Pregação preparada pelo Pr. Abram de Graaf

Leitura: Salmo 23

Texto: João 10:11

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

“Eu sou o bom Pastor”, Jesus disse isso. E dizendo isso os seus alunos logo entenderam o que ele queria dizer. Pois os seus alunos conheciam esta metáfora. Os alunos foram criados à beira do mar, vendo as águas tranquilas; eles brincaram nos pastos verdes, e observaram os pastores, que passaram com os seus rebanhos. Os alunos de Jesus foram homens do interior, que conheciam a vida camponesa. Eles conheciam os mistérios do mar e do campo. Uma só palavra já basta para entender o que Jesus queria dizer:

“Eu sou o bom pastor”.

Para nós já é um pouco mais difícil para logo entender o que Jesus queria dizer; nós moramos numa cidade e não no campo. Não conhecemos bem a vida camponesa. Pode ser que você já viu um filme sobre a vida camponesa, então já conhece um pouco, mas este conhecimento está muito distante da realidade. E por causa disso é bom para dar um pouco atenção nestas palavras do nosso Senhor.

“Eu sou o bom pastor”. Pensando nisso, muitas pessoas pensam num pastor, que cuida de uma igreja e que cuida bem de si mesmo. Ele anda num Pick-up, mora num casarão e não passa por dificuldades. Ele é um bom pastor. Quer dizer: ele é bem esperto e cuida bem de si mesmo. Mas é isso o que Jesus quer dizer? Não, irmãos, não é isso o que Jesus quer dizer! Quando Jesus disse: Eu sou o BOM pastor. Ele queria dizer: eu sou DIFERENTE do que os outros pastores. Eu sou o BOM pastor.

Encontramos na bíblia vários exemplos de pastores, que cuidam bem de si mesmo.

Mas eles não são chamados BONS pastores. Estes pastores são criticados. Pensem por exemplo em Ezequiel 34. Isso é uma profecia contra os pastores INFIEIS de Israel. A vida destes pastores é BOA! Mas a vida das suas ovelhas não! Ezequiel deve profetizar CONTRA estes pastores. A palavra de Deus diz: “Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Não devem os pastores apascentar as ovelhas? Comeis a gordura, e vos vestis da lã; matais o cevado; mas não apascentais as ovelhas! As fracas não fortalecestes, e a doente não curastes, e a quebrada não ligastes, e a desgarrada não tornastes a trazer, e a perdida não buscastes; mas dominais sobre elas com rigor e dureza.”

Ezequiel fala aqui contra os lideres do povo de Deus. Eles vivem bem. E as suas ovelhas pagam as suas contas. Eles estão se aproveitando do rebanho. O rebanho serve o pastor. Enquanto isso deve ser diferente. O pastor deve servir o rebanho. O BOM pastor faz isso.

Jesus conhecia a profecia de Ezequiel. E Jesus viu com os seus próprios olhos como os líderes de Israel estavam agindo. Foi da mesma maneira! Eles desprezavam o rebanho. Eles maldisseram a multidão que não conhecia a lei (João 7: 49) em vez de ensinar a lei. Eles não cuidavam dos fracos; eles torturam os pais de uma criança cega dizendo que é por causa dos pecados deles que ela nasceu assim; eles disseram ao cego que ele tinha nascido em pecado e expulsaram-no da sinagoga; os lideres detestaram Jesus e fizeram planos para assassinar ele, pois é melhor sacrificar um homem do que perder as suas posições (João 18: 14).

Jesus viu tudo isso e ele sabia que os líderes tinham feito planos para assassiná-lo. E vendo isso ele começou falar sobre ladrões e salteadores, que maltratam o rebanho; Eles não entraram pela porta. Eles não entraram pelo caminho legítimo. Quem entra pela porta é o Bom pastor. Ele busca as ovelhas e cuida delas. Mas “o ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir”. Ele não é um bom pastor.

E o mercenário também não. O mercenário é um homem que é contratado para cuidar do rebanho. Ele é pago para fazer isso. O motivo de cuidar do rebanho é o salário. Ele faz o seu trabalho porque ele é pago. E se não receber pagamento, ele não cuida mais do rebanho. O que é importante por ele é o dinheiro e não o rebanho. Jesus mostra isso claramente. Ele diz: “O mercenário, e o que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o lobo, e deixa as ovelhas, e foge; e o lobo as arrebata e dispersa as ovelhas. Ora, o mercenário foge, porque é mercenário, e não tem cuidado das ovelhas”. Mas o BOM pastor não age assim. O BOM pastor dá a sua vida pelas ovelhas.

