Pregação preparada pelo Pr. Abram de Graaf
Leitura: Isaías 63:07-11; 64:05-12
Texto: Isaías 65:01

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,
De onde vem a nossa salvação?
A nossa salvação depende de nós ou de Deus?
A nossa salvação depende da decisão eterna de Deus ou da liberdade do homem? Depende da graça de Deus ou da decisão do homem. Ou dos dois? Deus fez a sua parte e agora depende do homem: ele pode aceitar ou não aceitar a oferta de Deus?

É interessante ver as discussões, que houve na história da igreja, em relação a esse assunto. Alguns pregadores, enfatizando a decisão do homem, disseram que o arrependimento e a conversão dependem deles próprios. Segundo eles, a salvação depende do homem e ele deve tomar uma posição e se converter. A salvação depende do homem mesmo.

Mas por outro lado houve pregadores, que enfatizavam que não há salvação, sem Deus. O homem se perdeu em pecado, ele se afastou de Deus, ele vive sem Deus e assim ele vai para o inferno. Mas Deus é misericordioso; e em sua graça, justiça e misericórdia ele dá a salvação. Esta Salvação vem de Deus, e sem Deus não há esperança para o homem.

Outras pessoas acreditam numa síntese. Elas acreditam que os dois lados se combinam da seguinte maneira: Imaginem a seguinte situação:
Um homem caiu na água. Ele não sabe nadar. Ele está lutando para sobreviver, mas não está conseguindo. Ele grita: socorro, socorro! Outro homem vem, e vendo a situação, pega uma bóia com uma linha e a joga ao homem na água. O homem na água pega esta bóia e está salvo.

Quem salvou o homem que estava na água? O homem que chegou e jogou a bóia? Ou o homem que estava se afogando? Ou ambos? O homem jogou a bóia, mas o que estava se afogando devia pegá-la para ser salvo. Quando ele sai da água ele não agradece ao homem que jogou a bóia, mas diz: se eu não tivesse pegado esta bóia, não estaria aqui.

Muitas pessoas pensam assim, irmãos. Muitas pessoas pensam que Deus faz uma parte: Ele jogou a bóia na água; Ele nos deu Jesus Cristo, que morreu na cruz; mas isso é só uma parte; a segunda parte depende de nós, elas dizem. A segunda parte depende de você, pois tem que pegar a bóia, tem que abraçar Jesus Cristo, tens que crer nele. Isso é a sua parte. Então, conforme essas pessoas, a sua salvação depende de você mesmo.

Vocês acreditam nisso, irmãos? Eu não. Eu não acredito. Eu não acredito que a nossa salvação depende do homem. Eu acredito que a nossa salvação depende 100% de Deus. O exemplo, que dei sobre o homem que caiu na água, é enganoso, pois os detalhes não combinam com a nossa realidade. O exemplo deveria ser assim:
Um homem caiu na água. Ele não sabe nadar. Ele está lutando para sobreviver, mas não consegue. Ele grita: socorro, socorro! E começa a afundar. Cada vez mais fraco. Ele perde todas as suas forças. Naquele momento chega outro homem; e vendo a situação dele que estava afundando; pula na água para salvar-lo; mergulha e pega o homem, que já desmaiou; ele o leva para a areia e faz os primeiros socorros, dando massagem no coração, fazendo respiração boca a boca; finalmente o homem abre os olhos e começa a respirar sozinho. Este homem estava morto, mas foi salvo.

Irmãos, quem salvou o homem que estava na água? Ele se salvou sozinho? Não! Ele era incapaz de se salvar; Ele foi salvo! Assim é a nossa situação.

Vou dar um exemplo da bíblia. Já no início da bíblia lemos sobre Adão, o primeiro homem, que Deus criou. Ele vivia no paraíso. Ele pecou contra Deus e perdeu a sua vida. Ele devia morrer. Mas Deus buscou Adão para salvá-lo. Deus o chamou, mas Adão fugiu; ele se escondeu. Ele não buscou a Deus, mas Deus o buscou. Se dependesse de Adão, ele não seria salvo.

Mas ele foi salvo, graças a Deus!

É assim que Deus age, irmãos; Há vários textos na bíblia que nos mostram que o homem não consegue se salvar sem Deus. Deus tem o poder de salvar o homem; e este poder é tão grande que muda a vida de uma pessoa. O homem quer se esconder ou fugir; não quer saber nada de Deus, mas Deus vem e vence o coração do homem com seu eterno poder e seu infinito amor. Deus vence a resistência dentro do homem, às vezes com castigos, às vezes com as suas promessas. A maneira pode ser diferente, depende da situação, mas atrás de tudo isso está O AMOR DE DEUS.

Um dos textos que mostra isso, encontramos em Isaías 65, 1. Ali está escrito:
“Fui buscado pelos que não perguntavam por mim;
Fui achado por aqueles que não me buscavam;
A um povo que não se chamava do meu nome, eu disse:
Eis me aqui, eis me aqui.
Estendi as mãos todo dia a um povo rebelde, que anda por caminho que não é bom,
Seguindo os seus próprios pensamentos;
Povo que de contínuo me irrita abertamente,
Sacrificando em jardins e queimando incenso sobre altares de tijolos;
Que mora entre as sepulturas e passa a noite em lugares misteriosos;
Come carne do porco e tem no seu prato ensopado de carne abominável;
Povo que diz: fica onde estás, não te chegues a mim, porque sou mais santo do que tu.
És no meu nariz como fumaça de fogo que arde o dia todo”.

