Pregação preparada pelo Pr. Charles Wieske

Leitura: Jó 04.01-11; 08.01-07; 11.01-12

Texto: Jó 04.04-07; 08.03-06; 11.04,11

 

Amada Congregação de nosso Senhor Jesus Cristo,

Com o capitulo 4 nós chegamos na parte mais importante do livro de Jó. Até chegarmos ao capitulo 35 nós ouvimos várias palavras tanto de Jó quanto de seus três amigos, cuja a questão central é o por quê de Jó sofrer como sofre. E com certeza não é uma leitura fácil. Quando você está em uma devocional familiar, as crianças geralmente ficam impacientes com estes textos. Elas se movem ao redor da cadeira e olham desinteressadamente e freqüentemente chateadas. Mas ao mesmo tempo eu tenho receio de que não seja somente as crianças que se sintam desta forma! O que fazer com estes textos? O que eles têm para nós? Que relação há entre estes textos e o Evangelho, as boas novas de salvação?

Muitas pessoas fazem estas questões depois de lerem os dois primeiros capítulos e o último. Como o centro do livro não parece muito interessante, ele é praticamente tedioso e enfadonho, mas não nos esqueçamos, irmãos e irmãs, que também estes capítulos foram adicionados à Bíblia com um propósito. Eles formam uma indispensável parte do que está contido neste livro. Eles todos revolvem ao redor do objetivo do diabo em assaltar a Jó em sua fé e a Deus em sua glória.

Espero que você esteja lembrado da história, o diabo disse a Deus: ninguém ama a você pelo o que você é, nem mesmo Jó, o mais justo dos homens. A religião, disse o diabo, é somente uma forma de buscar seus próprios interesses. Se ela dá bons lucros, as pessoas não se importarão em ir tão longe, mas quando chegarem os problemas, problemas indescritíveis, as pessoas amaldiçoarão a você! E Deus respondeu ao diabo: você realmente acha isto, Satanás? Bem, eu vou provar a você que isto não é verdade! Eu estou tão certo de minha obra redentora que deixarei você roubar todas as bençãos terrenas de Jó. Para mostrar mais uma vez e para todos que a fé de Jó é uma obra minha. E que ele ama a mim, não às riquezas.

E o diabo perdeu sua aposta. Duas vezes provou o sabor da derrota. Jó continuou a crer em Deus mesmo quando todas as coisas estavam foram contra ele. Quando tudo que era querido para ele foi levado embora. Oh, irmãos, ele passou por momentos difíceis. Ele chegou a amaldiçoar o dia de seu nascimento no capitulo 3. Que sentido tem a vida quando todos os seus filhos estão mortos, seus negócios faliram, seu corpo está coberto por uma chaga e sua própria esposa lhe dizendo para amaldiçoar ao seu Deus? Mas o diabo não atingiu seus objetivos. Jó não abandonou o seu Deus. Ele ainda se apóia nEle. Crendo que o Senhor nunca o deixará chegar ao ponto mais baixo.

E então chegamos ao capítulo 4 e seus versículo seguintes. Nos quais o diabo continua com seu maligno projeto. Ele não desistirá de Jo! Ele está determinado a provar que Deus não pode ser amado quando as coisas vão contra você. Ele está disposto a mostrar por meio da vida de Jó que Deus está completamente errado. Que todos abandonarão a Deus quando entrarem em calamidades. Uma batalha terrível que tenta ofuscar o amor e bondade de Deus. Porém tudo isto para nada, tudo em vão.

E o diabo não vai poupar esforços para ganhar a todo custo, e alcançar os seus mais profundos objetivos através dos amigos de Jó. Os únicos que poderiam olhar para ele, com propósito de consolá-lo e de entender quão profundas eram as trevas pelas quais Jó estava passando. O diabo sabe que não pode arcar com outra derrota. Deus poderia ter terminado com este conflito, pois o diabo tinha tido sua chance, e Jó tinha permanecido fiel, mas isto parece como se Deus quisesse ir até o fim! Até mais do que o que Ele tinha dito antes. Por permitir o diabo tentar a Jó quase acima da resistência humana.
E isto é, ao mesmo tempo, o evangelho, as boas novas no livro de Jó. O diabo disse a Deus: somente me deixe levar Jó até a linha do desespero, levando todas as coisas dele, e então ele cairá, certamente cairá. E Deus replicou: bem, você pode dirigí-lo tão longe o quanto quiser, eu darei a você mais do que o que você está barganhando, porque Eu estou determinado, não somente a consolar Jó, mas a todos os meus filhos com o único consolo que pode levantá-los das profundezas do inferno. E este é o consolo: Deus nunca abandonará todos os que confiam nEle. Que todo crente fiel realmente pertence corpo e alma ao Senhor Jesus Cristo. Aquele que nunca permitirá que eles abandonem o caminho. Este é o evangelho que eu prego para vocês do nosso texto, sob o seguinte tema:

Tema: O diabo continua seu ataque para que Jó desista de seu Deus.

