Sermão preparado pelo pastor Marcel Mattos Tavares
Leitura: Efésios 5.21-6.9; 1Pedro 2.11-17
Texto: Dia do Senhor 39

Amada Igreja do nosso Senhor Jesus Cristo,

Vivemos tempos de crise na autoridade. Essa crise pode ser vista em várias esferas da vida: a) em casa, b) na igreja e c) na sociedade.

Crise na autoridade
Na casa. Vemos a crise de autoridade entre pais e filhos. Muitos filhos não respeitam os seus pais. Há alguns anos atrás uma jovem brasileira chamada Suzana Von Richtoffen chocou o país quando matou seus pais enquanto eles dormiam. Uma coisa bárbara! Matar os pais por causa de uma herança?

Crise na autoridade
Na igreja. Muitas pessoas alimentam total descrédito a instituição igreja. Elas veem a igreja como algo opressor. Como uma privação da sua liberdade. Essas pessoas não respeitam os oficiais na igreja (que são seus pastores). Não confiam nas suas palavras. Para muitos são apenas manipuladores. Homens maliciosos contra os quais devem ficar de olhos abertos, etc. Por consequencia, essas pessoas tendem a não se submeter a boa disciplina e a instrução que vem da igreja por meio de seus oficiais.

Crise na autoridade
Na sociedade ou esfera civil. Podemos ver o desrespeito aos magistrados civis. Nas redes sociais vemos piadas e desenhos que zombam certos magistrados. Vemos também nas ruas o movimento anarquista. Vemos os jovens black blocs, com mascaras pretas. Eles quebram o patrimônio público e lutam contra a polícia.

É para estas situações que o quinto mandamento fala. O quinto mandamento é um dos mais difíceis de se viver. Você já meditou nisso? Por que este mandamento é difícil? Porque a obediência. ou a sujeição, não é algo natural no ser humano. Para muitos é mais fácil respeitarmos aqueles que nos respeitam. Mas para todos, podemos concordar que é muito difícil amarmos e respeitarmos aqueles que nos fazem mal e que estão acima de nós. Quando há autoridades más, que erram constantemente, também não fazermos nenhum esforço para honrá-las.

O Quinto Mandamento é o primeiro mandamento da segunda tábua da lei. Assim como o terceiro mandamento, foi o primeiro com uma maldição. O quinto mandamento agora é o primeiro com promessas. Isto é muito interessante! Ele está na assim chamada “segunda tábua da Lei” e serve para regular e ordenar os nossos relacionamentos no nível horizontal (com o nosso próximo).

A obediência ao quinto mandamento tráz consequencias para os outros mandamentos que se seguem. Tudo começa com a obediência em casa (pais e filhos). A maneira como esta relação de autoridade e sujeição é realizada em casa, com instrução adequada, com disciplina no lar, irá frear ou não a violência (6° mandamento), a imoralidade (7° mandamento), o roubo (8° mandamento), as mentiras (9° mandamento) e a falta de contentamento (10° mandamento).

Veja então que este mandamento é a cabeça do restante dos mandamentos. E perceba também que este mandamento não vai colocar só um peso sobre aqueles que estão debaixo de alguma autoridade terrena, mas também vai colocar um peso sobre aqueles que receberam tal autoridade. Este peso ou compromisso é para que elas sejam exemplos de honra, amor e fidelidade também.

Deus nos chama nesta manhã a olharmos para o quinto mandamento. Podemos resumir este sermão com o seguinte tema: Deus nos chama a obediência as autoridades.

Essa obediência tem a ver com três coisas:

a) Respeito com as autoridades
b) Paciência com as autoridades
c) A vontade de Deus por meio das autoridades

Respeito com a autoridade
O que Deus nos chama a fazer no quinto mandamento? O quinto mandamento nos chama a demostrarmos honra, amor e fidelidade para com aqueles que foram colocados acima de nós. Essas três coisas demostram o nosso respeito para com as autoridades.

Quem são as autoridades? O catecismo fala sobre pai e mãe e a todos os que tem autoridade. O catecismo faz um eco com as Escrituras.

