Sermão preparado pelo pastor Marcel Tavares
Leitura: Mateus 7.15-23; Romanos 8.1-17
Texto: Dia do Senhor 32

Existe uma fábula que conta a história de uma incrível corrida entre uma tartaruga e uma lebre. Na fábula, escrita por um escritor grego chamado Esopo, a lebre se dá por segura quanto a sua vitória na corrida. A lebre é um animal muito veloz, enquanto a tartaruga – como nós sabemos, é um animal lento. Mas, o resultado desta corrida é algo surpreendente: A tartaruga ganha a corrida! Não aquela veloz lebre.

O que aconteceu? A lebre disparou na frente e, vendo que iria ganhar de qualquer jeito, parou debaixo de uma árvore e adormeceu. Ela adormeceu profundamente e não viu quando a tartaruga a ultrapassou. A fabúla tem como moral, ensinar que a soberba e o orgulho são coisas ruins. Também ensina que a persistência e a humildade são coisas de grande valor.

Nossa vida espiritual, que vamos chamar de corrida – como o Apóstolo Paulo faz, é algo para o qual vamos atentar nesta manhã. O que você é? Uma lebre espiritual ou uma tartaruga espiritual? Pessoas podem andar ensoberbecidas e orgulhosas no que se diz respeito a salvação. Essas pessoas, por exemplo, acham que já está tudo bem com elas porque fizeram profissão de fé. Elas acham que vão “ganham a corrida” de qualquer jeito.

Essas são as lebres espirituais. Talvez elas estejam pensando: Meus avós eram reformados! Meus pais são reformados! Eu sou um reformado! Eu vou na igreja uma ou duas vezes por mês. Entrego minhas contribuições. Minha vida lá fora? Pouco importa! (elas pensam). Estou garantido! Mas a verdade é que pessoas assim estão dormindo na caminha da cristã.

E as tartarugas espirituais? Esses são aqueles que estão caminhando. Eles estão crescendo na fé. Eles estão lutando contra a sua natureza pecaminosa, esse peso. Eles não esperam nada de si mesmos. Apenas contam com a graça de Cristo. Essas pessoas estão desejando viver em gratidão.

O nosso catecismo inicia uma nova sessão que trata sobre a nossa gratidão. O Domingo 32 fala sobre a necessidade das boas obras. A vida de boas obras é uma consequencia da nossa salvação. A vida de boas obras também é uma evidencia da salvação. Aqueles que foram salvos por Cristo não ficam dormindo espiritualmente. Eles produzem frutos desta gratidão. Essa é a nossa corrida cristã, devemos perseverar na prática das boas obras.
Eu vos prego o evangelho nesta manhã com o seguinte tema: Deus chama a sua igreja a correr a carreira da vida cristã com boas obras.

1) Esse chamado tem razões (por que devemos andar em boas obras?):

1.1  Fomos comprados e libertados
1.2  Fomos renovados

2) Esse chamado tem finalidades (para que vivemos em boas obras?)

2.1  Mostrar gratidão a Deus
2.2  Louvar a Deus
2.3  Mostrar frutos da fé
2.4 Ganhar nosso próximo para Cristo

Esse chamado tem razões

Por que somos chamados a correr a carreira da vida cristã com boas obras? Porque fomos comprados e libertados! A maioria das religiões pagãs e também muitas que se dizem cristãs, confere às boas obras um mérito para a salvação. Mas salvação bíblica nada tem a ver com méritos. Nós confessamos no Domingo 24 que nossas obras não são méritos diante de Deus. E por que? Porque nossas obras, nesta vida, até as melhores obras, são imperfeitas e manchadas com o pecado.

A Bíblia nunca exige nenhuma obra para que alguém seja salvo. E por que?A Bíblia coloca as boas obras não antes, mas depois da salvação (consequencia). O que é o homem antes da graça de Cristo? A Bíblia diz que ele é um escravo do pecado e do diabo (podemos encontrar isto em João 8).

Veja João 8.34. E João 8.44. O que um escravo do pecado e do diabo pode fazer de bom? Nada! Um escravo só faz o que seu dono exige. Se o dono é mau, o escravo vive o que é mau. Jesus está dizendo isto. As exigências de um Sr. Mau serão exigencias ruins. Aqueles que vivem pecando, fazem isto porque são escravos do pecado. E o capítulo 8 até mesmo coloca os escravos do pecado num relacionamento íntimo com o pai da maldade. Ele diz que tal pessoa é filho do diabo.

Mas o que acontece em Cristo? Libertação! Em Lucas 4.18, Jesus está no sábado numa sinagoga. Lá ele toma o livro e lê o texto de Isaías, mostrando que aquele de quem Isaías falava era o próprio Cristo. Ele diz: Ele me enviou para proclamar liberdade aos presos e recuperação da vista aos cegos, para libertar os oprimidos…”.