  • 1. A maneira destes ataques;
  • 2. O conteúdo destes ataques.

1. A maneira destes ataques

Os amigos de Jó permaneceram quietos por quase uma semana. Sem dizer nenhuma palavra, até que Jó finalmente quebrou o silêncio no capítulo 3. Mas agora é a vez deles. E Elifaz é o primeiro. Mais provavelmente porque ele é o mais velho dos três. Chocado pela explosão de palavras de Jó, Elifaz tem sua resposta pronta. Mas como ele vai fazer isto? Se colocando no lugar de Jó? Mostrará ele alguma simpatia por seu amigo? Mostrará algum entendimento do quanto Jó está sofrendo? Não sabe ele que Jó é um homem de integridade? Um justo e íntegro homem? Se havia alguém que poderia testemunhar a respeito de Jó, teria sido ele. Ele até diz isto no início do capítulo 4. Ele não podia falhar com seu amigo. Ele deve ser sabedor do amor de Jó pelo Senhor. Um amor que não permanece escondido mas que se revela no estilo de vida que Jó leva. Ou seja obedecendo aos mandamentos de Deus, sendo uma benção para seus vizinhos.

Estes fatos deveriam ter advertido Elifaz. Eles deveriam tê-lo dirigido a procurar uma solução para os problemas de Jó de um modo diferente da que fez. Não viu ele a agonia de seu amigo? Não tem ele insinuado que Jó está bastante enganado? Ele permitiu aos amigos não saberem o motivo por trás dos sofrimentos de Jó. Eles tão somente desconheciam o que de fato estava se passando. Mas então não deveriam ter dado mais razões para consolá-lo? Não deveriam ter dado a ele uma lembrança de que nunca se deve duvidar do amor de Deus por todos aqueles que confiam nEle?

Mas Elifaz fala e age do mesmo jeito que muita gente faz. Oh, sem dúvida com as melhores intenções, mas perdendo completamente as oportunidades de consolar Jó, pois ele abriu sua boca quando Jó entrou em completa agonia. Ele diz: você não sabe o que é problema? Você está completamente perdido em explicar sua situação? Bem, meu amigo, é muito simples: a solução está bem diante de você.

Oh, irmãos e irmãs, Elifaz diz um monte de verdades. O apóstolo Paulo quase o cita em 1 Co. 3:19b, mas a verdade pode ser usada a serviço da mentira, meus amados! Fatos verdadeiros podem também ser obra do diabo. Pois elifaz se esquece de uma coisa, uma coisa muito importante. A mais importante de todas! Ele falha em ir da revelação de Deus aos fatos. Ele está tão seguro do que tem visto e experimentado que isto se torna um padrão com o qual ele mede a Jó e seus sofrimentos.

Isto é tão simples, Jó, diz Elifaz. Tem você visto que Deus pune os inocentes? Você já foi testemunha da destruição dos retos e dos justos? Somente olhe a natureza, meu amigo. Ela não lhe dá a resposta para o que você está procurando? Um homem somente colhe o que ele planta. Eu sei disto! Eu tenho visto isto. O Senhor golpeia os pecadores. Eles conseguem o que eles merecem. Pelo sopro de sua boca eles perecem. Este é Elifaz, o amigo mais velho e sábio que Jó tem. Ele sabe de tudo isto e diz tudo isto. Onde está o consolo que ele traria? Onde está a ajuda de que necessita Jó? E então Bildade compartilha com ele. Após Jó ter afirmado sua inocência nos capítulos 6 e 7, rejeitando a sugestão de Elifaz, que insinuou que Jó teria cometido um pecado secreto, Bildade, não tão educado quanto Elifaz, lança contra Jó palavras de uma linguagem muito afiada. De uma maneira diabólica.

