Sermão preparado pelo pastor Marcel Tavares
Leitura: Deuteronômio 04.15-20; 1º Reis 12.25-33
Texto: Dia do Senhor 35

Amada Igreja do nosso Senhor Jesus Cristo,

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no Brasil estima-se que há em toda a população um total de 87% de Cristãos. O número de Católicos Romanos vem caindo e agora corresponde a 64,5 % por cento da população.  O número de evangélicos está crescendo e agora corresponde a 22, ,5% da população. Uma parte menor da população está dividida entre Adventistas do Sétimo Dia, Mórmons, Testemunhas de Jeová, Muçulmanos, Judeus e religiões africanas. Somos um país majoritariamente cristão.

Mas qual é o proveito real que este índice tem trazido ao Brasil? Nenhum! No Brasil, segundo últimos levantamentos, 60 mil pessoas são assassinadas por ano. É um dos campeões de assassinatos no mundo. O Brasil, no ranking dos países com corrupção, ocupa o lugar 79 dentre 176 países. O Brasil está em queda livre neste ranking. Quanto mais para baixo, mais corrupto.

Quanto mais cristão, mais justo um país deveria ser, não é verdade? Mais no Brasil temos algo inversamente proporcional.

Qual é o problema? O que isto tudo tem a ver com o segundo mandamento? O segundo mandamento tem a ver com o culto a Deus! No Brasil, em tese, 87% das pessoas estão cultuando a Deus. Que Deus eles estão cultuando? Como é o culto que estas pessoas estão prestando? Se a Palavra é deixada de lado, o Deus adorado não é o Deus da Bíblia. Portanto, tal culto é um culto idólatra e essas pessoas, embora pensem ser verdadeiros adoradores, na verdade são idólatras.

Mas não há nada novo debaixo do sol. Israel no deserto também deixou a Palavra de Deus proferida pela boca de Moisés. Então eles fizeram um bezerro de ouro para por meio dele adorar a Javé (cf. Êx 32). Eles pensaram que poderiam fazer uma imagem de Javé. Eles cultuaram a Deus de forma errada. Javé acendeu a sua ira contra aquele povo. Mas Moisés intercedeu por ele. Os idólatras foram mortos (3 mil homens). Este evento nos mostra como Deus leva a sério a forma como o encaramos e o cultuamos.

O salmista no salmo 115 e também no salmo 135 mostram o valor disso: Os ídolos deles, de prata e ouro, são feitos por mãos humanas. Têm boca, mas não podem falar, olhos, mas não podem ver; tem ouvidos, mas não podem ouvir, nariz, mas não podem sentir cheiro, têm mãos mas não podem apalpar, pés, mas não podem andar; e não emitem som algum com a garganta. Tornem-se como eles aqueles que os fazem e todos os que neles confiam.

Não seria este último um problema a se considerar em nosso país? A violência e corrupção crescem na mesma medida que os cristãos dizem adorar a “deus”. Não estariam elas cegas, mudas, não sentindo cheiro, não sentindo o toque, não falando, a semelhança dos seus deuses e cristos, a semelhança dos seus próprios corações?

Nesta manhã temos uma oportunidade para pensarmos no Deus em que prestamos culto. Por isso, o tema desta pregação é o seguinte:

Tema: Deus nos chama a cultuá-lo da maneira como Ele ordenou em sua Palavra.

Queridos irmãos e irmãs, na semana passada nós mencionamos um pouco a diferença entre o primeiro e o segundo mandamento. O primeiro mandamento nos proibe de termos em nossos corações outros deuses além do único e verdadeiro Deus da Palavra. Esses deuses (“d” minúsculo) podem ser o dinheiro, ou uma certa supertição que alguém tenha. Ou seja, é a confiança que a pessoa tem em algo, mais do que a confiança só em Deus. Tudo aquilo que tal pessoa carrega no coração, além do Deus da Palavra, se torna um outro deus em meu coração. Ou uma pessoa tem o coração está preenchido completamente com o Deus da Palavra ou está preenchido com falsos deuses. Não tem meio termo. Ou um ou outro.

Agora, qual é o objetivo do segundo mandamento? O segundo mandamento fala mais de como adorar ao Deus verdadeiro corretamente. Para adorar ao Deus verdadeiro é necessário saber três coisas: 1) Quem Ele é. 2) Como Ele requer ser cultuado (ou adorado). 3) A fonta desta adoração (A Bíblia).

Quem é Deus?  No artigo 1 da Confissão Belga lemos que Deus é único. Ele é um ser simples e espiritual. Ele é invisível. Mas isto não quer dizer que Ele não possa ser conhecido. Nós podemos conhecê-Lo pelos seus atributos. Ele é todo poderoso, sábio, justo e bom, e uma fonte transbordante de todo bem. Podemos conhecer a Deus de forma segura através de Jesus Cristo. Ele veio transmitir a vontade de Deus. Cristo, conforme Hebreus 1, é a expressão exata do ser de Deus.

