Pregação preparada pelo Pr. Alexandrino Moura

Leitura: Mateus 05:01-12

Texto: Mateus 05:03

Amada Igreja do Senhor Jesus Cristo,

Hoje nós estamos começando uma série de sermões no “Sermão do Monte” do Senhor Jesus Cristo. O sermão do monte começa em Mateus 5 e termina no capítulo 7. Este sermão pregado pelo próprio Senhor Jesus Cristo é uma jóia preciosa para a sua amada igreja. Pois Ele está preocupado com a vida espiritual dela. Ele quer ensinar a sua igreja como é importante servir a Deus com integridade e fidelidade. Pois na época em que Jesus proferiu este sermão, o povo da aliança – Israel – estava debaixo de um jugo muito pesado. Pois os lideres judeus fizeram da lei de Deus um peso na vida cristã. Servir a Deus não era mais tão prazeroso para os judeus. Muitos se afastaram de suas vidas com Deus. Viviam apenas de aparência perante o povo. Cumpriam alguns votos aqui e outros ali; faziam uns sacrifícios aqui e outros ali. A religião judaica virou uma religião de obra e não de graça. Até a visão do Messias foi distorcida por eles. Eles não tinham mais uma visão espiritual do Messias, mas uma visão política. Eles eram como ovelhas sem pastor.

Por isso Jesus começa o seu sermão com as bem-aventuranças. Porque nas bem-aventuranças Ele ensina que o povo precisa mudar de vida para entrar no reino dos céus. Precisa se arrepender e voltar para Deus. Precisa deixar de viver pelas obras para viver pela graça. Precisa confiar e crer no Filho de Deus – Jesus Cristo – para serem salvos. Precisam depositar fé em Cristo.

Irmãos, no decorrer dessa série de sermões no Sermão do Monte, vamos aprender como viver melhor para Deus e sermos felizes. Por isso quero pregar a palavra de Deus no seguinte tema:

Tema: Bem-Aventurados os Humildes de espírito

  • 1. Por que São Humildes de espírito?
  • 2. Por que o Reino dos Céus é dos Humildes de espírito?

1. Por que São Humildes de espírito?

Amados irmãos, o Senhor Jesus Cristo começou seu sermão do monte – como é conhecido – com a seguinte afirmação: “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus”. A palavra BEM-AVENTURADO significa feliz e a palavra HUMILDE significa pobre. Literalmente o versículo pode ser traduzido da seguinte forma: “Felizes os pobres de espírito”. Como um pobre pode ser feliz? É importante sabermos que a palavra que Jesus usou aqui não fala de um pobre que tem condições de se sustentar. Que todos os dias sai para trabalhar e ganhar seu sustento. Que tem saúde para correr atrás do pão de cada dia. Mas fala de um pobre que depende inteiramente das pessoas. Ou seja, um mendigo. Alguém que vive pedindo e dependendo das migalhas das pessoas. Como a parábola do homem rico e Lázaro em Lucas 16 que diz: “Havia também certo mendigo, chamado Lázaro, coberto de chagas, que jazia à porta daquele; e desejava alimentar-se das migalhas que caíam da mesa do rico; e até os cães vinham lamber-lhe as úlceras”. O texto diz que Lázaro desejava se alimentar das migalhas que caíam da mesa do rico. É desse tipo de mendigo que Jesus fala aqui. Quando entendemos que Jesus está falando de pessoas que são mendigos, podemos nos perguntar: como um mendigo pode ser feliz? Como alguém que necessita pedir de casa em casa; de porta em porta; nas ruas, pode ser bem-aventurado? Eu nunca vi um mendigo pulando de alegria por ser um mendigo! Então, como Jesus pode dizer que os pobres ou humildes são bem-aventurados?

Irmãos, ser humilde ou pobre de espírito não é se desfazer de sua riqueza achando que pode ser um crente melhor. Como faziam as pessoas na idade média. Onde se desfaziam de seus bens e se trancavam em mosteiros, se afastando de tudo e de todos para assim estarem mais perto de Deus. Em parte alguma da Bíblia ensina que a pobreza é algo tão bom assim. Um homem pobre não está mais próximo do reino dos céus do que um homem rico. Pois todos por natureza estão condenados ao fogo do inferno. Não há mérito nem vantagem na pobreza. A pobreza não serve de garantia de espiritualidade.

Ser humilde de espírito é o contrário de orgulhoso. Uma pessoa soberba é alguém que depende inteiramente dela mesma. Em sua vida conta apenas com ela. Não depende de Deus. Mas lança Deus para fora de sua vida. Mesmo estando na igreja. Pensem nos fariseus. Pelas suas vestes e suas orações longas pareciam realmente verdadeiros crentes. Mas eram orgulhosos demais diante de Deus. O Salmo 101.5 mostra a atitude de Deus para com os orgulhosos ou soberbos: “…o que tem olhar altivo e coração soberbo, não o suportarei”. O Senhor não suporta pessoas orgulhosas ou soberbas. Em Tiago 4.6 diz: “Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes”. Deus resiste aos soberbos porque não buscam a Ele. Não se arrependem de seus pecados. Mas se levantam contra Deus e seu reino. Por isso o Senhor se opõe a essas pessoas soberbas, arrogantes, orgulhosas.

