Sermão preparado pelo pastor Marcel Tavares
Leitura: Cl 3.1-17Leitura: Cl 3.1-17
Texto: Dia do Senhor 33

Amada igreja do nosso salvador Jesus Cristo,

Geralmente na literatura que envolve heróis, podemos ver a luta épica do representante do bem contra  o representante do mal. O representante do mal, que é o vilão das histórias, sempre está atacando o representante do bem, o herói da história.

O vilão é trapaceiro. Está sempre usando todas as oportunidades para derrotar o herói. Quando o herói relaxa então ele é surpreendido. O vilão também é traiçoeiro. Se o herói age de misericórdia para com ele, então recebe um golpe da parte do vilão. O vilão deve ser subjulgado, do contrário ele nunca dará uma trégua.

Nesta batalha do mal contra o bem, a luta deve ser travada até a morte. Nestas histórias de heróis, os dois poderes (do bem e do mal) não podem co-existir. O bem tem que subjulgar o mal. Ou o mal vai subjulgar o bem.

Nossa luta contra nossos inimigos também é uma luta até a morte. Os nossos pecados, o mundo e o diabo são nossos inimigos mortais. Nossos inimigos são sutis e traiçoeiros. Eles nos enganam. Se relaxarmos um pouco então recebemos deles um ataque poderoso. Se usamos de misericórdia para com eles, então somos atingidos.

Só há um caminho na nossa luta contra nossos inimigos: lutar até o fim. No Domingo 32 o catecismo perguntou: se poderiam ser salvos aqueles que continuam sendo ímpios e ingratos e não se convertem a Deus? A resposta é não. Conversão implica em não viver em harmonia com os vilões. Agora, no domingo 33 o catecismo volta a sua atenção para o que realmente significa se converter a Deus. Isto tem a ver com a tal luta até a morte.

Verdadeira conversão é demostrada numa vida que está lutando até a morte contra os inimigos de nossas almas. Nesta batalha não usamos armas laser, pistolas ou bazooka. Usamos com a Palavra de Deus e o Espírito Santo.

Tema: Cristo nos chama nesta manha a atentarmos para a verdadeira conversão

Essa verdadeira conversão é:

1) O perecimento do velho homem
2) O ressurgir do novo homem

A luta contra o velho homem

Queridos irmãos e irmãs, na pergunta 88 do nosso catecismo algo foi deixado de lado na tradução. A tradução original lança mais luz sobre a conversão do homem. Ela fala sobre arrependimento. Então, podemos encontrar assim em outra versão: Em que consiste o verdadeiro arrependimento ou conversão do homem. Esta é uma tradução melhor.

Conversão tem a ver com arrependimento. E o que significa então a palavra arrependimento? Primeiramente vamos falar do que não significa arrependimento. Arrependimento não significa só tristeza. Arrependimento verdadeiro tem tristeza, mas não para por ai. Eu gostaria de mencionar os casos de Saul e Judas.

Em 1 Samuel 15 Saul desobedeceu a ordem de Deus pela segunda vez. Deus havia dado uma ordem clara para destruir os Amalequitas. Tudo deveria ser destruído, mas Saul poupou ovelhas e bois. Parece muito piedoso o argumento de Saul neste texto que disse ter conservado o melhor das ovelhas e bois para Deus. Mas o profeta Samuel diz que é melhor a obediência do que os sacrifícios. A partir dali Deus rejeitou a Saul como rei. Saul ficou muito triste. Ele até confessa o seu pecado diante de Samuel.

Mas fica claro pelo contexto deste livro que a tristeza era baseada apenas no fato de Saul ter perdido o seu ofício. Era tristeza pela punição. Mais tarde Ele continuou desobedecendo os mandamentos de Deus. Ele perseguiu Davi (não queria perder o seu ofício de Rei). Ele consultou uma bruxa para saber se iria bem na batalha contra os filisteus. Ele pediu para seu escudeiro o matar no final, quando ficou cercado pelos filisteus. Essa tristeza não foi verdadeiro arrependimento.

