Pregação preparada pelo Pr. Alexandrino Moura

Leitura: Josué 07

Texto: Josué 07

Amada Igreja do Senhor Jesus,

O povo de Israel, depois de quarenta anos de jornada pelo deserto, enfim está com seus pés na terra prometida. A campanha para a conquista da terra já havia começado. Mas, antes de entrar na terra de Canaã, o povo foi devidamente instruído a não fazer aliança com os outros povos daquela terra. Antes tinha que expulsá-los da sua terra dada por herança. Era a promessa de Deus tomando forma concreta. O povo agora podia ver Deus cumprindo sua promessa. Deus estava agindo por meio de seu servo Josué e de seus grandiosos atos. O rio Jordão que separava o povo da terra prometida foi aberto para que o povo pudesse passar a pés enxutos. O povo já podia sentir a terra prometida debaixo dos seus pés. Já podia sentir em suas mãos a terra que mana lei e mel.

A única coisa que eles deveriam fazer era confiar no SENHOR. Confiar que o SENHOR iria dar a terra. E o primeiro obstáculo a ser enfrentado e derrotado era a cidade de Jericó. Uma cidade muito forte. Aos olhos humanos, impenetrável. Mas, para Deus um brinquedo. E Deus confirma a vitória e diz a seu servo Josué no capítulo 6.2: “Olha, entreguei na tua mão Jericó, o seu rei e os seus valentes”. O SENHOR garantiu com sua palavra a vitória. Ele fez com que o povo rodeasse a cidade por sete dias e fez ruírem as muralhas da tão grande e imponente Jericó. E tudo naquela cidade, bem como seus habitantes, deveriam ser destruídos, tão somente viverá Raabe a prostituta que escondeu os espias e os que estiverem com ela em sua casa. E foi destruída a cidade de Jericó. Cumprindo as palavras do SENHOR.

O povo agora tem um segundo obstáculo em sua frente, a pequena cidade de Ai. Porém, é nessa campanha de expulsar os habitantes de Canaã que o povo mais uma vez fracassou perante o SENHOR. O pecado entrou no meio do povo. Foi o primeiro pecado do povo dentro da terra de Canaã; mas Deus vai tomar providência.
Isso nos leva ao seguinte tema desta noite.

Tema: O Pecado do Povo do SENHOR na Infidelidade de Acã

  1. O Pecado de Acã.
  2. A Conseqüência do Pecado de Acã.
  3. A Purificação do Povo.

1. O Pecado de Acã

Irmãos, Acã era um dos descendentes da tribo de Judá. Ele era um membro da aliança do SENHOR com seu povo. Ele, como todos os outros membros da aliança, gozava de certos privilégios dentro da aliança com o SENHOR. Como nós que fazemos parte da aliança do SENHOR. O batismo é o sinal desta aliança que Deus fez conosco. Deus se comprometeu em nos dar bênçãos em nossas vidas. Essas bênçãos são a salvação dos nossos pecados e a vida eterna. Como também o Espírito Santo que nos purifica e habita em nós. Deus prometeu ser fiel a essa aliança com seu povo. E isso nós podemos ver aqui no livro de Josué. Deus está dando ao seu povo o que Ele já havia prometido a Abraão. Aqui Ele está cumprindo sua promessa. Ele permanece fiel a sua aliança.

Porém, Acã, um dos filhos do pacto ou aliança, desobedeceu ao SENHOR. Qual foi o pecado de Acã? O pecado dele foi desobedecer a ordenança do SENHOR durante a invasão e destruição de Jericó. O SENHOR tinha dito a Josué no capítulo 6.17-18: “A cidade será condenada, ela e tudo quanto nela houver; somente viverá Raabe, a prostituta, e todos os que estiverem com ela em casa, porquanto escondeu os mensageiros que enviamos. Tão-somente guardai-vos das coisas condenadas, para que, tendo-as vós condenado, não as tomeis; e assim torneis maldito o arraial de Israel e o confundais”. O SENHOR tinha proibido terminantemente alguém pegar para si dos despojos da cidade de Jericó. Todas as coisas foram condenadas ao povo. “Porém toda prata, e ouro, e utensílios de bronze e de ferro são consagrados ao SENHOR; irão para o tesouro” (Js 6.19).

