Pregação preparada pelo Pr. Abram de Graaf

Leitura: Marcos 14:53-61; 15:01-05 & 1º Pedro 02:18-23

Texto: Isaías 53:07

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Imagine que o seu filho entra na sala chorando e dizendo: “Ó Mãeinha, os meus coleguinhas estão me chateando; eles colocam apelidos em mim e bateram em mim”. Como será a sua reação? Muitos pais reagem assim: “Se ele colocar um apelido em você, você coloque nele também; se ele bater em você, você bate nele também!”. Muitas crianças são criadas dessa maneira. E dessa maneira muitas crianças reagem: quando um coleguinha bate nelas, elas batem nele. Crianças fazem isso e adultos também. Eles aprenderam a lutar e eles reagem assim. Pois a mãe deles não os ensinou a sofrer, mas a combater.

 

Para estas crianças é muito difícil entender o que está escrito em Isaías 53. Neste capítulo encontramos também um filho do Senhor; Neste capitulo encontramos O SERVO do Senhor. Ele é maltratado, mas ele não reage; Ele não combate, mas sofre. Ele não reclamou, mas ele ficou calado. Ele foi criado assim pelo Senhor. Ele deve ser um exemplo para todos nós. Devemos observar bem este SERVO DE DEUS.

O SERVO MUDO DE DEUS

  • 1. Como é observado por Isaías (Isaías 53);
  • 2. Como é observado por Marcos (Mc. 14 e 15);
  • 3. Como é observado por Pedro (1 Pe. 2);

1. O Servo mudo de Deus, como Isaías o observou

Isaías foi um homem, que vivia muito tempo atrás. Muito tempo antes do nascimento de Jesus Cristo. Mais ou menos setecentos e cinquenta anos antes do nascimento de nosso Senhor Jesus Cristo. Este homem, Isaías, morava em Jerusalém. Ele foi professor. Professor de profetas. Isaías mesmo foi um profeta. Regularmente ele recebia uma mensagem de Deus. Isso não acontecia todo o dia. Mas às vezes. Era um momento muito especial, quando acontecia. E por causa disso ele escreveu todas estas mensagens num livro e os guardou cuidadosamente. Por este motivo nós ainda podemos ler estas mensagens, pois as profecias de Isaías são colecionadas e colocadas num livro. Um dos sessenta e seis livros da Bíblia. Neste livro Deus dá informações sobre várias coisas. Isaías deve profetizar sobre à casa real de Davi, sobre Jerusalém, sobre a corrupção no país, sobre os inimigos de Israel; Isaías avaliou o presente, mas profetizou também sobre o futuro. E quando Isaías fala sobre o futuro, ele fala sobre UM HOMEM; um homem, que não tem nome. Isaías o chamava: O SERVO DE DEUS.

 

Até quatro vezes Isaías nos informa sobre este homem desconhecido; o homem irá se apresentar como profeta e falará como profeta (Isaías 42); Ele mostrará a Israel os mandamentos de Deus; mostrará ao povo os seus pecados e chamá-los-á ao arrependimento (Isaías 49); ele encontrará muito resistência (Isaías 50) e será maltratado. Sobre isso fala Isaías 53. Sobre OS SOFRIMENTOS do servo do Senhor; Isaías viu um homem, que sofreu muito: não tinha aparência nem formosura; nenhuma beleza havia; ele foi desprezado e tratado como lixo podre; ele foi maltratado: as pessoas o desprezaram, negaram-no, odiaram-no e torturaram-no. Elas o maltrataram; espiritualmente e fisicamente.

 

Podemos torturar uma pessoa com palavras: colocar apelidos numa pessoa, ridicularizar uma pessoa; ampliar as fraquezas de uma pessoa e mostrar a todos; assim podemos ridicularizar e humilhar uma pessoa; podemos aterrorizar uma pessoa caçando-o; chateando-o; ameaçando-o; Esta forma de violência, psicológica e física, quebra qualquer pessoa. Seja menino, seja adulto.

