Pregação preparada pelo Pr. Abram de Graaf

Leitura: Dia do Senhor 23

Texto: 1ª Pedro 01:03-08

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Hoje é um dia muito especial para a nossa congregação, pois neste culto, 5 irmãs confessarão a sua fé em nosso Deus. Elas já confessaram o conteúdo da sua fé, no início deste culto, declarando o Credo Apostólico. E assim elas mostraram publicamente que todas elas têm a mesma fé, como nós temos.

Estudamos muito nos últimos anos. Algumas mais do que as outras. Dois ou três anos. Cada semana nós nos reunimos e estudamos A Bíblia, o Credo Apostólico, Os Sacramentos, Os dez Mandamentos, O Pai Nosso. Todas as coisas básicas da nossa fé. Expliquei tudo com a bíblia na mão. Mostrando o que a palavra de Deus está dizendo. E perguntei a vocês se vocês acreditaram estas coisas, que são reveladas na Bíblia. Vocês disseram: sim! Depois chegaram dois homens, que participam do treinamento para um conselho e eles falaram também com vocês e verificaram se realmente crêem nestas coisas. E de novo vocês afirmaram e disseram: sim! E hoje será a terceira vez. Três vezes. Para mostrar que é uma coisa séria. Pois fazer a profissão de fé não é uma brincadeira. Fazemos publicamente perante os irmãos na igreja, mas também perante Deus, que está no céu. Ele conhece o nosso coração. Perante Ele devemos cumprir os nossos votos, pois o nosso Deus não é brinquedo não!

Enfatizo isso, pois sei que há pessoas, que fizeram profissão de fé aqui na nossa igreja, mas depois desistiram. Faz tempo que elas fizeram o seu voto. E agora elas dizem: ah, naquele momento eu disse ‘sim’, mas agora a minha vida mudou. O meu ‘sim’ antigo, não vale mais. Sim, eu prometi para seguir Jesus e para obedecer aos seus mandamentos, mas o meu ‘sim’ não foi puro; não foi 100% sim. Agora elas dizem: sim, eu prometi respeitar os oficiais da igreja e prometi de me submeter a disciplina da igreja, mas este sim não vale mais. Pois eu não concordo com os presbíteros e quero fazer o que quero. Irmãos, um tal ‘sim’ não é um verdadeiro ‘sim’. Quem fala assim, não é fiel. Quem fala assim não tem fé. Ele está brincando com Deus.

Mas, felizmente, a situação hoje não é assim. Estas congregadas estudaram seriamente, elas conhecem Jesus, amam Jesus e elas querem dedicar a sua vida para seguir Jesus. Elas crêem que Deus é poderoso e que Ele é fiel. Estudamos muito tempo, para que essa profissão da fé, não será uma coisa superficial, mas para que seja uma coisa profunda. Que seja uma profissão que sai do coração, como está escrito em artigo 1 da nossa Confissão da fé: todos nós cremos COM O CORAÇÃO e confessamos COM A BOCA. Assim deve ser: CONFESSAR COM A BOCA E CRER COM O CORAÇÃO.

Nesta ocasião quero pregar sobre o Domingo 23 do Catecismo. Pois o Catecismo faz uma pergunta interessante que está fortemente ligado com este momento. Depois de ter tratado o Credo Apostólico, que é um resumo da nossa fé cristã, o catecismo nos pergunta: QUE PROVEITO TEM A SUA FÉ EM DEUS? Esta pergunta é uma pergunta normal. E pode ser que vocês já ouviram esta pergunta. Pode ser em outras palavras, mas com o mesmo conteúdo. Pode ser do lado da sua família, ou de um colega ou de um amigo, que ouviu que vocês iam fazer a profissão da fé. Pessoas descrentes, ouvindo isso, ficam curiosas e às vezes perguntam: porque você vai fazer a sua profissão da fé? E escondido, atrás dessa pergunta, existe uma curiosidade. QUE PROVEITO TEM SUA FÉ EM DEUS?