No entanto, Acã, como diz o verso 1 do capítulo 7, tomou das coisas condenadas. Ele desobedeceu conscientemente a ordem do SENHOR. Ele cobiçou as coisas condenadas pelo SENHOR. Ele não permaneceu fiel ao seu Deus. Ele mesmo diz no 7.21: “Quando vi entre os despojos uma boa capa babilônica, e duzentos siclos de prata, e uma barra de ouro do peso de cinqüenta siclos, cobicei-os e tomei-os; e eis que estão escondidos na terra, no meio da minha tenda, e a prata, por baixo”. Ele se tornou infiel ao SENHOR. Ele negou a sua fé no SENHOR da aliança. Ele não colocou as coisas de Deus em primeiro lugar. Ele deu ouvido às suas paixões pelas riquezas. Assim como Eva viu o fruto proibido por Deus e achou desejável para dar entendimento; o tomou e comeu do fruto. Assim fez também Acã. Ele achou mais importante obedecer às suas cobiças do que obedecer a Deus. Preferiu se rebelar contra Deus a obedecê-lo. Ele não quis colocar sua vontade debaixo da vontade de Deus. E assim ser modelado segundo o coração de Deus. No momento que ele deixou as paixões mundanas dentro de si afluírem, a cobiça deu lugar ao pecado contra Deus. Porque a cobiça começa com o olhar, depois o desejo e, por fim, dá a luz o pecado.

A mesma coisa aconteceu com Acã. De tanto cobiçar, caiu em pecado. As coisas condenadas pelo SENHOR, ele pegou para si. Esse foi o pecado de Acã. Desobedecer ao SENHOR e pegar para si das coisas condenadas pelo SENHOR. Mas, qual a conseqüência deste pecado na vida de Acã? Teve alguma conseqüência para o povo o pecado de Acã?
Isso no leva ao segundo ponto.

2. A Conseqüência do Pecado de Acã

Irmãos, a conseqüência foi muito grande para o povo. Porque o povo foi castigado severamente pelo SENHOR. Eles foram derrotados quando subiram contra a cidade de Ai. Naquele momento o povo ficou sem ânimo. Acã tinha pecado, mas a conseqüência do seu pecado caiu sobre todo o Israel, como diz o capítulo 7.1: “Prevaricaram os filhos de Israel nas coisas condenadas; porque Acã tomou das coisas condenadas. A ira do SENHOR se ascendeu contra os filhos de Israel”. Mas, por que aconteceu isto de o SENHOR castigar todo o povo, se foi apenas Acã que pecou? Acã não é responsável pelo seu próprio pecado? O que tem haver Israel ser castigado?

A ira de Deus cai sobre a congregação por causa do pecado não tratado no meio do povo. Mas, os irmãos podem perguntar: não é um exagero o que aconteceu com o povo por causa de Acã? Por que todo o povo foi castigado? Porque a igreja de Cristo é uma unidade. Deus não trata a igreja como indivíduos, mas como um corpo orgânico. Assim como uma gripe afeta todo o corpo, também um pecado não tratado no meio da igreja trará a ira de Deus sobre toda a igreja. Cada vez que o pecado dentro da igreja é negligenciado, Deus não abençoará a igreja, porque está sendo infiel em usar a disciplina para corrigir o mal dentro dela. Isso não é nenhum exagero o que estou dizendo. É a Bíblia que está falando.

1 Coríntios 5 fala de um jovem que cometia a infâmia de possuir a esposa do próprio pai. Todos da igreja sabiam, mas o que fizeram? Não fizeram nada para eliminar o mal no meio da congregação. Antes andavam ensoberbecidos. Não fizeram caso. Quando o apóstolo Paulo ficou sabendo, imediatamente escreveu aos corintos reprovando toda a igreja por estar em pecado. Ele reprovou a atitude da igreja de tolerar o pecado em seu meio. Ele exigiu que o pecador de tamanho ultraje fosse expulso da comunhão dos santos, ou seja, excomungado da igreja. Como ele diz em 1 Coríntios 5.6: “Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda?”. O que ele quer dizer com isto? O fermento é um produto químico usado na massa de bolo ou pão. O dever dele é fazer a massa crescer, inchar. Fazer o bolo ou pão ficar grande. Um pequena quantidade de fermento causa uma grande mudança na massa. Assim era o pecado na igreja de Corinto. O pecado estava crescendo mais e mais. E ninguém tomava providência. O pecado estava atrapalhando a santidade da igreja. Muitos morreram em Corinto, porque desprezaram a pureza da mesa do Senhor. Não havia disciplina para aquele pecador. Assim, a ira de Deus permaneceu sobre aquela igreja por causa do pecado de um homem. O pecado de um dentro da igreja é contado como o pecado de toda a igreja. Porque a igreja é como um corpo. O que um pratica os outros sofrem. Adão pecou e nós sofremos por causa disso. Enquanto o pecado não foi tratado na igreja de Corinto, Deus derramava a sua ira sobre toda a igreja.