 

Isaías estava observando isso. Ele recebeu uma visão que o Servo de Deus seria maltratado. Isaías disse: “Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca”. Parece que este detalhe é característico para o Servo de Deus. Ele SE DEIXA humilhar. Ele não resiste. Ele é batido, mas não reage; eles colocam apelidos nele, mas ele não coloca apelidos de volta; ele foi humilhado. Ele não mostrou nenhuma forma de vingança. Ele até não reclamou. Isso é o mínimo que uma pessoa pode produzir, mas ele ficou calado. Nenhum som saiu da sua boca.

 

Observando este homem, Isaías devia pensar num CORDEIRO que foi levado ao matadouro ou numa OVELHA que foi tosquiada. Em todos estes casos estes animais sofrem MUDOS. O cordeiro vai MUDO ao matadouro e uma ovelha não produz nenhum som, quando é colocada nas costas para ser tosquiada. Nenhuma reclamação, nenhum balido triste sai da sua boca. Eles sofrem MUDAMENTE. O servo do Senhor reage igualmente. Ele ficou MUDO.

 

Isso chama a atenção. Especialmente neste mundo. Neste mundo vimos muita resistência. Pessoas que se defendem com armas; pessoas que se defendem com palavras; nas ruas com uma passeata de protesto; ou no fórum com ajuda de um advogado; ou reclamando perante a câmera; e existem muito mais exemplos; existem muitas formas de protesto. Não somente hoje, mas também antigamente. Não há nada novo debaixo do sol.

 

E por causa disso a atitude do Servo de Deus chama a atenção. Tão passivo, tão impotente. Ninguém gosta disso. Quem de nós se deixa levar ao matadouro como um cordeiro? Ninguém tem esta atitude. As pessoas resistem, se organizam em grupos, procuram ajuda. Pois uma pessoa é mais resistente junto com as outras. Isso é uma atitude normal hoje em dia, mas a bíblia nos mostra uma outra atitude. Uma atitude MUDA.

 

No livro dos salmos encontramos a mesma atitude. No salmo 62 e também nos salmos 38 e 39. Prestam atenção: Nestes salmos o ficar calado é um sinal de RESIGNAÇÃO E DE CONFIANÇA EM DEUS. Resignar por causa da sua impotência e confiar na potência de Deus. Isso é a sabedoria da fé. Muitas pessoas não sabem disso, porque não tem fé! Elas querem controlar a sua própria vida; elas querem lutar contra tudo o que ameaça a sua vida; elas lutam e confiam no seu poder, mas elas se esquecem de Deus. Então, irmãos, Deus quer nos ensinar que os servos dele devem confiar nele; eles devem se calar durante o sofrimento deles. É isso o que Isaías está vendo: esta atitude é característica para o servo de Deus. Ele SOFRE e fica MUDO, Porque existem um Deus no céu que está observando tudo.

 

E não pense que é fácil, Ficar calado se uma pessoa te magoou, não é fácil. É fácil escrever essas coisas no escritório, aonde ninguém te perturba, mas é muito difícil praticar estas coisas numa casa barulhenta aonde as pessoas brigam e se atacam. Parecem palavras boas de uma pessoa, que foi criada numa casa calma e protegida, mas esta mensagem é difícil para uma criança que não tem uma vida calma e protegida.
Parece uma mensagem de um outro mundo.
Parece uma mensagem do céu, aonde tudo é calmo e protegido, mas aqui na terra a vida é diferente. Aqui na terra governa uma outra lei. A lei da violência e da vingança. Então parece que esta mensagem de ficar calado não cabe aqui na terra. Mas Deus nos mostra que é possível reagir assim. Descobriremos isso se lermos o evangelho de Marcos

 

2. O Servo mudo de Deus, como Marcos o observou

Lemos dois trechos do evangelho de Marcos. Em ambos a pessoa principal é Jesus Cristo. Marcos fala sobre o fim da sua vida. Os líderes dos Judeus o pegaram e levaram-no para o supremo tribunal, o Sanhedrin. Lá eles tentaram acusar Jesus, mas não houve duas testemunhas com uma acusação fatal. Eles querem condenar Jesus, mas não conseguem. E finalmente o presidente do tribunal, o sumo sacerdote, se levanta e se aproxima de Jesus e lhe provoca: Não dás resposta, hein? Estás ouvindo o que eles estão dizendo? Entendes as acusações deles? Mas Jesus fica mudo e não responde. Ele está em pé, ele ouve e olha os juízes, mas ele não diz nada. Nenhuma palavra sai da sua boca. Isso é característico de Jesus. Preste atenção nisso.