Será que Deus é desleal? Ele diz. Será que Ele perverteria a justiça? Você precisa conhecer melhor as coisas, Jó! Seus filhos, não morreram todos eles? Não seria isto um sinal de que eles pecaram contra Deus? Não foi isto tudo culpa deles mesmos? Oh, amados, estas palavras devem ter entrado no coração de Jó como uma seta envenenada. Ele deve ter se sentido um vilão quando provou do ferrão que saia da boca de seus amigos. Jó, por que você não é franco perante Deus? Por que você mantém sua inocência? Dobre seus joelhos, homem, e confesse seus crimes. Você não vê isto ainda? Se você fosse justo Deus iria vindicar você. E então Ele restauraria suas antigas bênçãos. E lhe permitiria viver em paz de novo.

Bildade de fato não disse nada de novo a Jó. Foi nada mais nada menos do que um resumo do que disse Elifaz. Mas a forma como Bildade expressa suas insinuações chocantes e profundas deve ter cortado a Jó no mais íntimo de seu ser. E quando bildade termina, Zofar, o mais jovem de todos, começa a falar.

Ele é o mais rude entre eles e terrivelmente cruel. Ele não pode suportar que Jó ainda queira manter sua integridade. Jó, diz ele, você é incorrigível! Você não quer ser ajudado! Você mantém sua posição sobre aquilo que você crê e até desafia a Deus a prestar contas! Zofar parece ter esquecido completamente que ele veio para consolar seu amigo. Suas palavras são duras, impensadas e sem consideração. Você e seu discurso, diz ele. Você e suas crenças. Você e sua auto-confiança. Você ainda mantém que está limpo diante de Deus? Você não sabe que Deus não pode ser enganado? Você não pode colocar sua face diante dEle! Ele conhece as pessoas. Ele reconhece os homens enganadores. E Ele certamente punirá estes homens com o que eles merecem.

Irmãos e irmãs, está é a maneira pela qual os amigos de Jó atacam a fé dele. Como porta-vozes do diabo. Com afirmações que soam irrefutáveis e tão piedosas e mesmo bíblicas. Mas este é um completo assalto à justiça de Jó. Uma esforço satânico para fazê-lo desistir do Senhor. Pois não vamos esquecer que é isto que está em jogo aqui. Jó estava ciente de que não tinha cometido nenhum pecado. Seus sofrimentos vieram de uma forma inesperada para ele. Jó sempre amou a Deus. Ele acreditava firmemente que o Senhor o tinha adotado como filho. Claro que ele não era impecável. Afinal de contas, ninguém é. Mas ele era um pecador perdoado.

É nisto que ele continua a acreditar. Ele sabia que o perdão de Deus permitia um homem aproximar-se de Deus como um Pai. E um Pai ama seus filhos! Um Pai é digno de confiança. Você sempre pode contar com ele e crer nEle.

E é por isto que Jó não desistiu de seu Pai. Nem mesmo quando não podia seguí-lo. Quando tudo parecia dizer que Deus estava irado com ele, e contra ele. Pronto para cortá-lo, como já tinha acontecido com alguns que tinham sido cortados. Mas os amigos de Jó, ao invés de dizerem: estamos com você Jó; como você, nós também não podemos explicar isto, mas você está certo em uma coisa: Deus nunca trata seus filhos como seus inimigos. Porém os amigos de Jó tentaram explicar o inexplicável. Eles vieram com sabedoria humana. Para eles a vida é muito simples. Os problemas eram somente culpa dos erros de Jó, ele mesmo havia provocado tudo o que ele estava sofrendo. Ele é a causa de toda a miséria em sua vida.

Irmãos e irmãs, que ataque satânico! Pois quem poderia se defender diante de Deus depois de tais acusações? Não parecem que os argumentos deles são irrefutáveis? Elifaz tinha apelado para sua experiência, Bildade para a justiça de Deus e Zofar para a santidade de Deus. Mas onde estava o consolo de que Jó tanto necessitava? Onde estava a preocupação deles pelo fato de que o amigo estava perto de afastar-se de Deus? Onde estava o amor que, quando os filhos de Deus estão tristes, os consola com a certeza de que nunca devemos duvidar da bondade de nosso Pai, mesmo quando tudo vai mal?

Oh, irmãos, pessoas como estas são péssimas consoladoras. As pessoas sempre procuram por conexões lógicas. Tais como causa e efeito. E isto mostra como aqueles três amigos agiram e falaram. O diabo não poderia estar mais feliz. Se ele conseguir plantar na mente de Jó as sementes da dúvida de que o Senhor não pode ser confiável em qualquer situação, então o diabo ganhará. Pois a dúvida é uma assassina! A dúvida paralisa sua fé. As pessoas precisam saber quem Deus é e o que Ele significa para elas. Pois se você não pode estar seguro a respeito de Deus, então você está perdido. Então é somente uma questão de tempo antes de você dizer adeus ao Senhor.