Prestem atenção na atitude do povo, irmãos. Este povo é REBELDE. Este povo não quer saber nada de Deus;
“Anda por caminho que não é bom,
Seguindo os seus próprios pensamentos;
Povo que de contínuo me irrita abertamente,
Sacrificando em jardins e queimando incenso sobre altares de tijolos;
Que mora entre as sepulturas e passa a noite em lugares misteriosos;
Come carne do porco e tem no seu prato ensopado de carne abominável”;
O povo faz tudo que é errado! Eles não buscam a Deus; não tentam agradá-lo. E Deus vai castigar-los por isso. Por causa da idolatria que praticaram. Deus vai destruir o seu povo, mas não todos. Um resto vai ficar. Um resto santo. Nos capítulos anteriores Isaías já profetizou sobre isso.

Na segunda parte do livro de Isaías, desde capítulo 40, se fala sobre a DESTRUIÇÃO DE JERUSALEM. O futuro é escuro para todos aqueles que se afastaram do Senhor Deus. Por causa disso Deus se afastou deles, Deus se escondeu. Isso significa que a ira de Deus atingirá o povo. Israel será castigado. O futuro é escuro para Israel. O povo será levado em Exílio para Babilônia. Jerusalém será destruída, e o templo também. O culto a Deus vai acabar. Mas ainda há esperança. Há salvação. Isaías diz em 55,6:
“Buscai o Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.
Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo, os seus pensamentos;
Converta-se ao Senhor, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, Porque é rico em perdoar.”

O Senhor é rico em perdoar. Deus perdoa quem o busca; quem confia no Senhor; quem busca a sua salvação nele. Assim um resto de Israel será salvo. Um resto santo.

Mas Deus revela também em capitulo 56 que a sua graça é tão rica, que vai atingir até os gentios; Os povos e nações, todas as línguas que vivem fora de Israel. Isaías viu alguma coisa da glória de Deus, que se manifestou no Novo Testamento, depois do dia de Pentecostes. E sobre isso fala também o nosso texto.

No capitulo 63 Isaías prega de novo sobre a destruição de Israel; E logo depois ele faz uma oração. E nesta oração Isaías implora pela misericórdia.
Ler 63, 7-11; 64, 5-12; [leitura]

Ficarias calado e nos afligirias sobremaneira?
Assim termina a oração de Isaías e a resposta vem logo: Esta resposta é o nosso texto:
Fui buscado pelos que não perguntavam por mim;
Fui achado por aqueles que não me buscavam;
A um povo que não se chamava do meu nome, eu disse:
Eis me aqui, eis me aqui.

Este texto mostra claramente, que a salvação não vem do homem, mas de Deus. O homem se afasta e foge, não quer saber nada de Deus.
Eles não perguntaram por Deus, nem o buscaram. Mas Deus os buscou, Deus perguntou por eles.

Este texto, irmãos, se refere a tudo o que acontece no Novo Testamento até hoje. Este texto fala sobre tudo o que acontece depois do dia de Pentecostes. Depois desse dia o evangelho ultrapassou as fronteiras de Israel. Cristo mandou os seus apóstolos para o mundo com a mensagem da Salvação. E Isaías viu o resultado:
Fui buscado pelos que não perguntavam por mim;
Fui achado por aqueles que não me buscavam;
A um povo que não se chamava do meu nome, eu disse:
Eis me aqui, eis me aqui.
A um povo que não se chamava do meu nome, eu disse:
Eis me aqui, eis me aqui.

O apóstolo Paulo usou este texto também na sua carta aos Romanos para mostrar que Deus fez isso de propósito. Deus diz em Rom 10, 19 : Eu vos porei em ciúmes com um povo que não é nação. Com gente insensata eu vos procurarei à ira; E Isaías a mais se atreve e diz: Fui buscado pelos que não perguntavam por mim; Fui achado por aqueles que não me buscavam; A um povo que não se chamava do meu nome, eu disse: Eis me aqui, eis me aqui.

Deus age assim. Ele busca aqueles que não o buscavam; e Ele procura aqueles que não o procuravam; E quando isso acontece, a vida vai mudar, até mesmo quando uma pessoa não quer.

Paulo mesmo é um bom exemplo disso, irmãos. Ele era um judeu, um inimigo de Cristo; ele perseguiu a congregação de Cristo. Mas num certo momento, ele encontrou Jesus Cristo no seu caminho. E Cristo venceu a inimizade dele; Cristo mudou o ódio dele. Cristo fez isso com seu poder e com seu amor.

Paulo queria cooperar com Cristo? Não, ele não queria. Ele era inimigo de Cristo. No caso de Paulo nós não podemos falar de uma cooperação baseada no livre arbítrio de Paulo; Cristo venceu Paulo e depois ele se tornou um servo de Cristo.

O exemplo de Paulo mostra que a graça de Deus é irresistível, irmãos.
O AMOR de Deus é irresistível. E NADA pode nos separar deste amor de Deus. Foi Paulo que nos ensinou isso, dizendo (Rom. 8, 38-39):
Porque eu estou bem certo de que nem a morte, Nem a vida!
Nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir
Nem os poderes, nem altura, nem profundidade, nem qualquer outra criatura
Poderá nos separar do amor de Deus, que está em Jesus Cristo. Amém!!!

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

*** Encontre mais sermões do Pr. Abram de Graaf em: bramdegraaf.com

Compartilhe!

Pr. Abram de Graaf

O pastor Abram de Graaf é “Doctorandus” (Drs) em Teologia e um dos professores do Instituto João Calvino (Aldeia, Camaragibe-PE). Ele é pastor da Igreja Reformada de Hamilton, Canadá, enviado como missionário às Igrejas Reformadas do Brasil, desde o ano 2000. É Diretor do Projeto Dordt-Brasil. Ele mora em Maceió e também desenvolve projetos nessa cidade.

Deixe um Comentário