Pregação preparada pelo Pr. Laylton Coelho

Leitura: Neemias 01, 02

Texto: Neemias 02.20

AMBIENTE

Amados irmãos no Senhor Jesus Cristo,
O livro de Neemias caminha junto com o livro de Esdras. Na Bíblia Hebraica, eles formavam apenas um único livro. Eles tratam de um mesmo período histórico do povo de Deus. O que aconteceu foi o seguinte: Após ter-se completado o tempo de exílio do povo de Deus na Babilônia, o rei Ciro autorizou os judeus a regressarem para Jerusalém, a fim de reconstruírem o templo. Isso aconteceu no ano 538 a.C.

Então, a partir da autorização de Ciro, os judeus começaram a voltar imediatamente para sua terra natal. No entanto, os trabalhos do templo foram interrompidos pela oposição dos samaritanos. Por causa disso, as obras do templo só foram retomadas na época de um outro rei – o rei Dário I. E, finalmente, o templo ficou pronto no ano 515 a.C.

Durante os cinquenta anos seguintes, a preocupação do povo judeu foi de reerguer as muralhas de Jerusalém. Mas, novamente, os samaritanos colocaram obstáculos para essa empreitada. Enquanto isso, na época do reinado de Artaxerxes, Esdras, o escriba encarregado dos negócios judaicos na corte da Pérsia, viajou para Jerusalém com uma nova caravana de judeus. E em suas mãos estava um decreto que o autorizava a organizar a vida religiosa do povo de Deus.

O tempo passou e, 13 anos depois da chegada de Esdras, Neemias, o copeiro de Artaxerxes, conseguiu a permissão do rei para viajar até Jerusalém e reconstruir as suas muralhas. Essa iniciativa também enfrentou oposição dos inimigos do povo de Deus. É a partir desse fato histórico que nós podemos entender o livro de Neemias.

Falando de modo geral, o livro de Neemias registra a reconstrução das muralhas, a leitura solene da Lei por meio de Esdras, a celebração da festa dos tabernáculos, a confissão de pecados e o compromisso do povo de observar a Lei, a dedicação das muralhas e a correção de algumas desordens religiosas que estavam acontecendo em Jerusalém, tais como: A manutenção dos sacerdotes e levitas, a restauração da observância do sábado e a condenação do casamento misto.

MENSAGEM
Bom, irmãos, uma vez que nós compreendemos o contexto histórico e literário do livro de Neemias, agora nós podemos prestar atenção, mais detidamente, nas palavras do texto bíblico que nós lemos. O que está registrado nos primeiros capítulos de Neemias aconteceu por volta do ano 446 a.C., no vigésimo ano do reinado do rei Artaxerxes.

Naquele tempo, Neemias recebeu uma visita bastante desconsoladora. Um de seus irmãos judeus, um homem chamado Hanani, veio de Jerusalém trazendo más notícias. Ele disse que o povo que tinha voltado estava vivendo em grande miséria e desprezo. Os muros de Jerusalém estavam derrubados e as portas da cidade estavam queimadas. Isso significava que o povo estava desprotegido contra os ataques inimigos e, ainda por cima, sofria humilhação de seus opositores.

Essa notícia foi muito dura para Neemias. Ele chorou muito por vários dias. Por causa disso, ele decidiu jejuar e orar continuamente ao Senhor seu Deus. No capítulo um, nós encontramos uma das orações de Neemias. Em sua petição, ele relembra a aliança que Deus tinha com o seu povo. E, a partir desta aliança, isto é, do compromisso de Deus para com os seus servos, Neemias clama ao Senhor de modo que ele dê ouvidos a sua oração.

E ao orar, Neemias confessa os pecados de todos os filhos de Israel. Ele reconhece que o povo quebrou a aliança, transgredindo os mandamentos, os estatutos e os juízos transmitidos por Moisés. Neemias reconhece que o cativeiro babilônico foi um castigo de Deus contra o povo.