Este é o veneno que Satanás adiciona às palavras dos amigos de Jó. Uma verdade fora de contexto nunca será uma verdade. Não importa quão piedoso isto pareça. O diabo pode não permanecer quando uma pessoa diz: eu creio no Senhor! Eu o amo porque ele me amou primeiro! Ele me adotou como um filho seu. Ele entregou seu único filho para morrer por todos os meus pecados. Por isto me alegro no seu perdão e justiça eterna. E não me importo com o que as pessoas dizem, eu não me preocupo com o que acontece comigo, ninguém vai me separar do seu amor. E era por isto que Jó continuava acreditando até agora.

Ele não podia entender o que se passava. Ele falhou em seguir a Deus. Ele nunca disse que era puro por suas próprias obras. Seus terríveis sofrimentos estavam completamente misteriosos para ele. Mas de uma coisa ele estava seguro. Seguro o bastante. Ele era um filho de Deus. Ele acreditava que o Senhor nunca o trataria como um inimigo. Pois ele acreditava em Deus. Ele o amava por causa do que Ele tinha prometido a Jó: o redentor por vir.

Isto era o que os amigos dele deveriam ter dito! Era com isto que eles poderiam ter consolado e ajudado a Jó! E não com respostas prontas. Não tentando explicar problemas pelos meios de uma lógica rigorosa ou deduções de causa e efeito. Não é vergonhoso admitir que você não sabe responder a alguma questão, irmãos e irmãs. A vida é bastante complicada para ser colocada em um sistema de perguntas e respostas. A Bíblia nos chama a descansar em Deus e não em um sistema. Não importa quão atrativo isto pareça. E confiar em Deus significa confiar em suas promessas. Crer naquilo que Ele tem dito e continua dizendo a todo crente: não tente entender, meu filho. Não torture a si mesmo por querer respostas, pois não foi isto que eu prometi a você. Creia somente em mim! E creia em meu amor por você. Creia em meus cuidados diários por todos os meus filhos.

2. O conteúdo deste Ataque

Mas tudo o que foi dito pelos amigos de Jó estava errado? Não havia nenhuma verdade em suas palavras? Não é verdade que o inocente nunca perece e que os pecadores serão destruídos? Deus não é um Deus de justiça? Será que ele age de uma forma arbitrária com suas criaturas? Será que Ele não toma nota dos enganos dos homens e trata com eles de acordo com suas obras? Será que Ele trataria seus filhos que crêem nEle como seus inimigos? Isto deve ter atormentado Jó grandemente diante de seus amigos. E esta foi a tentação satânica que veio nas afirmações de seus amigos. E isto é uma dificuldade que também nos perturba.

Entretanto, nós já dissemos que nem toda verdade é verdade! Isto depende do contexto e freqüentemente das circunstâncias que estamos vivendo. Não, isto não quer dizer que a verdade deva ser questionada perpetuamente! E isto não tem nada a ver com a pergunta que Pilatos fez a Jesus uma vez: que é a verdade? Pois Deus é a verdade! Jesus é a verdade! E a Bíblia é a verdade! Sempre. Sem nenhuma exceção! Mas o problema começa quando nós somos chamados a aplicar a verdade. Não de uma maneira abstrata, mas em situações concretas de nossa vida. E nisto os amigos de Jó falharam miseravelmente.

Pois, o que eles fizeram? Como eles usaram a verdade? Como eles se aproximaram de Jó em seu terrível sofrimento? Querendo ajudar e consolar mas, por fim, agravando ainda mais sua dor e agonia. Eles fizeram isto de um único jeito. Eles citaram afirmações e se referiram a fatos que pareciam verdadeiros em si mesmos, mas que estavam completamente isolados de outra dimensão que a Bíblia assevera em muitos lugares. Em uma linguagem clara, eles se esqueceram que a vida terrena  não receberá o cumprimento das promessas de Deus necessariamente aos inocentes e todas as ameaças aos pecadores algumas vezes terão que esperar pela eternidade.

Tome, por exemplo, a afirmação de Elifaz em 4:8 (LER O VERSO). Não parece muito próximo do que Paulo disse em Gl 6:8 e 9? Lá o apostolo diz: (LER O VERSO). Parece a mesma coisa mas Paulo adiciona uma coisa que Elifaz não diz. Os crentes colherão a vida eterna, disse Paulo. Mas o impacto completo desta verdade somente será vivido quando a nossa vida terrena chegar ao fim.

