Judá. Como estava a situação do povo? Judá e Israel tinham se dividido em dois reinos. No verso 1 nós podemos ver quais os reis existentes na época do profeta. O povo estava espiritualmente fraco. Os reis de Judá, a maioria, buscaram ao Senhor. Uzias começou a reinar com dezesseis anos de idade e desde cedo buscou o Senhor. Mas, não destruiu os locais de adoração aos ídolos. Jotão, também buscou ao Senhor, mas como Uzias não destruiu os lugares de adoração aos ídolos. O povo ainda sacrificava e queimava incenso nos altos (2 Rs 15.35). Acaz, todavia, era ímpio. Não quis buscar ao Senhor. Pelo contrário, ele propagou, espalhou o culto pagão em Judá. Ele era um descrente que desprezava ao Senhor. Ezequias, entretanto, foi o que mais lutou para purificar a religião de Judá. Ele destruiu todos os locais de culto pagão. Ele fez o que era reto perante o Senhor (2 Rs 18.3). Dos reis de Judá, a maioria seguiu o caminho do grande rei Davi.

Porém, no Reino do Norte, Israel, a situação era de total descrença no Senhor. O seu rei Jeroboão II, fez o que era mau perante o Senhor. Jamais se afastou de nenhum dos pecados de Jeroboão I, filho de Nebate, que fez pecar todo o Israel. Tudo o que ele fez se transformou em pecado. Ele morreu, mas deixou o povo do reino de Israel em total descrença. Espiritualmente morto. E essa profecia é dirigida a esse povo que se afastou do Senhor. O Senhor envia o seu servo Oséias com uma mensagem dura e que ao mesmo tempo é bastante estranha. Uma mensagem de julgamento e de livramento.
Eu vos proclamo a palavra de Deus no seguinte tema:

Tema: O Casamento de Oséias simboliza o Amor do Senhor e a infidelidade do povo

  • 1. Israel foi chamado para viver em santidade.
  • 2. Israel deixou este estado de santidade.
  • 3. Israel será castigado pelo seu adultério.
  • 4. Israel será no futuro restabelecido como povo do SENHOR.

1. Israel foi chamado para viver em santidade.

Irmãos, quando o Senhor falou pela primeira vez com Oséias, lhe deu uma ordem bastante estranha. O Senhor no versículo 2 fala para Oséias dizendo: “Vai, toma uma mulher de prostituições e terás filhos de prostituição, porque a terra se prostituiu, desviando-se do SENHOR”. O SENHOR está dando uma ordem para o seu profeta se casar com uma mulher de prostituição. Uma prostituta. Mas, por que o SENHOR dá essa ordem a Oséias? Pedir que um servo seu case-se com uma pessoa que vive na impureza, isso não é estranho? O casamento de Oséias era para simbolizar o amor de Deus e a infidelidade de Israel. “Porque a terra se prostituiu, desviando-se do SENHOR”. A ordem para Oséias casar-se com uma prostituta é para mostrar o adultério espiritual de Israel com os falsos deuses, os baalins. Deus também mostra o seu amor. Quando Ele manda Oséias casar-se, automaticamente está chamando o povo a voltar para Ele. A deixar os falsos deuses e arrepender-se de seu mau procedimento. Assim como uma esposa se torna uma mulher de prostituição quando trai seu marido. Assim também é o povo quando se desvia do Senhor. Ele é chamado de prostituto. A prostituição mostra a impureza, a infidelidade para com o parceiro. Aqui no nosso texto, o povo é a noiva e Deus o noivo. Eles estão em uma aliança de amor. A quebra da aliança é considerada adultério. Deus quer lembrar que Ele já tinha santificado o povo através do casamento, ou seja, da aliança. Ele quer que o povo olhe para o passado e lembre-se do que o SENHOR fez e viva como antes. Deus como esposo traído ainda quer reconciliar-se com seu povo, a esposa adúltera. É por isso que Ele manda Oséias casar-se com uma mulher adúltera. Oséias obedeceu e casou-se com Gômer. No casamento ela é santificada. Ela não mais está adulterando. Assim será o povo santificado quando se arrepender e voltar para o SENHOR, seu primeiro amor. Deus quer ver um arrependimento sincero da parte de seu povo. O SENHOR quer ver seu povo como diz Jeremias 2.2 e 3: “Lembro-me de ti, da tua afeição quando eras jovem, e do teu amor quando noiva, e de como me guias no deserto, numa terra em que se não semeia. Então, Israel era consagrado ao SENHOR, era as primícias da sua colheita; todos os que devoraram se faziam culpados; o mal vinha sobre eles, diz o SENHOR”.

