Pregação preparada pelo Pr. Kenneth Wieske

Leitura: Êxodo 12.01-14

Texto: Dia do Senhor 28

 

Amada congregação do nosso Senhor Jesus Cristo:

Há quase 3,500 anos, quando o sol estava se pondo, um povo estava preparando uma refeição. Os Israelitas estavam preparando uma refeição para comer antes de deixar a terra de Egíto. Mas que refeição estranha! Mataram um cordeiro, e colocaram o sangue acima e aos dois lados da porta da casa; comeram a carne com pão sem fermento, e com ervas amargas. Comeram à pressa, prontos para viajar: “lombos cingidos, sandálias nos pés e cajado na mão”.

Naquele dia Deus instituiu o segundo sacramento do pacto: a Páscoa. Sendo um sacramento–um santo, e visível sinal e selo–a Páscoa ensinou as promessas de Deus ao seu povo. O sangue do cordeiro era un sinal que o povo de Deus não experimentou a ira destruidora de Deus. Este sangue apontou o Cordeiro de Deus que um dia iria salvar o povo de Deus da ira de Deus contra pecado. O sangue lembrou ao povo de Deus que Deus não matou os primogênitos dos Israelitas, mas que um dia ele iria matar o seu próprio filho unigênito para salvar o seu povo. As ervas amargas falaram sobre o sofrimento que o povo sofreu na escravidão. É o jeito de celebrar a Páscoa–prontos para viajar: “lombos cingidos, sandálias nos pés e cajado na mão”–falou sobre a promessa duma nova terra que mana leite e mel.

Mais ou menos 1,500 anos depois, quando o sol estava se pondo, o povo de Israel estava mais uma vez celebrando a Páscoa. Mas esta vez, entre eles, um pequeno grupo de 12 homens estava aprendendo uma significação completamente nova. Jesus Cristo, durante a celebração da Páscoa, tomou este pão, e disse: Isto é o meu corpo. Assim ele deu um novo sentido ao pão: não fala mais sobre o sofrimento do povo de Deus como escravos, mas fala sobre o sofrimento de Jesus para pagar os nossos pecados! Tomou o vino, e também deu um novo sentido: isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados.

Assim nosso Senhor instituiu o sacramento da Santa Ceia. Não é mais sacramento de sangue, por que o Cordeiro de Deus foi o último sacrificio de sangue; era o único sacrificio efficaz, que pagou uma vez por todo as nossas transgressões. Vocês se lembram do batismo? A Bíblia o chama “a circuncisão de Cristo”. Não fala, como a circuncisão, da necessidade de derramar sangue para a remissão dos nossos pecados; mas fala da purificação que temos pela fé, sendo lavados no sangue de Cristo.

Igualmente, Jesus Cristo instituiu a Santa Ceia com os elementos de pão de vinho. Não precisa mais derramar o sangue dos animais–por que o Cordeiro de Deus já foi sacrificado uma vez por todas.

Nossa confissão pergunta: como a Santa Ceia fortalece sua fé? Como este sacramento te assegura que você tem parte no sacrificio de Cristo na cruz e em todos os seus beneficios?

A resposta: primeiramente, “Cristo me mandou, assim como a todos os fiéis, comer do pão partido e beber do cálice, em sua memória.” “Fazei isto em memória de mim”, Cristo disse (1 Cor 11.23). É uma ordem. Jesus chama você, crente, para participar na Ceia do Senhor. Porque ele tem algo a dizer a você. Tem promessas a te mostrar:

1. A realidade da nossa salvação.
Você esta vendo o pastor, quebrando o pão? Está vendo o vinho derramado? Tão certamente meu corpo foi o sacrificado, e meu sangue derramado, para pagar seus pecados!

2. O alimento espiritual.
Você está tomando o pão e o vinho com a sua mão, e você está provando com sua boca. Pão e vinho eram a comida commun naqueles dias. Como você se alimenta todos os dias sua vida natural com pão e vinho, tão certamente eu estou alimentando sua vida eterna e espiritual com meu corpo e meu sangue.

