Sermão preparado pelo Pr. Stephen ’t Hart

Leitura: Gálatas 06:01-10

Texto: Gálatas 06:07-08

Amada congregação do nosso Senhor Jesus Cristo,

Vivemos na era do “selfie”, de tirar fotos de si mesmo e postar-los no Facebook, Instagram, ou alguma outra forma de mídia social. Para alguns o selfie pode ser uma foto rápida de “mim”, ou talvez de “mim e alguns de meus amigos”, compartilhado para deixar as pessoas ver o que está acontecendo, e aí a vida segue. Para outros, no entanto, o selfie se torna o evento em si.

Em um artigo de jornal, o psiquiatra Dr. David Veal disse:
“Eu tenho visto isto pessoalmente com meus próprios amigos. Eles talvez fazem vários selfies repetidas vezes até encontrarem o certo. Observando cuidadosamente os detalhes sobre suas sobrancelhas, pele, narizes, dentes, cabelo e assim por diante, tudo na tentativa de encontrar o ângulo perfeito para fazer a foto perfeita.”

Mas até onde pode ir essa obsessão com selfies? Enquanto que bater uma foto e compartilha-la on line é, por si mesmo, normalmente um exercício sem dano e não errado, para alguns o selfie pode se tornar uma obsessão ao ponto da pessoa ser narcisista. A palavra narcisista vem da mitologia Grega de um homem chamado Narciso o qual se achava tão belo que quando ele olhava para os seu próprio reflexo em alguma água, ele se apaixonava com o que via e não parava de olhar até que morreu. Narcisismo, então, é ser obcecado consigo mesmo, com sua aparência, com seu corpo, ou sua inteligência ao ponto de você se tornar o centro do seu próprio universo e ou você tem orgulho de quem você acha que é ou sente inveja dos outros – e talvez um pouco dos dois. Narcisismo é estar obcecado com sua imagem ao em vez de procurar viver como alguém que foi criado à imagem de Deus. E, em geral, é isso que a nossa sociedade tem se tornado.

Vivemos no tempo que 2 Timothy 3:2-4 descreve, onde as pessoa são…
“….egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem…” e assim por diante.

Mas como Cristãos nós não somos assim. Como Cristãos nós não podemos ser assim! Pois como Cristãos temos morrido para o eu e agora vivemos em Cristo Jesus. E isso muda quem somos. Cristãos são por definição diferentes, e esta mudança que tem ocorrido em nós tem que ser vista não só em como vivemos diante de Deus, mas também como vivemos uns com os outros. Primeiramente como vivemos um com o outro na igreja, como membros do único corpo de Cristo, mas também como vivemos como cidadãos deste mundo. Então o apóstolo Paulo conclui a sua carta aos Gálatas no capítulo 6 nos ensinando o que significa viver o evangelho e como isso muda tanto a forma em que vemos os outros em volta de nós como também como tratamos os outros. Pois não vivemos para nós mesmos, mas vivemos para Deus. E vivendo para Deus, nós também vivemos um para o outro.

Então como você vive, quer seja para si mesmo, para seus próprios prazeres e para realizar os desejos da carne, ou para Deus e o seu próximo, vai gerar fruto. “Não vos enganeis” Gálatas 6:7 nos diz, “de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará.” O homem ou a mulher que é obsecado com sigo mesmo ceifará corrupção, mas o que semeia para o Espírito vai ceifará a vida eterna. Então a pergunta que Gálatas 6 coloca diante de nós e a seguinte: Para quem você vive, e qual semente você semeia?

Eu prego para você a Palavra do Senhor no seguinte tema:

Semear o evangelho gera uma colheita do evangelho.

  • 1. Observe o que você semeia.
  • 2. Esteja certo do que você ceifa.

1. Observe o que você semeia.

Quando cremos no evangelho, quando cremos que somos salvos apenas pela fé, pela graça de Deus apenas e apenas em Cristo, uma das mais belas coisas para se experimentar é ver como isso nos transforma. Sem o evangelho, nós somos pessoas muito egoístas. Sem o evangelho nós estamos olhando para os outros e nos comparando a eles. Sem o evangelho, muitas vezes somos orgulhosos de quem somos ou de quem nos tronamos, ou talvez nos sentimos ameaçados pelo sucesso de outros. Mas quando abraçamos o evangelho e quando vivemos do evangelho, então somos transformados. Quando recebemos nossa vida em Cristo, então não resta nenhum orgulho.