E Judas Iscariotes? Em Mateus 27 podemos ler da sua tristeza, sua contrição, em ter traído a Jesus. Judas depois de ver que Jesus fora condenado, sentiu grande remorso, o versículo 3 diz. Ele até confessa no versículo 4, assim como Saul, que havia pecado traíndo sangue inocente. Essa tristeza foi sinal de um verdadeiro arrependimento? Houve arrependimento pelo fato dele ter até confessado aquele pecado?

Eu gostaria também de mencionar um outro exemplo. Esse tem a ver com o nosso contexto (o Brasil) neste momento.  Todos nós podemos ver ou ler dos jornais os casos de corrupção. Muitos envolvidos nos esquemas de corrupção estão agora confessando seus crimes. Eles também estão denunciando de onde veio, para onde, e para quem veio o dinheiro. Esta estratégia da justiça brasileira tem sido conhecida como: delação premiada.

O que fica claro, nestas assim “confissões de pecados”, não é um verdadeiro arrependimento. Se a polícia não tivesse descoberto o esquema, eles ainda estariam lá. O que podemos perceber destas delações é o medo da punição. Esses delatores não querem ficar por muito tempo na cadeia. Eles nem mesmos querem ficar na cadeia. Alguns estão negociando para ficarem presos em casa, com todo o conforto.  Então, estes exemplos de tristeza e confissão não são razões suficientes para acreditarmos que houve um verdadeiro arrependimento. É apenas o medo e tristeza pela punição.

Se tristeza, contrição e até mesmo confissão de pecados não são provas suficientes de verdadeira conversão, então chegamos na pergunta: O que é verdadeiro arrependimento ou conversão do homem?

Nos já falamos sobre personagens. Agora vamos falar sobre a palavra na Bíblia. No AT há duas palavras que nossas bíblias traduzem como arrependimento. A primeira tem a ver com o que já vimos: ficar triste, sentir  compaixão, ficar abatido. A outra é usada mais dentro do contexto da aliança e tem a ver com voltar, fazer o caminho contrário. voltar da direção do mal para a direção de Deus. Voltar da própria vontade para a vontade de Deus. Da adoração de si mesmo ou dos ídolos para Deus.

No Novo Testamento há um texto onde a ideia de ficar triste e verdadeira mudança aparecem juntas. Abra em 2Coríntios 7.9. Paulo havia mandado uma carta muito pesada para os Coríntios. Agora ele escreve (versículo 9): Agora, porém, me alegro, não porque vocês foram entristecidos, mas porque a tristeza os levou ao arrependimento. Até aqui parece não está muito diferente do que o que aconteceu com Saul, Judas e os políticos no Brasil! Agora veja a continuação: Pois vocês se entristeceram como Deus desejava, e de forma alguma foram prejudicados por nossa causa. Perceba então que há um tipo de entristecimento que Deus deseja. Veja então a diferença entre tristeza segundo Deus e o remorso. Versículo 10: A tristeza segundo Deus não produz remorso, mas sim um arrependimento que leva à salvação, e a tristeza segundo o mundo produz morte.

Essa tristeza segundo Deus, que é diferente de remorso, e que leva ao arrependimento tem a ver com uma palavra grega metanóia. Metanoia no grego tem a ver com uma mudança de pensamento e atitude. Essa palavra está ligada com verdadeira fé.

Veja alguns exemplos de mudança de pensamento e atitude no NT. Em 1Tessalonicenses 1.9: “pois eles mesmos relatam de que maneira vocês nos receberam, e como se voltaram para Deus, deixando os ídolos a fim de servir ao Deus vivo e verdadeiro”. Agora veja a base deste arrependimento no versículo 8 (final): fé que vocês tem em Deus.

Em Efésios 4.22-24: quanto a antiga maneira de viver, vocês foram ensinados a despir-se do velho homem, que se corrompe por desejos enganosos, a serem renovados no modo de pensar e a revestir-se do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em justiça e em santidade provenientes da verdade.

Essa fé que nos foi concedida por Deus em Cristo Jesus nos leva ao verdadeiro arrependimento. O verdadeiro arrependimento tem a ver com  matarmos o velho homem. Veja Colossenses 3 que lemos. Dos versículos 1-4 temos a base para o perecimento(fazer morrer) do velho homem.