Em Deuteronômio 4 que nós lemos, podemos ler que Deus não tem uma forma. No dia em que o SENHOR lhes falou do meio do fogo em Horebe, vocês não viram forma alguma. Portanto, tenham muito cuidado. O contexto desta passagem é o contexto em que a nação de Israel estava prestes a entrar na terra prometida. Moisés está repetindo a Lei. Ele está lembrando da manifestação de Deus no Sinai.

Moisés está exortando o povo à obediencia. O povo havia deixado os deuses do Egito. Eles estavam prestes a entrar numa liga de nações idolatras. Que adoravam os astros celestes, que adoravam os deuses em forma de peixe e outras formas. Que sacrificavam seus filhos aos deuses.

Israel não deveria ser assim. Eles deveriam se guardar desta sedução. Javé não tem forma. Não é coisa boa acariciar a idolatria. Ela certamente encontraria apoio dos corações deles. Por natureza nossos corações são inclinados aos ídolos.

Este texto fala que fazer uma imagem de Deus seria igual a corromper-se (v.16). Que corrupção é esta? Essa corrupção é uma corrupção moral. Essa corrupção é a destruição da alma. Muitas vezes a palavra no hebraico traduz uma cidade arruinada, completamente destruída. O idólatra realmente se destrói porque recebe o juízo de Deus.

Qual é o problema de fazer uma imagem de Javé? Fazer a imagem de Javé é a mesma coisa que limitá-Lo. É trazer aquilo que é eterno e O limitar a uma coisa criada. Fazer uma imagem dEle para carregá-lo, seria a mesma coisa que manipulá-lo. Para usá-lo conforme as necessidades. Mas isto não é uma afronta ao Deus verdadeiro? Quem é Deus? Ele infinito e eterno. Ele é onipresente, onipotente. Ele não pode ser manipulado. Então, não existe pecado maior do que olhar Javé por meio de uma imagem. Em resumo: quem faz uma imagem de Deus, não O conhece.

Essa ignorância é vista nos dias de hoje por aqueles que negam que os 10 mandamentos tenham valor para hoje. Por causa dessa ignorância, elas não guardam um dia de descanso, por  exemplo. E quanto ao segundo mandamento, a consequencia é vermos livrinhos para crianças, com imagens de Deus. Imagem de um velhinho assentado no trono. Ou uma mão. Ou um olho. Ou uma núvem.

Essas coisas são como colocar a pólvora perto do fogo. Uma hora vai explodir. É algo que pode levar uma criança a criar um conceito errado sobre quem é Deus. Qualquer imagem sobre Deus é uma afronta a Ele!

Agora, talvez você esteja pensando: Este mandamento não é para mim! Eu não faço imagens de Deus! Eu gostaria de aprofundar mais esta questão. Existe uma outra maneira de se fazer uma imagem de Deus. Esta maneira não tem nada a ver com desenhos ou esculturas.

Alguém pode pintar uma imagem de Deus por meio do que professa sobre Ele, com Palavras, e por meio da vida como vive. Imagine certa pessoa (cristão/cristã) dizendo algumas coisas sobre Deus. Essa pessoa está dizendo que Deus não vai mandar pessoas para o inferno, porque Deus é amor. Ela está dizendo para pessoas que estão vivendo em pecado que está tudo bem.

Com respeito a seus atos, tal pessoa, no trabalho ou na escola, está vivendo um estilo de vida tão digno de censura que os colegas chegam a dizer: Ei! Mas você não é um cristão? O que está pessoa está fazendo? Ela não está pintando uma imagem de Deus e de Cristo para as pessoas ao seu redor? Por meio do que fala, e como vive? Esta imagem errada não corresponde ao verdadeiro Deus e ao verdadeiro Cristo. Essa pessoa é idólatra! O Deus que Ela diz servir, ela não O conhece! E se tal pessoa diz que o adora, o faz para a sua própria condenação. Tal pessoa presta um culto idólatra! Mas será que fazer imagens de Deus não seria uma estratégia pedagógica? Não poderíamos conhecê-lo por meio de imagens? Quem sabe, usar drama? A final de contas o mundo hoje não é tão audiovisual (com internet e smartphones)? Não poderíamos usar todas as estratégias para fazermos o não cristão conhecer a Deus?