Como está escrito em Gálatas 2:19-20,
“Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim.”

E se, pelo Seu Espírito Santo, é Cristo quem vive em mim então eu sou uma nova pessoa!!! Estou livre de sempre querer competir, sempre tentando ser melhor que os outros, sempre preocupado sobre como outras pessoas estão me vendo, sempre me comparando a outras pessoas. E por isso, como está escrito em Gálatas 5:26, “Não nos deixemos possuir de vanglória, provocando uns aos outros, tendo inveja uns dos outros.”

O evangelho, então, nos faz ser humildes. Vivendo do evangelho e crendo que o velho “eu” está morto em Cristo e que não sou mais eu que vive, mas Cristo que vive em mim, nos faz humilde porque sabemos que somos salvos apenas pela graça! E isso, em consequência, nos pára de sermos narcisista, de ser “o cara do selfie” ou “a mulher do selfie”, de ser “amante de si mesmo” para ser alguém que ama os outros. Já que fomos salvos apenas pela graça e apenas em Cristo, nós não só teremos uma visão diferente de nós mesmos, mas também uma visão diferente dos outros. Porque aquilo que eu recebi, eu quero que os outros recebam também!
Então há uma diferença muito grande entre o viver da carne pecaminosa e o viver do evangelho. Há uma diferença muito grande entre o semear para a carne e o semear para o Espírito.

Atos tem consequências e para continuar vivendo uma vida egoísta, cheio de pecado, tem consequências. Quando a Bíblia fala sobre semear para a carne em Gálatas 6 isso significa que você não está vivendo do evangelho, você não está vivendo uma vida transformada, mas você ainda está em seus pecados. O semear para a carne é andar na carne e seguir os desejos da carne.

E em Gálatas 5:19-21 somos instruídos sobre exatamente o que significa essas obras da carne:
“Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.”

Você não herdará o reino de Deus, ou seja, você não receberá a vida eterna com Deus, porque se você continuar vivendo nestes pecados isso significa que você não é convertido! Entendo neste momento que nós não estamos falando sobre cair em pecado ou ser tomado por uma transgressão, mas estar vivendo em pecado. Praticar as obras da carne e viver nas obras da carne. Em outras palavras não há conversão, não há verdadeiro arrependimento e não há verdadeira mudança. Com este tipo de pecado não há um real voltar para Cristo e assim não há perdão de Cristo. É isso que a forma para a Santa Ceia quer dizer com as palavras:
“Nós declaramos aos que praticam pecados ofensivos que não têm parte no reino de Cristo se não se arrependerem.”

Eles não tem parte porque não deixaram os caminhos da carne, não estão vivendo a vida cheia do evangelho. Então aquele que semeia para a carne vai dar carne colher corrupção: suas obras vão te descobrir e você não terá desculpa.

Mas também há outra forma de semear: o semear para o Espírito. Quando recebemos o evangelho, quando cremos em Cristo, somos então regenerados pelo sangue de Cristo e pelo Espírito Santo. O nosso pecados são perdoados pro Deus, pela graça, e nossas vidas são feitas novas e separadas como membros de Cristo para que mais e mais nos tornamos mortos para o pecado e vivamos vidas santas e sem culpa. E então, ao crescermos nesta vida, vamos crescer no Espírito Santo e aí, nos diz Gálatas 6, iremos também semear para o Espírito.

E o que então significa semear para o Espírito? É produzir os frutos do Espírito, é crescer em amor e alegria e paz e longanimidade e benignidade e bondade, fidelidade, mansidão, e domínio próprio. E produzindo os frutos do Espírito vamos também viver no Espírito. O Espírito Santo não vive nossos corações, nem produz esses frutos em nossas vidas simplesmente para nós mesmos e para o nosso prazer. Pelo contrário, a vida cheia do Espírito é uma vida a ser compartilhada! É isso que significa semear o Espírito: semear para o Espírito é extender o amor de Cristo para outros, para que eles possam partilhar em todas as bençãos que você tem recebido de Deus. Então Gálatas 6 nos dá várias formas práticas para fazer isso. Para começar, com Gálatas 6:2,
“Levai as cargas uns dos outros, e assim, cumprireis a lei de Cristo.”