Mas, ele também lembra que Deus prometeu trazer seu povo de volta, e abençoar seu povo quando ele se arrependesse do que tinha feito. Por causa disso, Neemias conclui sua oração pedindo a Deus para ter sucesso perante o rei Artaxerxes. E, pouco tempo depois, Deus providenciou o momento certo para cumprir o desejo de Neemias.

Certo dia, quando estava servindo o rei, Neemias demonstrou estar bastante triste, e o rei percebeu isso. Logo em seguida, o rei procurou saber a razão da tristeza de Neemias. Após saber o que se passava em seu coração, o rei concedeu a realização do pedido de Neemias. Neemias pediu para ser enviado à Judá a fim de comandar a reconstrução dos muros de Jerusalém, e assim foi feito.

Neemias viajou para Jerusalém debaixo de um salvo-conduto do rei, e também com uma autorização para extrair toda madeira necessária para a construção. Ao chegar em Jerusalém, Neemias procurou ver pessoalmente como estava a cidade de seus pais. A visão não era nada boa. Sem dizer às autoridades do lugar qual era a sua intenção, ele e alguns homens percorreram toda a cidade a fim de verem os estragos e o tamanho exato da sua empreitada.

Os muros estavam destruídos depois de uma tentativa de reconstrução iniciada antes da chegada de Esdras. Os inimigos agiram violentamente contra os que tinham tentado reconstruir as muralhas no passado. Jerusalém estava humilhada e desprotegida diante dos seus inimigos. Por isso, depois de fazer a inspeção do local, Neemias procurou as autoridades e lhes relatou sua missão. Ele declarou como a boa mão do Senhor estava com ele, e também as palavras que o rei Artaxerxes lhe falara.

Como sempre, os inimigos mostraram suas garras. Quando as autoridades judaicas se empolgaram com as palavras de Neemias e decidiram reconstruir os muros de Jerusalém, logo em seguida, Sambalá, Tobias e Gesém zombaram deles. Esses três homens governavam as regiões norte, leste e sul de Jerusalém. E eles fizeram pior ainda: Eles levantaram a acusação de que o propósito de Neemias e dos demais era de fazerem uma rebelião contra o rei.

Ao ouvir isso, Neemias disse: “O Deus dos céus é quem nos dará bom êxito; nós, seus servos, nos disporemos e reedificaremos; vós, todavia, não tendes parte, nem direito, nem memorial em Jerusalém”.

Essas são palavras fortes e corajosas. O verbo utilizado por Neemias, expressa uma ação causativa da parte de Deus. É Deus quem causará o bom êxito do povo de Deus. A tradução também poderia ser: “O Deus dos céus nos fará prosperar (triunfar, ter sucesso)”. Essa confiança de Neemias tinha uma razão de ser. Ele sabia que, desde o início, Deus estava lhe abençoando. Ele sabia que Deus tinha ouvido sua oração e que foi o Senhor quem amoleceu o coração do rei Artaxerxes.

Deus fez Neemias prosperar no pedido que ele tinha feito ao rei, e também ia fazê-lo prosperar na reconstrução dos muros de Jerusalém. Neemias sabia que sua missão não era uma simples missão de reconstrução de uma cidade. Aquela era uma cidade diferente. Jerusalém era a cidade Santa. Nela estava o templo. Ela era a cidade do grande Rei. Jerusalém era o centro de adoração do verdadeiro Deus.

O êxito de Neemias era o êxito da igreja de Deus. O sucesso de Neemias significava o cumprimento profético da restauração do povo com o qual Deus tinha feito uma aliança de salvação. Por isso, Deus estava ao lado de Neemias. O ambiente e as instituições do povo de Deus precisam ser reerguidos em preparação para a vinda do Messias, o Senhor Jesus Cristo.

Portanto, não era uma simples reconstrução de muros. A restauração de Jerusalém significava a proteção do povo de Deus; significava a proteção da linhagem do Messias. E, dessa forma, o ambiente propício para a vinda do Senhor Jesus Cristo seria preservado. Pois, quando o Senhor Jesus Cristo viesse ao mundo, ele entraria na grande cidade de Jerusalém, visitaria o templo e providenciaria salvação para o seu povo.