O SENHOR tirou Israel da impureza dos ídolos e lhe santificou através da aliança consigo. Israel foi consagrado ao Todo-poderoso. Por isso deveria viver como seu dono é: SANTO! E não como os descrentes. Deveria em tudo buscar a santidade. Afastando-se do pecado. O povo foi separado para ser povo santo ao Senhor. É isso que o Senhor quer mostrar ao povo com o casamento do profeta Oséias. A santidade do povo. Viver como uma esposa fiel que não trai seu marido e vive com ele em santificação.

Isso inclui a nós também. Se estamos traindo o SENHOR por qualquer motivo, devemos deixar o pecado e voltar ao caminho do SENHOR. Nós fomos separados para seu serviço e adoração. Representar Deus, nosso Pai, aqui na terra. Por isso vivam em total santidade para o SENHOR. Lembrando-se do seu chamado para a santificação.

2. Israel deixou este estado de santidade.

Oséias obedeceu a ordem do SENHOR e tomou a Gômer como sua esposa. Ela engravidou e deu à luz a três filhos: Jezreel, Desfavorecida e Não-Meu-Povo. Esses três filhos de Oséias mostram como o SENHOR estava desgostoso com seu povo. Os três filhos simbolizam o castigo do Senhor. O povo estava em uma rebelião contra o seu Criador e Senhor. Não queriam buscar o Senhor. As doze tribos haviam se separado. Duas tribos ficaram no lado sul da terra, era o Reino do sul, que é Judá. No reino sul, Judá, permaneceu muito mais tempo servindo ao Senhor, por causa do templo do SENHOR. Dez tribos ficaram do lado norte da terra. Por isso, é chamado de Reino do Norte ou Israel. Israel, porém, rapidamente se desviou do caminho do Senhor. O rei Jeroboão I, depois da separação das doze tribos, construiu bezerros de ouro e disse ao povo de Israel: Aí estão vossos deuses que vos tiraram do Egito. Ele fez isto com medo do povo voltar para adorar em Judá e ficar no outro reino. Mas, isso se tornou em pecado, porque o povo caiu em idolatria por causa do seu rei. A verdadeira religião foi substituída pelos cultos pagãos. O reino de Israel logo abandonou sua fé no SENHOR. Logo esqueceu do seu dono e passou a se prostituir com outros deuses.

Tudo isso começou com o rei Jeroboão I e mais tarde foi seguido pela ímpia Jezabel, esposa do rei Acabe. Ela edificou altares aos deuses cananeus. Ela introduziu no meio do povo o culto a baal, o deus dos cananeus. Jezabel levou o povo a se prostituir com outros deuses, abandonando seu estado de santidade, se tornando prostituto. Começaram a viver em impureza com os falsos deuses. Não guardaram a vocação de ser como seu dono é: SANTO! A idolatria era muito grande no meio do povo. A situação era tão critica que Deus diz que o seu povo se prostituiu. Estão adulterando contra o SENHOR. Desprezaram seu estado de santidade para viverem fazendo o que lhes agrada. Estão vivendo agora em impureza. Desprezando a santificação no SENHOR.