Mas, o caso de Corinto não era diferente do pecado de Acã? Lá todas as pessoas sabiam, mas aqui todos sabiam? A resposta é não! Ninguém sabia do pecado de Acã. Leiamos os versos 2-3: “Enviando, pois, Josué, de Jericó, alguns homens a Ai, que está junto a Bete-Áven, ao oriente de Betel, falou-lhes, dizendo: Subi e espiai a terra. Subiram, pois, aqueles homens e espiaram Ai. E voltaram a Josué e lhe disseram: Não suba todo povo; subam uns dois ou três mil homens, a ferir Ai; não fatigueis ali todo povo, porque são poucos os inimigos”.

Observem nestes versos que o povo está confiante na vitória. O povo confia que o SENHOR concederá a vitória, assim como concedera em Jericó. Vejam que os espias estão animados e até dão um relato otimista. Eles dizem que não precisa subir todo povo para a batalha. Apenas uns dois ou três mil homens; para que não cansem todo exército, pois eles são poucos.

Mas, por causa do pecado, Deus derramou e continuava derramando sua ira sobre os israelitas. Leiamos os versos 4-5: “Assim, subiram lá do povo uns três mil homens, os quais fugiram diante dos homens de Ai. Os homens de Ai feriram deles uns trinta e seis, e aos outros perseguiram desde a porta até às pedreiras, e os derrotaram na descida; e o coração do povo se derreteu e se tornou como água”.

Deus castigou o povo pela desobediência contra Ele. Mas o povo não sabe porque foi derrotado. Era um povo inferior. Eles já tinham derrotado a grandiosa cidade de Jericó, por que foram derrotados? Essa era a pergunta no coração do povo. Será que o SENHOR abandonou seu povo? O coração do povo diante desta derrota ficou completamente desanimado. Mas, qual a causa? Ninguém sabe!
Vejam qual a atitude de Josué nos versos 6-9. Acompanhe a leitura comigo.

Aparentemente, para Josué, Deus tinha abandonado o povo. Ele ficou triste; rasgando as suas vestes em motivo de tristeza. A causa foi o aparente fracasso das promessas divinas. Vejam que Josué apela na oração para as promessas divinas. Ele orou em favor de Israel. Como um bom líder fiel ao SENHOR, ele ora pelo povo da aliança. Ele não entende porque o povo foi derrotado. Por isso ele diz no verso 7: “Ah, Soberano SENHOR, por que fizeste este povo atravessar o Jordão? Foi para entregar nas mãos dos amorreus e nos destruir? Antes nos contentássemos em continuar no outro lado do Jordão!”. Ele não sabe de nada. Mas, ele quer que o SENHOR revele o motivo do aparente fracasso de suas promessas feitas a Abraão. Veja o verso 8 e 9: “Ah! SENHOR, que direi? Pois Israel virou as costas diante dos inimigos! Ouvindo isto os cananeus e todos os moradores da terra, nos cercarão e desarraigarão o nosso nome da terra; e, então, que farás ao teu grande nome?”. Deus tinha prometido uma grande nação dos descendentes de Abraão. Mas o que Josué estava imaginando naquele momento era que, depois da derrota sofrida, os adversários viessem destruir todo o povo da face da terra. E o nome do SENHOR seria manchado como um Deus que mente. Por isso Josué está preocupado, tanto pelo povo, quanto pelo nome de Deus. Porém, a resposta do SENHOR é direta e objetiva para Josué. Leiamos os versos 10-13.

