Quem é Deus? Você sabe como descrever Deus? Descrever como Ele é? Descrever qual tipo de Deus Ele é?

Pregação preparada pelo Pr. Kenneth Wieske
Leitura: Gênesis 02
Texto: Gênesis 02.15-17

 

Amados em nosso Senhor Jesus Cristo!

Quem é Deus? Você sabe como descrever Deus? Descrever como Ele é? Descrever qual tipo de Deus Ele é?

Se olhamos a Criação ao nosso redor — as estrelas, as montanhas, os imensos oceanos, o milagre de um bebê recém-nascido — percebemos alguns “atributos invisíveis de Deus”:  seu eterno poder, sua majestade.

Mas quando abrimos a Bíblia,  Deus se revela a nós duma forma muito mais clara, e muito mais íntima.  Vemos isto quando abrimos a Bíblia no segundo capítulo de Gênesis.  Entre o capítulo 1:1 e o capítulo 2:3, Deus nos revela a Sua glória na criação dos céus e da terra.  Agora, no capítulo 2:4 Ele vai nos contar o que aconteceu com a criação.

Olhemos o versículo 4.  Começa assim:  “Esta é a gênese dos céus e da terra…”

Agora, prestemos bem atenção — isto será importante para todas as outras pregações sobre o livro de Gênesis.  Estes primeiras palavras do v. 4, podem ser traduzidas por “Estas são as gerações dos céus e da terra”, ou “a genealogia dos céus e da terra.”  Se você tem uma Bíblia de Genebra, tem uma nota de rodapé que explica isto.

Estas palavras são bastante importantes, pois o livro de Gênesis se divide em 10 seções.  E cada seção começa com estas palavras, para indicar que a Bíblia vai nos falar sobre as coisas que aconteceram depois com alguém.  Aqui, no versículo 4 do capítulo 2, começa a primeira seção.  Os céus e a terra foram criados; agora, vamos aprender o que aconteceu depois com estes.

No capítulo 37:2, temos o início da décima secção.  “Esta é a história de Jacó.”  No que segue, não se fala do nascimento de Jacó, mas fala-se sobre o que aconteceu depois:  sobre os seus filhos, e os seus netos, e as conseqüências da vida de Jacó.

Vamos voltar agora para o capítulo 2:4—o início da primeira seção.  Deus criou os céus e a terra, e agora Ele vai nos revelar o que aconteceu com esta criação.

Nosso texto (os vs. 15-17) é o centro do capítulo 2.  Nesses versículos, vemos que Deus coloca o homem num jardim, cercado de benções.  Ele dá tudo ao homem.  Ele dá vida em abundância.  No meio de todas estas benções, Deus mostra que Ele quer um relacionamento com Adão.  Ele não é um Deus remoto;  Ele é um Deus de relacionamento.  É um relacionamento muito simples.  Um pacto. Uma aliança:  Servir a Deus conforme a Sua vontade é a vida.  Desprezar a vontade de Deus é a morte.

Eu vos proclamo o evangelho do nosso texto, sob o seguinte tema:

Tema: Deus estabelece Sua aliança como a coroa de todas as Suas bênçãos sobre o homem.  Esta aliança é simples:

  • 1.  Se obedecemos, podemos desfrutar ao máximo da vida.
  • 2.  Se nos rebelamos, vamos experimentar ao máximo a morte.

1. Primeiro:  Se obedecemos, podemos desfrutar ao máximo da vida.

Quando olhamos o capítulo 2, a primeira coisa que aprendemos é que Deus não fica distante da Sua criação.  Ele não permanece distante, nos céus, olhando de grande distância para ver como o homem vai conseguir cumprir seu mandato de encher e desenvolver a terra.

Ao contrário!  Vemos logo que Deus se preocupa com Sua criação!  Ele faz questão de se envolver duma forma muito íntima, no dia-a-dia aqui na terra.
O capítulo 2:7 nos lembra que Deus formou o homem com suas próprias mãos!

O v. 8 nos mostra um Deus que até planta um jardim para o homem.

O v. 9 nos mostra um Deus que cuidadosamente está organizando o jardim de tal forma que não somente produz muito fruto, mas também é lindo e agradável à vista!

Os vs. 10-15 nos mostram um Deus que já preparou para o futuro do homem, pois ao redor do jardim têm riquezas e muitas oportunidades para serem descobertas e desenvolvidas.  Até providenciou o transporte! — os rios servem como auto-estradas que o homem pode seguir quando ele sai do jardim, dominando a terra toda para a glória de Deus.

Os vs. 18-24 nos mostram que Deus faz questão de providenciar até uma auxiliadora para Adão.  Primeiro, ele mostra todos os animais a Adão, e finalmente Ele providencia para Adão uma esposa.

Por que toda esta participação íntima na vida dia-a-dia aqui na terra?  Porque o Grandioso Deus está tomando tanto cuidado com os detalhes da vida de Suas humildes criaturas?