Em Cristo nos tornamos livres do pecado e do diabo! No Versículo 36, de João 8, é isto o que Ele mais uma vez declara: “Portanto, se o Filho vos libertar, vocês de fato serão livres”. Nós agora pertencemos a Cristo! Fomos comprados por alto preço (cf. 1 Co 6. 20a.).

Já que agora temos uma novo Senhor, um Senhor bom, como agora devemos viver? Em primeiro lugar, a natureza deste novo Senhor deve influenciar nossas obras. Esse bom senhor sempre vai exigir boas tarefas dos seus escravos. Lembra que o senhor mau exigia obras más? Em Segundo lugar, aquele que reconhece que foi comprado e resgatado de uma vida de opressão e aprisionamento, vai querer servir aos seu bom comprador com toda a alegria – fazendo as obras que o agrada.

Meu querido irmão e querida irmã, ainda podemos comparar o nosso antes e depois como um árvore. Éramos árvores doentes, secas, prestes a sermos cortados e lançados no fogo. Jesus usa essa ilustração da árvorte em Mateus 7.  Por que éramos árvores ruins? Porque estávamos plantados no solo de Adão. Um solo contaminado. Sua raíz estava bebendo de uma fonte ruim e, por isso, fomos completamente afetados.

Mas o que Cristo fez? Talvez lendo o Salmo 1 rapidamente você não perceberá que ali podemos ver a obra de Cristo em nosso favor. Ali também o justo e o injusto são comparados com árvores. O injusto é como uma árvore seca, palha. O justo como é comparado? Com uma árvore plantada junto a corrente de águas. No tempo próprio esta árvore produz frutos e sua folhagem nunca murcha.

Essa corrente de água do Salmo 1 é Cristo! Ele é a fonte de água viva. Ele nos renova! Essa fonte de água viva disse a mulher samaritana em João 4, que ela nunca mais sentiria sede. Eles estavam conversando junto daquele poço de água. Então, por que devemos andar em boas obras? Porque fomos libertos do pecado e renovados em Cristo! Isso é uma consequencia inevitável.

Você sabe o que acontece no coração de alguém que é comprado por Cristo, liberto dos pecados e renovado? Acontece um milagre naquela vida! O Espírito Santo entra naquele coração e faz morada ali. Esse Espírito começa a nos fazer ter tristeza pelo pecado. Ele nos faz pensar nas coisas de Cristo. Ele nos Regeneração. Ele vai nos conformando a imagem de Cristo. As boas obras são consequencias deste fato.   Por causa da regeneração somos chamados em Romanos 6.13 ao seguinte: Não ofereçam os membros do corpo de vocês ao pecado, como instrumentos de injustiça; antes ofereçam-se a Deus como quem voltou da morte para a vida. Viver a vida de pecado seria contrário a obra do Espírito.

E também em Romanos 12.1: Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericóridias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus. Aqui temos o que é compatível a essa ação do Espírito.

Romanos 8 ainda diz. Quem vive segundo a carne tem a mente voltada para o que a carne deseja; mas quem vive de acordo com o Espírito, tem a mente voltada para o Espírito (v.5). Então, o Espírito de Cristo governa nossas vidas!

Agora, talvez você esteja pensando: _e eu? Será que tenho o Espírito Santo habitando em mim?  Você quer saber se o Espírito Santo vive em você? Talvez você vai falar: _ó pastor! Isso não tem como saber! Mas tem sim! O Espírito Santo está ligado com as obras. Jesus disse que se conhece a natureza espiritual de alguém pelos frutos: Pelos frutos os conhecereis(Mateus 7.16). E que frutos são estes? Podemos ver isto claramente em Gálatas 5.

Quem tem o Espírito Santo neste texto e quem não tem? Vamos abrir e ler os versos 1-2 (ler). Agora vamos comparar o versículo 19-20 (isso combina com resposta 87) com 22-23. Então, a Palavra de Deus faz um julgamento sobre a sua situação! Caso você viva na carne, então precisa ainda nascer de novo pelo Espírito de Deus.

Só há dois caminhos: Viva em gratidão, aborreça as obras da carne! Tenha tristeza por elas! Ou, viva no sono espiritual, nas obras da carne, e então terá no fim uma grande decepção como foi com a lebre que perdeu a corrida que achou que já estava ganha. Há um resultado diferente esperando para quem não vive em gratidão.  Esse resultado pode ser inesperado para a pessoa, mas esperado conforme a Bíblia.  Pelo evangelho agora pregado sabemos que nossa vida cristã precisa ser cheia de boas obras.