Também ser humilde não consiste em ajudar aos pobres e necessitados. Não consiste em dar alimento nem água; nem roupa, nem um lá; nem dinheiro. Pois uma pessoa pode muito bem fazer isso e ainda assim não ser um crente. Como diz Paulo em 1 Coríntios 13.3: “E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará”. Nada disso é prova de humildade. Nada disso é prova de alguém que é humilde de espírito.

Você pode ensinar sobre o que é humildade, mas se você não prática o que ensinou, é uma prova que você não sabe o que é ser humilde de espírito. Ser humilde de espírito não é querer ser maior que os outros. Não é achar que estar acima das outras pessoas. Mas é ser um servo de seus irmãos. Foi o próprio Jesus que disse: “quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será servo de todos” (Mc 10.43-44). Este não é o tipo de humildade que o mundo ensina nem gosta de ouvir. Pois quando se fala deste tipo de humildade o mundo despreza os seguidores de Cristo. Porque o mundo não quer saber nada de Cristo. Este tipo de humildade é uma fraqueza no homem e não uma qualidade nele. E as igrejas evangélicas de hoje assumiram a postura do mundo. Pois ensinam a mesma coisa.

Porém, não é isto o que o Senhor Jesus Cristo está ensinando quando diz: “Bem-aventurados os humildes de espírito”. A palavra humilde que significa pobre, se refere a alguém tão pobre que precisa mendigar para sobreviver. Mas, Jesus não está falando aqui de pobreza material. Jesus está falando de alguém que é pobre de si mesmo da graça de Deus. Porque todos pecaram e carecem da graça de Deus. O Senhor Jesus Cristo diz que: “Bem-aventurados os humildes de espírito”. “De espírito” se refere ao interior da pessoa. A parte mais íntima de alguém. É alguém que mendiga pela graça de Deus em sua vida. Alguém que depende inteiramente de Deus para receber a salvação. Ele não está precisando de bens materiais em sua vida. Mas de bens espirituais para viver para e com Deus. Somente para Deus. No coração ele deseja Deus. Ele olha para si mesmo e vê que não passa de um mendigo que não consegue a graça de Deus por seus esforços próprios. Por isso ele suplica a Deus pela sua graça. Isso nos faz lembrar da parábola do fariseu e o publicano em Lucas 18. Na parábola existem dois homens, um fariseu e um publicano. O fariseu se orgulhava de sua justiça perante Deus. Lucas 18.9 diz: “Propôs também esta parábola a alguns que confiavam em si mesmos, por se considerarem justos, e desprezavam os outros”. Ele propôs esta parábola porque os fariseus se consideravam justos e desprezavam aos outros. O fariseu orava assim: “Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros, nem ainda como este publicano; jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho”. Isto é uma atitude de alguém humilde? Com certeza não é humildade, mas orgulho! Ele orava de si para si mesmo! Ele era bom demais aos seus olhos.

Porém, o publicano estava no templo mendigando a misericórdia de Deus em sua vida. Ele não confiava em si mesmo. Ele sabia que não era nada. Ele sabia que só existia maldade em seu coração. Por isso ele ora da seguinte forma: “Ó Deus, sê propício a mim, pecador!”. Essa é uma oração de alguém que mendiga a misericórdia de Deus em sua vida. Ele pede que Deus seja favorável em sua vida. Por isso Jesus termina a parábola da seguinte forma: “Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que se exalta será humilhado; mas o que se humilha será exaltado”. Quem voltou justificado por Deus? Foi aquele que suplicava a misericórdia de Deus. Ele se convenceu de sua pobreza espiritual. Se tornou consciente de sua miséria e necessidade. Seu orgulho foi quebrado e por isso ele clama: “Ó Deus, sê propício a mim, pecador!”. O publicano foi abençoado por Deus. Por isso ele é bem-aventurado! Porque Deus está com ele. Deus está em sua vida. Deus faz parte dela. Deus mora com ele.

Essa verdade é sentida na vida de todos os verdadeiros crentes. Escute a verdade que o Senhor diz para os humildes de espírito. Em Isaías 57.15 o próprio Senhor fala para os humildes de espírito: “Porque assim diz o Alto, o Sublime, que habita a eternidade, o qual tem o nome de Santo: Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e vivificar o coração dos contritos”. O Senhor é Alto. É Sublime! Habita a eternidade e que tem o nome de Santo! Onde Ele habita? “Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido de espírito”. Ele habita no céu, mas também habita com o contrito e abatido de espírito! Por que ele habita com os humildes de espírito? Para vivificar o que estar contrito e vivificar os corações tristes. Isso dar conforto a você que é verdadeiramente crente? Não conforta você que mendiga dia após dia a misericórdia de Deus em sua vida, sabendo que Ele habita com você? E você que ainda está embrutecido em seu orgulho? Não lhe faz querer correr para Deus clamando: “Ó Deus, sê propício a mim, pecador!”?

