Pregação preparada pelo Pr. Adriano Gama

Leitura: João 10.01-21

Texto: João 10.19-21

Amada congregação do Senhor e demais ouvintes,

Os Cânones de Dort, uma das confissões das Igrejas Reformadas, ensinam a necessidade da proclamação do evangelho para a salvação do homem. Esse ensino está em 4 de seus 5 capítulos. Os Cânones ensinam também, nos mesmos 4 de seus 5 capítulos, que onde o evangelho de Cristo for pregado, haverá um duplo resultado: Rejeição ou Aceitação.

Os Cânones de Dort somente afirmam o que a Escritura diz quanto à necessidade de proclamação do Evangelho e o que a Escritura diz sobre o duplo resultado dessa proclamação. A Escritura diz que a Palavra de Deus não volta vazia. A Palavra de Deus endurece ou amolece o coração de seus ouvintes; dá luz ou cega os olhos do homem. A pregação do evangelho sempre resultará em um duplo resultado: Morte ou vida.

A passagem de Jo 10.19-21 é mais um exemplo desse duplo resultado causado pela pregação do evangelho. Jesus pregou aos seus ouvintes o evangelho do bom pastor. Mas, qual foi o resultado da pregação de Jesus? O resultado foi divisão.

A visão de um Jesus que divide é considerada uma blasfêmia por muitos cristãos. Mas, o Evangelho de João mostra que Jesus dividiu os judeus, dividiu o mundo! Então, no meio de um mundo “cristão” que não conhece o Cristo, é necessário ouvir Jesus falar. Por isso, ouçam a Palavra de Deus no seguinte tema:

Tema: O evangelho do bom pastor divide os homens, trazendo juízo para os rebeldes e salvação para os crentes.

Amados irmãos e irmãs, lembrem-se do contexto dessa passagem que começa no capítulo 9 de João: Jesus havia curado o cego de nascença que era mendigo. Jesus fez todo mundo ver o Seu poder para curar um cego. Um milagre nunca visto antes e que não poderia ser escondido (Jo 9.1-7).

O cego que teve os olhos abertos, abriu a boca também. Quando perguntado, ele começou a dizer quem o havia curado: “Foi o homem chamado Jesus que me curou!” (Jo 9.8-12).

A cura desse cego chamou a atenção do povo e dos fariseus. O coitadinho do ex-cego foi levado aos fariseus (Jo 9.13). Os fariseus, mesmo vendo que o cego passara a ver, não acreditaram naquele milagre. Não aceitaram o óbvio e incontestável milagre feito por Jesus.

O que os fariseus fizeram, então?

Os fariseus oprimiram o ex-cego com o objetivo de fazê-lo negar Jesus. Sem sucesso, os fariseus expulsaram-no da comunhão do povo, pois haviam decidido que, “se alguém confessasse ser Jesus o Cristo, fosse expulso da sinagoga.” (Jo 9.22).

O SENHOR Jesus soube que o ex-cego foi expulso da comunhão dos judeus. Então, Jesus foi em busca de Sua ovelhinha que Ele havia curado da cegueira. Ao encontrar o ex-cego, Jesus se revelou a ele como sendo o Filho do Homem, o Cristo. O ex-cego viu, ouviu, creu, confessou e adorou Jesus como o Cristo (Jo 9.35-38).

Depois da profissão de fé feita pelo ex-cego, Jesus afirmou uma mensagem perturbadora (por favor veja o v. 39): “Prosseguiu Jesus: Eu vim a este mundo para juízo, a fim de que os que não vêem vejam, e os que vêem se tornem cegos”. Vejam que Jesus afirmou que Ele veio para juízo. Em certo sentido, já vemos o duplo resultado da pregação aqui: O mesmo Jesus dá a visão e dá a cegueira espiritual!

Os fariseus incrédulos entenderam que Jesus lhes acusou de serem cegos espirituais (veja Jo 9.40). O que Jesus fez? Jesus não voltou atrás, não desconversou, mas afirmou (veja Jo 9.41): “Respondeu-lhes Jesus: Se fôsseis cegos, não teríeis pecado algum; mas, porque agora dizeis: Nós vemos, subsiste o vosso pecado”. Pronto! Agora temos mais um conflito declarado!

Foi nesse contexto de conflito que Jesus passou a falar uma “parábola” (Jo 10.1-18). Essa parábola revelava o Evangelho do Bom Pastor que dá a vida pelas ovelhas d’Ele. Jesus explicou que Ele era o legítimo Pastor de Israel. O Pastor prometido pelos profetas. O Eu Sou que veio pastorear e reunir, num só rebanho, todas as ovelhas d’Ele. As ovelhas que estavam em Israel e no mundo. Jesus falou, claro e diretamente, que veio para cumprir a missão que o Pai deu a Ele. Que missão é essa? Morrer e ressuscitar a fim de salvar as ovelhas d’Ele. Assim, Jesus se revelou como o Bom Pastor que dá a vida em favor de Suas ovelhas.