Reflita sobre a sua vida de boas obras, se de fato há boas obras. Mateus 7.21: “Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor, entrará no reino do céu, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está no céu”.

Então, as razões para as boas obras são: fomos comprados, libertados e renovados. Podemos dizer também: Fomos regenerados! Estamos sendo moldados a imagem de Cristo. Isso nos leva a uma vida diferente. Caso contrário, ainda precisamos nascer de novo pelo Espírito de Deus.  Agora, este chamado também tem finalidades. E isto nos leva ao segundo ponto.

Esse chamado tem finalidades (para que as boas obras são importantes?)

A finalidade das boas obras é o louvor a Deus. Sua vida deve ser vivida para a glória de Deus. Muitas pessoas estão se perguntando o que é louvar a Deus. Muitos confundem louvor com cânticos. Os ministérios de música então tem crescido muito em algumas igrejas.

Mas louvar a Deus não é o mesmo que cântico. Cantar a Deus é parte deste louvor. Porém, se uma pessoa é muito comprometida com cantar ao Senhor na Igreja, e fora dela vive passando cheques sem fundo, prometendo pagamento a alguém e não honrando estes pagamentos, vivendo na impureza sexual ou em outros pecados quaisquer, tal pessoa não louva a Deus em sua vida.

E se uma pessoa não vive para o louvor de Deus em sua vida, a consequencia é que ela também não pode ter a certeza se sua fé é verdadeira. Fé e obras são dois lados da mesma moeda. Foi por isso que Tiago escreveu em sua carta capítulo 2, versículo 17: fé sem obras é morta! Você diz que tem fé, mas cadê as obras que as confirma? Aquele que tem o Espírito vive pelo Espírito, não cogita as coisas da carne. Suas obras são compatíveis com sua fé, dada pelo Espírito Santo.

Aquelas pessoas que vivem para o louvor de Deus, manifestando isto com frutos de gratidão, estão confirmando a verdadeira fé que uma vez foi dada. Isto é muito confortador. Você pode ter a certeza se de fato é um filho de Deus pelas boas obras.  Pedro confirma isto em sua segunda epístola, capítulo 1, versículo 10, quando diz que a vida de boas obras de gratidão confirmam a eleição.  Pensem num carimbo?  Os frutos de gratidão são um carimbo! É certo que esta fé é verdadeira.

Além disso, essa vida de boas obras vai funcionar como o melhor dos evangelismos. Muitas pessoas estão gastando muito dinheiro com cruzadas evangelísticas. Eles estão chamando vários pastores e várias bandas de músicas cristãs. Eles fazem um tremendo movimento. Mas será que isto funciona? E se depois de todo este movimento, aquelas pessoas estão vivendo uma vida corrupta? Esse evangelismo não funciona!  O que Cristo fala sobre boas obras e evangelismo? Mateus 5.16: “Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao

Pai de vocês, que está nos céus”. Esse glorificar tem a ver com o fato de que estas pessoas também estão reconhecendo a salvação do nosso Deus!
Se uma mulher ou um homem que se converte tem o seu esposo ou esposa que ainda não se converteu a Cristo. Como ganhá-lo ou ganhá-la? 1 Pedro 3.1: “Do mesmo modo mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, a fim de que, se ele não obedece à palavra, seja ganho sem palavras, pelo procedimento de sua mulher”. Versículo 2: “Observando a conduta honesta e respeitosa de vocês”.

Você quer ganhar seu filho ou filha para Cristo? Viva nas obras que agradam a Cristo! Talvez alguns aqui desejam ver seus funcionários entrando na igreja e servindo também a Cristo neste lugar. Eu diria então baseado neste texto: façam a luz de Cristo brilhar em vocês no trato com os empregados. Sejam gentis. Cumpram promessas. Pagem no prazo. Não defraudem ninguém.

E no que diz respeito a igreja como um todo. Quer que ela seja a coluna e o baluarte da verdade nesta cidade de Unaí? Nos seus relacionamentos lá fora, seja com fornecedores ou com contadores, ou qualquer outra pessoa, viva uma vida honesta. Pague a quem devem. Não subornem. Não prejudiquem. Sejam amáveis. Deixe Cristo brilhar através de vocês.

Para concluir querido irmão ou irmã, vocês que foram salvos e tem o Espírito Santo, rejeitem tudo aquilo que manche a glória de Cristo. Alegrem-se e vivam na salvação que Ele conquistou! Sejam humildes e perseverantes. Pela graça vocês chegarão vencedores no final da carreira cristã. Vamos terminar lendo 2Pedro 1.5-11.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Pr. Marcel Tavares

Pastor na Igreja Reformada do Brasil Maranata, em Unaí-MG. Bacharel em divindade pelo Instituto João Calvino.