Pregação preparada pelo Pr. Elso Venema

Leitura: Ezequiel 36.16-30

Texto: Dia do Senhor 47

 

Amados irmãos no Senhor,

Quando oramos, podemos pedir muitas coisas a Deus. Podemos pedir o pão de cada dia, saúde, um emprego ou serviço, perdão dos nossos pecados, paz em nossa casa, proteção para os nossos filhos e ainda muitas outras coisas. Podemos pedir todas essas coisas, pois Deus é nosso Pai. Foi o próprio Senhor quem nos ordenou pedir o pão de cada dia e o perdão das nossas dívidas, quando nos ensinou o Pai Nosso. Por isso ninguém precisa ter medo de pedir. Podemos sempre orar pedindo com ousadia tudo quanto necessitamos. Muitas vezes achamos difícil pedir favores a outros. Muitas vezes nos sentimos envergonhados, quando precisamos de ajuda de outros. Podemos até ter medo de pedir pelo fato que depois a pessoa a quem pedimos um favor pode vir para cobrar alguma coisa da gente. Mas Deus não é assim. Ele é o nosso Pai celeste, que a todos dá liberalmente, de boa vontade ( Tiago 1: 5 ). Quando Deus dá, ele não faz um troca-troca. Deus nos dá por querer dar, visando o nosso bem e a nossa felicidade. Por isso, irmãos, podemos sempre derramar os nossos desejos e a nossa ansiedade diante de Deus, pedindo tudo que precisamos, sem jamais sentir-nos constrangidos ou envergonhados.

Se é assim, irmãos, que podemos pedir tudo e qualquer coisa a Deus, surge agora a seguinte pergunta: Se podemos pedir todas as coisas, qual então seria a coisa mais importante que devemos pedir? Será que o mais importante que devemos pedir são coisas como: o pão de cada dia, um emprego e mais saúde? Será que o que mais importa pedir a Deus, são as coisas que desejamos receber e ter? Realmente, existe este perigo, o perigo de se interessar primeiramente por aquelas coisas que gostaríamos de receber e ter. Existe um risco de sempre orarmos da seguinte forma: Deus Pai, dá me o pão de cada dia, dá me perdão dos meus pecados, dá me saúde e felicidade, dá me isto e dá me aquilo. É deste jeito que uma pequena criança faz pedidos a seu pai. Tal criança só pede o que precisa e deseja. Não há outras coisas que lhe interessam. Mas será que a nossa oração deve ser assim. Devemos sempre e somente pedir coisas, buscando o nosso próprio interesse? A nossa oração deve ser uma lista de pedidos, pedindo sempre muitas coisas a Deus? A nossa oração serve para tirar proveito de Deus?

Irmãos, como já disse: orar desse jeito, somente pedindo isso e pedindo aquilo para nós mesmos, é um perigo. É um perigo, pois assim a nossa oração pode virar uma manifestação do nosso egoísmo. Isto acontece quando pedimos coisas a Deus, não buscando a honra e a glória dele, mas somente procurando satisfazer os nossos próprios desejos. Isto acontece quando oramos por motivos interesseiros, somente pensando em nosso bem, em nossa felicidade e em nosso prazer. Desse jeito oramos como uma pequena criança de 3 ou 4 anos, que só pede ao pai: “Me dá isto e me dá aquilo”! Quando a criança for um pouquinho maior, ela já vai entender que só dizendo: “Me dá isto e me dá aquilo”, as coisas não vão dar certo. Os filhos maiores, os adolescente e os jovens, já sabem que para receber do nosso pai as coisas que precisamos ou desejamos é necessário muito mais do que só estender a mão e dizer “me dá”. Antes de poder pedir qualquer benefício ou favor a seu pai duas coisas são necessárias. Primeiro: É necessário que seu pai não esteja chateado com você. Pois se ele estiver chateado com você, não terá vontade de dar nada. Segundo: É necessário sempre respeitar seu pai, pois sendo respeitado por nós, ele dificilmente nos negará um pedido.