Esta pergunta, irmãos, pode ser uma boa pergunta, vindo de uma boa pessoa; mas esta pergunta pode se tornar uma tentação. Pois também o diabo gosta de fazer este tipo de perguntas, especialmente nos momentos difíceis da nossa vida: num tal momento ele se aproxima e pergunta: QUE PROVEITO TEM A SUA FÉ EM DEUS? Dá para sentir que o caráter desta pergunta muda completamente, dependendo da nossa situação. QUE PROVEITO TEM SUA FÉ EM DEUS?

Como já disse: O diabo gosta de fazer esta pergunta, usando pessoas que estão perto de nós. Como no caso de Jó. Todo mundo aqui conhece Jó, não conhece? Sim conhece! Jó era um crente rico, que perdeu tudo, num dia só. Tudo, tudo, tudo. Os seus filhos, os seus servos, o seu gado, todos os seus animais. Tudo! E naquele momento a mulher dele se aproximou e disse: “Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoa Deus e morre”. Assim reage o descrente, irmãos. Ele só confia em Deus, se Deus cuida bem dele. Mas o piedoso Jó deu a resposta certa a sua mulher; ele disse: Falas como qualquer doida; temos recebido o bem de Deus e não receberíamos também o mal?”

Jó acreditou que a vida de um crente não é sempre uma vida boa. Também na vida de um crente podem acontecer coisas ruins como uma doença ou um acidente. A miséria e a morte não passarão pelas nossas portas. E se acontecer, o diabo virá e perguntará: QUE PROVEITO TEM SUA FÉ EM DEUS? A tua fé é um remédio garantido que cura o seu filho que está doente? A tua fé é uma garantia para uma vida com prosperidade e sucesso? Há pessoas que pregam isso, mas a bíblia e a prática da nossa vida não confirmam isso. Jó disse: “Falas como qualquer doida; temos recebido o bem de Deus e não receberíamos também o mal?”. As chuvas fortes caiem tanto na casa do descrente como também na casa do crente. E acontece que o descrente sofre nada enquanto o crente luta para sobreviver. Então QUE PROVEITO TEM SUA FÉ EM DEUS?

A Palavra de Deus nos ensina que a fé não garante um grande sucesso ou muita prosperidade neste mundo. Mas o crente sabe que ele pode esperar as bênçãos do Senhor. Pois muitas vezes lemos nas Escrituras: Bendito o homem que confia no Senhor e cuja esperança é o Senhor (Jer. 17,7). Deus promete a sua benção ao crente. Mas esta benção não é igual ao sucesso ou a prosperidade. Sucesso ou prosperidade neste mundo pode ser uma maldição. A benção de Deus pode ser uma doença. As bênçãos de Deus não são contadas em reais. O crente não recebe a promessa que tudo andará bem na sua vida. Ao contrario! Jesus mesmo nos avisou antes de segui-lo. Ele disse aos seus primeiros discípulos: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça. Quem quer seguir Jesus deve ser preparado para sofrer e até morrer por causa dele. Jesus disse (Mt. 16,24): Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida por minha causa achá-la-á.

Estas palavras já mostram que não é barato ser um crente. Devemos mudar a nossa vida; devemos crucificar o nosso velho homem; devemos crucificar a nossa atitude errada; e os nossos costumes da carne; o carnaval da nossa vida acabou e o festival de Cristo começou. Isso é o festival com humildade e sinceridade (1 Cor. 5); Quem segue Jesus sabe que a vida será assim. Vamos sofrer como Cristo sofreu. A vida após Jesus não é uma vida atraente; A carteira não ficará mais gorda, mas mais magra, pois quem diz fé, também diz sacrifício! Não vamos à igreja para nos enriquecer, mas para dedicar a nossa vida no serviço de Deus. O dinheiro não é o símbolo da igreja, mas a cruz.

Então, se uma pessoa lhe pergunta: QUE PROVEITO TEM SUA FÉ EM DEUS? E ela está pensando em lucro, ela ficará decepcionada, pois a fé não dá lucro. O crente não recebe lucro, mas ele será bendito. E qual será esta benção? A Bíblia nos dá a resposta: o proveito é que sou justo perante Deus, em Cristo, e herdeiro da vida eterna. A benção de Deus, irmãos, não existe em dinheiro, nem em bens materiais, mas a benção de Deus é espiritual. O Reino de Deus não é deste mundo, mas está dentro de nós, espiritualmente. Pela fé somos justos perante Deus, em Cristo, e herdeiros da vida eterna.

