Pregação preparada pelo Pr. Julius VanSpronsen

Leitura: Gálatas 05.16-26; Efésios 04.17 – 05.02 (01, 02.23-25, 04.17ff)

Texto: Dia do Senhor 20

 

Amada congregação do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo,

Deus, o Espírito Santo, habita no nosso meio, e concede alegria aos corações e às vidas dos cristãos regenerados. Deus, o Espírito Santo, nos conduz a Cristo. Vocês amam o Espírito Santo? Vocês confiam no Espírito Santo? No Credo Apostólico, confessamos: “Creio no Espírito Santo” e no Credo Niceno confessamos: “Cremos no Espírito Santo, Senhor e Vivificador, que procede do Pai e do Filho, e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado”. A vida cristã é dependente do trabalho do Espírito Santo, e o nosso conhecimento dele afeta a nossa vida inteira.

A Bíblia revela que o Espírito Santo é verdadeiro e eterno Deus, juntamente com o Pai e o Filho. “Ele não foi feito, nem criado, nem gerado e, Ele é, pela ordem, a Terceira Pessoa da Trindade, de igual substância majestade e glória com o Pai e o Filho” (Confissão Belga, Artigo 11). Enfatizamos a igualdade nas pessoas da Trindade, porque muitas instituições que se chamam igrejas, sempre falam sobre o Espírito Santo como se fosse um trabalho que é separado de outro trabalho da Trindade – O Espírito Santo é a Terceira Pessoa na Trindade – Ele não veio depois das outras como uma nova manifestação de Deus… ou até mesmo, como alguns ensinam, como uma emanação ou poder de Deus. O Espírito Santo é Deus Todo-Poderoso – o objeto do nosso amor! Amamos o Espírito Santo. Ele não é somente um poder abstrato saindo do trono de Deus, mas Ele é uma pessoa da Trindade. Ananias e Safira mentiram ao Espírito Santo (Atos 5:3, 4) – não se pode fazer uma mentira a um poder impessoal. Paulo disse em Efésios 4.30: “E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção”. Não se pode entristecer uma emanação ou poder, mas Ele é verdadeiro e eterno Deus, juntamente com o Pai e o Filho! Há um Deus: Pai, Filho e Espírito Santo, e 3 pessoas. Membros da Igreja Reformada louvam ao Espírito Santo nos cânticos, nas confissões e nas vidas; e eu trago o evangelho de Jesus Cristo sob o seguinte tema:

Tema: O Espírito Santo, juntamente com o Pai e o Filho, é adorado e glorificado.

Veremos que Ele:

  • 1. Trabalhava desde o início.
  • 2. Mora dentro da Igreja.
  • 3. Orienta-nos para o Cristo.

1. O Espírito Santo trabalhava desde o início.

O Espírito Santo não começou a trabalhar na época de Pentecostes, e o seu trabalho não é limitado ao trabalho de santificação, mas Ele sempre está trabalhando junto com o Pai e o Filho. Em cada época da história do mundo e da igreja, o Espírito Santo estava trabalhando. Lemos em Gênesis 1:2 que “o Espírito de Deus pairava por sobre as águas” no momento da criação, e quando Gênesis 1.26 diz: “Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem…”. Vemos claramente que o Espírito Santo fez parte desta declaração que foi feita no plural. Salmo 104 revela que o Espírito Santo restaura a face do mundo, e os Salmos 51 e 143 falam sobre o trabalho do Espírito Santo nos corações dos crentes. Lemos tanto no Antigo como no Novo Testamento, que o Espírito Santo prepara homens para os seus ofícios. Veja Números 11.25, quando o SENHOR pôs o Espírito Santo sobre Moisés e também sobre aqueles setenta anciãos, e compare com Lucas 1.67 onde lemos que Zacarias, pai de João Batista, tinha o Espírito Santo e profetizou. Além do trabalho de criação e purificação, e além de repousar nos oficiais da igreja, lemos em 2 Pedro 1.20, 21 que até os profetas, homens santos, falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo. A palavra de Deus é um trabalho do Espírito Santo – podemos ver a mão d’Ele na produção e preparação da Bíblia; também podemos ver o trabalho do Espírito Santo na pregação e no uso da Bíblia todos os dias das nossas vidas. O Espírito Santo vai trabalhando juntamente com a Palavra de Deus, para semear arrependimento, alegria e confiança na nossa salvação em Cristo. Na Bíblia, o Espírito Santo é descrito como a água que limpa e purifica (cf. Is 55.1; 44.3; João 7.37; Ezequiel 38.25); como óleo que dá o vigor da vida (1João 2.20, 7); como fogo que incendeia o coração pelo amor a Deus e pelo zelo à piedade (Lucas 3.16); como a fonte donde nos emanam todas as riquezas celestes (João 4.14); e como a mão de Deus pela qual exerce sua soberania, para que não mais sejamos guiados por nós mesmos, porém, regidos por sua ação e impulso (Atos 11.21) – (cf. Calvino, João. As Institutas, Livro 3, capítulo 1, 3).