 

Ele estava MUDO perante Caifás, depois disso ele ficou MUDO perante Pilatos e mais uma vez MUDO perante o rei Herodes. Cada vez observamos o silêncio, pois ele não disse nada. Isso chama atenção. Ele ficou MUDO. Mateus descobriu isso e Lucas, e também Marcos. Todos os evangelistas fizeram uma notícia sobre isso. O fato que Jesus não resistiu quando os soldados o pegaram, chamou a atenção dos evangelistas; também o fato que Jesus não se defendeu contra as acusações, que foram feitas contra ele; e mais uma vez o fato que ele não reclamou quando ele estava perante Pilatos. Nenhuma reação. Isso chamou a atenção. Isso foi a atitude característica de Jesus.

 

Até Pilatos estava se admirando. E Pilatos foi um homem, que viu várias pessoas diante do seu trono. Pessoas, que podiam falar bem para se defender; pessoas que falaram muito para disfarçar a sua culpa; pessoas que disseram quase nada para esconder os seus crimes. Pessoas espontâneas e pessoas tímidas. Tipos que gostaram de falar e tipos que gostaram de ficar caladas. Várias pessoas. Mas uma pessoa como Jesus, Pilatos ainda não encontrou. Pilatos SE ADMIROU com Jesus. Por que ele não reagiu? Por que ele não se defendeu? Por que ele ficou calado e não disse nada? São perguntas reais, irmãos.

 

Por que todos os evangelistas falam sobre isso? O que Deus quer nos mostrar? Parece-me que os evangelistas em primeiro lugar queriam abrir os olhos dos Judeus. Eles apontam primeiramente O SOFRIMENTO DE JESUS CRISTO e depois disso, eles apontam um detalhe deste sofrimento: CRISTO FICA MUDO! E com isso eles querem dizer: estás vendo? Você não esquece alguma coisa? Pensa em Isaías. Não te lembras das palavras proféticas dele? Sobre o Servo do Senhor? O que está escrito em Isaías 53? “Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca”.

 

Então! Não reconheces alguma coisa? Pense bem! Pois este Jesus é aquele homem. Este Jesus é o Servo do Senhor! Leia a profecia e compare os detalhes com a vida de Jesus. “Ele foi ferido por causa das nossas transgressões…” Isso aconteceu na cruz. “Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca”. Jesus ficou mudo, mas ele fez isso de propósito! Isso foi um ATO PROFÉTICO, irmãos! Pois com JESUS MUDO, A PROFECIA COMEÇA A FALAR!!!

 

O fato que Jesus ficou calado mostra também A SUA OBEDIENCIA… A DEUS. O fato que Jesus ficou mudo CONFIRMA que ele é O SERVO do Senhor. O Servo não fala, mas obedece. JESUS mostrou isso. Ele orou no jardim do Getsemâni: “não seja como eu quero, mas como TU queres”. Foi a oração do SERVO, que não resiste; ele se DEIXOU aprisionar; ele não disse nada, quando foi acusado falsamente; ele ficou mudo, quando foi condenado à morte; ele não reclama, ele fica calado, porque ele obedece a Deus…até na morte. Jesus SE DEIXOU assassinar. Passivamente e ativamente. Ele podia impedir a crucificação, mas ele não fez isso. Ele ficou passivo. De propósito! Ele ficou calado e escolheu o caminho da cruz; ele ficou calado, pois ele queria salvar a sua vida! Esse é o terceiro aspecto do fato que ele não disse nada. Ele ficou MUDO por causa dos pecados.

