Pregação preparada pelo Pr. Elissandro Rabêlo

Leitura: Gênesis 03.15

Texto: Gênesis 03.15

Amados irmãos no Nosso Senhor Jesus Cristo

Quem de nós não gostamos de receber boas notícias? Quem não se alegra em ouvir boas notícias sobre si mesmo e sobre pessoas que amamos? Todos nós gostamos de receber boas notícias. Qual é o homem que não se alegra em ouvir da sua esposa: “Querido, estou grávida!” E depois do médico: “Seu filho nasceu e está com saúde”; Ou qual é o jovem que depois de estudar tanto, ouve o seguinte: “você foi aprovado no vestibular e vai entrar na universidade”. Ou aquele que já andou tanto à procura de um emprego, e finalmente ouve alguém lhe dizer: “O emprego é seu”. Meus irmãos, boas notícias são sempre bem-vindas e ficamos muito alegres em recebê-las.

Se já ficamos alegres em receber boas notícias dos homens aqui na terra, imagine receber boas notícias do próprio Deus. O nosso texto é uma boa notícia de Deus para nós. Ouça a boa notícia de Deus: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o teu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gn. 3.15). Mas como pode ser isso? Será mesmo que esse texto é uma boa notícia de Deus para nós? Como estas palavras que falam de inimizade, guerra, ferimentos podem ser boas novas para nós?

Além disso, observe o contexto em que Deus proferiu estas palavras. Foi logo depois da queda de nossos primeiros pais, Adão e Eva. Motivados e enganados pela serpente (Satanás), Adão e Eva desobedeceram a Deus ao comer do fruto proibido. O resultado disso é que o pecado entrou no mundo. Deus contemplou toda aquela triste situação e tomou providências. Ele manifestou o seu juízo sobre todos os que estavam envolvidos na queda (homem, mulher e serpente). Nosso texto faz parte de sua sentença sobre aqueles que estão envolvidos na queda. Como uma mensagem de juízo pode ser uma boa notícia de salvação para nós? Observe para quem Deus proferiu cada sentença. Castigo para a mulher: multiplicação das dores na gravidez e desejo para o marido (v.16); castigo para o homem: trabalho duro para obter sustento (vs. 17-19a); para o homem e a mulher: morte (v.19b); castigo para a serpente (v.14): rastejar e comer pó é um símbolo de humilhação e derrota daquele que está por trás da serpente, a saber, Satanás.

Agora vamos para o nosso texto. Gênesis 3.15 é também uma mensagem de juízo da parte de Deus. A quem ele está dirigindo estas palavras? A quem ele está dizendo que vai colocar uma inimizade com a mulher? Quem é que vai ser ferido na cabeça pelo descendente da mulher, mas, ao mesmo tempo vai lhe ferir o calcanhar? Isso mesmo. É Satanás, o anjo caído que se rebelou contra Deus e foi expulso do céu com seus anjos caídos. É o mesmo que usou a serpente para seduzir e enganar Adão e Eva. A ele Deus dirige uma palavra de julgamento e determina que ele será derrotado. Nosso texto é uma má noticia para Satanás.

O que chama a nossa atenção é que no meio do seu julgamento sobre as partes envolvidas na queda, Deus manifesta a sua graça para com o homem caído. Na sua ira, o SENHOR se lembra da misericórdia e providencia salvação para o homem. Deus poderia ter destruído totalmente o homem quando ele pecou, mas não o fez. Ele veio em busca do homem caído para salvá-lo. Até na manifestação do seu castigo, ele mostrou graça. Pois veja o seguinte. Deus preservou em Eva a missão de mãe; ele não a privou de gerar filhos e prometeu que da descendência dela nasceria o Redentor. Quanto ao homem, ele haveria de trabalhar duro, mas o pão não iria lhe faltar. E mais do que isso, a graça salvadora de Deus brilha em Gênesis 3.15. A maldição de Deus sobre Satanás é, ao mesmo tempo, uma promessa graciosa de salvação para nós. Aqui em Gênesis 3.15 temos o primeiro anúncio do evangelho, uma promessa de salvação da parte de Deus para o pecador. Então, aquilo que foi uma má notícia para Satanás é ótima notícia de Deus para nós.  A ótima notícia é esta: O SENHOR estabelece inimizade entre a mulher e Satanás para a salvação do seu povo. Observe os detalhes do nosso texto:

“Porei inimizade entre ti e a mulher”: O relato da queda nos mostra que a mulher deu ouvidos a Satanás e se rebelou contra Deus.  Em outras palavras, ela se colocou ao lado de Satanás para se opor ao bom propósito que Deus tinha para ela e o homem. Ambos, homem e mulher uniram-se numa aliança de amizade com Satanás colocando-se em oposição a Deus e seus propósitos. Satanás é o grande adversário de Deus e o seu principal propósito é destruir a obra de Deus. Por isso, ele enganou Adão e Eva e os trouxe para si para se rebelar contra Deus. Então, diante dessa lamentável situação, o que Deus fez? O Senhor Deus tomou uma providência radical. Ele reverteu a situação. No lugar da amizade entre a mulher e Satanás, ele colocou inimizade.

