Pregação preparada pelo Pr. Charles Wieske

Leitura: Tiago 05.07-11; Apocalipse 21.01-05

Texto: Jó 42.07-17

Amada Congregação de nosso Senhor Jesus Cristo,

O fim do livro de Jó parece um conto de fadas. Esta parte nos dá uma figura onde somente aparece a paz e a prosperidade, que são até meio irreais em um mundo tão mal como o nosso. E é como se os sofrimentos de Jó já tivessem tido atenção suficiente e agora o autor quer fazer uma maquilagem de todas as suas tristezas e tribulações para equilibrar o livro. Pintando um estado de felicidade e alegria que compensam a tristeza predominante nas paginas anteriores. A fim de que a moral do livro se torne o lema: tudo está bem quando termina bem.

Mas, amados, este definitivamente não é o caso! Esta não é a razão pela qual o Senhor introduziu estes versos finais no livro. A Bíblia não é um livro de ficção e o evangelho não é uma mensagem moralista. As Santas Escrituras são a auto-revelação de Deus e o tema principal deste livro é a salvação em Jesus Cristo! E tudo depende da fé! Somente quando você crer neste evangelho você será salvo. Somente quando você amar o Senhor por sua grande misericórdia e compaixão possuirá a vida que está sustentada pelo cuidado e proteção de seu Deus pactual! Até quando você encontra toda a sorte de situações em sua vida. Como Jó encontrou.

Satanás tinha feito graça de tudo isto. Ele disse a Deus: ninguém ama você! Ninguém está interessado em você! O pecado transforma a visão do homem de um jeito que nenhum homem ou mulher se interessa por você. E se eles se interessam, é somente por interesse próprio! Porque a fé oferece bons pagamentos! Mas quando uma pessoa não ganha nada, quando um ser humano é roubado de todas as suas bênçãos terrenas, ele amaldiçoará a você! E riscará você de sua vida! Pois perceberá que servir a você é uma perda de tempo.

Mas por dizer isto, o diabo desafiou o próprio Deus! Ele lançou dúvida no poder do Senhor em reunir uma igreja. Em seu plano de redenção para salvar pecadores. Em sua fidelidade em cumprir o que já havia prometido a Adão: que a semente da mulher, Jesus Cristo, viria par esmagar a cabeça da serpente, e libertar um povo para si mesmo. Uma igreja que ama o seu Deus e Salvador, não buscando bençãos temporárias, nem buscando benefícios materiais, mas buscando a Deus mesmo. Por seu maravilhoso amor e graça em salvá-los da morte eterna. E dar-lhes a vida que nunca termina.

Esta era a mentira e a tentação com a qual o diabo enfrentou Jó. E o livro de Jó estava incluído na Bíblia para desmascarar esta mentira e expor esta tentação. E convencê-lo e a todo o povo de Deus de que a salvação é uma obra de Deus. E que esta obra é real! E tão segura e certa que pode combater a mentira mais terrível e engano e assaltos do diabo. Não por causa da força de Jó mas por causa do Deus de Jó, pois somente Ele é sempre fiel a si mesmo, para com suas promessas, para Jó e para todos os Seus filhos!

Este é o conforto que este livro provê para todo aquele que ama o Senhor. E isto incluiu Jó e inclui a nós, irmãos e irmãs, que professamos nossa fé no Senhor! Colocando nossa confiança nEle, crendo nas verdades da Bíblia, nos comprometendo a vivermos para o Senhor Jesus Cristo e sua glória, pois isto não é fácil! Pois entramos em uma batalha contra o diabo e suas hostes. Seguir a Cristo leva você a entrar em grandes dificuldades. Isto requer de nós, irmãos, a graça de Deus e uma auto-negação. Pois, assim como foi com Jó, assim é conosco, irmãos e irmãs! E não somente o diabo mas também o mundo e nossa velha natureza. E Jó experimentou tudo isto e enfrentou o diabo, e o mundo e a velha natureza, talvez como ninguém tenha combatido! Mas ele não abandonou a Deus!

