Pregação preparada pelo Pr. Teodoro Havinga

Leitura: Hebreus 11:01-19, 32-39; 12:01-02

Texto: Hebreus 12:01-02

Irmãos e irmãs em Jesus Cristo,

Vocês conhecem a corrida de São Silvestre? Todo ano no fim do ano há uma corrida de atletas em São Paulo: corrida de São Silvestre. Os atletas que participam daquela corrida vêm de toda a parte do mundo: México, Brasil, Nigéria e outros países. Eles correm muitos kilômetros. Eu acho que é uma meia maratona, 21 km. É claro que eles vêm muito bem preparados. Sem uma boa preparação não dá para correr tantos km. E eles precisam de muita garra para terminar a prova. Sem garra e perseverança não dá para terminar a prova, nem ganhá-la.

A nossa vida de fé é comparada com uma corrida de atletismo em nosso texto. Como atletas correm e têm que mostrar perseverança e garra, nós crentes devemos perseverar na fé para chegar no final. E há muitos torcedores, todas as pessoas chamadas em Hebreus 11 , o capítulo que lemos.

Quem são aquelas pessoas de que fala Hebreus 11 ? São pessoas do Antigo Testamento. A carta fala sobre elas para mostrar como elas viviam pela fé. Hebreus 11 começa com a pergunta: o que é a fé que é tão importante que somente seremos salvos quando temos a fé em Jesus Cristo? A resposta é: a fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não vemos. isto quer dizer: Deus nos prometeu muitas coisas. Por exemplo o novo céu e a nova terra. Mas nós ainda não recebemos essas coisas. São promessas a serem cumpridas no futuro. Como um pai pode prometer alguma coisa ao seu filho: quando você faz aniversário, você vai ganhar uma bicicleta. O menino ainda não faz o seu aniversário. Vai demorar ainda alguns meses. Mas ele sabe com certeza: vou ganhar a minha bicicleta. O pai prometeu. Ele confia na promessa do seu pai. Assim é com a fé. Confiamos em Deus de que Ele cumpre o que diz. A fé: temos a plena certeza de que vamos receber as coisas que Deus prometeu. As coisas que esperamos. Mas que ainda não podemos ver.

No Antigo Testamento muitos crentes viviam nessa fé. Hebreus 11 dá muitos exemplos. Fala por exemplo sobre Noé. Vocês conhecem a história de Noé. Deus disse a Noé: eu vou acabar com todo mundo porque eles me esqueceram. Mais 120 anos e eu vou dar o dilúvio. E Noé deve construir uma arca para que ele possa ser salvo. Ele não vê ainda nada do dilúvio. Mas ele crê na Palavra de Deus. Pela fé ele começa a construir a arca. E ele avisa as outras pessoas. Mas todo mundo está zombando dele. Noé, você está louco. Está construindo uma arca num lugar seco. Mas, depois de 120 anos, o dilúvio veio. Todo mundo morreu. Mas Noé foi salvo. Com a sua família.

Um outro exemplo que Hebreus 11 dá é o de Abraão. Vocês sabem o que aconteceu com Abraão. Deus lhe promete a terra de Canaã. Abrão não vê o cumprimento da promessa. Só tem a promessa. Mas ele acredita em Deus. Obedece a Deus. Faz o que Deus manda. Deixa a sua terra. E vai aonde Deus o mandou. E Deus lhe promete mais alguma coisa. Diz que ele vai ter um filho e muitos descendentes. Mas: isso não é possível! Abrão já ficou velho. A sua esposa não pode ganhar filhos. Ela é estéril. Também já ficou velhinha. O que Abraão diz a Deus: Deus não brinca comigo? Isso não pode? Não, a Bíblia diz: Abraão creu na promessa de Deus. Apesar de não ver nada do cumprimento. Ele aceita a Palavra de Deus. Crê que vai receber o filho prometido. E muitos descendentes como as estrelas do céu e a areia da praia.

E mais tarde, quando Abraão já tem o seu filho Isaque e o menino já é moço, Deus lhe diz: Abraão, você deve sacrificar o seu filho Isaque, o único filho que você tem. Deve matá-lo. Parece que Deus não vai cumprir a sua promessa de que Isaque vai ser o pai de muitos. Mas Abraão obedece a Deus. Pela fé. Crê que Deus até pode ressuscitar Isaque. Ele mostra a sua fé.