A resposta é não! Por quê? Primeiro, isto é pragmatismo. O pragmatismo está infestando este mundo. O pragmático está mais preocupado com os resultados do que com os meios para alcançá-los. O pragmatismo prega que deve haver muitas invensões e estratégias.  Segundo, por quê você não pode usar de imagens para ensinar sobre Deus? Porque a pedagogia de Deus está contida na sua Palavra! É nela que podemos conhecer quem Deus é: o Seu poder na criação, o Seu cuidado para com o seu povo, a sua providência. Seu amor por nós em Cristo. Podemos ler sobre a vontade dEle. Podemos ler nas Escrituras sobre o culto.

Como Deus quer ser adorado? Será que de uma maneira pragmática? Não! Mas é exatamente este pragmatismo que vemos em muitas igrejas por aí!

Há muitas invensões humanas que não encontram apoio na Palavra de Deus por aí: teatro no culto, danças litúrgicas, bandas de música tomando a centralidade do culto, etc. É um culto para agradar o homem e não a Deus. Deus foi colocado para fora. Eles não toleram 30 minutos de pregação da Palavra. Eles acham cansativo. Eles querem diversão.

Esse pragmatismo também existia no tempo do Catecismo de Heidelberg. Eles diziam que as imagens na igreja servia como livros para os iletrados. No ano de 1563, ano em que também o Catecismo de Heidelberg ficou pronto, o Concílio de Trento (um concílio católico romano), na sessão vigésima quinta, impõs aos bispos e a todos os que tinham o encargo de ensinar, a seguinte ordem: “as imagens de Cristo, da Virgem Maria e de outros santos devem ser tidas e conservadas, principalmente nas igrejas…e que se deve dar honra e veneração”.

Mas isto tem base nas Escrituras? Não! Tem base na Tradição, como os romanistas defendem? Também não!

No ano de 816 o Arcebispo de Lião disse o seguinte: “Os padres ortodoxos, para evitar superstição, cuidadosamente providenciaram para que pintura alguma fosse colocada nas igrejas, para evitar, por esse meio, que se adorasse o que estava pintado nas paredes. Não há exemplo em toda a Escritura ou nos padres, da adoração das imagens”.

O teólogo Henrique Cornélio Agripa (Católico Romano) que morreu em 1535 disse o seguinte: “Os costumes corrompidos e a falsa religião dos gentios corromperam também a nossa religião, introduzindo na Igreja imagens e pinturas, com muita cerimônia e pompa externa. Nada disso se viu entre os primeiros cristãos verdadeiros”.

Talvez alguns romanistas vão dizer. Nós não adoramos a imagem, mas a reverênciamos. Ambrósio e Agostinho, dois campeões da fé, canonizados pela igrejas católica romana disseram que tal prática vai contra a reverencia e adoração devida somente a Deus.  Ou Deus tem toda a honra ou não tem honra nenhuma. O que as Escrituras falam destas invenções humanas no culto?

Nós lemos 1Reis 12 e ali podemos ver um culto diferente do que aquilo que Deus preescreveu em sua Palavra. Neste contexto, Salomão havia seguido os deuses de suas muitas esposas gentias. Deus prometeu punir Salomão por causa disso. O seu reino seria dividido. Dez tribos ficariam para um lado, enquanto duas tribos ficariam para outro. As Dez tribos do Norte ficariam debaixo da jurisdição de um homem chamado Jeroboão, enquanto que as duas tribos do sul, Judá e Simeão,  ficariam debaixo da jurisdição do filho de Salomão chamado de Roboão.

Jeroboão viu como os povo das suas dez tribos ainda subiam para Jerusalém de Judá para prestar culto a Javé. O que ele fez? Ele então fez um bezerro de ouro e instituiu um culto diferente na cidade de Siquém em Efraim. Ele disse: Veja o Deus que tirou vocês do Egito!(*Um livro para os iletrados).

Ele também estabeleceu novos lugares de culto: um em Efraim e outro mais ao norte em Dã. Foi este lugar que Deus havia instituido? Não! Ele também estabeleceu sacerdotes que não eram da tribo de Levi. Foi isto que Deus instituiu? Versículo 30 mostra como isso foi um pecado muito grande.

Jeroboão conhecia o Deus da Palavra? Não! Ele fez exatamente aquilo que está em Êxodo 32 (o bezerro de ouro). Por causa disso, o culto dele também foi errado , foi idólatra.

Qual foi a consequencia deste desvio? A história das dez tribos do norte é triste. Os reis depois de Jeroboão não duravam por muito tempo. A nação se tornou tão idólatra a ponto do rei Manassés queimar o próprio filho em sacrifício. As dez tribos foram varridas do mapa com a invasão dos Assírios.

Você pode perceber como um culto contrário as Escrituras vai muito longe? Devemos tomar muito cuidado com isso!

