Pregação preparada pelo Pr. Clarence Stam

Leitura: Neemias 03

Texto: Neemias 03

INTRODUÇÃO:

Amada congregação de nosso Senhor Jesus Cristo,

O que vem a nossa mente quando lemos nesta noite esta longa lista de nomes, dos que reedificaram as ruínas do muro? Eu acho que os sermões já são muito longos, e agora temos esta lista infinita. Creio que se eu fosse dizer poucas palavras sobre cada verso, passaríamos aqui um tempo enorme. Ao mesmo tempo posso perguntar: o que podemos aprender desta lista? Parece que esta lista lembra aqueles momentos de entrega de diplomas, o dia de entrega de diploma é um dia maravilhoso, pois nós ou alguém que conhecemos seremos reconhecidos; porém às vezes sofremos até chegar o nosso nome ou o nome de quem conhecemos. Do mesmo jeito creio que em algumas casas este tipo de lista seja desprezado, em suas devocionais. Pois, realmente, o que podemos aprender desta lista?

Geralmente nos maravilhamos quando encontramos passagens na bíblia que não dão tanta atenção ao esforço humano. Porem esta lista não parece fazer o contrário, ela não parece dar uma certa glória aos trabalhadores da reedificação? Muitas vezes dizemos: Não devemos glorificar a nós mesmos pela obra que fazemos para o Senhor, devemos? Em certas ocasiões até chegamos a falar: não mencione o meu nome, pois toda a glória pertence ao Senhor. Com certeza. Mas aqui estamos com uma lista cheia de detalhes e de nomes que nunca deverão ser esquecidos; assim podemos concluir que o Senhor tem algo a nos ensinar aqui.

E de fato ele tem. Devemos nos envergonhar de desprezarmos esta porção da palavra de Deus, pois podemos aprender muito aqui. Há tanto ensino aqui que devemos tomar o cuidado sobre o que queremos realmente enfocar. O que eu quero fazer hoje é levantar importantes elementos nesta passagem.

A coisa mais importante é: o Senhor envolve o seu povo na reedificação dos muros de Jerusalém. Ele deve receber aqui toda a glória. Mas o esforço de seu povo não é esquecido. Nossa obra não é insignificante ou vã no Senhor. Lembremos que isto é um projeto, que não tinha sido feito antes, e é um projeto bem organizado, e um agradável projeto.

O povo que é nomeado por Neemias respondeu favoravelmente, como vimos semana passada. Eles dão sinal de entusiasmo com fervor: reedifiquemos os muros. Bem, todos vocês conhecem, que uma coisa é dar um sinal, outra bem diferente é cumprir este sinal. Porem parece que o povo de Jerusalém e de Judá começaram bem esta tarefa. Não tinham tempo a perder; a oportunidade deveria ser agarrada. Em conseqüência lemos, no verso 1, que eles começaram a reedificar. Eles começam pelas portas das ovelhas, e terminam com as portas das ovelhas (verso 32). Então o processo de reedificação envolveu todo o muro e todos os portões. Eles deixaram a obra feita, como podemos ler em todo o texto.

Uma tão grande obra precisa ser bem organizada. Trabalhos menores exigem planejamento, método e estrutura, imagine um como este. O plano da tarefa não pode se arrastar infinitamente pois a tarefa deve ser realizada imediatamente. E eu tenho a impressão que tudo isto foi feito espontaneamente. Uma vez firmado o compromisso e estabelecidas as regras para a obra, todos simplesmente foram fazer a sua parte.

Eu quero enfatizar primeiro que isto foi uma obra totalmente comunal. A edificação da igreja não é uma tarefa de uma única pessoa ou de um grupo de pessoas, mas é tarefa de todas as pessoas. Talvez esta seja a principal lição a aprendermos neste capitulo: devemos todos nós nos envolvermos com a obra de edificação da igreja e na promoção do reino dos céus, de uma forma voluntária, espontânea, e total. O que lemos neste capitulo não é meramente descritivo, mas é também normativo, este capitulo nos dá um padrão a seguir.

Certamente, é Cristo quem edifica. Ele mesmo diz isto: sobre esta pedra edificarei a minha igreja! Mas imediatamente ele envolve seu povo nesta tarefa. É do agrado de Deus usar o seu povo. A igreja é edificada por Cristo, sim, isto é verdade, mas isto é feito por meio de seu povo. Deus edifica, mas ele não nos absolve de nossa responsabilidade, porque ele trabalha por meio de nós. A obra de Deus somente progride quando nós nos envolvemos entusiasticamente.