 

Jesus viu os pecados das pessoas em redor dele: o Sumo Sacerdote, os anciões, os Escribas; e também os pecados dos seus alunos, que o deixaram e negaram; Cristo viu também os pecados dos alunos futuros, os teus pecados e os meus… Nós também machucamos Jesus com os nossos pecados; nós também negamos Jesus se pecarmos. Por causa de todos estes pecados Cristo devia morrer… e ele não reclamou. Ele ficou calado. Mas o ficar calado não foi para nos repreender ou acusar, mas para nos SALVAR! Cristo mudo obedeceu a Deus e cumpriu a profecia de Isaías 53.

 

3. O Servo mudo do Senhor, como Pedro o observou

Pedro, irmãos, viu tudo com os seus próprios olhos. Ele seguiu Jesus no seu caminho para Jerusalém. E ele seguiu Jesus da ceia de Páscoa ao jardim do Getsemâni; e de Getsemâni ao Fórum. Ficando numa distância ele viu o seu mestre MUDO. Ele viu o seu MESTRE. Ele viu o mestre dando um exemplo a ele. Um exemplo calado, mas expressivo. Às vezes uma palavra só fala mais do que um sermão; às vezes um gesto sem palavras diz mais do que 10 sermões. Isso aconteceu com Pedro. A atitude muda do Senhor deixou uma impressão profunda. Especialmente em Pedro.

 

Pedro, que sempre estava à frente; que sempre foi o primeiro a abrir a sua boca. Foi Pedro que confessou que Jesus era o Cristo, o Filho do Deus vivo; e foi Pedro que criticou o mestre, quando ele falou sobre o seu sofrimento em Jerusalém. E quando os soldados se aproximaram foi Pedro que pegou a espada para defender o seu mestre; Este aluno MILITANTE deve aprender seguir seu MESTRE MUDO. E Pedro aprendeu alguma coisa. Ele mostra isso na sua primeira epístola às congregações dispersas.

 

Congregações que foram dispersas por causa das perseguições. Uma carta aos irmãos, que aprenderam a tomar a sua cruz e a sofrer por causa do nome de Cristo. Pedro fala aos irmãos e lhes aponta Jesus Cristo. Ele também sofreu. Ele foi O SERVO SOFRENDO. E assim Ele nos deu UM EXEMPLO, Pedro diz. Para que sigais as pisadas DELE. O qual, quando o injuriavam, não injuriava; e quando padecia não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente.

 

Estás ouvindo isso, meninos e meninas? Jesus não colocou apelidos de volta nos seus colegas, se eles colocaram apelidos nele; Estão ouvindo também, pais e mães? Jesus não resistiu, quando sofreu; ele não ameaçou os seus inimigos. E com isso Jesus queria vos dar UM EXEMPLO!!!

 

O SERVO MUDO DO SENHOR é um EXEMPLO para todos os filhos de Deus, que sofrem; para todos os crentes em qualquer parte do mundo; e para todos seus alunos pequenos, que sofrem por causa dos apelidos; NÃO COLOQUE APELIDOS DE VOLTA, meninos, Jesus também não fez isso; e quero dizer para todos os seus alunos adolescentes que tem medo de sofrer quando não participam com os seus colegas descrentes; e para todos os seus alunos adultos e militantes, que não querem sofrer e que lutam para evitar isso; e para todos os alunos adultos que não tem confiança no Senhor e por causa disso lutam por seu próprio caso. Para todos eles quero dizer: FIQUE CALADO, IRMÃO. FIQUE UM PROFETA MUDO DO SENHOR. POIS SE FICAR MUDO, DARÁ OPORTUNIDADE A DEUS FALAR!
AMÉM!

Compartilhe!

Pr. Abram de Graaf

O pastor Abram de Graaf é “Doctorandus” (Drs) em Teologia e um dos professores do Instituto João Calvino (Aldeia, Camaragibe-PE). Ele é pastor da Igreja Reformada de Hamilton, Canadá, enviado como missionário às Igrejas Reformadas do Brasil, desde o ano 2000. É Diretor do Projeto Dordt-Brasil. Ele mora em Maceió e também desenvolve projetos nessa cidade.

Deixe um Comentário