3. Israel será castigado pelo seu adultério.

Irmãos, o SENHOR não deixa o pecado impune. Ele castiga severamente a desobediência a ele. E, é por isso que o SENHOR diz nos versos 4 e 5: “Põe-lhe o nome de Jezreel, porque, daqui a pouco, castigarei, pelo sangue de jezreel, a casa de Jeú e farei cessar o reino da casa de Israel. Naquele dia, quebrarei o arco de Israel no vale de Jezreel”. Para entendermos o por quê o SENHOR quer castigar a casa de Jeú e destruir o reino de Israel, devemos saber o que aconteceu em Jezreel. Jezreel era a terra onde morava o jezreelita Nabote. Que foi assassinado pelo rei Acabe e sua esposa Jezabel por não querer vender sua única vinha. Nessa época, em que Acabe e sua esposa Jezabel governavam, o povo vivia em trevas. Desconheciam o verdadeiro Deus. Se prostituíam com os deuses pagãos que jezabel introduziu no culto. O povo de Israel adorava a baal. Naquele tempo o SENHOR levantou Jeú, que foi ungido rei sobre Israel. O SENHOR o ungiu para destruir todos os ídolos e altares a esses deuses. Também lhe ordenou que exterminasse todos os descendentes de Acabe para não mais reinar sobre Israel. Ele foi como o SENHOR ordenou e cumpriu a ordem. Ele matou todos os adoradores de baal com muita violência. Porém, ele desobedeceu ao SENHOR. Ele matou Zacarias, que era descendente de Davi. E o SENHOR tinha dito que não estendesse a mão contra os descendentes de Davi. É por isso que o SENHOR está dizendo que vai castigar a casa de Jeú, pelo massacre que ele fez dos descendentes da casa de Davi em Jezreel. O SENHOR disse que os descendentes de Jeú serão destruídos para nunca mais reinarem sobre Israel. Aqui o SENHOR está cumprindo a sua palavra, profetizando pelo seu profeta Oséias. Jeroboão II, o descendente de Jeú, será destruído. O SENHOR também vai destruir o reino de Israel. Os assírios mais tarde, derrotaram o reino de Israel. Os assírios conquistaram o território de Israel. E o povo foi levado cativo para o exílio.

O SENHOR, no verso 6, prossegue seu julgamento, dizendo: “Põe-lhe o nome de Desfavorecida, porque eu não mais tornarei a favorecer a casa de Israel, para lhe perdoar”. O nome da criança era mais uma chance do SENHOR para o povo. O povo deveria deixar sua prostituição espiritual com os falsos deuses. O nome da criança mostra que o SENHOR não mais iria olhar com compaixão para seu povo. O SENHOR que sempre foi um Deus que favoreceu a Israel, agora não vai mais olhar com seus favores. Não terá mais compaixão do seu povo. O nome da criança demonstra que Deus vai tirar rapidamente a compaixão que sempre demonstrou a Israel. O motivo do SENHOR não olhar mais com compaixão era a infidelidade do povo na aliança. Na aliança o SENHOR promete bênçãos, graça, favor, compaixão. Deus sempre cumpriu a sua parte na aliança. Ele sempre se dispôs a fazer o bem ao povo da aliança. Porém, seu povo o rejeita. Seu povo lhe esqueceu. A sua esposa o abandonou. Se prostituiu com vários ídolos. Se contaminando com a idolatria. Tornando-se impura. Por isso, o SENHOR não mais favorecerá o povo de Israel. Como ele diz no verso 6: “Porque eu não mais tornarei a favorecer a casa de Israel, para lhe perdoar”. O SENHOR não mais estaria disposto a perdoar os pecados de Israel. Eles não buscam ao SENHOR e nem se arrependem. Antes negam ao SENHOR com prostituições. Se prostituem com os falsos deuses e desprezam ao SENHOR. Por causa dessa traição o SENHOR não perdoará mais seus pecados.

Porém de Judá, o SENHOR se compadecerá. O SENHOR salvará Judá dos assírios. Depois que os assírios destruíram Israel, em seguida, invadiram Judá. Porém, o Anjo do SENHOR durante a noite matou cento e oitenta e cinco mil assírios (Is 37.36). Então, se cumpriu o que o SENHOR disse no verso sete. Judá não foi destruída com Israel. O SENHOR interveio e salvou Judá. Mostrando que Ele é o soberano do céu e da terra.

Contudo, Israel não será mais o povo de Deus. Deus rejeitará Israel por quebrar a aliança. E agora o SENHOR diz para Israel: “Vós não sois meu povo, nem eu serei vosso Deus” (Os 1.9). O povo chegou no ponto critico de sua dureza de coração. Eles se tornaram pessoas ímpias. Incapazes de amar. Insensíveis à palavra do SENHOR. Não querem receber a palavra do SENHOR e suas promessas. Querem andar conforme seus próprios caminhos. Caminhos que desprezam os preceitos e retidão do SENHOR. Por isso, é justa a rejeição da parte do SENHOR. Quem despreza a aliança do SENHOR, receberá as maldições contidas em sua aliança. Por isso, Israel foi rejeitado. Porque menosprezou o SENHOR e sua aliança. O povo será levado para o cativeiro como castigo. O motivo do cativeiro de Israel foi a idolatria aos falsos deuses. Vejam como é grande a ira de Deus contra a idolatria. Deus não quer ficar em segundo plano na adoração. Ele quer exclusividade! Ele é o único Deus. Além do SENHOR não existe outro deus. Por isso estamos adorando o único e verdadeiro Deus. Criador do céu e da terra.