Oh, sim, irmãos e irmãs, certamente ele pecou. Ele disse palavras que nunca deveriam ter sido usadas. Mas ele confessou seus pecados e arrependeu-se no pó e nas cinzas. Confessando que Deus deve ser crido e confiado. Como seu pai celeste que segura a seus filhos mesmo quando o mundo deles entra em um buraco. Deve ser crido como o Senhor do pacto que sustenta todos os seus filhos com um amor que é eterno. E que lhes assegura de sua salvação. Não somente no dia do juízo mas começando aqui e agora. Vivendo neste mundo.

Mas o clímax ainda está por vir. Agora que Jó tem justificado o seu Deus contra o diabo, agora que ele segura em Deus pela fé, agora Deus vai defender a Jó! De acordo com a regra de 1 Samuel 2:30: “ aos que me amam eu honrarei”. Eu proclamo a vocês o evangelho da salvação sob o seguinte tema:

O Senhor publicamente defende Jó diante dos olhos de todos

Nós veremos:

  • 1- Por que Ele faz isto?;
  • 2- Quando Ele faz isto?;
  • 3- Como Ele faz isto?

1- Por que Ele faz isto?

Nosso texto começa com: “Depois que o Senhor disse estas coisas”. Não é estranho esta frase, meus irmãos e irmãs? Não foi Jó que falou por último, confessando os seus pecados? E se arrependeu diante de Deus? Isto é para nos mostrar que até mesmo a confissão de Jó não foi um feito seu! Foi Deus que o trouxe a este estágio! E isto nos diz que o Senhor permanece no soberano controle. Não somente nos momentos mais marcantes deste livro mas também no fim dele. Pois Ele é hábil em derrotar o desafio do diabo! Ele e somente Ele garante que a fé de Jó não vai afundar! Pois a palavra de seu poder e sabedoria tem convencido Jó de que Deus nunca o entregaria a si mesmo.

Não, irmãos, não devemos interpretar mal estas palavras! Como se isto jogasse fora nossa responsabilidade. Nós nunca devemos nos esconder por trás da verdade de que Deus dirige completamente a vida de cada pessoa. As pessoas permanecem responsáveis pelas suas palavras e ações. Nós vemos isto. Quando Elifaz, sendo o mais velho dos amigos de Jó, é chamado a uma prestação de contas. Pois Deus está irado com ele e com seus companheiros pelo que eles disseram. E pelo que exatamente está o Senhor irado? De que o Senhor os acusa? Que eles falharam em confortar Jó? Que eles agravaram seus sofrimentos? Não, isto não é mencionado. Pelo menos não diretamente!

Além do mais, isto pode acontecer até mesmo conosco, quando nos aproximemos de alguém com a palavra de Deus e com as melhores das intenções para ajudar e ainda não conseguirmos confortar tal pessoa. Pois, seja qual for a razão, podemos falhar em expressar o que temos em mente. Mas se este foi o caso dos amigos de Jó, Deus teria dito: eu apreciei a defesa que você fez de meu nome, Elifaz, mas você falhou em consolar a Jó. Mas o julgamento de Deus é devastador! “Não disseste o que era reto de mim”, literalmente: você não falou agradavelmente nada com respeito a mim!

Isto deve ter atingido os amigos como uma flecha de luz! Eles tinham vindo de uma grande distância para defender a Deus! Eles foram longe de seus caminhos procurando uma razão para o sofrimento de Jó. Eles foram muito ortodoxos para considerar que Deus tivesse participação nestes sofrimentos. De que Ele tivesse enviado estas calamidades. Não, isto era obra do próprio Jó: era sua própria culpa. Ele deve ter cometido algum terrível pecado, o qual recusa-se a confessar.