Agora, qual foi o resultado dessa mensagem, dessas palavras de Jesus?

Por favor, veja Jo 10.19: “Por causa dessas palavras, rompeu nova dissensão entre os judeus”. Notem que não mais o milagre dividiu o povo (os fariseus e outros que ouviam as palavras de Jesus). Agora, “as palavras” de Jesus, o Evangelho do Bom Pastor, criaram uma nova divisão entre os judeus. Era nova divisão porque o Evangelho de Jesus já havia causado outras divisões antes (por exemplo em Jo 7.37-43,44).

Agora, que nova divisão foi essa?

Veja os versos 20 e 21: “Muitos deles diziam: Ele tem demônio e enlouqueceu; por que o ouvis? Outros diziam: Este modo de falar não é de endemoninhado; pode, porventura, um demônio abrir os olhos aos cegos?”.

A pregação de Jesus revelou dois grupos. O primeiro, o grupo dos blasfemadores incrédulos. O segundo, o grupo dos crentes.

Saibam que o evangelho não transforma homens em blasfemadores. O evangelho apenas revela os blasfemadores. O evangelho de Jesus revelou quem eram os rebeldes contra o Filho de Deus.

Os rebeldes não economizavam palavras para blasfemarem contra Cristo Jesus. Os rebeldes acusavam Jesus ser endemoninhado e louco. Os rebeldes blasfemavam dizendo que o poder de Jesus vinha do diabo. Essa afirmação é a blasfêmia contra o Espírito Santo (Mt 12.24). A blasfêmia contra o Espírito é uma rebelião e a negação consciente de que Jesus não é o Cristo. Essa blasfêmia é tão abominável que não tem perdão. É tão abominável a Deus que nem devemos orar por aqueles que a cometem (1 Jo 5.16,17).

Outro detalhe é que o evangelho do Bom Pastor não tem sentido para os blasfemadores. Pois, notem que os muitos disseram: “Ele [se referindo a Jesus] … enlouqueceu”. Essa incapacidade de entendimento dos incrédulos nos lembram as palavras do apóstolo Paulo que disse (1 Co 2.18): “Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus.” O evangelho sempre será loucura, não terá lógica, nem sentido, para quem se perde na sua rebeldia. Isso é o que diz a Palavra.

Os blasfemadores, além de blasfemarem e não verem sentido no evangelho, tentaram afastar os outros de Cristo Jesus. Notem que eles disseram: “… por que o ouvis?”. Por que vocês dão atenção a esse endemoninhado e louco? Os blasfemadores e rebeldes não desejam ficar sozinhos debaixo da ira de Deus. Eles querem fazer discípulos para si, afastando as pessoas da Palavra de Cristo Jesus.

Agora, outro grupo foi revelado pela Palavra de Cristo. O grupo dos crentes (veja o v. 21): “Outros diziam: Este modo de falar não é de endemoninhado; pode, porventura, um demônio abrir os olhos aos cegos?” As perguntas feitas não expressavam dúvidas, mas eram como afirmações. Talvez afirmações tímidas. Pois os crentes, naquela atmosfera de perseguição, à semelhança dos pais do ex-cego, à semelhança de Nicodemos que era um crente secreto, temiam serem expulsos da sinagoga. Porém, de fato, as perguntas feitas eram perguntas retóricas. As perguntas afirmavam que Jesus não era um endemoninhado. Para os crentes, as palavras de Jesus não eram uma mentira do diabo. As palavras de Jesus era a verdade, era o poderoso evangelho da Salvação, o verdadeiro Evangelho do Bom Pastor que deu Sua vida em favor das ovelhas d’Ele.

O Evangelho de Cristo Jesus revelou os dois grupos:

Primeiro, revelou quem eram os cegos espirituais. Todos os blasfemadores e incrédulos são revelados pelo Evangelho. Estes são cegos. Eles blasfemam contra Cristo, não enxergam o sentido do evangelho e querem levar outros a não crerem no Bom Pastor, Jesus.

O segundo grupo, os crentes que reconhecem Cristo e Seu evangelho, são aqueles que receberam de Cristo a visão espiritual para enxergarem o Evangelho do Bom Pastor. Os crentes não duvidam de que Jesus deu sinais que revelam que Ele é o Salvador, o Bom Pastor Prometido.

O Evangelho de Cristo Jesus surtiu um duplo resultado nos seus ouvintes: Cegueira e Visão. A cegueira foi confirmada nos blasfemadores rebeldes e incrédulos. A visão foi dada a outros que passaram a enxergar (reconhecer) Jesus como o Cristo.

Aqui vemos o fim desse conflito gerado pela pregação do Evangelho do Bom Pastor. Os rebeldes continuaram blasfemando e levaram o Bom Pastor até à Cruz Maldita. A blasfêmia deles não prevaleceu e o assassinato de Cristo não pôs fim à vida do Bom Pastor. Jesus venceu a morte. Ele deu a vida em favor das ovelhas d’Ele. Jesus ressuscitou ao terceiro dia. Hoje Ele está à direita de Deus. De lá Jesus tem também mantido o Seu rebanho e tem pastoreado a Sua igreja através da Palavra e do Espírito. Nesse pastoreio, Jesus usa os seus ministros e presbíteros (1 Pe 5.1-4).