Pegue as palavras de Bildade em  8:6 (LER O VERSO). Outra tradução diz: Ele recompensará você com uma habitação justa. Agora, quando estas verdades serão perfeitamente cumpridas? Na nova terra! Na Canaã Celeste! Como o livro do apocalipse claramente ensina. E o mesmo se diz das palavras de Zofar, o qual diz: Quando Deus vê o mal não vai tomar nota deste mal? Ou seja, deixará Deus impune o pecado? A resposta com certeza é um sonoro “NÃO”! Mas, o completo cumprimento disto não acontecerá até a volta de Jesus.

E esta é a verdade que está completamente ausente nas palavras dos amigos de Jó. Oh, irmãos, em um certo sentido podemos desculpá-los. Durante o Velho Testamento havia um pequeno conhecimento a respeito destes assuntos. Aqui também devemos levar em conta a revelação progressiva de Deus. Entretanto, isto não os livra de sua presunçosa auto-confiança. Eles acharam que já tinham visto todo o trabalho e governo do Senhor. A fé para eles de fato não era fé. Pois fé implica que você crê em Deus implicitamente. Também e especialmente quando você não pode entender.

Mas a religião destes três homens era muito simples! Significava o seguinte: os bons serão recompensados e os pecadores punidos. Esta é a mesma atitude que os Fariseus abraçariam. Deus estava obrigado a abençoar a todos os que não se desviam do caminho e permanecem ao lodo dEle. E também em nossos dias você se depara com a mesma atitude. Creia e todos os seus problemas irão desaparecer como neve diante do sol. Curandeiros da fé pregam que qualquer doença pode ser vencida desde que você creia sinceramente. Na América do Norte o evangelho do Pensamento Positivo assegura a você saúde e prosperidade.

Mas isto é o falso evangelho, irmãos e irmãs! Isto é uma versão completamente pervertida das promessas da Palavra de Deus. Se os três amigos de Jó estavam certos, o que o Salmo 73 está fazendo na Bíblia? E o 37? Pense em todos os crentes que sofreram por causa de Cristo! Algumas vezes sofrimentos indescritíveis! Eram eles pecadores fracos? Havia na vida deles pecados não confessados? Quão terrivelmente cruel quando textos são usados para apoiar mentiras! Quão satânico quando os filhos de Deus em sofrimento são tratados com este tipo de “consolo”! Mas é exatamente o que o diabo faz! Ele ama citar a Palavra de Deus. Mas com o único propósito de que os crentes entrem em desespero, e desistam do Senhor, pois de fato eles não sabem mais de nada. Foi o que ele tentou fazer com Jó! Quando suas duas tentativas falharam, quando suas doenças e dores não fizeram Jó amaldiçoar a Deus, o diabo tinha ainda uma flecha! A mais venenosa de todas. Usando a Bíblia, a infalível e confiável palavra de Deus, a única verdade em um mundo cheio de mentiras, porém usando-a de um jeito diabólico. Completamente fora de contexto.

O que os amigos de Jó falharam em perceber foi que você não pode colocar Deus em seu bolso e começar a falar. Para eles a vida não tem surpresas. Sem circunstâncias inesperadas, sem enigmas, sem questionamentos. Eles tinham todas as coisas bastante precisas! Até mesmo o governo de Deus sobre este mundo e o tratamento de Deus com seus filhos. Eles pensavam que podiam ter um raio-X da providência de Deus com a candeia de suas mentes obscurecidas. Com uma terrível e cruel lógica eles atacaram e minaram a fé infantil de Jó. Forçando-o a se apresentar limpo e admitindo seus pecados. Compeliram-no a abandonar a sua confiança de que Deus ainda o amava. E por meio disto, eles davam peso ao plano original do diabo em dizer que a fé é somente algo que busca seus próprios interesses! E que ninguém se importa com Deus a menos que Ele pague bem.

Que devastador! Que crueldade! Aqui está Jó! Esmagado em seu espírito. Suas esperanças quase acabando! E agora seus amigos, influenciados pelo diabo, tentam roubar a Jó de seu único e último consolo! Deus nunca falhou em amá-lo! E sempre manteve suas promessas a Jó.