Oh, isto não quer dizer que os amigos de Jó disseram somente mentiras. Muito do que eles disseram eram afirmações verdadeiras. E ainda, eles perderam completamente o objetivo. Pois a teologia deles estava errada! Ela era totalmente pervertida. Eles não falaram a respeito de Deus como Ele é! A lógica humana tinha sido o melhor deles. Eles simplificaram a vida e cortaram-na em secções, tais como: pecar é errado! E Deus é santo e justo! E é por isto que Ele está punindo o pecado. E esta punição é revelada no sofrimento humano. Quando se vem a cair em agonia e tristeza é porque se merece tal punição. E em conseqüência disto eles diziam: arrependa-se, Jó! Você não pode ver que Deus está irado com você? Pare de brincar de que Ele ainda te ama! Confesse seus pecados, e então seus sofrimentos chegarão a um fim.

Mas eles deram uma falsa imagem de Deus. Sim, eles mentiram a respeito de Deus. Pois Deus não é como eles haviam dito, irmãos e irmãs! Vocês nunca devem ir dos fatos para a Bíblia. Como se o enigma da vida fosse somente: prosperidade é sinal de que Deus te ama e adversidades significa que Deus está irado com você. Oh, meus irmãos, isto é uma regra tão fácil! E isto agrada aqueles que gostam das coisas curtas e secas. Mas isto é uma teologia de acordo com o pensamento dos homens. Mesmo quando cita a Bíblia. Pois somente quando você lê a Bíblia em seu contexto, somente quando você aceita sua mensagem como uma mensagem unificada, então você estará hábil para falar corretamente a respeito de Deus.

E isto foi o que Jó fez! O Senhor disse isto duas vezes! Jó confessou o Senhor Deus como Ele realmente é! Isto causa surpresa a vocês, irmãos e irmãs? Jó com sua linguagem ousada e desafios pecaminosos? Com sua grande boca e com suas provocadoras questões? Ele falou corretamente a respeito de Deus? Ele realmente o confessou como Ele realmente é? Como isto se adequa com os pecados que ele cometeu com seus lábios?

Bem, nós não estamos negando que Jó pecou mais de uma vez. Ele disse coisas que nunca deveriam ser ditas. Mas há uma coisa que ele não fez! Ele não viveu com uma falsa concepção de Deus. Ele não fez um Deus projetado à sua imagem. Durante todo o processo, Jó se agarrou em seu Deus! Ele rejeitou a teologia de seus três amigos com paixão. Ele se manteve crendo que Deus era seu Pai! O Senhor do pacto! O Deus que o amava, mesmo sem entender o por quê dele lhe tratar do jeito que o tratava. E isto fez toda a diferença!

Uma coisa é caminhar no caminho certo e balançar algumas vezes. Completamente diferente é andar em seus próprios caminhos e do jeito errado. A vida pode ser muito difícil algumas vezes a ponto dos filhos de Deus lançarem seus “ porquês” aos céus. Talvez cerrando os punhos algumas vezes. Mas isto não é o mesmo que viver por uma teologia onde o Deus vivo tem sido mudado em um sistema. Oh, pode até ainda ser um bonito sistema mas não é o Deus da Bíblia! Nem é o Pai de seus filhos. Nem o salvador de seu povo!

“Você não tem falado corretamente a meu respeito”. Quão sérias são estas palavras meus amados! É possível falar sério a respeito de Deus, da igreja ou de nosso chamado para serví-lo, enquanto Deus diz: “você não está falando corretamente a meu respeito” o que significa: eu não reconheço a mim mesmo nas palavras que você está falando! São falsas! Não são verdadeiras. Isto pode acontecer, irmãos e irmãs! Quando você enfatiza uma verdade bíblica a custa de outras, por um instante. Ou quando você perde uma visão equilibrada do evangelho e fala demasiadamente sobre sua própria visão.

Jó falou corretamente a respeito de Deus! Mesmo nas profundezas de seus sofrimentos, ele não olhou para as respostas e soluções instantâneas. Ele se manteve confessando a Deus como seu pai amoroso e fiel. Com todas as questões e dúvidas ele não deixou a verdade de que o Senhor é compassivo e que o homem pode crer em suas promessas, não importando o que aconteça. E é por isto que o Senhor o defende.