Levai as cargas uns dos outros. Quando você vê alguém, especialmente um irmão ou irmã na fé, abatido de uma forma ou de outra pelos cuidados desta vida, venha ao seu lado e o sirva, ajudando-o no caminho da vida. Esse levar das cargas uns dos outros pode ser muito prático. Pode ser simplesmente convidando uma pessoa para o seu lar ou se encontrando para tomar um suco, ser um companheiro, estar lá quando ela precisa de você.

Pode ser simplesmente ir e oferecer um ouvido que quer escutar. Levar as cargas uns dos outros pode ser compartilhar uma sopa caseira, ou uma refeição, ou um bolo que você fez. Levar as cargas uns dos outros pode ser ajudar em cuidar do filho de outra pessoa por um momento, quer seja após a escola o por um dia inteiro. Levar as cargas uns dos outros pode ser ajudar a fazer uma faxina em sua casa ou ajudar a lavar os pratos. Não dê pouco valor a estas coisas! Não pense que não são importantes ou baixos demais para você, mas faça estas coisas quando você tem a oportunidade.

E por outro lado, irmãos, quando outros vem oferecer a sua amizade, lhe oferecer ajuda, fazer aquelas coisas para você, não seja tão rápido em dizer não. Aceite a ajuda, aceite sua hospitalidade, seja grato pelo seu apoio. E aí, você por sua vez, vá e ajude a outros.

Mas levar as cargas uns dos outros não é apenas fazer coisas pelos outros; é também sobre orar pelos outros. Talvez você não se encontra em uma situação em que possa fazer muita coisa pelos outros na congregação ou na comunidade. Talvez você não tenha a força, não tenha os recursos, não consegue sempre ver como pode ajudar, MAS você pode orar e você pode encorajar!

Levando as cargas uns dos outros é amá-los, é amar o seu próximo como a si mesmo, e encorajar-los a olhar para Cristo e por fim encontrar a sua força Nele. E há outras maneiras de levar as cargas uns dos outros. Gálatas 6:1,

“Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta, vós, que sois espirituais, corrigi-o com espírito de brandura; e guarda-te para que não sejas também tentado.”
Se um irmão ou uma irmã cair em pecado, então não fique de lado e faça nada, nem fofoque para outros, nem olhe com soberba sobre ele como se estivesse dizendo “Eu nunca cairia em tal pecado”, mas procure ajudá-lo. Venha ao lado deste irmão, expresse a sua preocupação e aponte para a liberdade que é dele em Cristo. Não seja duro com ele, mas chame-o de volta ao evangelho, de volta à comunhão tanto com Cristo e com Sua Igreja.

E ao fazer estas coisas, observe o que você semeia. Não olhe para os outros pra ver o que eles estão fazendo, ou criticá-los por não fazerem o suficiente e aí cruzar os seus próprios braços e também não fazer nada você mesmo. Ao em vez disso, como diz em Gálatas 6:4-5,

“Mas prove cada um o seu labor e, então, terá motivo de gloriar-se unicamente em si e não em outro. Porque cada um levará o seu próprio fardo.”

Cada um levará o seu próprio fardo. Em outras palavras, não “saia pelos cantos” e deixe para os outros. Não fique atrás dos outros, escondido nos fundos, e pare você mesmo de semear! Em vez disso, continue firme, e faça o que o Senhor lhe chama a fazer. Viva uma vida cheia do evangelho. Leve o seu própria fardo – e perceba que um fardo não é a mesma coisa que uma carga. Carregue o seu próprio fardo, quer dizer, qualquer coisa que suas mãos podem encontrar para fazer, faça com toda a sua força. Não desista, não desanime ou fique desamparado, mas semeie para o Espírito.

2. Esteja certo do que você ceifa.

Quando semeamos para o Espírito não estamos semeando para nós mesmos. Não estamos olhando para as pessoas para vez o quanto podemos tirar deles, para ver se vale a pena investir o nosso tempo no relacionamento. Não há motivação escondida. Não há “o que vou ganhar com isso?” Não há “Só espero que ela seja grata pelo que faço depois de todo esforço que fiz.” Em vez disso, estamos simplesmente vivendo a nova vida que é nossa em Cristo. Nós servimos aos outros e levamos suas cargas porque amamos a Cristo. E porque amamos a Cristo, amamos nosso próximo também. Mas é difícil. A vida diária nos atrapalha, e ficamos desanimados. E então a Bíblia nos encoraja mais ainda no verso 9,

“E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos.”