Nas Escrituras temos alguns textos que falam sobre as autoridades:

Romanos 13.1 podemos ler: todos devem sujeitar-se as autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus. Portanto aquele que está se rebelando contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu.

Aqui podemos ver que os governantes civis são autoridades sobre nós. Elas foram dadas como providência de Deus para não deixar o pecado correr solto no mundo. Além disso, é muito importante percebermos que Deus é a autoridade suprema. As autoridades na terra devem ser um espelho que refletem o Deus soberano. Elas devem se sujeitar a este Deus!

Em Efésios 5 e 6 o mesmo Paulo escreve sobre as diversas autoridades. Verso 22: mulheres, sujeite-se cada uma a seu próprio marido, como ao Senhor. Marido é uma autoridade em casa sobre a esposa (ele é chamado de cabeça). Capítulo 6.1 – Filhos, obedeçam a seus pais no Senhor. Honra teu pai e tua mãe que é o primeiro mandamento com promessa. Marido e esposa são autoridades sobre os filhos. Verso 5 – Escravos (servos), obedeçam a seus senhores terrenos com respeito e temor, com sinceridade de coração como a Cristo. Patrões são autoridades sobre empregados.

Hebreus 13.17 está no contexto da igreja. O escritor diz: Obedeçam aos seus líderes e submetam-se à autoridade deles. Eles cuidam de vocês como quem deve prestar contas. Obedeçam-lhes, para que o trabalho deles seja uma alegria e não um peso. Os oficiais na igreja são autoridades sobre os demais irmãos e irmãs.

Talvez você já esteja pensando como é um pouco difícil de escutar isto. Somos filhos do nosso tempo anti-autoridade. Vemos lá fora o feminismo. Vemos os sindicatos promovendo greve após greve. Talvez você esteja pensando: Eu devo me sujeitar a homens que muitas vezes se demostram tão fracos? Este mandamento é contra cultural. Você tem que remar contra a maré. Por isso, este mandamento pode se tornar difícil para alguns. Mas é um exercício de humildade que temos que exercitar. Todo cristão verdadeiro considera cada pessoa como sendo maior e mais importante do que ele mesmo. Isto tem a ver com a humildade e alegria de servir a Cristo.

Todo cristão verdadeiro deve ter o espírito de sujeição. Por isso Paulo escreve no início do nosso texto (verso 21 de Efésios 5): “sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo”. Este espírito de sujeição governa tudo o que Paulo escreve depois. Filhos servem a Deus debaixo dos pais e pais servem a Deus no governo dos filhos. Ambos estão servindo um ao outro. E ambos estão sujeitos a Deus! Assim vale para todas as outras áreas. Isto vai contra este mundo que prega a rebelião dos filhos. Um mundo que prega o descrédito a igreja e a seus oficiais. Um mundo onde as mulheres não querem reconhecer a liderança de seus maridos.

Por que este mandamento tem esta promessa junto dela: “para que tenhas longa vida na terra que o SENHOR, o teu Deus, te dá”? Porque Deus quer nos encorajar em meio as nossas dificuldades! Deus prometeu ao povo de Israel vida longa na terra que eles estavam prestes a possuir, e no futuro para que aproveitassem do descanso eterno. Essa promessa está no contexto de Moisés. O povo diversas vezes se rebelou contra Moisés, vocês lembram? Foi uma promessa importante! Ao mesmo tempo Deus está prometendo a nós vida longa e o descanso eterno em Cristo, se nós estamos dispostos a nos sujeitarmos uns aos outros como expressão da nossa gratidão pela salvação!

Eu gostaria de me dirigir agora aos jovens mais especificamente. Talvez você esteja pensando que este sermão não é para você, pois você diz: _Eu nunca disse uma palavra feia para os meus pais. Quando eles pedem algo eu faço. Na escola nunca tive nada contra meus professores.Quanto ao governo, nunca os desrespeitei, pois eu nunca falei pessoalmente com eles. Logo, posso dizer que tenho sido obediente ao quinto mandamento!