Por seus amigos é mandado oferecer um sacrifício pelos seus pecados. E eles devem ir a Jó para orar por eles! Esta deve ter sido uma experiência muito humilhante para eles! Com suas vidas prósperas e saudáveis, é dito a eles que visitem aquele doente e pobre homem que está sentado nas cinzas e no pó. Neste verso a teologia deles é colocada a baixo! Tudo o que eles disseram e exigiram com muito fervor e alarido é agora revertido. Um homem fraco, miserável, na mente deles um homem que permanecia condenado diante de Deus deveria orar e interceder por eles! A fim de que a ira de Deus fosse retirada, para que eles não perecessem.

Aqui eles aprenderam que Deus não vê o homem como o homem vê! O homem, também um religioso, olha para os sinais e provas externas! Mas o Senhor olha o profundo e o adiante! Um coração contrito e um espírito quebrado e um amor infantil pelo que ele nos dá no evangelho da salvação, que é e permanece o baluarte da verdade, a fé bíblica.

Certamente, não é de nossa própria feitura! A fé, a verdadeira fé é um dom de Deus! A qual ele soberanamente trabalha nos corações de todos aqueles que Ele escolhe. E isto é devido nada mais nada menos que à sua misericórdia e graça. Por isto que Jó não poderia exigir nenhuma honra para si mesmo quando foi escolhido para interceder por seus amigos. Não somente a oferta queimada mas também a oração de Jó aponta para o Cristo prometido. Somente seu sacrifício liquida com nossos pecados. E somente suas orações são aceitáveis diante de Deus. É somente por sua causa que o Senhor aceita nossas ofertas e petições.

Ao mesmo tempo, não subestimemos a importância da intercessão de Jó! Deus torna isto claro para seus amigos, que Ele não os perdoará a menos que Jó ore em favor deles. Não somente porque o Senhor disse, mas também porque Jó falou corretamente a respeito de Deus! E é por isto que Deus defende a Jó! Por aceitar sua oração. E então seus amigos são salvos da ira de Deus. O Senhor os perdoou, porque se não fosse assim, nunca teria aceito o sacrifício deles e ouvido a oração de Jó.

Isto também tem conseqüências para nós, irmãos e irmãs. Para nós, como congregação de Cristo reunidos em toda a parte do mundo. O que deve vir antes de tudo? O que é mais importante? Que primeiro falemos corretamente a respeito de Deus! Ou seja: que confessemos a Deus de acordo com sua palavra. É por isto que a igreja se esforça em preservar as doutrinas da graça! É por isto que os pais e as mães devem se esforçar para ensinar os seus filhos não somente sobre Deus mas sobre o Deus da Bíblia! É por isto que a instrução do catecismo é vitalmente importante. Pois se não soubermos quem realmente Deus é, se não O professarmos como Ele se revela, se somos ignorantes sobre os ensinos de Deus na sua palavra, nós podemos ser até religiosos, mas nunca conheceremos o Senhor como Ele quer ser conhecido. E nunca o glorificaremos como devemos fazer. Nem nos alegraremos no grande consolo que alcança toda a nossa vida. Também quando as calamidades chegam e quando as perguntas sem respostas nos põem para baixo.

Nós não servimos a Deus com base em nossa lógica ou no que é mais fácil fazer, mas com base nos fundamentos das Santas Escrituras, onde podemos conhecê-lo como nosso Pai em Cristo. Como nosso fiel Deus do pacto em cujas promessas podemos sempre confiar. Quando vivemos perto do Senhor nunca seremos envergonhados. Pois o Senhor nos defenderá. Ele mostrará que a nossa fé não é falsa. Mas vencerá todos os assaltos que venham contra ela.

2- Quando Ele faz isto?

Nosso texto prossegue e diz: e o Senhor fez Jó próspero novamente! Outras traduções dizem: o Senhor restaura a fortuna de Jó. Isto é uma prova clara de que Jó foi aprovado no teste! Podemos ver isto nas bênçãos que foram derramadas sobre ele! Sua fé, por assim dizer, mudou a sua visão! Mas quando exatamente isto aconteceu? Em que ocasião esta grande mudança da doença para a saúde e da pobreza para a prosperidade aconteceu? Quando o conflito foi trazido para uma vitória decisiva? Quando podemos ver que o diabo realmente perdeu a batalha?