O Senhor diz novamente em Isaías 66.2: “… o homem para quem olharei é este: o aflito e abatido de espírito e que treme da minha palavra”. Se você não é humilde de espírito, o Senhor nunca olhará para você favoravelmente. O Senhor nunca usará de sua misericórdia para com você! Porque Jesus Cristo nunca será precioso para você até que seja humilde. Você não pode vê-lo porque, em vez disso, está olhando para si mesmo. Em virtude de olhar para seus desejos, suas necessidades e seu próprio desespero, nunca enxergará o incomparável valor de Cristo. Você não pode perceber o quanto Cristo é glorioso até que você saiba o quanto está desprovido da sua graça. Você não pode compreender as suas riquezas até que enxergue sua própria pobreza. Nenhum homem jamais chega a Jesus Cristo e entra no reino sem rastejar, sem um terrível senso de pecaminosidade e arrependimento. Provérbios 16.5 fala que o arrogante é abominável ao Senhor.

Bem-aventurados são vocês que lavaram suas vestes no sangue do cordeiro! Bem-aventurados são vocês que dia a dia mendigam a misericórdia de Jesus Cristo em suas vidas. Sê bem-aventurado é uma dádiva dada por Deus. E Jesus Cristo está pronunciando esta bem-aventurança para vocês que dependem dEle para serem salvos de seus pecados.

Agora que sabemos que bem-aventurados de espírito é depender de Jesus Cristo clamando pela sua misericórdia. Vamos agora ver o que recebemos por sermos bem-aventurados de espírito em Jesus Cristo!

2. Por que o Reino dos Céus é dos Humildes de espírito?

Por que o Senhor Jesus Cristo disse: “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus”? Por que o reino dos céus é dos humildes de espírito? Esta declaração é belíssima para os humildes de espírito. Ela traz conforto para quem não tem nada e depende totalmente de Deus. Que espera que Deus seja favorável a ele. Como pobres não temos nada em que nos agarrar. Mas a declaração maravilhosa de Cristo nos conforta. Porque Ele está dizendo que dos seus servos, a sua igreja, é o reino de Deus. Já agora podemos sentir o reino de Cristo em nossas vidas. Esse reino é meu; esse reino é seu; esse reino é nosso! Já aqui e agora provamos do reino de Jesus Cristo. Porque somos seus súditos. Pertencemos ao seu reino. O qual Ele conquistou o direito de nos dar esse reino como uma bênção. Significa que podemos morar no reino de Jesus Cristo. Podemos entrar no seu reino. Porque ele é nosso também. Cristo nos deu seu reino apesar de nossa pobreza espiritual. Apesar de nossa indignidade. Ele nos fez sentar nos céus já agora, como diz Efésios 2.6: “e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus”.

Irmãos, em Cristo nós já nos assentamos nos lugares celestiais. Já somos membros do reino de Cristo. O seu reino é nosso por herança. Recebemos pela ressurreição de Jesus Cristo. Este reino é uma realidade na vida dos verdadeiros crentes. Cristo diz que o reino dos céus É dos humildes de espírito e não será, mas é uma realidade presente agora em nossas vidas. Como nós sabemos que o reino é nosso? Em 1 Pedro 2.9 diz: “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz”. Nós somos a raça eleita de Deus antes da fundação do mundo. Escolhida em Cristo. Sacerdócio real de Deus. Nós somos uma nação de sacerdotes de Deus e continuamente devemos oferecer nossas vidas a Ele. A nossa vida deve mostrar que servimos a Deus. Que somos dele. Nossas vidas não devem estar mergulhadas no pecado. Todos os dias, a cada hora, a cada minuto, devemos nos purificar dos nossos pecados. Porque somos seus sacerdotes. Comprados com o sangue de Cristo. Porque somos uma nação santa e devemos ser como é nosso amado Rei que é Santo. Nós somos sua propriedade mais preciosa. Por isso, Ele nos chamou para proclamarmos as suas maravilhosas virtudes ao mundo.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Compartilhe!

Pr. Alexandrino Moura

É formado pelo Centro de Estudos Teológicos das Igrejas Reformadas do Brasil. Serve à Igreja Reformada do Grande Recife (PE) como Ministro da Palavra e dos Sacramentos na Igreja Reformada de São José da Coroa Grande (PE). Casado com Simone Moura com a qual tem dois filhos: Daniel e Davi.

One Thought to “Mateus 05:03 (b)”

  1. katayama

    reformados no japao..Hiroshima
    muito bom os estudos

Deixe um Comentário