Vamos seguir a descrição geral de como esta reedificação se realizou. Dez portões são mencionados, e, como disse antes, eles começam pelo portão das ovelhas e neste portão é que a obra é terminada. Foi um trabalho intenso, ninguém descansou enquanto o trabalho não tinha sido feito. Podemos notar que embora o trabalho tenha sido comunal é notável que alguns nomes sejam citados especialmente. Ninguém se esconde por trás das pessoas. Neste texto está gravado quem fez e o que fez. Eu creio que isto seja uma lição em si mesma.

Quão freqüentemente não pensamos que outros devem fazer certos trabalhos? Às vezes sabemos que algumas coisas devem ser feitas, mas dizemos para nós mesmos, outros farão, pois sempre haverá pessoas suficientes para fazer, e estamos ocupados demais para isto. Ao mesmo tempo dizemos: “o que eu posso fazer aqui?, com certeza existem pessoas mais qualificadas e mais bem equipadas que eu”. Somente diga a você mesmo que você é inadequado e sem habilidades e você se tornará inadequado e sem habilidades. É por isto que muitos trabalhos são sempre feitos pelas mesmas pessoas; ate mesmo na igreja.

Mas aqui cada um está envolvido e todos são mencionados pelo nome e pelo esforço, exatamente quem edificou que parte do muro. O Senhor parece com este texto nos deixar instruídos de que ele tem gravado as atividades de edificação da igreja e um dia ele perguntará: o que você fez para edificar a igreja? No novo testamento temos reflexos deste ensino na parábola dos talentos. Temos usado os talentos para promover o reino de Deus ou temos nos recusado a usar estes talentos para o Senhor? O Senhor sabe exatamente qual talento deu a você e ele perguntará o que você fez com eles. Quantos crentes não serão iguais àquele homem da parábola que somente enterrou o talento e o devolveu sem usá-lo adequadamente.

Eu disse: todos estão envolvidos. Mas deve haver a liderança também, pois o exemplo deve ser dado. Não é sem razão que primeiro o sacerdote e seus filhos são mencionados como aqueles que edificaram a porta das ovelhas. Eles aparentemente estavam dando o incentivo. O sumo sacerdote, que não é um homem comum, está diretamente envolvido na obra de construção. Ele e os outros sacerdotes não estavam com medo de sujar as suas mãos. A obra deles tinha uma certa urgência. O portão das ovelhas ficava localizado perto do templo, é por isto que se chamava portão das ovelhas, porque era por ele que passavam os animais do sacrifício e eram trazidos para serem dedicados e oferecidos ao Senhor. Há alguma coisa que talvez seja notado aqui: o ministério do templo, a obra de reconciliação — que era a vida de Israel — deveria ser restaurada. Limpem e abram o caminho da casa do Senhor! Mantenham o ministério do evangelho funcionando como deve.

Todos os que têm a função de liderança devem estar envolvidos para dar o exemplo. Então lá estão todos os sacerdotes — notem isto — eles trocaram as túnicas pelos aventais para reedificar os portões, homens que nunca devem ter feito isto antes. O resultado deve ter sido muitas dores nas costas.

O mesmo é dito no verso 17 sobre os levitas. Eles ativamente participaram. Agora, talvez acontecesse de todos os clérigos dizerem: desculpe, mas, isto não é para nós, é para o povo comum. Devemos ficar nos templos ou em nossos estudos, adoraríamos ajudar mas esta não é nossa tarefa. Mas, ao contrario, eles não falaram desta maneira.

O mesmo é verdade sobre os outros que ocupavam altas posições. Eles também participaram ativamente. Nenhum deles disse que era bom o suficiente para certo trabalho. Tomem como exemplo o que é mencionado no verso 14: “e a porta do monturo reparou-a Malquias, filho de Recabe, líder do distrito de Bete-Haquerem; este a edificou as suas portas com as suas fechaduras”. O portão do monturo era exatamente o que o próprio nome diz: para onde todo o lixo era transportado. Perto deste portão estava o lugar onde se colocava todo o excremento e materiais sujos e fétidos tanto de animais como de homens, e este lugar deve ser um lugar ruim de trabalhar por causa de seu mal cheiro, principalmente quando o vento está trabalhando contra seu rosto. Malquias poderia ter usado seu status e sua posição para colocar ele e seus homens em qualquer lugar mais agradável, mas ele não quis. O verso diz: ele reedificou — ele e seu homens, é claro — mas ele foi destacado na verdade. Eles limparam a área, e transportaram todo o lixo e sujeira e excremento e reedificaram o portão. Que tarefa! Nenhum trator ou caminhão para transportar estes excrementos ou sujeira, tudo feito manualmente.