Achamos a resposta logo no v. 4.  “Esta é a gênese dos céus e da terra quando foram criados, quando o SENHOR Deus os criou.”

Esta palavra todo em maiúsculos, “SENHOR”, é uma palavra bastante importante.  É a palavra Hebraica, “Yahweh”.  É o nome especial de Deus, o nome que Ele usa somente quando Ele quer se relacionar com seu povo.  É o nome do Deus da Aliança!

Aqui no v. 4 é a primeira vez na Bíblia que achamos o nome do Deus da Aliança.  Mas de forma alguma é a última vez!  ONZE vezes em nosso capítulo lemos o nome “SENHOR DEUS”—“Yahweh Elohim”.  Por que?  Porque Deus quer nos ensinar que Aquele que duma forma poderosa criou o universo, o Soberano Deus, o Deus onipotente… este MESMO Deus poderoso, quer ter um relacionamento íntimo conosco.  Com os homens — as obras das Suas mãos.

Não é por acaso que nosso texto (v. 15) diz que foi o SENHOR Deus que colocou o homem no jardim para o cultivar e o guardar.  Quem colocou o homem no jardim, cercado de bênçãos?  O grande Deus Todo-Poderoso?  O Deus soberano?  Sim; mas ao mesmo tempo, o SENHOR — Deus da aliança.  O Deus que quer um relacionamento íntimo conosco.  O Deus que quer, não somente o nosso temor, mas também o nosso amor.  O Deus que costumava, pela viração do dia, andar no jardim com Adão e Eva.

Aqui no jardim, Adão tem tudo.  Tem vida em abundância, tem riquezas sem fim.  Tem bênçãos sem número.  Ele reina sobre toda a terra.  Ele até pode dar nomes aos animais.  Ele é regente da terra, para a glória de Deus.  E, o que é mais importante do que tudo:  Adão tem um relacionamento íntimo com Deus.  Ele anda com Deus, literalmente!

Toda esta riqueza e felicidade é apenas o início.  O SENHOR Deus dá uma ordem (v. 16):  “De toda árvore do jardim comerás livremente.”  Literalmente, o Hebraico diz:  “De toda árvore do jardim comendo comerás.”  Isto é o jeito Hebraico para enfatizar algo.  Quer dizer, “Você com certeza pode comer de toda árvore do jardim”.  O SENHOR está dando a Adão a ordem de desfrutar plenamente, desfrutar ao máximo, das bênçãos da criação e das bênçãos da aliança.

ISTO É A VIDA COM DEUS, irmãos!  O homem ímpio acha que obedecer a Deus significa uma vida chata, significa deixar para trás muita alegria e felicidade.  Eles acham que viver com Deus significa muitas regras, e muitas restrições.  E muitas vezes o ímpio pensa dessa forma porque pregadores infiéis deixam de pregar o evangelho de Cristo, e pregam o legalismo e as opiniões do homem!  Eles pregam a vida Cristã como algo restrito, fechado, cheio de regras!

Mas isto não é verdade!  A vida com Deus é a vida em abundância!  A vida com Deus é uma vida que desfruta ao máximo das bênçãos da criação!  Uma vida que se alegre em cantar e escutar música.  Uma vida que desfruta das belezas da gloriosa criação de Deus: gozando das praias, dos esportes, das comidas e bebidas, dos prazeres que Deus tem colocado na criação!

Isto é a vida com Deus!  Quando fazemos o nosso trabalho com alegria e ânimo — para a glória de Deus!  Quando desfrutamos da nossa vida em família — para a glória de Deus.  Quando desfrutamos das bênçãos do casamento — para a glória de Deus.

Mas tem um “porém”.  Tem uma restrição!  Apenas uma restrição!  Mas é uma restrição profundamente importante.  Só podemos desfrutar da vida ao máximo, se nós fizermos tudo conforme a vontade de Deus.

É muito simples, irmãos.  “Comendo, comerás” — em outras palavras, “Vai!  Aproveite!  Vive como regente da terra! Vive a vida ao máximo.   MAS!  Mas, lembre-se:  Eu sou Deus, você é criatura.  No dia que você esquecer seu devido lugar, no dia que você tentar valorizar sua vontade mais do que a minha… no dia que você tentar se tornar Deus… você morrerá.

Isto nos leva ao segundo ponto:

2. Se nos rebelamos, vamos experimentar ao máximo a morte.

Em toda esta riqueza de bênçãos e de liberdade, Deus coloca apenas uma restrição.  UMA só.  Versículo 17:  “Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás, porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.”

E pouco provável que o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal era, em si, venenoso.  E mais provável que era um símbolo, uma prova para o homem.  Esta árvore representava a soberania da vontade de Deus.  Era um teste.  Será que o homem vai se submeter à vontade de Deus?  Será que ele vai conseguir viver plenamente dentro da liberdade que Deus lhe concedeu?  Ou, será que o homem vai querer saber mais do que Deus?  Será que o homem vai querer engrandecer sua própria vontade, e se rebelar contra a vontade do seu Criador?