Hebreus 11 dá mais exemplos de pessoas que mostraram a sua fé: Moisés. Ele agiu pela fé. Confiou em Deus. Isaque, Jacó, Davi. Pessoas que sofreram. Alguns torturados até a morte. Alguns humilhados e surrados. Outros amarrados e jogados na prisão. Outros apedrejados. Outros serrados pelo meio. Outros mortos à espada. Pobres, perseguidos, maltratados.

Mas o que é que todos tinham em comum? A fé em Deus. A confiança em Deus. Eles resistiram. Perseveraram na fé. Eles foram aprovados por Deus por causa da fé que tinham. Apesar de ainda não receber o que Deus havia prometido.

Mas o que tudo isso tem a ver com os hebreus? As pessoas que receberam esta carta? Para entender isso devemos saber: quem são os hebreus. São judeus que se converteram a Jesus. Começaram a seguir a Jesus. Creram em Jesus, em Deus. Mas depois de um tempo na igreja, eles voltam atrás. Não vão mais para a igreja. Desistem. Começam de novo a adotar a religião que tinham antigamente antes de se converter. Não perseveram na fé. Por isso o autor da carta aos hebreus escreve esta carta a eles. É um grande aviso para não voltar atrás.

E isso é também bom para nós hoje. Porque acontece também que membros da Igreja Reformada voltam atrás. Quando a gente pensa no começo da Igreja Reformada aqui em Curitiba até hoje: quantas pessoas ja desistiram? São muitas. Começam a estudar a Palavra de Deus. Fazem profissão de fé. Participam da igreja. Mas de repente enfraquecem. Vão faltar na igreja e afinal somem para sempre. Desistem. Acontece com eles o que aconteceu com os hebreus: os hebreus voltaram para a situação antiga. Assim muitas pessoas da igreja voltam ao mundo. Dizem que ainda crêem mas é uma farsa. Não mostram perseverança na fé. E Satanás gosta disto.

Por isso a autor da carta aos hebreus fala sobre aquelas pessoas, crentes, do Antigo Testamento. São todos exemplos de pessoas que creram e perseveraram na fé. E qual é a sua função hoje? Morreram sim. Mas eles têm ainda algo para nós. Não apenas morreram. Vivem com Deus na eternidade. Estão vivos. Mas agora o seu lugar mudou. Quando viviam na terra eles tinham a sua luta de fé. Deviam lutar para perseverar na fé. Agora mudou a sua posição. O nosso texto diz: nós temos uma grande multidão de testemunhas ao nosso redor. Os crentes do Antigo Testamento. Moisés, Noé, todos aqueles outros. Agora eles são os nossos espectadores.

Devemos pensar aqui por exemplo num jogo de futebol, ou numa corrida de atletismo. Quem já foi para um estádio sabe como que é. De vez em quando eu vou (com os meus filhos) para o estádio Couto Pereira para assistir um jogo de futebol. Eu não sou jogador. Sei jogar um pouco, mas não suficiente para jogar no time de Coxa Branca, Coritiba. Se eu gostasse de atletismo, eu ia assistir uma corrida de atletismo, como por exemplo aquele que tem cada fim do ano em São Paulo, a corrida de São Silvestre, que a t.v. mostra, 21 km. Uma corrida com muitos espectadores na beira da rua. E no Couto Pereira há muitos torcedores, especialmente quando jogam dois times da capital, p.e. Coritiba e Atlético ou Coritiba e Paraná. E o que fazem os torcedores? Eles estão incentivando os jogadores. Querem que o time deles vença. Assim é também numa corrida de atletismo. Cada atleta tem os seus torcedores. Que torcem por ele. Na corrida de São Silveste do final de dezembro um brasileiro ganhou. Claro que as pesssoas que assistiram a corrida lá em São Paulo torceram por ele. E também muita gente que assistiu a corrida pela t.v.

É esse exemplo que o nosso texto usa. Estamos vendo muitos corredores, atletas. Num estádio. Somos nós, os crentes. As pessoas que aceitaram a Jesus. E no estádio há também muitos espectadores. Testemunhas da coorida. Torcedores. São as pessoas de quem falou Hebreus 11 .