Veja, quando chega-se a um momento extraordinário como este ninguém pode se levantar e evocar o seu status ou posição e dizer: desculpe-me mas isto não é normalmente o trabalho que eu faço. Eu desejo fazer meu serviço de acordo com a minha posição, não me peçam para fazer trabalhos pesados ou outros tipos de trabalho. Como uma questão de fato: os líderes devem liderar pelo exemplo, e mostrando como é ser valioso na posição que Deus os chamou. Se colocando ao lado de seus homens em um esforço comum, suportando todo o peso do trabalho. Foi isto o que o Senhor Jesus Cristo ensinou mais tarde em seu ministério: aquele que quiser ser o maior entre vocês deve ser o menor. Este é o caminho do reino dos céus! Devemos trabalhar onde houver necessidade, mesmo que não seja um trabalho agradável.

Todos queriam ajudar, ninguém queria ficar de fora. Não somente os cidadãos de Jerusalém trabalharam no muro mas delegações vieram de todas as localidades. Vieram pessoas de Jericó para Tekoa, ao norte da cidade. Ninguém disse: Jerusalém não é minha preocupação, deixe que os cidadãos daquela cidade se preocupem com ela. Não meus irmãos todos sabiam: Jerusalém é a cidade do grande Deus e nossa cidade; ela é o orgulho de Israel; lá as tribos se reúnem; lá adoramos juntos. Jerusalém é responsabilidade de todas as pessoas. Todos vieram em conhecimento e em fé.

Então eles vieram de toda a parte da terra. E de todos os estilos de vida. Notem o verso 8: ler o verso 8. Imagine: ourives e boticários, homens de gestos leves e de um olfato bastante refinado, carregando pedras pesadas. Você sabe o que acontece com as mãos quando se trabalha com rochas pesadas? Elas ficam arruinadas e irritadas. E seu nariz? Fica cheio de poeira e escorrendo, com mucosa nasal. E estes homens eram homens que trabalhavam em uma arte muito fina, homens que precisavam manter suas mãos e seu nariz em condições de trabalho. Eles poderiam ter dito: nos desculpe, mas este tipo de trabalho nos deixará sem condições de executarmos nossa profissão. Mas eles não fizeram assim.

Eu também encontro outra passagem notável e bastante instrutiva. No verso 12 lemos sobre Sallum, filho de Haloés, líder de outra meia parte de Jerusalém. Outra vez um homem com uma posição alta. Que reparou uma parte do muro com a ajuda… de suas filhas. Você notou isto na primeira vez que leu? As garotas estavam dentro do trabalho também. Talvez isto tenha acontecido porque ele não tinha filhos, em conseqüência disto ele teria feito menos trabalho que os outros, mas suas filhas disseram: papai, nossa família compartilhará esta obra. Nós te ajudaremos a reparar a parte do muro que você ficou responsável. Este homem poderia se orgulhar de suas filhas. E elas receberam uma atenção especial. Pois na edificação da igreja há um chamado e oportunidade para ambos, homens e mulheres. Todos devem estar envolvidos na edificação da igreja de Deus.

Você não pode dizer: eu sou uma mulher, uma garota, não há nada que eu possa fazer. Você sabe quantos serviços as filhas do Senhor têm prestado ao reino de Deus? Na igreja de Cristo o oficio não é aberto às mulheres, isto fica claro pelas Escrituras. Mas isto não as exclui de servir ao Senhor. Podemos ver como o Senhor usou as mulheres na igreja ou no meio do seu povo para ajudar os homens e promover o reino de Deus.

Todos estão envolvidos, pessoas de todas as posições ou linhagem, juízes e nobres, ricos e pobres, jovens e velhos, homens e mulheres: o projeto de reedificar é feito por todo o povo. É isto o que Neemias 3 tem para nos ensinar a princípio. O Senhor honra esta obra; ele vê esta obra e toma nota desta obra, e em sua graça ele abençoa e recompensa esta obra. Todos em seus lugares e com suas habilidades. O princípio nos direciona para a comunhão dos santos e determina a saúde e o crescimento da igreja.