Uma pessoa descrente não sabe avaliar estas coisas. Ela só pensa em coisas materiais, em dinheiro, em bens, em lucro. Mas o crente viu o Invisível. Ele crê nas coisas que nenhum olho jamais viu e que nenhum ouvido jamais ouviu. Muitas pessoas não entendem isso, pois não experimentaram o poder de Deus na sua vida. Elas acham que a religião é como um saco cheio de ar; não há nada dentro. Houve um homem que disse que a religião é uma droga para o povo. A religião vende ilusões, fantasmas. A igreja fala ao pobre sobre a riqueza de Cristo e sobre a vida eterna. Mas ninguém viu essas coisas. E por isso ele chamou isso uma ilusão. Uma droga. Uma droga cria também uma ilusão. A pessoa usa e esquece a sua miséria por um momento. Mas na realidade nada muda. Quando ela acordar ainda estará na miséria.

Assim pensa o descrente, mas quem conhece Deus e quem experimentou o poder de Deus na sua vida; ele ou ela sabe que existe neste mundo muito mais além das coisas materiais. Paulo disse (2 Cor. 4,3): Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto, nos quais o Deus deste século cegou o entendimento, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus. O que isso quer dizer? Isso quer dizer que Deus deve abrir os olhos dos descrentes. Ninguém tem a fé de si mesmo. A luz do evangelho vem de Deus. A luz que resplandece a nossa vida vem de Deus. Isso nós confessamos hoje. Nós não estamos aqui para glorificar pessoas, mas estamos aqui para glorificar a Deus. Ele abriu os olhos das nossas irmãs; ele abriu os corações delas, para que a luz de Cristo domina a vida delas.

E se a luz de Cristo domina a vida delas, Cristo mesmo domina a vida delas. Naquele momento a vida delas pertence a Cristo e Cristo pertence a elas. Isso é o mistério da fé. Isso é também o mistério do Reino de Deus. O Reino de Deus é como um semeador que joga a semente em todo canto; e esta semente vai crescer e dará frutos: 30 vezes, 60 vezes e 100 vezes. O evangelho é pregado e semeado; em todo canto; em todos os corações; há lugares onde a semente não tem chance para crescer; e há outros lugares onde a semente começa a crescer. Por que? Eu não sei. Quem sabe é o dono do campo; ele preparou o campo para ser um bom campo. Às vezes acontecem coisas na nossa vida, que nos deixam sofrer; e de repente ouvimos uma palavra de Deus, que cai no nosso coração como uma semente num campo fértil. Esta palavra nos pega e não sai mais da nossa cabeça; ficamos inquietos e continuamos a visitar a igreja. Queremos saber mais, a luz do evangelho entrou na nossa vida e começa a brilhar mais e mais. Num tal momento o Espírito de Cristo está trabalhando na nossa vida. E ele nos mostra a riqueza que temos em Cristo Jesus.

Cristo mesmo diz a congregação de Smyrna, mas por ela também a todas as igrejas: Conheço a tua tribulação, a tua pobreza, mas tu és rico. Jesus disse: tu és rico; ele não disse: tu serás rico; no futuro, no céu. Não, ele usa o presente do evangelho. Tu és. Agora o nosso catecismo usa o mesmo presente do evangelho. O catecismo diz: Eu sou justo perante Deus, em Cristo, e sou herdeiro da Vida Eterna. O segredo é JESUS CRISTO. EM CRISTO sou justo perante Deus. EM CRISTO sou herdeiro da vida eterna. De mim mesmo não sou. Eu não sou justo de mim mesmo. De jeito nenhum! A segunda parte deste domingo enfatiza isso. Como você é justo perante Deus? E a resposta diz: Somente pela verdadeira fé EM JESUS CRISTO. Mesmo que a minha consciência me acuse de ter pecado gravemente contra todos os mandamentos de Deus, de não ter guardado nenhum deles e de ser ainda inclinado a todo mal, todavia Deus me dá, sem nenhum mérito meu, por pura graça, a perfeita satisfação, a justiça e santidade de CRISTO. Então, irmãos, TUDO vem de CRISTO. Toda a minha vida depende de CRISTO. EM CRISTO sou justo perante Deus. EM CRISTO sou herdeiro da vida eterna.