4. Israel será no futuro restabelecido como povo do SENHOR.

Porém, o SENHOR se lembra da sua aliança. Enquanto o povo estivesse se prostituindo com os falsos deuses, o SENHOR iria permanecer derramando sua ira e castigando Israel. Por isso, o SENHOR envia os assírios contra Israel. É o SENHOR usando a vara para disciplinar Israel, com o propósito de purificá-lo de suas prostituições espirituais. O SENHOR quer trazê-lo de volta à fé. Por isso, reafirma a sua promessa no versículo 10: “Todavia, o número dos filhos de Israel será como a areia do mar, que se não pode medir, nem contar; e acontecerá que, no lugar onde se lhes dizia: Vós não sois meu povo, se lhes dirá: Vós sois filhos do Deus vivo”. Não é uma nova promessa. Pelo contrário, é a mesma promessa feita a Abraão, Isaque e Jacó. De uma descendência inumerável como a areia do mar, que não se pode contar nem medir.

Então, quando o povo for purificado da sua idolatria. Quando o nome “baal” for tirado de sua boca. Quando não se inclinar para se prostituir com os falsos deuses. O SENHOR chamará de volta a sua esposa adúltera, que é Israel. E no lugar onde se lhes dizia: “Vós sois não meu povo, se lhes dirá: Vós sois filhos do Deus vivo” (Os 1.10). Quando deixarem de adorar os falsos deuses. Ídolos que não têm vida. Eles serão chamados filhos do Deus vivo. Isso é um relacionamento em que Deus está disposto a conceder vida ao seu povo. Uma obra maravilhosa fará na vida daquele povo.

Então, Judá e Israel estarão juntos, como diz o verso 11: “Os filhos de Judá e os filhos de Israel se congregarão, e constituirão sobre si uma só cabeça, e subirão da terra, porque grande será o dia de Jezreel”. A reconciliação entre ambos os reinos, Israel e Judá, será completa. Os dois parentes rivais, Judá e Israel, habitarão juntos, como diz o verso 1 do capítulo 2: “Chamai a vosso irmão Meu-Povo e a vossa irmã, favor”. Não haverá mais inimizade entre ambos. Se congregarão e serão unidos debaixo de uma só cabeça (Os 1.11). Então, esse dia será glorioso para Judá e Israel. Não mais haverá intriga nem contenda. Não haverá guerra e nem derramamento de sangue entre eles. Porque eles terão uma só cabeça, que é o SENHOR, o Deus todo-poderoso. Eles terão tudo em comum. Uma só fé. Um só SENHOR e Salvador. O ódio se transformará em amor. O prazer em fazer o mal se tornará prazer em fazer o bem. Assim viverão na presença do SENHOR. Essa é a promessa do SENHOR para o seu povo.

Nós sabemos que essa promessa só se torna completa em Cristo. É através dEle que essa reconciliação se concretiza. Através de Cristo não apenas os judeus são reconciliados, mas também os gentios, os povos que não faziam parte do povo de Deus. E nós somos os gentios! Somos o povo que não fazia parte da aliança do SENHOR. Não tínhamos direito de chamar Deus de Pai e SENHOR. Mas agora podemos fazer isto graças a Jesus Cristo. Porque ele é o cabeça da Igreja. Ele é o noivo e nós como sua Igreja, somos a sua noiva. Nós fomos unidos com pessoas de todas as línguas e nações. Com os mais ricos e os mais pobres. Temos tudo em comum. Temos o mesmo SENHOR e salvador. A mesma fé. Tudo isto foi realizado na cruz quando Cristo morreu e nos comprou com seu precioso sangue. Ele nos comprou e nos santificou. Por isso ele é nosso cabeça. E no dia da sua volta, haverá um só pastor e um só rebanho. Jesus Cristo reunirá todos que fazem parte do seu povo de uma vez por toda. E habitaremos com ele em perfeita harmonia para sempre.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

Compartilhe!

Pr. Alexandrino Moura

É formado pelo Centro de Estudos Teológicos das Igrejas Reformadas do Brasil. Serve à Igreja Reformada do Grande Recife (PE) como Ministro da Palavra e dos Sacramentos na Igreja Reformada de São José da Coroa Grande (PE). Casado com Simone Moura com a qual tem dois filhos: Daniel e Davi.

Deixe um Comentário