Isso é uma realidade, que entendermos melhor se pensarmos no seguinte:

Houve uma vez uma babá, que estava cuidando de um menino de dois anos. A mãe do menino estava trabalhando em casa e estava muito ocupada. A babá foi para rua com o menino, eles estavam em frente da casa. O menino estava brincando com um pau e quando passava um cachorro ele bateu na direção do cachorro. O Pit-Bul teve um susto e logo atacou o menino. A babá, vendo isto, deu um pulo, e fugiu para dentro da casa gritando: socorro, socorro! A mãe ouvindo isso saiu da casa, correu para frente e viu o cachorro em cima do seu filho, mordendo o braço dele. Ela correu para lá e bateu na cabeça do cachorro, mas esse não soltou. Então ela se jogou em cima do cachorro e mordeu na orelha dele com toda força. Naquele momento o cachorro soltou e se jogou nela. Ela lutou com o cachorro enquanto os vizinhos tiraram o menino. Finalmente eles conseguiram matar o cachorro e ela saiu muito machucada, mas ela salvou a vida do seu filho. A babá estava tremendo na porta. Ela tinha fugido, pois o menino não era o filho dela. Ela cuidou do menino por causa do dinheiro. A mãe do menino reagiu como um BOM pastor. O menino era filho dela. Ela não pensou e estava preparada para dar a sua vida para salvar o seu menino. Assim é o BOM pastor.

O BOM pastor dá a sua vida para salvar as suas ovelhas. LIDERES DO MUNDO não são assim! Presta atenção nisso, irmãos. Os líderes do mundo pensam o contrario: as OVELHAS devem dar a sua vida para salvar o líder. O líder do mundo está no centro e não o povo. As guardas costas, os policiais, o exército, todos servem para o bem viver do líder. O líder do mundo está no seu palácio e o povo cuida dele.

Mas o BOM pastor não é assim. Ele cuida do bem estar do seu rebanho. Ele dá comida ao seu povo; ele dá paz ao seu povo. É exatamente o que Jesus Cristo fez. Ele multiplicou pão para a multidão; ele os deixou sentar a beira do mar; ele os deu paz. Paz com Deus. Ele trabalhou dia e noite para cuidar do rebanho. Ele deu a sua vida. Pois o rebanho foi dele. Ele se sentiu como a mãe do menino. Ele estava preparado para dá a sua vida para resgatar o seu rebanho.

Foi assim que Jesus terminou a sua vida, irmãos. Ele morreu na cruz, para salvar a vida do seu rebanho. Para salvar a vida da sua igreja; de todas as pessoas que lhe foram dadas por Deus (João 10: 27-29!). Jesus ama todas estas pessoas, todos estes homens, e todas estas mulheres, que lhe foram dados por Deus; todas estas pessoas que confiam nele e que se encontram aqui na igreja e em muitas outras igrejas neste mundo.

O amor de Cristo, irmãos, é visível para nós. Pois hoje comemoraremos a morte do Senhor. Cristo morreu para nos salvar. A mãe do menino sobreviveu, mas Cristo não. Ele morreu para salvar a nossa vida. Ele tinha que morrer. Não houve outra solução. E por causa disso ele não fugiu dos seus inimigos; por causa disso ele não lutou contra os seus inimigos; ele se entregou (João 10: 17-18); ele queria morrer, para nos dar a vida. E hoje nós comemoramos isso. A morte do Senhor para salvar a nossa vida. A morte do BOM pastor, que amou o rebanho mais do que si mesmo. Ele já passou pelo vale da morte; como um bom pastor, ele andou em frente e venceu o inimigo. Ele venceu a morte e nos leva a casa do seu Pai. Salmo 23 fala sobre isso. A primeira parte deste salmo fala sobre o Bom pastor e a segunda parte fala sobre a casa do Senhor onde se encontra também uma mesa. Não a mesa da santa ceia, esta mesa é só uma sobremesa em comparação com a mesa que encontramos na casa do senhor. Lá encontramos o Senhor mesmo. Lá encontramos bondade e misericórdia. Lá tudo é bom, pois estaremos na casa do BOM pastor. Perto dele tudo é BOM. Como no Paraíso! E sabe, irmãos. O BOM Pastor nos leva para lá, para o Paraíso. Pois nosso pastor é dono do Paraíso. Lá tudo será BOM. BOM mesmo, pois lá não entra mais o mal; nada mais perturbará a nossa alegria e felicidade. Vamos cantar sobre isso. Vamos cantar salmo 23:
O meu Pastor é O SENHOR!
A mim não faltará
Em pastos verdes me conduz
E faz me repousar.

 

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

*** Encontre mais sermões do Pr. Abram de Graaf em: bramdegraaf.com

Compartilhe!

Pr. Abram de Graaf

O pastor Abram de Graaf é “Doctorandus” (Drs) em Teologia e um dos professores do Instituto João Calvino (Aldeia, Camaragibe-PE). Ele é pastor da Igreja Reformada de Hamilton, Canadá, enviado como missionário às Igrejas Reformadas do Brasil, desde o ano 2000. É Diretor do Projeto Dordt-Brasil. Ele mora em Maceió e também desenvolve projetos nessa cidade.

Deixe um Comentário