Pois esta é a mensagem principal de todo o livro! É por isto que temos este livro na Bíblia! O Senhor revela que seus filhos podem sempre confiar e descansar em seu amor! Nunca devemos ter dúvidas sobre suas promessas! Nossa salvação é intocável mesmo quando todos os demônios são deixados soltos. Pois Deus segura em seus filhos! Ele os carrega por caminhos severos que tenham de suportar. E é por isto que a pergunta volta: quando Deus defende Jó? Quando ficou absolutamente certo que o diabo perdeu a batalha?

Para responder a estas questões, a prova de que Jó manteve seu amor pelo Senhor deve ser revelada de maneira tão convincente que o diabo será silenciado de um jeito que nunca tentará investir contra o povo de Deus. Certamente, Jó mostrou mais de uma vez que ele manteve seu amor pelo Senhor! Há varias ocasiões neste livro onde ele confessou sua fé e mostrou sua dependência. Há muito tempo Deus poderia ter dado um fim neste conflito. O diabo não seria tolo em dizer que o Senhor não tinha dado mais do que ele tinha pedido. Mas quando Deus colocou um fim às tentações? Quando ele tornou a derrota de Satanás inevitável e expôs seu desafio como uma mentira diabólica?

Isto não foi quando Jó confessou no capítulo 1: Deus me deu, Deus tomou, bendito seja o nome do Senhor! Nem foi no começo de sua doença, quando disse para sua esposa: Receberemos de Deus o bem e não receberíamos as tribulações? Também não foi no capítulo 19, quando ele cantou: Eu sei que o meu redentor vive! Também não foi no verso 6 de nosso texto onde ele confessou seus pecados e se arrependeu no pó e nas cinzas! Nem mesmo quando Deus disse a Elifaz que Jó tinha dito o que era correto a respeito de Deus enquanto seus amigos tinham dado uma falsa pintura do Senhor.

Em  nossa opinião, as ocasiões acima mencionadas seriam suficientes! Em nossa idéia, Deus deveria ter restaurado a fortuna de Jó muito antes. Por que Ele não fez isto? Pelo que Ele estava esperando? Nós temos a resposta no versículo 10 de nosso texto: depois que Jó orou pelos seus amigos, então o Senhor restaurou sua fortuna! E não brevemente. Mas também não foi tarde demais. Não é realmente marcante, irmãos e irmãs? Jó tinha orado por si mesmo muito tempo. Orou pelo fim de seus sofrimentos ou pelo menos por uma explicação. Mas isto não veio. Mas agora ele ora por seus amigos, o momento de sua defesa chegou! Aparentemente isto era a prova de que Jó realmente amava a Deus. Sem motivos superiores.

Por quê? Por que agora e não antes? O que faz esta oração ter este efeito? Não seria isto fácil para Jó, orar pelos seus amigos, depois que eles admitiram seus pecados? É isto tão difícil quando as pessoas confessam que ele lhe tratou mal? Especialmente quando Deus tem pedido que Jó ore por seus amigos?

Bem, isto não é tão fácil quanto parece. Não se esqueça, Jó estava muito doente! E isto trouxe seus problemas. Pessoas doentes facilmente se preocupam consigo mesmas. É bastante natural que os saudáveis orem pelo doente que muitas vezes não tem ninguém por perto. Você precisa de muita graça para prestar atenção a outros quando se sente para baixo e desligado do mundo. Quando seus problemas são uma montanha comparada ao montinho dos seus vizinhos. Especialmente quando estes vizinhos têm tratado você de uma maneira má. Então não é fácil conseguir se livrar de seus ressentimentos por causa das cruéis alegações que eles têm feito contra você. Ainda assim Jó ora! E isto revela seu amor pelo Senhor. Pois você não ama o Senhor quando não perdoa seus vizinhos. Também aqui aparece a regra bíblica: o que o Senhor juntou não separe o homem. Amor verdadeiro pelo Senhor se mostra em sua misericórdia para com o seu próximo.