Conclusão:

Amados irmãos e irmãs, notem que o apóstolo João chamou a atenção, primeiro para as palavras de Jesus. O milagre somente é mencionado depois (é a pergunta final do v. 21). Isso mostra a ênfase na Palavra de Jesus. A pregação é quem divide. O milagre apenas sela a Palavra de Cristo, a qual divide.

Essa ordem de colocar a palavra à frente do milagre, deve chamar a nossa atenção.

Por quê? Porque até o diabo pode operar milagres!

O diabo tem interesse em operar milagres, mas para enganar. Porém, o diabo não tem o interesse de pregar o evangelho de Cristo. O diabo até prega por meio de Seus ministros do engano. Mas, o diabo prega a mentira, o falso evangelho. O diabo não prega o verdadeiro evangelho, a Palavra que leva as pessoas a confiarem somente em Cristo para salvação pela fé.

As palavras de Jesus são um alerta para todos que ouvem o Evangelho. Jesus continua sua obra de dividir o mundo, para juízo e salvação. O Evangelho do Bom Pastor ainda está sendo pregado na terra. Onde o evangelho é fielmente pregado, então, o duplo resultado se revelará:

Ou você se arrependerá, confiará, adorará e seguirá somente a Cristo, o Bom Pastor, ou você não confiará somente n’Ele e se manterá rebelde contra o Filho de Deus. Ou você atende a voz de Cristo, ou permanece atendendo o seu coração egoísta, autoconfiante, incrédulo e perdido em pecado.

Não existe um ponto neutro no mundo. Ou você está no grupo dos blasfemadores e incrédulos rebeldes; ou você está no rebanho de Cristo, ou seja, pela verdadeira fé e graça de Deus, confia somente em Jesus para Sua salvação.

O Bom Pastor alerta você que ainda não vive pela fé n’Ele. Jesus está dividindo o mundo com Sua Palavra. Ainda há salvação para os homens. Porém, vai chegar o Dia em que o Bom Pastor vai, definitivamente, separar as suas ovelhas dos bodes. Esse Dia será terrível. Esse dia será o retorno do Bom Pastor. Naquele Dia Jesus separará as suas ovelhas dos cabritos (Mt 25.31-33). As ovelhas, Jesus colocará à sua direita. Os cabritos serão colocados à esquerda d’Ele. As ovelhas ouvirão a amorosa, consoladora e esperada voz do Seu Bom e Amado Pastor que dirá a elas: “Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.” Essa será a voz mais consoladora e a maior felicidade que um ser humano poderá ouvir e provar: A salvação em Cristo Jesus consumada. Porém, Jesus disse que os cabritos ouvirão do Bom Pastor das ovelhas, o seguinte (Mt 25.41): “Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos”. Essa será a voz mais terrível e a maldição mais pesada que qualquer ser humano pode ouvir e provar.

Pergunto:
Qual voz você quer ouvir?
A voz do Bom Pastor, ou a voz dos blasfemadores rebeldes?
Em que grupo você está?
Qual o resultado da pregação de Cristo em você?

Você permanece fora do rebanho, ou seja, se mantém rebelde contra o Filho, não vendo sentido no evangelho, não confiando que você somente é Salvo em Cristo? Ou você diz, como o ex-cego e ouvintes crentes de Jesus: “Creio, Senhor! Tuas palavras são verdadeiras. Tu és o Cristo! Somente em Ti confio para ser salvo da ira de Deus?

Não há dúvida. Você pertence a um dos grupos que o evangelho revela. Não fique em dúvida quanto a isso! Agora, tenha certeza de que o Bom Pastor, Jesus Cristo, fala a você hoje! Sabe como? Por essa pregação! Saiba que, por meio da pregação fiel, Jesus, o Bom Pastor, fala ao homem. Jesus diz a você: Eu sou o bom pastor que dei minha vida em favor da salvação de minhas ovelhas! Ouça a minha voz, o Evangelho da Graça de Deus, confesse seus pecados, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me! Fora de mim não há salvação.

Jesus não se alegra na morte do pecador, mas Ele não vai deixar de aplicar Seu juízo sobre os rebeldes e impenitentes. Não resista, mas creia em Cristo para a vida eterna. Creia e seja salvo ou salva da Ira de Deus. Faça isso hoje e não amanhã. Faça isso agora e não depois, pois o evangelho do bom pastor divide os homens, trazendo juízo para os rebeldes e salvação para os crentes.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

Compartilhe!

Pr. Adriano Gama

Ministro da Palavra e dos Sacramentos da Igreja Reformada em Maragogi (AL). É missionário na Congregação Reformada em Colombo (PR).

Deixe um Comentário