Deus deixa bem claro qual será a conseqüência de tal desobediência.  “… no dia em que dela comeres, certamente morrerás!”.

Literalmente, em Hebraico, diz, “no dia em que dela comeres, morrendo morrerás.”  Em outras palavras, é completamente o oposto de desfrutar plenamente da vida com Deus.  Obediência traz vida em abundância, mas rebeldia traz uma morte total.

Esta semana, passou no rádio um programa.  Alguém que se disse um pregador do evangelho estava falando sobre Deus, e ele disse, “Deus não ameaça ninguém!  Deus nunca ameaça a ninguém!”

Será?  Vamos abrir em Josué 23:15, 16…

“E sucederá que, assim como vieram sobre vós todas estas boas coisas que o SENHOR (Yahweh!), vosso Deus, vos prometeu, assim cumprirá o SENHOR (Yahweh!) contra vós outros todas as ameaças até vos destruir de sobre a boa terra que vos deu o SENHOR, vosso Deus.

Quando violardes a aliança que o SENHOR, vosso Deus, vos ordenou, e fordes, e servirdes a outros deuses, e os adorardes, então, a ira do SENHOR se acenderá sobre vós, e logo pereceis na boa terra que vos deu.”

Irmãos, o verdadeiro Deus com certeza ameaça!  Ele proclama juízo sobre todos aqueles que não querem se submeter à Sua vontade!  Já em nosso texto, antes da Queda!, Deus promete as bênçãos do pacto quando vivemos em obediência, mas Ele nos ameaça com as maldições do pacto quando vivemos em rebeldia.

Pense nisso, irmão, irmã.  Você não deve, não pode se esconder atrás duma falsa idéia de Deus—como um Deus que só sabe falar coisas positivas.   Você não deve pensar que Deus é um tipo de Papai Noel, que vai fingir que Ele não viu este ou aquele pecado.  Ao contrário!  O nosso Deus é fogo consumidor — e Ele nos ameaça com julgamentos terríveis sobre a menor coisa que fazemos contra a Sua vontade.

Ouça o que a Bíblia diz em Hebreus 10:30,31: “Porque bem conhecemos aquele que disse: Minha é a vingança, eu darei a recompensa, diz o Senhor. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo. Horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo.”

 

E o apóstolo Pedro fala (1 Pedro 4:17,18): “Porque a ocasião de começar o juízo pela casa de Deus é chegada; ora, se primeiro vem por nós, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus?  18 E, se é com dificuldade que o justo é salvo, onde vai comparecer o ímpio, sim, o pecador?”

Agir contra a vontade de Deus não é brincadeira.  Fazer a nossa vontade, e não a Sua, não é uma coisa leve.  Quando vivemos conforme a nossa vontade, quando nós nos colocamos no lugar de Deus, os juízos, julgamentos, terrores e ameaças da aliança caem sobre nós.  Isto é o estado de todo homem neste mundo!  Todo homem é um quebrador do pacto.  Todo homem vive em rebeldia contra Deus, e está debaixo das maldições de Gênesis 2:17… “morrendo, morrerás.”

Todo homem… mas tem uma exceção.  Se você crê em Jesus Cristo… se você se abriga em Jesus, Deus de novo te concede vida em abundância!

Você deve a Deus obediência perfeita…. e Jesus te dá a perfeita obediência dele para que você possa desfrutar das bênçãos da aliança!

Seu pecado e sua rebeldia merecem a morte sem fim… mas Jesus diz, “Eu morri em teu lugar!  Eu paguei o castigo que você merecia!  Eu carreguei a maldição que você merece.”

É isto que Jesus faz!  Ele não promete novos carros e contas bancários e riquezas deste mundo…. Ele nos dá algo muito mais fundamental!  Ele renova a aliança!  Ele nos faz parte do Seu povo redimido!  Ele restabelece o pacto entre Deus e o Seu povo.  Ele restabelece paz e comunhão entre Deus e todos aqueles que crêem.

Que benção, irmãos.  Em Cristo, podemos começar de novo a viver a vida ao máximo!  Viver a vida em abundância.  Podemos crescer a cada dia mais em alegria, desfrutando das bênçãos da aliança de Deus.  O Espírito de Jesus continua nos aperfeiçoando,  até o dia quando Cristo vai voltar, e nós vamos viver para sempre em perfeita comunhão com Ele.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

Compartilhe!

Pr. Kenneth Wieske

Pastor da Igreja Reformada em Surrey, Colômbia Britânica. Desde 2000, serve as Igrejas Reformadas do Brasil como plantador de igrejas. B.A. McMaster University, M.Div. Theological College of the Canadian Reformed Churches. Estudos em línguas originais no Institut Farel de L´Église Réformée du Québec.

Leave a Comment