Vejam como o SENHOR trata do pecado cometido por Acã no verso 11: “ISRAEL PECOU” e também no verso 1: “Prevaricaram os filhos de Israel nas coisas condenadas; porque Acã tomou das coisas condenadas”. Por que Israel estava sendo punido e não apenas Acã? Porque Deus trata o seu povo, a sua igreja como uma unidade orgânica. E o SENHOR já havia alertado o povo no capítulo 6.18: “Tão-somente guardai-vos das coisas condenadas, para que, tendo-as vós condenado, não as toqueis; e assim torneis maldito o arraial de Israel e o confundais”. O SENHOR deixou bem claro para não desobedecer a sua ordem. Porque, se pegasse das coisas condenadas, todo Israel seria considerado maldito perante o SENHOR.

Enquanto o mal não for arrancado do meio do povo, o SENHOR continuará castigando o povo severamente. O povo não poderá resistir aos inimigos. Isto ficou bem claro. Essa foi a conseqüência do pecado de Acã para todo o povo. Um pecado não tratado no meio da igreja traz sobre ela a ira Deus. Por isso, nunca devemos nos acomodar com o pecado em nosso meio. Mas, devemos tratar da ferida antes que destrua todo o corpo. Antes que destrua a igreja de Deus.
Isso nos leva ao terceiro ponto.

3. A Purificação do Povo

Irmãos, no verso 1 o texto diz que o povo prevaricou. Esta palavra não descreve os pecados de incrédulos, mas de crentes, gente da aliança, aqueles que “romperam a fé” com seu Soberano. Ele agiram infielmente contra o SENHOR. Negaram a justiça de Deus. Negaram o caminho de retidão e se tornaram iguais aos perversos. E quando isto acontece no meio do povo da aliança, Deus quer purificação no meio do povo. Deus não deixa o seu amado povo viver em rebeldia e impureza. No caso de 1 Coríntios 5.4-5, se diz que: “em nome do Senhor Jesus, reunidos vós e o meu espírito, com o poder de Jesus, nosso Senhor, entregue a Satanás para a destruição da carne, a fim de que o espírito seja salvo no Dia do Senhor Jesus”. Paulo manda usar a disciplina para excomungar um membro da igreja. Para assim tirar a ira de Deus de sobre a igreja. Ele deveria ser entregue a Satanás para destruição da carne, ou seja, ele seria considerado como um descrente, incrédulo, que não tinha nada mais a ver com a igreja de Cristo. Mas, ele poderia voltar a ser membro de novo do povo de Deus, depois do arrependimento verdadeiro e de estar cheio de frutos de arrependimento.

E aqui não é diferente do caso de Corinto. O mal deve ser eliminado o mais rápido possível. A congregação de Israel está em pecado tolerando o pecado. Eles não poderão vencer os inimigos enquanto estiver o mal no meio de Israel. Josué recebe instrução do SENHOR e descobre o mal. Imediatamente Josué envia mensageiros correndo para buscar as coisas condenadas para serem destruídas com Acã, sua família e seus pertences. Eles foram apedrejados e em seguida queimados. Assim o mal foi tirado do meio de Israel. Veja o que diz o verso 26 parte B, depois que Acã foi morto: “ASSIM, O SENHOR APAGOU O FUROR DE SUA IRA”. Enquanto a ferida não era cuidada, continuava inflamada. Enquanto o pecado continuava sem tratamento, a ira do SENHOR estava acesa contra Israel. Mas, no momento que o pecado foi tratado, Deus retirou sua ira de sobre Israel e passou a abençoá-lo. Nós podemos ver isto no capítulo 8 de Josué. A cidade na qual foram derrotados, agora é derrotada.

Deus abençoa seu povo quando ele age com fidelidade. Quando seu povo vive conforme os padrões estipulados por Deus, redundará em grandiosa graça para seu povo. A igreja de Cristo deve viver em santidade para que a ira de Deus não venha sobre ela. Que o pecado de Acã sirva de exemplo e alerta para toda a igreja aqui. Nós não somos tratados como indivíduos isolados, mas como um corpo orgânico. O corpo de Cristo. E Cristo julgará a sua igreja conforme as suas ações. Por isso, Cristo deve reinar em nosso meio.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

Compartilhe!

Pr. Alexandrino Moura

É formado pelo Centro de Estudos Teológicos das Igrejas Reformadas do Brasil. Serve à Igreja Reformada do Grande Recife (PE) como Ministro da Palavra e dos Sacramentos na Igreja Reformada de São José da Coroa Grande (PE). Casado com Simone Moura com a qual tem dois filhos: Daniel e Davi.

Leave a Comment