Qual a fonte segura para não cumprimos o segundo mandamento? A Bíblia!

A Bíblia nos faz conhecer corretamente a Deus na face de Cristo. O culto correto tem que ter Cristo no centro! A sua Palavra deve ser o elemento central na liturgia. A saudação, os cânticos, a confissão de pecados, a benção, tudo deve girar em torno de Cristo.

Em Cristo somos chamados a seguirmos o segundo mandamento em gratidão.

Pensando nesta gratidão, eu gostaria de lhe perguntar nesta manhã.  Você conhece o Deus da Palavra? Você tem procurado crescer neste conhecimento? Porque para você adorá-Lo é preciso conhecê-Lo.

Se você O conhece o seu culto deve ser diário. O que é este culto diário? É a honra que você dá a Deus diariamente. A maneira como você vive dá uma imagem do Deus que você acredita. A imagem que você dá de Deus ao mundo é a imagem do verdadeiro Deus? Ou você é um idólatra!

Sua vida como um culto diário vai convergir para o culto dominical. Se você vive como um não crente, não terá interesse de estar aqui. Se você conhece o que Deus fez e faz por você em Cristo então você vai ter alegria em estar aqui!

Você vai se preparar para estar aqui. Não vai querer ficar em festas ou bebendo até a madrugada do sábado. Não vai ficar na internet até a meia noite. Ou assistindo a filmes que não edificam. Nossos antepassados se preparavam para o culto. Eles preparavam seus corações. Cantavam em família no fim do sábado. Preparavam suas roupas, suas melhores roupas no sábado.

Se você é daqueles que só vem em um dos cultos, eu gostaria de chamá-lo para uma reflexão?

Vamos olhar para a nossa vida. Uma semana tem 168 horas. Você trabalha em média 40 horas. Dorme em média 49 horas por semana. Então, metade da sua vida inteira é dormir e trabalhar (em média 90 horas por semana).  Quanto dura um culto? Dura em média 1 hora. Dois cultos no Domingo duram em média 2 horas por semana. Das 168 horas Deus está te pedindo 2 horas por semana. Ele quer alimentá-Lo pela sua palavra que dura em média 1 hora ou 1 hora e 20 minutos (dois cultos).

Você que prefere mais ficar em casa ou se divertir com alguma outra coisa, do que estar no culto a Deus, você de fato conhece a Deus? Deus amou o mundo de tal maneira que enviou o seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça mas tenha a vida eterna.

Não pereça. O que é este perecer? Duas coisas. 1) Separação eterna de Deus. 2) ser lançado no inferno preparado para o diabo e seus anjos para todo o sempre. Essa salvação foi pouca coisa? Cristo deixou sua glória. Veio aqui se fez carne. Para te livrar da condenação em Adão. Deus, em Cristo, te livrou da morte eterna. Qual é a sua resposta diante disso?

Se você tem apenas 2 horas de culto a Deus, e 1 hora ou uma hora e vinte minutos de pregação (semanal), e tem muita saúde para estar aqui, você deveria se desembaraçar de tudo o que te atrapalha adorar a este Deus!

Outra coisa que você deve pensar. Quem é que dá o tempo? É Deus! Então fique sabendo de uma coisa: Ele vai cobrar por cada minuto que você escolheu fazer qualquer outra coisa, do que cultuá-Lo e ouvir a Sua voz por meio da Pregação da Palavra!

Quem é o seu Deus? Você é o deus da sua vida? É você o dono do seu tempo? Meu querido irmão ou irmã, fuja desta idolatria! Busque refúgio em Cristo! Ele é bom! Ele é misericórdioso! Ele rasgou o véu para nós! No culto a Deus estamos no Santo dos Santos. Com os anjos e os santos que já estão nos céus!

Não desperdice o seu tempo. Busque a glória do Deus verdadeiro. Essa glória que a nação brasileira precisa!

Portanto, queridos irmãos e irmãs, a nação brasileira precisa reconhecer o verdadeiro Deus da Palavra e adorá-Lo conforme Ele requer. Somente assim seremos uma nação de paz e justiça. Cada um de nós tem uma responsabilidade dentro deste assunto. Nós a Igreja de Cristo temos uma missão neste país: sermos a coluna e o baluarte da verdade. As trevas só serão desfeitas quando crentes piedosos começarem a iluminar esta sociedade. Viva conforme é requerido do evangelho. Viva um culto diário. Busque ao Deus da Palavra e procure influenciar os outros pela Palavra.  Certamente boas coisas virão sobre aqueles que desejam viver nessa gratidão! Amém!

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Pr. Marcel Tavares

Pastor na Igreja Reformada do Brasil Maranata, em Unaí-MG. Bacharel em divindade pelo Instituto João Calvino.