São testemunhas diz o nosso texto. Elas observem a corrida das arquibancadas. São testemunhas da fidelidade de Deus. Eles mesmos fizeram a corrida de fé. São pessoas que têm a possibilidade de inspirar. Eles estavam no campo, na pista da corrida. Creram em Deus. E testemunham que Ele é fiel. Que Ele faz o que diz. Que Ele ajuda a vencer a corrida. Que Ele sustenta aqueles que crêem nEle.

A nossa tradução diz: “Nós temos uma grande multidão de testemunhas ao nosso redor.” Está escrito ao pé da letra: Nós estamos rodeados, cercados por tão grande nuvem de testemunhas.” Pense num estádio muito grande. Por exemplo Maracanã. Lá cabem 100.000 pessoas. De vez em quando está lotado. Lotado com torcedores. Testemunhas do jogo. Uma grande multidão. Uma nuvem de pessoas. Um grupo maciço.

Então, nós estamos caminhando a nossa corrida de fé. Mas há pessoas que assistem. Que vêem a gente. Que acompanham a nossa corrida de fé. Que estão de olho no que fazemos. São ex-corredores. Que já chegaram no final. Abraão, Isaque, Noé, Davi. Todos olhando para nós. Testemunhas da bondade de Deus. E da nossa corrida.

A pergunta é: como é que nós devemos agir na nossa corrida? Como é que um corredor, um atleta deve correr? Devemos pensar primeiro na preparação da corrida. Quais são os preparos antes de os atletas começarem uma corrida. O nosso texto diz: “Portanto, deixemos de lado tudo o que nos atrapalha e o pecado que se agarra firmemente em nós.” Pense numa corrida de atletismo. Os hebreus conheciam também esse exemplo. Na época já tinha estas corridas de atletismo. Com os famosos atletas gregos. São homens que treinam muito. Como é que eles fazem a corrida? Com muitas roupas? Claro que não. Eles usam só as roupas necessárias. Um tênis. Uma calça. Uma camisa. Pelo resto nada. Claro que não vão correr com um casaco de inverno. Com um calção muito pesado. Não levam uma bolsa, com muito peso. Com muita coisas dentro. Eles deixam tudo o que pesa de lado. Um atleta, antes de correr, se livra de tudo o que atrapalha a corrida. Tudo, menos o mais essencial, deve ser colocado de lado. Tudo o que pesa é retirado.

Assim nós devemos fazer a nossa corrida de fé. Pode ser que você tenha alguma coisa que atrapalha a corrida. Uma pessoa. Tentações. Pessoas que querem atrapalhar você. Que dificultam a sua caminhada com Cristo. Fazer o quê? Deixar de lado! Se afastar de tais pessoas, chamados amigos. O atleta que quer terminar a corrida deve usar tão menos roupas como possível. Muitas roupas podem atrapalhá-lo na corrida.

Todo peso, diz o texto. O que quer dizer isso? São todas as coisas que atrapalham na corrida. Pode ser muita coisa. Por exemplo: você é membro da igreja. Tem a ver com os seus irmãos. Mas há um irmão com quem você não se dá bem. Ele irrita você. Você não gosta dele. Mas sempre o encontra na igreja. Isso pode atrapalhar a sua corrida. Pode tornar se um pecado na sua vida.

Ou um outro exemplo: você sofre dificuldades. ( Hebreus 11 deu muitos exemplos de dificuldades que os crentes do Antigo Testamento sofreram, vs.36 ss). Assim nós temos as nossas dificuldades. Coisas difíceis que acontecem em nossa vida. Adversidade. Magoa. Desprezo. Sofrimento. Não deixe que isso atrapalhe a sua corrida de fé. Há pessoas que só pensam nas dificuldades da sua vida e esquecem Deus. Em vez de procurar conforto e ajuda de Deus, eles esquecem Deus. Ou dizem: antes de ir à igreja quero resolver os meus problemas. Daí deixam atrapalhar a corrida de fé pelas dificuldades.

Um peso: podemos também pensar no mundo e suas atrações. Ou em leis que atrapalham a corrida. Os hebreus voltaram atrás. Voltaram para as leis do Antigo Testamento. Em vez de deixar de lado esse peso.