E então, o centro da oração de Jó deve ter sido: Senhor, você perdoará o vão uso do teu santo nome? Você não continuará contra eles por terem forçado o Senhor a ser do jeito que eles pensam? Por meio das quais teu pacto e amor e fidelidade são negados? Onde o centro do evangelho tem sido removido?

A oração de Jó não está dirigida a o que eles fizeram contra Jó, mas contra Deus! E sua promessa do redentor vindouro! Cujo resgate é a única base para o pecador ficar em pé diante de Deus. E não seria isto uma prova de que alguém ama o Senhor.  Não é isto uma grande demonstração de fé quando alguém se alegra com a fidelidade do Senhor? Não somente por nós mesmos mas pelo próximo? Que ele ama a Deus por seu grande dom? E isto não nos causa surpresa pelo fato de que a fortuna de Jó seja neste instante restaurada. Pois se há uma coisa que faz o diabo correr é a graça de Deus em Jesus Cristo.

Isto deve ser também seu tesouro, amada congregação. Você não sabe o que o futuro trará. O mundo parece ficar mais difícil  a cada momento. E temos muitos inimigos. Sua velha natureza. Como você poderá permanecer de pé? Como podemos olhar confiantemente para o futuro? Segurando na graça de Deus e em seu pacto fiel. Segurando nEle e no que ele tem prometido a você.

O Senhor pode sempre ser crido! Em cristo ele tem jurado nunca abandonar você. Suas misericórdias são novas a cada manhã. É precisamente sua graça em torno dos pecadores que faz de você um vencedor. E humilde ao mesmo tempo. Por isto nos diz, não importa quão difícil esteja, o Senhor sempre preserva todos os que confiam nEle. Ele lhe dá a força e motivação para amá-lo acima de tudo e tratar o próximo como você gostaria de ser tratado. Não mantendo ressentimento mas mostrando uma atitude perdoadora. É desta forma que você mostra que ama o Senhor.

3- Como ele faz?

Olhem para Jó! Sua saúde está restaurada e seu bem-estar retornou. E todos os seus familiares e amigos vem para consolá-lo. Um pouco tarde, sem dúvida, mas ainda uma benção do Senhor. E eles não vêm de mãos vazias! Cada um dá a Jó um pouco de dinheiro e um anel de ouro. E conhecendo de negócios ele deve ter feito uma boa aplicação deste dinheiro. Com a benção do Senhor ele recebe duas vezes o que possuía antes.

Ele tem também sete filhos e três filhas. E suas filhas são as garotas mais bonitas que existiam. Que juntas de seus irmãos recebem um pedaço na herança de seu pai. E Jó vive por mais ou menos 140 anos, vendo sua família chegar à quarta geração. Um homem que tem muito a agradecer e quando prestes a morrer pode olhar para trás e ver que sua vida foi abençoada.

Mas o que isto significa? Isto é uma regra geral para aqueles que amam o Senhor? Bem, se este for o caso você pode chamar o livro de Jó de um conto de fadas. Pois a realidade nos diz o contrario! Os fatos duros da vida não nos deixam ser envolvidos em mitos. Mas esta não é a intenção, irmãos e irmãs! Jó tem um lugar especial na história da redenção. Ele serviu como um caso de teste entre o Senhor e o diabo para provar que a salvação é verdadeira e inconquistável. Que seu plano de redenção será realizado! Que o Senhor pode ser amado neste mundo. Mesmo quando todas as provas externas de sua bondade são levadas de nós.

Na restauração das bênçãos materiais de Jó, mesmo em uma porção dobrada, Deus revela a ele o que ele manteve crendo em todo tempo. Tiago nos diz em sua carta. A perseverança de Jó, sua recusa em dizer adeus ao Senhor, é ricamente recompensada. Realmente, de uma certa forma, também aplicável a todo o crente. Pois isto nos dá uma pintura do que está para vir. Pois o propósito de Deus com as abundantes bênçãos de Jó não somente se aplicam para ele mas para todo o povo de Deus. E este é o propósito: Deus é compassivo e misericordioso.