Fomos ressuscitados com Cristo (versículo 1). Morremos com Cristo (versículo 3). E esta fé nos deve levar ao que? Veja versículo 5: Assim, façam morrer tudo o que pertence à natureza humana.

O que é este fazer morrer? temos a resposta, na resposta 89 do nosso catecismo(ler). Essa resposta significa que uma pessoa realmente arrependida está realmente sofrendo emocionalmente por ter pecado contra Deus. Essa tristeza preenche o seu coração com dor porque tal pessoa não conseguiu atingir a marca da obediência. Isto perturba a ele. Ele não está preocupado apenas com ter ofendido e decepcionado a si mesmo ou uma outra pessoa, mas muito preocupado por ter ofendido a Deus.

Esse arrependido então está com raiva do seu pecado. Ele está com raiva deste mundo e também do diabo. Ele lamenta muitas vezes ser vencido por eles. Como Paulo disse em Romanos 7: Ó miserável homem que eu sou! O que o verdadeiramente arrependido faz na sequencia? Ele luta contra estes inimigos.

Essa luta não é fácil. Paulo em Gálatas 5 fala que a carne milita contra o espírito. A palavra milita ali é um termo militar. A luta contra os nossos inimigos é uma luta mortal. O nosso coração é enganoso. Ele mesmo é um inimigo. Além disso tem o diabo. Ele é sutil. Ele é esperto.

Uma de suas estratégias hoje em dia é nos fazer ter uma ideia muito rasa do pecado. Uma ideia também muito rasa da santidade. E como ele faz isto?

Alguns exemplos. Muitas novelas, programas de TV ou filmes fazem o adultério e a fornicação parecerem algo normais. Podemos ver as pessoas, sem serem casadas, indo morar juntas. Elas estão se entregando uma as outras depois de poucos encontros. Talvez no primeiro encontro. Eu posso perceber que nos enredos dos filmes em geral os autores estão sempre procurando cultivar o relacionamento entre um rapaz e uma moça. Somos instigados a querer vê-los juntos.

Somos levados a torcer para que o casal na trama dê vasão aos seus desejos sexuais. A sensualidade está sempre sendo despertada em nós nesses filmes ou novelas. Mas nós deveríamos rejeitar estas coisas. Deveríamos rejeitar a impureza. Deveríamos torcer pela santidade num casamento. Nós deveríamos sentir tristeza e raiva por filmes cujo enredo é cheio de sensualidade.

E o que falar das músicas. As músicas também estão querendo colocar amor e fornicação como sinônimos. Se você gosta de música sertaneja já deve ter ouvido muitos temas sobre: vou te levar para a cama, meu amor! Vou te pegar! Nós dois fazendo amor!, no quarto, sob a lua, etc. Meu querido irmão ou irmã, isto é pecado!  Isso nos mergulha numa cultura pornográfica! Deveríamos rejeitar isto. Mas muitas vezes o que acontece? Estamos torcendo pelo pecado. Estamos imaginando coisas pecaminosas. Muitas vezes até mesmo estamos cantando adultério e fornicação. Celebrando a sensualidade e pornografia!

O salmista no salmo 101, versículo 3 diz as seguintes palavras: Repudiarei todo o mal. Odeio a conduta dos infiéis; jamais me dominará! Em outra tradução diz: Não porei coisa injusta diante dos meus olhos! Odeio o proceder dos que se desviam! O verdadeiro arrependimento leva tal pessoa a mudar o filme. Não assintir tal novela. Mudar a estação de rádio. Mas, eu não vou ouvir nada ou não vou ver nada? Cristo não derramou o seu sangue para que você festeje o pecado! Ele te chama a pegar a sua cruz e seguir a ele. Ser crente não é fácil. Ser crente constitui em ser inimigo do mundo e para o mundo. Os amigos do mundo não podem ser amigos de Deus. Deus chama você a transformar a cultura ao teu redor e não absorvê-la. Sal e luz são as coisas para as quais você é chamado!