Se o seu coração enganoso está dizendo para você, eu diria para você se lembrar das palavras do apóstolo João em 1 João 1.8 – “Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamos a nós mesmos, e a verdade não está em nós”.

Crianças, adolescentes, jovens e também adultos, a Palavra de Deus é como uma espada que penetra até o fundo da nossa alma. Filhos e filhas aqui presentes, talvez vocês pensem que obedecem a seus pais, quando na verdade o que vocês fazem é constantemente quebrar o quinto mandamento.

Como assim pastor? Se um pai ou mãe pede algo ao filho ou filha (que estão debaixo dos seus cuidados), e esta coisa deve ser feita depressa, mas o filho ou filha espera 1 hora para começar a cumprir aquela ordem, isto não foi obediência! Tudo bem ele executou a tarefa, mas isto não foi obediência! Foi demonstrado honra, amor e fidelidade? Não! Outro exemplo, se um pai ou uma mãe atribuiu certa responsabilidade ao filho ou filha, e este(a) sai reclamando, chutando, batendo o seu pé firme no chão, isto foi obediência? Não! Mesmo que ele tenha feito o que foi pedido, aquilo não foi obediência! Aquela atitude não demostrou amor a Deus que lhe deu pais para instrui-lo e guiá-lo.

Tal atitude desonra os pais, demostra falta de amor e de fidelidade, e mais ainda, desonra o próprio Deus a quem os filhos servem por meio dos pais. É a Deus que vocês estão servindo debaixo dos seus pais! Se um vizinho estiver próximo nestas ocasiões, ele dará glórias a Deus ou ele ficará com vergonha no lugar de seus pais? Alguns pais tendem a achar que este tipo de “obediência” está tudo bem. Eles estão repetindo como papagaios o que o mundo fala sobre a adolescencia. O mundo diz que jovem é assim mesmo. Que a adolescencia é a fase da “aborrecencia”(*aborrecer os outros). Mentira tudo isso! A Bíblia não fala isso! Esses pais, se estão cedendo a voz do mundo, eles sem pensar, estão criando filhos que servirão a Deus relaxadamente! Apenas quando quiserem! Quando eles estiverem com vontade de fazê-lo.

Já que estou falando sobre os pais. Gostaria de me dirigir agora mais especificamente a vozes. Este mandamento coloca peso sobre as autoridades também! Demais autoridades e vocês pais, vocês devem viver de modo exemplar (honroso, em amor e fidelidade). Vocês devem viver com respeito e humildade! Vocês também devem ensinar os filhos a serem humildes e respeitarem os mais velhos.

Na disciplina, vocês devem exercer a disciplina como Deus manda, e não conforme o seu temperamento. Tem pai que berra com a esposa em casa (o filho está vendo). Tem pai e mãe que grita com seus filhos, lançando sobre eles todas as suas frustrações. Tem pais que ao invés de corrigirem os filhos como provérbios manda (com rigidez sim, mas ao mesmo tempo com todo amor), eles machucam e oprimem aqueles que estão debaixo dos seus cuidados. Isto é pecado! Algumas atitudes para com seus filhos, ao invés de transformá-los em homens e mulheres de Deus, na verdade estão efeminando os meninos e masculinizando as meninas. Já parou para pensar nisso?

Tem pais que berra com o garoto, oprime o garoto, e o garoto fica todo fragilizado, sensível. Ele prefere estar mais com as garotas do que com os homens agora. Ele se sente mais confortável e seguro ali. É por causa deste abuso de autoridade que Paulo fala Em Efésios 6: “Pais, não irritem seus filhos; antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor”. Não irritar os filhos neste texto tem a ver com uma criação errada que desonra a Deus! Pais vocês estão debaixo da autoridade de Deus. Deus te chama a obediência a Sua suprema autoridade!