Eu disse: todos estão envolvidos. Entretanto, alguns de vocês podem querer dizer: isto não é completamente verdade. Vocês estão certos. É também notável que alguns se recusaram a trabalhar. Olhem o verso 5: ler o verso 5. Prestem atenção nisto. Não nos é dito o por quê deles não quererem trabalhar. Mas a recusa deles é apresentada. Posso sugerir que talvez tenha sido por que eles se acharam nobres demais para este tipo de serviço? Ninguém vai dizer a eles o que fazer, pois já se sabe que eles não trabalharão ao lado do povo comum de sua região.

Literalmente quer dizer: eles não submeteram a cerviz ao serviço de seu Senhor. Quem é esse Senhor deste texto? O significado deve ser antes de tudo Neemias, que tinha sido comissionado pelo Senhor Deus. Na verdade era o Senhor que estava convocando Israel para esta obra. Mas estes nobres não estavam se sentindo chamados para trabalhar, e não importa o que tenham dado com desculpa, o resultado foi que eles não fizeram nada e somente o povo comum daquela região é que tinha trabalhado no muro. Qual destes dois grupos realmente tinha um coração para o serviço do Senhor?

O Senhor Jesus Cristo cuidadosamente percebe quem realmente responde ao seu chamado e quem não responde. E como prova crucial desta resposta está o nosso amor para com o Senhor e o seu culto, para com a igreja e o povo, e em sermos um com este povo em dividir o peso do trabalho. São Paulo escreveu sobre isto em suas cartas aos Efésios e aos Colossenses: em Cristo, o cabeça da igreja, somos unidos em um corpo, e se nós individualmente estamos conectados a Cristo, o cabeça do corpo, então iremos trabalhar juntos como membros deste corpo. A fé pessoal sempre se traduz ou se mostra em uma atividade comunal na igreja.

É comum pastores e presbíteros às vezes ouvirem muitas razões e desculpas de certos membros não quererem participar das atividades da igreja, qualquer trabalho que seja, não importa; às vezes estes membros preferem ficar de fora das atividades, se contentando em estar solitários, algumas vezes nutrindo certas amarguras contra outros membros, ao invés de participarem. Mas raramente os pastores e presbíteros ouvem razões válidas, ou seja, razões que brotem das Escrituras. Os presbíteros podem passar muito tempo perguntando a estas pessoas por que elas não são membros vivos da igreja e não receberem nenhuma resposta. Mas um dia Cristo, que é o único cabeça da igreja, fará a mesma pergunta: por que você não se deu na obra de edificação da minha igreja? Nem atendeu aos apelos de meus oficiais? Pois isto é o que é a igreja: a igreja é de Cristo, e não de Neemias, de Esdras ou dos oficiais.

Uma das tarefas mais difíceis na igreja, para um oficial, diáconos, presbíteros e ministros da palavra, é como envolver e motivar as pessoas nas obras que precisam ser feitas. Como assegurar a elas que trabalhando juntas, submetendo sua cerviz ao Senhor, o corpo de Cristo crescerá em amor. Mas não se esqueça que um dia estas pessoas terão de responder por si mesmas diante daquele que sonda os corações.

Neemias não pinta um quadro idealista de pessoas trabalhando juntas. Ele mostra que alguns nobres não vão obedecer ao chamado do Senhor. Porém um dia estes homens comuns irão testificar contra estes nobres. Mas também podemos dizer agradecidos: o Senhor aqui está guiando seu povo de uma forma inteira. Os não participantes são uma exceção, a regra é: todos fazem o que podem para reedificar os muros de Jerusalém. O que é mais interessante é como o Senhor motiva o seu povo a servir no seu reino.

Antes de começarmos a encerrar, eu quero notar uma coisa a mais neste capitulo. É notável que o texto mostre o que cada em fez e que parte do muro edificou. Eles reedificaram seções específicas e sempre lemos a expressão: “ao seu lado”. Sempre lemos ao seu lado e são dados detalhes de torres, telhados, ângulos. Agora prestem atenção no verso 10: ler o verso todo. Em outras palavras, as tarefas foram cuidadosamente divididas, e algumas pessoas começaram a edificar bem perto de sua casa.

Ninguém teve de edificar todo o muro sozinho. Todos fizeram uma pequena parte, uma seção. Alguns mais que outros, sim, mas todos fizeram alguma coisa. Alguns como Jedaias começaram do lado de sua própria casa. Algumas vezes você não precisa percorrer grandes distâncias para procurar trabalho, pois está diante de seu rosto, ao seu redor, talvez dentro de sua própria casa.