Isso mostra como é grande a graça de Deus. O homem e a mulher rejeitaram a Deus e colocaram-se ao lado do inimigo número um de Deus. Mas Deus continua sendo um aliado do homem e da mulher para destruir Satanás. Ao mesmo tempo em que põe inimizade entre a mulher e Satanás, Deus estabelece amizade com o homem e a mulher. Isso é uma boa notícia para nós. Deus continua aceitando o homem e a mulher, apesar da hostilidade deles. Deus não permitirá que sua obra seja destruída pelo diabo. Em sua graça, ele vai usar o próprio homem para realizar seu plano de destruir Satanás.

Observe que a inimizade estabelecida por Deus entre Satanás e a mulher é contínua e abrangente. “Entre a tua descendência e o seu descendente”: Ou seja, essa inimizade continua por todas as gerações e estende-se aos descendentes de Satanás e aos descendentes da mulher. Literalmente o texto diz: “tua semente” e “sua semente”. Mas quem é a semente de Satanás e a semente da mulher? Ambas as descendências constituem a totalidade da raça humana. E quando Deus diz que vai haver uma inimizade entre Satanás e a mulher, isto significa que vai haver uma divisão fundamental e radical dentro da humanidade.

De um lado está a descendência de Satanás, que são todos aqueles que estão aliados em oposição a Deus e sua obra. A história da Bíblia nos mostra a realidade dessa inimizade entre os descendentes da mulher e de Satanás. Caim, que matou seu irmão Abel, era do Maligno (Gn. 4; I Jo. 3.12). Jesus chamou os judeus que se opuseram a Cristo de filhos do diabo (Jo. 8.44).

Do outro lado está a descendência da mulher. Dentre a raça humana caída que descende da mulher, o SENHOR, por sua graça, levanta e separa um povo para si. A descendência da mulher é o povo de Deus, a igreja; todos aqueles que vivem segundo os propósitos de Deus.

A história da humanidade é uma história de oposição. Deus colocou inimizade entre a igreja e o mundo (filhos do diabo). Isso significa, para nós que somos filhos de Deus, que devemos manter esta inimizade. Devemos separar-nos dos ímpios no sentido de não viver em comunhão com eles ou conformar-se ao o padrão de vida deles e nem compartilhar dos seus propósitos (ver II Co. 6.14-7.1). Deus garante que haverá sempre um povo santo e dedicado a ele. Sempre haverá pessoas que lutam contra o mal. Sempre haverá um povo que luta contra o Diabo! Quando Deus decreta inimizade entre a descendência de Satanás e a descendência da mulher, Ele está dizendo que de forma alguma vai permitir que toda a raça humana permaneça do lado do diabo!

Isto é um grande consolo para nós, irmãos. Num mundo onde o pecado e a imoralidade está cada vez aumentando, temos a certeza que Deus decretou uma inimizade perpétua entre os servidores da mentira e os servidores da verdade. Sempre haverá um remanescente que permanece fiel a Deus.

A boa notícia de Deus para nós é que Deus vai destruir Satanás e salvar o seu povo mediante a descendência da mulher. Ouça o que Deus diz: “Este te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar”. Aqui Deus fala de um conflito que envolve sofrimento. A cena é de um homem pisando a cabeça de uma serpente e ferindo-a e, ao mesmo tempo, sofrendo uma ferida no calcanhar. O descendente da mulher vai sofrer, mas destruirá totalmente a Satanás. Este receberá uma ferida mortal na cabeça.

A promessa de Deus aqui é que da descendência da mulher nascerá um homem que vai obter vitória sobre Satanás por meio do sofrimento. Quando Deus fala sobre o descendente da mulher que vai esmagar a cabeça da serpente, Ele está falando de quem? De Jesus Cristo. Aqui nós temos o primeiro anúncio da vinda do Messias, o Redentor Prometido que vem para salvar o seu povo. Este Messias é Jesus, que nasceu de mulher e veio ao mundo para destruir as obras do diabo e resgatar o seu povo dos pecados deles e do domínio do diabo.

Por meio do seu sofrimento e morte na cruz, Cristo venceu o pecado, o diabo e conquistou nossa salvação. Cristo triunfou sobre o diabo na cruz (Cl. 2.13,14). Na cruz, Cristo sofreu a ferida no calcanhar, mas esmagou a cabeça da serpente. Isso é uma boa notícia para o povo de Deus. Em Cristo, somos um povo livre e vencedor. Ele venceu o pecado, o diabo e a morte para que todos que estão unidos a ele pela fé participem de todos os seus benefícios.

Não existe notícia mais alegre e consoladora do que esta para o povo de Deus: Por meio da inimizade estabelecida por Deus entre a descendência de Satanás e a descendência da mulher, o Senhor providenciou a nossa salvação por meio de Cristo, o descendente da mulher. Cristo é a garantia da nossa vitória e salvação sobre o pecado, o diabo e a morte.

Nele somos mais que vencedores e herdeiros da vida eterna. A santa ceia nos garante isso. Nesta mesa comemoramos a morte e o sacrifício de Cristo na cruz. Lembramos que Cristo mediante o seu sacrifício venceu o pecado e o diabo na cruz e conquistou para nós eterna salvação.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

Compartilhe!

Pr. Elissandro Rabêlo

Pastor na Igreja Reformada em Cabo Frio - RJ.

Deixe um Comentário