“E não nos cansemos de fazer o bem.” Sim, nós nos cansamos, nós ficamos frustrados, e nós até desistimos. Nós tiramos os nossos olhos de Cristo, perdemos de vista quem nós somos, e o que nós estamos fazendo. Então a Bíblia nos encoraja: não nos cansemos. Lembre o evangelho! Lembre de quem você é em Cristo e lembre para que você está aqui. Lembre de que você não está fazendo isso para os outros em primeiro lugar, mas está vivendo para Deus, você está semeando o Espírito. E então prossiga… E “enquanto você tiver oportunidade, faça o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé.” (Gl. 6:10)

Onde quer que você tenha a oportunidade viva da graça que sua em Cristo. Você não pode fazer tudo, e você vai ficar sobrecarregado se tentar. Mas comece por aqui, diz a Bíblia, comece com “os da família da fé”, na congregação da qual você faz parte. E então prossiga e viva em amor e alegria e paz e longanimidade e benignidade e bondade ao compartilhar o amor de Cristo com outros.

Não podemos fazer a sós. Não podemos fazer de nós mesmos de forma alguma! Mas não fazemos a sós: nós vivemos desta forma pelo Santo Espírito que vive em nós. Então devemos orar mais pela graça de Deus e pelo Seu Espírito Santo. E ao orarmos nós faremos o máximo para usarmos de toda oportunidade para crescer no Santo Espírito pelos meios da graça, pela leitura das Escrituras, por participar juntos dos cultos, pelo ouvir da pregação da Palavra, e pelo correto uso dos sacramentos que Deus tem nos dado. E neste contexto nós semeamos não apenas as nossas orações e os nossos atos de serviço, mas também semeamos os dons que Deus tem nos dado. Gálatas 6:6,

“Mas aquele que está sendo instruído na palavra faça participante de todas as coisas boas aquele que o instrui.”

“…aquele que está sendo instruído”. A palavra Grega que é usada aqui (Katecheo) é a mesma palavra que nossa palavra catecismo no português. Paula esperava que o Gálatas, e de fato todos os cristãos, fossem instruídos, fossem catequizados por uma professor, um pastor. E aqueles que são instruídos, e é cada um de nós como membros desta igreja, devemos compartilhar os nossos dons com aqueles que nos ensinam. Em outras palavras, não devemos segurar as bençãos que Deus tem nos dado bem firmes ao nosso peito como se fosse tudo para nós mesmos, mas devemos compartilhar-los pela causa do ministério do evangelho.

Quando vem à igreja, não somos consumidores, estando aqui para pegarmos e não dar. Pelo contrário, que cada um esteja pronto para dar assim como o Senhor deu a nós. Que o professor e o pregador dê dos dons que Deus tem dado a ele, e que o ouvinte e o aprendiz dê também. Porque nesta maneira o ministério do evangelho continua. Cada um de nós vai crescer no evangelho da graça, e vai semear para o Espírito.

E quando semeamos desta maneira, nós também ceifaremos. Nós ceifaremos a vida eterna! Ouviremos aquelas benditas palavras:
“Muito bem, servo bom e fiel; entra no gozo do teu Senhor.”

O missionário Jim Elliot, um missionário que aos seus 29 anos foi morto pelo povo a quem ele estava tentando alcançar com o evangelho, disse certa vez,
“Não é tolo aquele que dá o que não pode ficar para ganhar aquilo que não pode perder.”

E isso é verdade! Quando semeamos para o Espírito nós vivemos não para nós mesmos mas vivemos para o evangelho e vivemos para Deus. E para semear para o Espírito nunca é uma desperdício.

“Não é tolo aquele que dá o que não pode ficar para ganhar aquilo que não pode perder.” Pois o que você semeia para o Espírito vai lhe acompanhar até na vida do porvir. Amém.

 

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

*** Este sermão foi retirado do site: theseed.info e foi traduzdo pelo pb. Chris Boersema.

Compartilhe!

One Thought to “Gálatas 06:07-08”

  1. EUGENIO PACELLI DA COSTA NEVES

    Este assunto, sem dúvida, dá uma ótima discussão, viu???

Deixe um Comentário