Então a grande pergunta é: ESTAMOS EM CRISTO? Pergunto a vocês, VOCÊS ESTÃO em CRISTO? E a resposta é sim! SIM, vocês estão em Cristo. Vocês foram batizados em Cristo Jesus. A vida com Cristo começa assim. Por isso, perguntei a vocês – já faz uns meses – se vocês foram batizados. E por isso também insistiu tanto (e fico insistindo) para receber o batistério de vocês. Pois não devemos desprezar o nosso batismo. O batismo não é somente entrar na água. O batismo marca o início da nossa vida com Cristo.

Ao mesmo momento devo dizer que o batismo não é TUDO! Pois um batismo sem fé, não vale muito. Com o batismo (no caso de adultos) ou depois do batismo (no caso de um batismo infantil) o membro deve confessar a sua fé. Uma pessoa pode ser batizada sendo criança, mas se nunca chega a ponto de confessar o nome de Jesus. Jesus não confessará o seu nome perante o Pai que está no céu. A água do batismo é uma benção se reconhecemos a autoridade de Cristo sobre a nossa vida. Mas a mesma água do batismo será uma maldição contra aqueles, que foram batizados, mas negaram a autoridade de Cristo sobre a sua vida. Eles estão fora de Cristo. E por causa disso não terão parte na vida eterna. Mas aqueles que são batizados EM CRISTO e que vivem COM CRISTO; aqueles que AMAM Cristo sinceramente, eles compartilharão também nas bênçãos de Cristo, que são a justiça e a vida eterna. Mas estas bênçãos receberemos somente se CREMOS em Cristo.

Devemos ser cuidadosos, aqui, pois uma pessoa poderia pensar que a fé é um mérito nosso. A última parte deste capítulo do catecismo nega isso. Nós não somos salvos POR CAUSA DA NOSSA FÉ, mas PELA fé. Somos salvos POR CAUSA DO SACRIFICIO DO NOSSO SALVADOR. E devemos reconhecê-lo como nosso Salvador. Isso é a fé.

Deixa-me explicar isso. Todas vocês são batizadas. Algumas sendo crianças e uma de vocês como jovem. Naquele momento Cristo entrou na sua vida e ele lhe ofereceu a sua mão; ele fez a promessa que quer ser o seu Salvador. E agora, irmãs, neste momento vocês estão no ponto de confessar o nome de Cristo como o seu Senhor e Salvador. Isso quer dizer que vocês acreditam que Jesus falou a verdade e com o seu ‘sim’ você aceita a mão de Jesus Cristo e quer seguir o caminho dele. Ele nos leva ao Pai. E junto com Ele temos a segurança que ele cobre as manchas da minha vida, as minhas fraquezas e os meus pecados. Deus me tratará como se eu nunca tivesse cometido pecado algum ou jamais tivesse sido pecador. Sou sujo, mas EM CRISTO estou limpo; sou fraco, mas EM CRISTO estou forte; Nada mereço, eu só recebi; só pela graça eu me converti. Eu não me orgulho. Sou pecador, mas Cristo me salva. Sou salvo no sangue remidor!

 

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

*** Sermão preparado para profissão de fé de cinco irmãs, o pregador pode tirar os nomes ou substituir por outros

**** Encontre mais sermões do Pr. Abram de Graaf em: bramdegraaf.com

Compartilhe!

Pr. Abram de Graaf

O pastor Abram de Graaf é “Doctorandus” (Drs) em Teologia e um dos professores do Instituto João Calvino (Aldeia, Camaragibe-PE). Ele é pastor da Igreja Reformada de Hamilton, Canadá, enviado como missionário às Igrejas Reformadas do Brasil, desde o ano 2000. É Diretor do Projeto Dordt-Brasil. Ele mora em Maceió e também desenvolve projetos nessa cidade.

Deixe um Comentário