Percebemos que o Espírito Santo, juntamente com o Pai e o Filho, faz muitas coisas no mundo e na igreja – a igreja pode louvá-Lo pela produção da Bíblia, pela criação, pelos oficiais, pela comunhão dos santos, pelos cultos, pela pregação, pela vida cristã, pelo conforto, pelo conhecimento… Então, até antes de Pentecostes, a igreja de Cristo louvou ao Espírito Santo por meio do seu trabalho na Trindade.

Não devemos limitar o trabalho do Espírito Santo a Pentecostes, mas, ao mesmo tempo, a igreja deve reconhecer que Pentecostes foi um evento muito especial e significante para as nossas vidas. A nossa igreja é uma igreja pentecostal! Cremos na significância de Pentecostes. Cremos que quando o Espírito Santo foi derramado sobre a Igreja, isso foi um novo trabalho d’Ele! Antes de Pentecostes, Deus morava no meio do povo, pois andava no jardim, estava no tabernáculo, no templo e na presença do Seu único Filho Jesus Cristo… Mas depois de Pentecoste, Deus eterno e Todo-Poderoso habita no nosso meio – Ele faz morada nos nossos corações. Confessamos que o Espírito Santo “foi dado a mim para me tornar participante de Cristo e de todos os seus benefícios, para me consolar e para permanecer comigo para sempre”. Paulo explica em Efésios 1.13 que cremos em Cristo depois que ouvimos “a palavra da verdade, o evangelho da vossa [nossa] salvação”, e “tendo nele também crido, fomos selados com o Santo Espírito da promessa”. Paulo explica o milagre de Pentecostes… Pentecostes é uma consequência da fé, e o Espírito Santo é o selo que garante a nossa herança, uma marca da nossa salvação em Cristo. O trabalho do Espírito Santo em Pentecostes é uma nova obra – o momento quando Deus mesmo entrou nos corações de todos os que creem em Cristo. Consideremos mais esse trabalho no segundo ponto:

2. O Espírito Santo habita na Igreja.

Salmo 133 fala de forma linda sobre “o óleo precioso sobre a cabeça” do sacerdote, o qual desce para a barba de Arão e desce para a gola de suas vestes. É como o orvalho do Hermom que desce sobre os montes de Sião”. Todos os sacerdotes foram ungidos com o óleo da unção (Êx 29.7). Aquele óleo separava os sacerdotes dos outros membros do povo de Deus; ele também significava que os sacerdotes (e todos que foram ungidos nos seus ofícios: reis e profetas também), receberiam a orientação do Espírito Santo no seu ofício. O óleo significava o Espírito Santo. Em Salmo 133 está o exemplo de um sacerdote sendo ungido. Esse Salmo é usado para descrever as bênçãos de Deus no Novo Testamento. Ele fala sobre uma cabeça e um corpo – e agora, como o óleo começava a descer da cabeça de Arão para o corpo, assim o Espírito Santo começou a descer de Cristo para o Seu corpo que é a igreja. Cristo, o Cabeça, recebeu a unção do Espírito Santo, e agora o Espírito Santo desce da Cabeça – que é Cristo –, para o corpo – que é a Igreja. Quando Cristo ascendeu aos céus, Ele derramou o Espírito Santo na igreja (Atos 2.33); o corpo recebeu a unção do Espírito Santo, ou seja, compartilhou na unção de Cristo, e partilhou em todos os benefícios do seu trabalho. Por isso, Paulo escreve em 1 Coríntios 3:16 e 6.19 que a Igreja é o templo do Espírito Santo, e em Efésios 2.21-22 Paulo escreve que, em Cristo, “todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito”. Somos uma habitação de Deus! Deus morava no nosso meio pelo Espírito Santo. Irmãos e irmãs, o fato é que todos os que creem em Cristo, têm o Espírito Santo! Nós devemos entender (e no nosso contexto aqui no Brasil, esse entendimento é muito importante): Todos que creem em Jesus Cristo, cada pessoa que é um membro do corpo de Cristo, recebe a Sua unção e tem o Espírito Santo. Todo membro do corpo de Cristo, todo membro da verdadeira Igreja de Cristo, tem o Espírito Santo completamente. A igreja é o templo do Espírito Santo.