Quando pais agem mal quais são as consequencias? 1) eles ensinam que a autoridade é algo negativo(ele será também anti-autoridade). 2) que toda a autoridade é opressora. 3) que é impossivel honrar, amar e demostrar fidelidade a autoridade. 4) e o pior: Que Deus é uma autoridade má e sem amor, sem compaixão e misericórdia. Isso não pode ser assim irmãos e irmãs!

Tudo começa na casa. A fidelidade ao quinto mandamento dentro da casa, será vista também na igreja. Homens honráveis nos ofícios. Também Filhos e filhas que se tornam homens e mulheres que respeitam os oficiais de Cristo. Esta fidelidade ao quinto mandamento se mostrará no sexto mandamento, sétimo, oitavo, nono e décimo.

Na esfera política. Eles vão respeitar aqueles governantes. Infelizmente é muito comum ver que a igreja está seguindo o mundo. No mundo os governantes, ou outros magistrados, são desonrados com piadas, desenhos, vídeos, etc. Isto é pecado? Sim! Quando um crente faz uma piada do Michel Temer, ou se fez da Dilma Roussef, no exercício dos seus mandatos, então eles quebraram o quinto mandamento. A honra, amor e fidelidade devem ser demostrados aquelas pessoas por mais que você não concorde com suas atitudes. O Cristão deve respeitar o ofício! O Soldado no exército pode não gostar do Sargento, mas respeita o rank dele. Se não houver respeito no exército, este exército já está derrotado antes de entrar em combate!

Veja como o mandamento vai no coração! Devo honrar, amar e ser fiel a estes corruptos aí no governo? Sim! Não lemos em lugar algum na Bíblia que temos que honrar, amar e ser fiel só àqueles que gostamos! Não lemos no sexto que temos que amar só os que nos amam, pelo contrário, aqueles que nos perseguem! O quinto mandamento nos chama a obediência as autoridades e nos encoraja com as promessas.

Vamos pensar mais ainda sobre este ponto. O artigo 36 da Confissão Belga fala também das autoridades civis. Lá nós lemos estas palavras: …cada um em qualquer posição que esteja, tem a obrigação de submeter-se às autoridades, pagar impostos, render-lhes honra e respeito, obedecer-lhes.

Quando Guido de Brès escreveu estas palavras ele estava sendo perseguido pelo Rei da Espanha, Felipe II. De Brès concordava com Felipe II? Não! Mas respeitava seu ofício! Ele escreveu cartas a ele. De Brès orou por ele. Escreveu uma confissão da sua fé para ele. Você sabe quais foram as últimas palavras de De Brès antes de ser enforcado na praça? Ele subiu as escadas do local onde seria enforcado, olhou para a multidão e disse: Respeitem as autoridades! Isto não é interessante? Nosso irmão De Brès, homem cuja piedade ecoa através das cortinas do tempo, entendia o quinto mandamento!

Outro exemplo vem de 1 Samuel 23 e 24 com Davi. Davi passou grande parte da sua vida fugindo de um lado para o outro do Rei Saul. Em duas ocasiões Davi poderia ter matado aquela autoridade, mas ele não o fez. E por que não o fez? Ele reconheceu a posição do Rei Saul. Ele era uma autoridade constituida por Deus.

Agora, temos que falar do limite deste mandamento. Obediência sempre? A resposta é não! Uma vez que o ofício é dado por Deus, quando uma autoridade obriga alguém a fazer algo contra a vontade de Deus, então aquela autoridade terrena deve ser desobedecida. Por que? Mas vale obedecer a Deus do que os homens (Atos 5.29). Foi o caso de Pedro que foi proibido de pregar, mas ele desobedeceu. Foi o caso de Guido de Brès (que mesmo proibido não parou de se reunir com o povo e pregar o evangelho). Foi o caso de Daniel na Babilônia (não se curvou diante do decreto de Dario de que todo cidadão deveria se curvar diante da sua estátua). Eles respeitaram as autoridades, mas não as obedeceram em tudo.

O quinto mandamento não fala sobre obediência cega. Então, obediência em tudo aquilo que não vai contra as ordens expressas de Deus. Mas, e quando a autoridade é fraca e comete erros? Devo obedecer ou não? Isto nos leva ao segundo ponto.