Está escrito em Mateus 16:21: “Desde esse tempo, começou Jesus Cristo a mostrar a seus discípulos que lhe era necessário seguir para Jerusalém e sofrer muitas coisas dos anciãos, dos principais sacerdotes e dos escribas, ser morto e ressuscitado ao terceiro dia”.

Eis aqui, irmãos, a razão para o sucesso de Neemias! O retorno dos judeus do cativeiro babilônico, a reconstrução do templo e a edificação dos muros de Jerusalém eram coisas necessárias para o bom andamento do plano de Deus e para a vinda do Messias.

ATUALIZAÇÃO
E agora que entendemos o significado das palavras de Neemias, nós devemos pensar em como elas se aplicam em nossas vidas:
Irmãos, saber que o Deus dos céus é aquele que nos dará bom êxito nos deixa cheios de confiança. Nós ficamos confiantes, pois temos a certeza do sucesso da nossa caminhada aqui neste mundo. Não estamos andando à toa neste mundo. Nós estamos sendo preparados para nos encontrar com o Senhor Jesus Cristo. Cada detalhe do plano de Deus para nossas vidas será devidamente realizado no tempo certo, pois é o Deus dos céus quem nos dará bom êxito.

Saibam que Deus nunca abandona o seu povo, mesmo que Ele pareça distante quando nós pecamos. Jesus disse que estaria conosco todos os dias. Ele cuida de nós em todas as circunstâncias. O sucesso das nossas ações está em suas mãos. Ele tem toda a autoridade no céu e na terra. O Senhor Jesus é quem nos dará bom êxito em nossa família, em nosso emprego, em nossos estudos e em nossa igreja.

Nossa família terá bom êxito, porque ela é uma família da aliança. Nós e nossos filhos somos santos para o Senhor. Somos separados para Deus. Nossa família terá bom êxito, porque ela está edificada sobre o alicerce das palavras de Cristo. Pois Jesus disse: “Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha”.

Nosso emprego terá bom êxito, porque nosso objetivo é cumprir a vocação de Deus para nossas vidas. Nosso emprego não é para satisfazer as concupiscências da carne. Nosso emprego não é para juntarmos tesouros que a traça e a ferrugem consomem. Nosso emprego não é para alimentar nossa cobiça e ambição. O nosso emprego terá bom êxito, porque providencia o sustendo de nossa família, dos necessitados e do ministério da Palavra aqui neste mundo.

Nossos estudos terão bom êxito, porque nosso objetivo é glorificarmos a Deus com o nosso conhecimento. Nós não aprendemos as coisas para sermos intelectuais e orgulhosos. Não aprendemos as ciências para nos tornarmos liberais, profanos e ateus. Nossos estudos terão bom êxito, porque queremos ser úteis ao nosso Senhor Jesus Cristo, e nos preparar para exercermos nossa vocação neste mundo.

Nossa igreja terá bom êxito, porque ela é lavoura e edifício de Deus. Ele começou a boa obra em nós e irá concluí-la. Nós somos pedras vivas de seu edifício espiritual. Somos seus escolhidos. Nossos nomes estão escritos no Livro da Vida do Cordeiro. Somos casa de Deus, coluna e baluarte da verdade. Somos as ovelhas do Bom Pastor. Somos a noiva de Cristo. O que está escrito sobre nossas vidas irá se cumprir milimetricamente (Sl 139:16). Irmãos, nossa igreja terá bom êxito, pois somos cidadãos do reino dos céus e, em breve, nós chegaremos diante dos portões abertos da cidade celestial. Nós temos a certeza disso, pois “o Deus dos céus é quem nos dará bom êxito”.
Que o SENHOR nos abençoe.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

Compartilhe!

Pr. Laylton Coelho

Pastor na Igreja Reformada em Imbiribeira.

Deixe um Comentário