Esta foi a forma que Jesus Cristo foi tentado no deserto, em Lucas 4. Citando a Bíblia, porém com o único propósito de vê-lo cair. Usando a verdade para promover a mentira! Mas Cristo viu pensamentos corretos nas más intenções do diabo. Ele permaneceu fiel a Deus. Ele rejeitou abandonar seu Pai! Nenhum texto bíblico poderia fazê-lo hesitar na bondade de Deus! De que Ele é amor! De que você sempre pode confiar nEle! E a confiança de Cristo na bondade de Deus foi a base pela qual Jó não caiu também. Ele quase veio a fazer isto. Mas foi por causa de Cristo que Deus segurou a Jó. E o manteve sob seus cuidados.

Irmãos e irmãs, o que podemos aprender de tudo isto? Especialmente quando estamos para baixo, ou tristes ou dolorosos? Ou quando não podemos entender o Senhor? Ou ainda quando todas as coisas estão em trevas? Quando não vemos passar os nossos problemas? E algumas vezes começamos a duvidar do amor de Deus? É isto o que aprendemos! O Senhor é bom! Podemos confiar no Senhor! Ele nunca deixa seus filhos, não importando o que eles cheguem a passar.

Não, nós não estamos dizendo isto tranqüilamente. Pelo menos, eu espero que não! Pode acontecer, e geralmente acontece, de Deus visitar os seus filhos por causa de um pecado não confessado. Então Ele nos machuca a fim de nos trazer de volta para Ele e para seu culto. O auto-exame é uma parte indispensável da uma vida de fé. Mas sejamos cuidadosos para nunca irmos dos fatos para a Bíblia. Sempre comecemos com o Senhor e suas promessas! Se cremos em suas promessas, as quais descansam em Jesus Cristo, então tudo está bem! Mesmo quando está em confusão! Ou mesmo quando uma questão inexplicável segue-se a outra.

Tomemos cuidado de não transformarmos nossa fé em uma lógica humana. Não tentemos entrar nas questões que Deus manteve escondidas de nós. Não acreditemos em um sistema, não importando qual seja, mas creiamos somente no Senhor. Sem reservas. Porque Ele é bom. Sempre. Para todos os que o amam.

Oh, irmãos, algumas vezes nossa fé pode estar fraca. E podemos ter muitas dúvidas! E nossa situação distante da que desejamos, humanamente falando. E nossas questões inumeráveis. Mas não são estas coisas que fortalecem nossa fé! Não é a ausência de dúvidas que nos faz caminhar! Não é uma longa vida ou um corpo saudável ou um emprego próspero que garantirá sua fé. Nem mesmo a habilidade em ter uma bolsa cheia de respostas para todas as questões, mesmo para as mais profundas questões com as quais nos deparamos.

Tudo de que precisamos é de Deus e de suas promessas! De Jesus cristo e de seu sacrifício. O Espírito Santo que fala por meio da palavra de Deus! Quando você crê em Deus, quando você se apóia nEle e naquilo que Ele diz, então terá sucesso em seu caminho! E então você nunca o abandonará também! Pois você se alegra com seu constante amor e cuidado, não importa o quanto a vida seja ou venha a se tornar difícil. Porque o Senhor segurará em você! Jesus cristo não permitirá que ninguém nem nada possa retirar você de suas mãos.

A fé cristã não é um sistema. Não importa quantos textos bíblicos sejam usados! Mas é um relacionamento vivo, um vínculo pactual onde as promessas de Deus a você têm a força de um juramento! Foi nisto que Jó confiava e continuou a confiar! Em todo o seu sofrimento ele nunca deixou o seu Deus! Ele acreditava que, ao longo prazo, sua fé seria vindicada. Não, nós não idolatramos o homem! Pois ele não perseveraria somente com sua força! E ele chegou ao extremo da desistência, mais de uma vez. Mas nós agradecemos ao Senhor de Jó! Ele o manteve debaixo de seus cuidados. É por isto que Jó não disse adeus ao Senhor.

Pois Jó acreditou na bondade de Deus. Acreditou que os pecadores perdoados são justificados, mesmo que freqüentemente venham a cair ou vacilar em seus pecados. Acreditou, mesmo quando estava perdido para explicar todos os problemas que ele tinha que enfrentar. E é isto o que o Senhor pede de nós, irmãos e irmãs! Uma fé como a de uma criança! E um compromisso sincero com Ele! Então podemos cantar nas circunstâncias miseráveis e inexplicáveis o hino de Romanos 8 (LER VERSOS DO 31 AO 37).
Percebam: nada ou ninguém! Pois quem crê no Senhor está seguro. Eternamente seguro.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

Compartilhe!

Leave a Comment