Sejamos cuidadosos, irmãos e irmãs, não deixemos para o livro de Jó uma amostra do futuro quando nosso salvador voltar em glória. É claro que este deve ter seu cumprimento completo neste dia. Mas esta não é a principal razão deste livro ter sido posto na Bíblia. Este é o motivo: Deus é compassivo e misericordioso! Não somente no fim dos tempos mas hoje! A Bíblia foi dada para nós a fim de que possamos viver nesta terra, antes de tudo. Onde muitos perigos ameaçam nossa fé. Minam nossa certeza. Atacam nossa confiança e obscurecem nossa alegria.

E para estas pessoas a palavra de Deus diz: você deve ouvir sobre a perseverança de Jó! Certo que é uma obra de Deus mas isto não acontece fora do chamado de Jó, para que mantenhamos nossa fé em Deus. E as bênçãos que o Senhor restaurou a ele nos mostram sua compaixão e misericórdia. Para Jó elas vieram em uma abundância de riquezas materiais. As quais pertenciam ao Velho Testamento. Onde elas foram prometidas. Além do mais, ninguém foi tentado como ele foi! Ele serviu do exemplo de que a graça de Deus é capaz de fazer.

Estas bênçãos multiplicadas carregam o grande amor de Deus e sua fidelidade. Hoje a misericórdia de Deus e sua compaixão não estão mais ligadas a riquezas materiais. Elas podem aparecer mas não necessariamente. Mas o que não mudou é que todos os que amam o Senhor experimentarão de sua bondade. Jó foi defendido com o propósito de que você e eu nunca duvidemos do amor de Deus. Mas ele teve de esperar até o fim do livro para que visse com seus próprios olhos. Você e eu temos toda a informação em nossos dedos desde o começo. Nós sabíamos desde quando começamos a estudar este livro que o Senhor não o deixaria, mas o abençoaria como um filho amado.

Mas há mais! Jó viu seu redentor de longe. Muito ainda estava obscuro para ele. Mas, e a nosso respeito? Não temos visto a mais gloriosa demonstração de sua misericórdia e compaixão? Quando nos volvemos para Cristo e sua cruz. Onde ele foi abandonado por Deus para carregar a sua ira por causa de nossos pecados? A fim de que desfrutemos de sua compaixão  e misericórdia? Mesmo quando estamos sufocados de tristezas e problemas?

E em conseqüência podemos cantar. Mesmo através das lágrimas! Nós temos esperança no meio do desespero. Podemos ter boa coragem quando as incertezas são abundantes e nós podemos estar absolutamente certos através dos assaltos que sofremos. E não por causa de Jó, mas, por causa de Cristo. Por causa dele seremos defendidos. Não tem ele prometido isto?

Esta é a mensagem gloriosa do livro de Jó! Tanto para velhos como para novos. Para os doentes e para os saudáveis. Para os crentes veteranos para os que ainda professarão sua fé. Para todos estes, o livro diz: o Senhor é compassivo e misericordioso! Creiam nEle! Não somente quando o sol brilha mas também quando você se depara com sofrimentos que pertencem a esta vida. Pois o Senhor nunca deixará os seus filhos cair. Não importando quão escuro esteja, a luz já chegou. Em Jesus Cristo.

Brevemente os céus se abrirão e nosso defensor aparecerá! E então todos os crentes que perseveram na fé durante os bons tempos como nos maus tempos se regozijarão com os tesouros eternos da salvação. Como lemos em Apocalipse 21. Então todas as coisas serão feitas novas. Então as bênçãos de Deus serão multiplicadas um milhão de vezes. Por isto que esperamos por aquele Dia. Por isto que oramos: ora vem Senhor Jesus, sim, vem depressa.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

Compartilhe!

Deixe um Comentário