É por isso, irmãos e jovens, que nós, querendo pedir o que necessitamos ao nosso Pai celestial, não devemos logo entregar uma lista de pedidos. Devemos preocupar-nos antes com outras coisas. Antes de mais nada, antes de pedir-lhe qualquer coisa, devemos preocupar-nos com o nosso relacionamento com nosso Pai. Ele, que é bondoso e dá liberalmente a todos, ele não pode de maneira alguma ficar aborrecido conosco. O nosso Pai do céu deve perceber que o nosso desejo é honrá-lo e respeitá-lo. É por isso que o Senhor Jesus nos ensinou a orar, como primeira petição da nossa oração: “Pai nosso, santificado seja o teu nome”. Antes de falar sobre pão, saúde e empregos, devemos pedir a Deus: “Deus Pai, eu lhe peço que possa te honrar e louvar em tudo que fizer ou deixar de fazer. Eu te peço que nenhuma pessoa, por minha causa, fale mal de ti, meu Pai”. Irmãos, não tendo assim um relacionamento puro e respeitoso com Deus nosso Pai, como podemos fazer pedidos? Como podemos pedir coisas a Deus nosso Pai, se vivemos provocando a ele com o mal que fazemos? Como podemos pedir alguma coisa, se não houver consideração e respeito?

Deus quer dar-nos tudo que precisamos. Tudo que necessitamos, pão, saúde, emprego, segurança e muito mais, é pouca coisa para Deus. Mas há algo, que não é pouca coisa para Deus. Deus nosso Pai requer ser reconhecido, respeitado e honrado como nosso Pai. Deus jamais abrirá mão disto. O nosso Pai exige que seus filhos lhe obedeçam. Senão, Deus não terá mais prazer em nada. Se seus filhos forem rebeldes, Deus Pai, ao invés de derramar bênçãos sobre eles, se sentirá obrigado a castigá-los. Encontramos um bom exemplo disso no capítulo 36 de Ezequiel. Deus deu tudo a seu povo. Ele deu um país inteiro, terra boa que mana leite e mel. Mas o povo de Deus se mostrou ingrato. Eles eram assassinos, eles derramaram sangue e contaminaram o país com os seus caminhos. Eles adoraram ídolos, e não se importaram com Deus. Então o que Deus fez? Ele ficou irado, e tirou o seu povo do país que lhes tinha dado. Deus suspendeu todos os benefícios que seu povo tinha recebido. E mais, ele permitiu que seu povo fosse levado cativo para outro país. Irmãos, o que podemos aprender com isso? Que antes de mais nada o nosso dever é honrar a Deus, principalmente pelo nosso estilo de vida. A coisa mais importante para nós é andarmos, não em nossos próprios caminhos, mas nos caminhos do Senhor.

É por isso que devemos sempre orar, antes de pedir qualquer coisa ou benefício: “Pai nosso, seja a nossa vida para a honra e o louvor do teu santo nome. Pedimos que tu, Pai, possas alegrar-te com a nossa maneira de viver”. A pior coisa que pode acontecer, é quando as pessoas ao nosso redor disserem: “Esse povo é o povo de Deus? Mas como é possível? Vejam o que eles estão fazendo! Vejam como eles estão participando do mundo! Vejam como eles estão falando mal uns dos outros! Eles não são crentes não”! Irmãos, se há razões sérias para o povo do mundo falar desse jeito sobre o povo de Deus, Deus fica triste. Assim o santo nome dele é denegrido. Se Deus disse: “Esse povo é meu”, mas o mundo não pára de criticar esse povo, Deus fica triste e chateado. Assim o nome dele está sendo blasfemado. Isto é a pior coisa que existe para Deus.