Às vezes nos preocupamos com o geral na igreja e nos esquecemos de fazer a nossa pequena parte. Há pessoas assim; vivem especulando o que outros deveriam fazer ou não fazer, mas elas mesmas não são tão responsáveis. Fique olhando o pedaço do muro que está diante de você. Creia que outros estão fazendo a sua parte, pois todos nós temos um motivador e supervisor, Cristo Jesus. Não se preocupe demais com quem está trabalhando ou não está trabalhando, pois você não pode dar conta de todo o trabalho. Somente trabalhe fielmente, aonde você estiver. E um dia a sua obra terminará.

E você descobrirá que provisoriamente outros também estavam trabalhando duro. Você pode não tê-los visto, mas eles estavam fazendo a sua pequena parte neste grande muro. O trabalho será feito, o muro inteiro terminará, porque Cristo é o autor e aperfeiçoador de nossa fé.

Algumas pessoas às vezes dizem: eu adoraria ajudar mas não sei o que fazer. Embora seja triste, realmente é verdade: algumas pessoas não sabem por onde começar. Bem, você realmente quer ajudar? Primeira exigência: ore. Ore pela igreja e seus ministros e membros. Então olhe ao seu redor. Como disse antes, a sua parte do muro talvez esteja diante de seus olhos, e talvez você não esteja vendo ou ignorando. Por anos Jedaias vinha para fora de sua casa e somente passava entre as ruínas ou por cima delas, até o dia em que ele começou a tirar o lixo e o entulho. Se você não sabe o que você pode fazer, peça sabedoria, pergunte a outros membros, siga o conselho de seus oficiais.

E eu digo ainda mais. Hoje não somos chamados para edificar um muro de pedra ao redor da igreja. Não precisamos restaurar ruínas materiais. A Jerusalém que estamos edificando é completamente espiritual, é o templo do Espírito santo, feito de pedras vivas.

De fato, os exilados também sabiam disto. A igreja não pode ficar escondida por trás de um muro de pedra, isolada dos seus vizinhos. Se você tiver algum tempo ainda hoje, eu gostaria que você lesse Zacarias, um profeta pós-exílio, um profeta que serviu antes de Neemias. Leia Zacarias 2 sobre um jovem homem que foi medir o muro de Jerusalém. O capitulo falou sobre cessar aquela atividade. E lemos em Zacarias 2;4 e 5 que a nova Jerusalém será diferente da velha da seguinte maneira: a nova não terá muro, porque está em constante crescimento. Você pode entender isto. Um muro somente pode existir quando o crescimento está parado. Mas a Jerusalém a qual nós pertencemos não tem muros físicos, pois é um corpo que cresce dinamicamente.

O que, sem muros? Isto era impensável para um judeu que tinha retornado do exílio. Este povo passou horas construindo o muro de pedras. Pode uma cidade ser um refugio sem muros? Bem, sim. O profeta Zacarias nos dá a resposta do Senhor sobre este assunto: “eu mesmo serei um muro de fogo ao redor dele, declara o Senhor, e eu serei sua glória”. Não há muros agora, exceto o muro de fogo, o qual está sendo preservado e guiado pelo poder do Espírito santo. A glória da igreja não é um templo de pedras, por trás de um muro de seis pés, que até impressiona mas que na verdade é imóvel e impotente, mas Deus, ele mesmo, é aquele que em Cristo, através do Espírito santo, habita dentro de nós e nos move a serví-lo.

Hoje Cristo está sentado em seu trono. Seu Espírito agora motiva o seu povo e o protege na vida e na obra da igreja. Não há mais muros físicos hoje. O muro é espiritual, poderoso, renovador, purificador. O que mais deve brilhar em nós é o poder e a obra do Espírito de Cristo. E então temos o suficiente para fazer. Comecemos a limpar a sujeira e o entulho que está diante de nós, ou mesmo em nossas próprias casas. Façamos uma missão no lar de verdade. Fazendo isto estaremos preservando a igreja.

Não se preocupe com o muro. O muro está intacto, construído por Cristo. Procure refúgio em sua obra, em suas promessas e na direção de seu Espírito. O muro está intacto. Claro que não é um muro de pedra, mas um muro dinâmico, de fogo, que move e se expande e acomoda a todos os que vêm com fé. E estes portões estão abertos. Antigamente os portões eram para manter as pessoas distantes, mas agora eles estão para deixar as pessoas entrarem. Pessoas renovadas. Também um dia por estes portões entrará o Senhor da glória, como diz o Salmo 24. Porém até lá haverá muito que fazer e nenhum tempo pode ser perdido.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

Compartilhe!

Pr. Clarence Stam

17 de setembro de 1948 - 1 de janeiro de 2016.

Deixe um Comentário