Você poder viver sem comer e beber? Impossível. Assim, irmãos, Deus nos ensina que o crente não pode viver sem Cristo. A Bíblia fala muito fortemente sobre isto. (João 6:51-58)

3. Nossa união com Cristo.

A Santa Ceia nos ensina uma realidade muita profunda. Que, crendo em Jesus Cristo, fazemos parte do seu corpo! Somos membros do corpo de Cristo. Sendo membros, todas as coisas que Jesus tem, nos compartilhamos! (afogar no mar–salvar–dedo–corpo)

Como uma mão recebe vida do corpo, através do sangue e carne do corpo, assim nos que somos pela fé em Cristo recebemos alimentação do Cristo. Fazemos parte do seu Corpo.

Ele morreu na cruz, e pelo sofrimento e morte dele, satisfez a ira de Deus contra pecado? Então, em Cristo, e como nos sofremos e pagamos o preço, e como nos ganhamos pessoalmente o perdão dos pecados e a vida eterna.

Comer o corpo e beber o sangue de Cristo significa também que nos compartilhamos o mesmo Espírito. (João 6.56 Quem comer a minha carne e beber o meu sangue permanece em mim, e u, nele.) Como Jesus permanece em nos? Com seu Espírito… “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (1 Cor 3.16) “Acaso não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós?” (1 Cor 6.19)

“Ele é a cabeça do corpo, da Igreja” (Col 1.18) O seu corpo, tem uma alma para a cabeça, e uma outra alma para o resto do corpo? De modo nenhum! Temos uma alma que une todos os membros do nosso corpo. Igualmente, a cada vez que o crente toma a Santa Ceia, Deus está nos ensinando que somos unidos com Cristo, fazemos parte do corpo, da Igreja, e que assim compartilhamos também no seu Espírito Santo! Não existe um crente sem o Espírito. Imagine! Um membro do corpo que não compartilha a alma do corpo? Impossível.

Irmãos, o sacramento da Santa Ceia é um dom de Deus. Mostra o amor de Deus para conosco. Guarante que, unidos pela fé com Cristo, temos remissão dos pecados e a vida eterno. Nos ensina e affirma que somos membros do corpo de Cristo, e que assim temos o mesmo Espírito. Nos alimenta com o corpo e o sangue de Jesus, para nos fortelecer em nossa vida espíritual.

Isto significa que o crente deve ter fome e sede pela Santa Ceia. Um crente não vai facilmente faltar esta celebração. Quando Deus nos dar algo para fortelecer nossa fé, não é sábio desprezar isto!

Significa também que nossos congregados e nossos filhos devem continuar firme, estudando e se preparando para serem aceitos como membros professores da Igreja.

Significa que não tem vida fora da Igreja de Cristo. Se alguem não tem nenhuma ligação com a Igreja de Cristo, não é membro, não é congregado, mais mesmo assim considera-se crente, tome cuidado! Um membro separado do corpo não pode crescer, nem pode viver.

Mas para todos aqueles que tem comunhão com Cristo, que pela fé são membros do corpo, Jesus está falando a você através da Ceia: Meu filho, minha filha, em mim você tem tudo. Você faz parte de mim. Em mim, você tem remissão de todos os seus pecados. Não temas. Não existe um pecado, nem o maior no mundo, que meu sangue não lavou, que meu sangue não te purificou. Em mim, você tem a vida. Eu cuido de você, dando o paõ da cada dia. Mas além disto, eu te alimento com meu próprio corpo e sangue. Isto é verdadeira vida! Vocé tem meu Espírito, porque você vive em mim, e eu em você. Não temas, filho. Se o Espírito de Deus habita em você, você nunca vai morrer. Você tem certeza da vida eterna.

Continue! Fazei isto em memória de mim. Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a minha morte, até que eu venho. E, a cada vez que você está lembrando minha morte para você, eu estou te affirmando de novo sua vida eterna.

Amém.

 

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Compartilhe!

Pr. Kenneth Wieske

Pastor da Igreja Reformada em Surrey, Colômbia Britânica. Desde 2000, serve as Igrejas Reformadas do Brasil como plantador de igrejas. B.A. McMaster University, M.Div. Theological College of the Canadian Reformed Churches. Estudos em línguas originais no Institut Farel de L´Église Réformée du Québec.

Leave a Comment