Colossenses 3.3: Pois vocês morreram, e agora a sua vida está escondida com Cristo em Deus. Versículo versículo 5. E qual é consequencia de viver numa vida de pecados? Veja o versículo 6. Os crentes colossenses praticavam estas coisas no passado. Esses pecados faziam parte do velho homem deles contra os quais eles deveriam lutar até a morte.

No versículo 8 e 9 eles são chamados a fazer perecer o velho homem(ler). Não é facil lutar contra isso. E de fato você não é chamado para lutar sozinho.

Quais são suas armas? Você precisa da Palavra e do Espírito de Deus. Quando você colocar estas armas de lado, prepare-se para levar um golpe muito violento. Abra na página 385 do hinário. Veja no artigo 4, dos Cânones de Dort o que Deus faz conosco se estamos usando os meios. Mas também encontramos ali o que acontece se estamos negligenciando os meios (ler). No artígo 5, que você pode ler em casa, você pode ver quais são as consequencias terríveis da queda nestes pecados.

Meu querido irmão e irmã, você tem lutado contra os seus inimigos, seus pecados? Você tem feito morrer o seu velho homem? Você sente tristeza sincera contra erra o alvo da obediência? A resposta “sim” para estas perguntas mostrará se você tem verdadeira conversão. Caso, contrário arrependa-se da sua vida mundana e corra para a verdadeira vida que só o Senhor Jesus Cristo pode oferecer.

A verdadeira conversão não é só tristeza, raiva, desprezo por tudo aquilo que Deus odeia, mas é também alegria. Isto nos leva ao segundo ponto.

O ressurgir do novo homem

A verdadeira conversão não significa ter uma vida triste e privada de um monte de coisas. Pelo contrário, verdadeira alegria está com os verdadeiros convertidos. Eles olham para Cristo e o perdão de pecados. Eles vem que o Espírito Santo os está santificando. Eles podem perceber que a cada ano eles estão com mais desejo de seguir os mandamentos de Deus. Isso traz verdadeira elegria.

Tal pessoa está com desejo de viver uma vida de oração. De entregar a Deus a sua gratidão e suas necessidades. De adorar a Deus no seu Santo culto. Tal pessoa não serve a Deus com medo da punição ou por mera rotina. Não, tal pessoa está servindo a Deus com amor. Ele quer louvar a Deus por causa das suas misericórdias. Ele quer preencher sua vida com boas obras que agradam a Deus.

Onde podemos encontrar essa vida alegre cheia de boas obras? Podemos encontrar a partir do versículo 10 de Colossenses 3. Qual é a base para esta alegria? É uma vida renovada. Sendo transformada a imagem de Cristo.

Somos estimulados a esta vida. Veja a partir do versículo 12, as marcas da nova vida (ler). Nos relacionamentos com pessoas, a marca deve ser o amor (vv.12-14). Deve haver paz no corpo de Cristo (v.15). O verdadeiro convertido deve ser cheio do conhecimento da Palavra de Deus. Ele investe tempo lendo as Escrituras. Por causa disso ele tem condições de ensinar e aconselhar (v.16). E em seus lábios sempre há um cântico, não palavrões ou palavras de duplo sentido cheio de malícias. E tudo o que ele faz, ele não quer glórias para si, ou quer ser mais santo do que o outro. Não, ele o faz para realçar na sua vida o nome de Cristo. É isto o que vemos no versículo 17.

Conclusão

Crentes não devem ficar de braços cruzados. Eles são chamados a uma vida de luta. Luta contra a velha natureza. Para que a nova possa aparecer mais e mais. Por um lado isto é obra do Espírito Santo que operou fé em nossos corações. Por outro lado, isto é uma responsabilidade de cada um de nós. Que vivamos em gratidão. Na verdadeira conversão. Que possamos brilhar mais e mais em boas obras. Para que tão somente a glória de Cristo possa ser vista. E o nome de Deus possa ser glorificado. Amém!

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Pr. Marcel Tavares

Pastor na Igreja Reformada do Brasil Maranata, em Unaí-MG. Bacharel em divindade pelo Instituto João Calvino.