Por isso a primeira coisa que o Senhor nos ensinou a pedir a Deus Pai é justamente que possamos colocar os nossos caminhos em harmonia com a vontade de Deus. A nossa vida deve ser uma vida tal, que Deus não se sente envergonhado por nossa causa. Os nossos atos não podem de jeito nenhum dar asas às zombarias do mundo. Isto significa que devemos procurar ser filhos obedientes e dedicados ao nosso Pai. Isto é até mais importante do que o pão de cada dia, a nossa saúde, o nosso bem estar, e do que qualquer outra coisa. Pois não mostrando respeito para com Deus, não buscando sujeitarmo-nos a ele, a nossa verdadeira felicidade é posta em cheque. Se nós, pelo mal que fazemos, arranhamos o grandioso nome de Deus, Deus deixará de ver-nos com bons olhos. Deus pode até tornar o seu rosto paternal contra nós! É isto que aconteceu com o antigo povo de Deus. Eles provocaram tanto a Deus, que tinha sido bondoso para com eles, que Deus não os suportou mais, e os lançou para outro país. Irmãos, por isso devemos sempre pedir e buscar uma vida que agrada a ele. Devemos sempre orar a Deus: “Nosso Pai, seja a nossa vida motivo de alegria para ti, e não motivo de tristeza e raiva”.

Para nós entendermos como é importante a honra do nome de Deus, é bom refletirmos um pouquinho mais sobre aquela história do antigo Testamento, quando Deus rejeitou seu povo, e todos eles foram levados cativos para um país estranho. Quando o povo de Deus chegou lá, as pessoas começaram logo a comentar: “Esse povo, que chegou agora do país de Israel, não é o povo do Deus que fez o céu e a terra? Por que esse Deus permitiu que eles fossem expulsos? Será que o Deus deles é um fraco? Que Deus eles têm”! Assim as pessoas começaram a provocar e blasfemar a Deus. E a culpa era de quem? A culpa era do próprio povo de Deus, pois eles provocaram a Deus com seus caminhos e mereciam o castigo que receberam. Eles mereciam ser expulsos do país de Canaã. Agora, irmãos, sabem como foi a reação de Deus quando os povos começaram a dizer: “Por que o Deus daquele povo permitiu que eles fossem expulsos do seu país? Será que o Deus deles é um fraco”? Sabem como foi a reação de Deus? Deus disse o seguinte: “Não agüento o mal que eles falam de mim. Vou trazer o meu povo de volta, e vou ajeitá-los! Vou tirar do peito deles o coração de pedra, e vou dar-lhes um coração novo”. Sabem por que Deus falou assim? Sabem por que Deus também cumpriu estas palavras? Deus disse o seguinte: “Vou fazer isto, vou trazer vocês de volta, mas não é por amor de vocês que faço isto, ó casa de Israel, mas pelo meu santo nome, que profanastes entre as nações para onde fostes” ( Ezequiel 36: 22 ).

Então, irmãos, vejam só como é importante o santo nome de Deus. Vejam como para Deus a honra do seu nome vale mais do que tudo. Se nós amarmos a Deus, respeitando-o e adorando-o, como filhos queridos e obedientes, ele certamente será um Pai bondoso para cada um de nós. Se andarmos nos caminhos do Senhor, ele certamente nos abençoará, dando-nos tudo e qualquer coisa que precisamos, inclusive sustento de vida, uma casa para morar, roupas, paz e segurança. Mas se deixarmos de honrar o santo nome de Deus, se fazemos qualquer coisa, sem levar em consideração a vontade de Deus, a nossa vida vai ficar muito complicada. Pois Deus suporta muito. Deus tem muita paciência. Por exemplo, vejam quanto paciência Deus tem tido com os nossos pecados, dando-nos um prazo muito esticado para nos arrependermos. Só existe uma coisa, que Deus não tem paciência, que ele não suporta de forma alguma: É quando os seus filhos abençoados deixarem de honrar o seu nome, é quando deixarem de respeitá-lo e obedecê-lo, preferindo andar em seus próprios caminhos. Por isso, irmãos, devemos orar, antes de mais nada: “Pai nosso, santificado seja o teu nome. Concede nos, Senhor, que a nossa vida seja agradável aos teus olhos, para que por nossa causa ninguém fale mal de ti ou mal do teu povo. Seja a nossa vida assim, Pai, que tu possas suportar-nos”. Irmãos, orando assim, como o nosso Senhor nos ensinou, e vivendo assim, levando uma vida submissa à autoridade do nosso Pai do céu, podemos pedir qualquer coisa, e nosso Pai certamente atenderá as nossas orações.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Compartilhe!

Leave a Comment