O texto fala especialmente sobre o pecado. O pecado que se agarra firmemente em nós. Está escrito uma palavra que significa: o pecado é como um longo roupão que se torna um empecilho na corrida. O pecado pode envolver uma pessoa. Então, o pecado é o principal empecilho na corrida de fé. Na nossa vida como crente. O pecado é um peso que atrapalha. Faz com que esqueçamos a Deus. É a vontade de fazer coisas que Deus proibiu. A falta de vontade para escutar para Deus e sua palavra.

Devemos deixar o pecado, esse peso, de lado. Isso é possível? Devemos orar por isso. Que Deus tire esse peso das nossas costas. Daí acontecem milagres. Uma pessoa com que você não se da bem, é considerada por você como irmão.

Devemos dizer muitas vezes a nós mesmos: eu devo deixar esse pecado, esse peso, de lado. Porque atrapalha a minha vida cristã. A corrida de fé. Isso só pode com ajuda de Cristo. Ore que Jesus faça com que rompamos com o pecado. Você sente o peso do pecado? Que atrapalha você? Quem está na pista de corrida deve deixar isso de lado. Se não, não vai terminar a prova, a corrida.

Devemos também fazer alguma coisa positiva: “Corramos sem desanimar a corrida que está à nossa frente.” Ao pé da letra está escrito: “Corramos com perseverança a corrida que nos está proposta.” Esse é o outro lado da moeda. Devemos lançar fora os fardos, os pesos desnecessários. E devemos correr. Isso requer esforço. Nenhum atleta pode esperar que ganha a corrida sem fazer esforço. O brasileiro que ganhou São Silvestre se esforçou muito. Foi até o fim. Até o fundo do poço.

A palavra que o texto usa é: persistência, perseverança. Uma corrida firme até o fim. A despeito das dificuldades. Um combate. Uma luta.

Um atleta que pára na metade da prova não chega no final. Claro que ele deve continuar. Correndo. Assim é também conosco. Somos crentes. O que fazemos? Há pessoas que desistem. Não correm amis como faziam e devem fazer. Dizem: eu sou membro da igreja, mas não sei se vou continuar. Os problemas da minha vida atrapalham. Quero resolver isso primeiro. O pecado atrapalha. Vão para lugares onde um crente não pode estar. Deixem isso de lado, irmãos. Não brinquem com a sua salvação. Continuem na fé em Cristo. Continuem correndo. Mostrem perseverança. Como um atleta. Ele vai até o fim. Se esforça. Dá tudo o que tem para vencer. Para terminar. Pense em São Silvestere. O ganhador chegou. Mas custou toda a sua energia.

Como é que podemos conseguir deixar de lado o peso que atrapalha a nossa corrida e o pecado que é como um roupão que atrapalha? Vs.2 dá a resposta: devemos correr com perseverança – com os nossos olhos fixos em Jesus, o Autor e Consumador da fé. Devemos desviar os olhos de outras pessoas e fixatr os olhos em Jesus.

Por que em Jesus? Quem foi que nos deu a fé? É Ele. O texto diz: É dele que depende a nossa fé desde o começo até o fim. Ao pé da letra está escrito: Ele é o Autor e Consumador da fé. Quer dizer: podemos ir para ele com as nossas dificuldades. Com tudo o que atrapalha a nossa corrida. A nossa caminhada. Podemos ir para Ele com a nossa fé fraca. Foi Ele quem começou em nós.

Ele é também o Consumador de fé. Ele faz com que aqueles que ficam perto dEle terminem a corrida. Ele não desiste em ajudar.

Quem olha para si mesmo está perdido. Quem olha só para os seus pecado, não os vence. Devemos olhar para Jesus que morreu pelos nossos pecados e que quer ajudar no combate de fé. Como atletas olham para o ponto final da corrida, nós devemos olhar para Cristo que está à nossa frente.

Olhe, ele também correu a sua corrida. Aqui na terra. Ele foi crucificado. mas não desistiu. “Por causa da alegria que estava à frente dele ele suportou a o sofrimento da cruz.” Em nosso lugar Ele sofreu. Mas desprezou a vergonha da cruz. O castigo cheio de desprezo. E venceu. Assentou-se à direita do trono de Deus.

Irmãos e irmãs, é uma mensagem séria hoja. Não devemos desistir. Não devemos ser como uma atleta que para no meio do caminho. Devemos perseverar na fé. Olhando para Jesus, que nos deu a fé. E que quer terminar em nossa vida. Caminhe a corrida de fé com ele.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Compartilhe!

Deixe um Comentário