Paciência com as autoridades

Queridos irmãos e irmãs, as autoridades não são perfeitas. Pai e Mãe, Marido, Presbíteros, Magistrados civis, etc. Enquanto eles não estão obrigando você a fazer alguma coisa contra Deus, você deve ter muita paciência com seus erros.

1 Pedro 2.18: “Escravos(empregados hoje em dia), sujeitem-se a seus senhores com todo o respeito, não apenas aos bons e amáveis más também aos maus”. Este mau não é aquele que manda alguém fazer algo expressamente contra a vontade de Deus, mas é um patrão fraco, pecador. Este tipo de patrão não sabe agir com os empregados. Ele é bruto. Não reconhece quando tem quer dar folga aos empregados. Não quer pagar as horas extras. Poderiamos dizer que ele é aquele tipo de patrão chato. Mas ainda assim ele deve ser respeitado!

Não estou dizendo que o empregado não pode reagir contra o patrão. Ele pode sim, mas tem que fazer de uma forma respeitosa. Primeiro ele vai orar por ele. Em 1 Timóteo 2.1-2 Paulo exorta Timóteo a usar a prática de súplicas, orações e intercessões por todos os homens, em favor de todos os que tem autoridade. Para que se viva uma vida tranquila e mansa, com piedade e respeito. Em segundo lugar, depois de ter orado pelo patrão “chato”, o empregado vai argumentar de maneira educada com ele, demostrando boa disposição para o serviço de acordo com suas limitações. O empregado vai, se for possível, mostrar o contrato para seu patrão. Ele vai procurar ganhar o seu patrão. Em 1 Coríntios 13 Paulo diz que o amor é paciente. A paciência é um dos dons do Espírito Santo.

Veja, isto é muito diferente do mundo, não é verdade? O que as pessoas no mundo geralmente fazem contra os maus patrões? Greve geral! Eles querem um aumento, então fazem greve! Eles querem reduzir a carga horária, eles fazem greve! Eles dizem que greve é um direito trabalhista, mas o cristão tem que avaliar tudo, até mesmo os direitos que o Estado dá. O Cristão deve avaliar tudo conforme a Palavra de Deus!

1 Pedro 2.12 – Pedro exorta os crentes a manterem um comportamento exemplar. Para que? Para que aqueles que falam contra nós possam ficar calados e por fim darem glórias a Deus! A glória de Deus é o alvo deste mandamento, e isto nos leva ao último ponto!

A vontade de Deus por meio das autoridades

A vontade de Deus neste mandamento é a sua glória! Deus está acima de qualquer autoridade. Mesmo aquelas que são difíceis de obedecer. O mandamento é uma negação da minha vontade para fazer a vontade de Deus. Isto é o espírito da lei!

A glória do cristão não é fazer a sua própria vontade, mas sim a de Deus, mesmo quando isto for difícil. Cristo não fez o mesmo? Ele esteve debaixo de Pôncio Pilatos. Ele se submeteu àquele magistrado que o condenou injustamente. Cristo respeitou aquela decisão. Ele glorificou a Deus na terra. Ele cumpriu todos os mandamentos.

Fomos conquistados para fazermos a vontade de Deus neste mandamento em gratidão, por causa de Cristo. Somente para a glória dEle! Cristo já cumpriu este mandamento por nós! Se nós valorizamos o poder da sua salvação, então vamos desejar viver neste mandamento para a honra, amor e fidelidade a Ele!

Portanto, queridos irmãos e irmãs, que sejamos encorajados a vivermos em gratidão conforme o quinto mandamento. Além do fato de que Cristo já cumpriu por nós este mandamento, ele ainda nos promete uma herança. Por isso, vamos terminar lendo Colossenses 3.23 e 24 onde temos a prova destas recompensas (ler). Amém!

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Pr. Marcel Tavares

Pastor na Igreja Reformada do Brasil Maranata, em Unaí-MG.
Bacharel em divindade pelo Instituto João Calvino.