Irmãos, apesar do ensino dos falsos profetas, o alvo dos cristãos não é receber o segundo batismo do Espírito Santo. Não existem níveis ou câmaras dentro da Igreja, entre os que têm o Espírito Santo e os que não têm o Espírito Santo. Mas, na verdade, isso acontece! Alguns ensinam que os cristãos superiores têm capacidades diferentes, porque eles têm mais do Espírito Santo; outros se sentem inferiores, porque eles somente têm fé em Cristo, mas não têm o Espírito Santo e não receberam o segundo batismo. Divisões entram a igreja por causa do Espírito Santo? Não! Entram por causa da doutrina falsa, por causa das expectativas erradas. Confessamos que o Espírito Santo está promovendo a comunhão dos santos, mas eles negam pentecostes; eles negam as palavras de Paulo; eles dividem a Trindade por dizer que alguém pode ter Cristo, mas não tem o Espírito Santo. Porém, a Bíblia ensina que onde há Cristo, há o Espírito Santo. E cada Cristão tem o Espírito Santo – a evidência de Sua presença está nos seus frutos. Se você pode dizer: Eu sou membro do corpo de Cristo, também pode dizer plenamente: Eu tenho o Espírito Santo.

O Espírito Santo está trabalhando e operando dentro da Igreja. Na verdadeira Igreja, o homem ouve a proclamação do evangelho. Na Igreja, podemos usar os sacramentos. O Espírito Santo e a Palavra de Deus são inseparáveis; o Espírito Santo e a Igreja de Cristo são inseparáveis. Deus faz morada nos nossos corações através o Espírito Santo; e também Deus mostra a sua graça através da proclamação da Igreja no mundo. Percebemos as duas coisas.

Por meio do Espírito Santo, os membros estão sempre falando sobre Cristo e a sua misericórdia; estão sempre evangelizando os seus vizinhos. Esse desejo é uma manifestação da presença do Espírito Santo nos seus corações. E Deus usa o Espírito Santo dentro da igreja também, porque o Espírito e a Palavra são inseparáveis. Cristo está reunindo, protegendo e preservando a igreja eleita na unidade da verdadeira fé pelo Seu Espírito e por Sua palavra. Podemos desfrutar do trabalho do Espírito Santo; isso nos deixa alegre, pois percebermos o seu trabalho nos oficiais ordenados, na pregação, na restauração dos pecados, no perdão de um para com o outro, e na preparação da noiva para o seu noivo, Jesus Cristo! Por que isso acontece? Porque o Espírito Santo habita em nosso meio. Temos a presença de Deus em nossos corações e em nossa congregação – a abundância do Espírito Santo! Os que creem nesta realidade, não vão se afastar da Igreja, do lugar de trabalho do Espírito Santo. Os que creem estarão aqui, no meio do povo de Deus, recebendo os dons celestes em Cristo, vivendo em amor, alegria, paz, paciência, bondade, gentileza, fidelidade, mansidão e domínio próprio – Os que entendem onde o Espírito Santo está, querem estar no mesmo lugar!

Na Igreja de Cristo, ou seja, no Seu corpo, há salvação. Todos que se submetem a Cristo, também têm o Espírito Santo. Mesmo que tenhamos dúvidas sobre a nossa fé, ou até a nossa salvação, a promessa de Deus é: “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei” (Hebreus 13.5). O Espírito Santo foi dado a você, para permanecer consigo para sempre! Fique com ele no lugar em que Ele está: na igreja e no corpo de Cristo; se submeta à palavra d’Ele e confie na fidelidade das suas palavras; confesse que o Espírito Santo está conduzindo você e está conduzindo todos os cristãos, durante as suas vidas.

3. Ele guia o povo para que viva em Cristo.

Em Efésios 5.18, 19 Paulo escreve às igrejas: “Não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais”. Observemos, especialmente, a palavra “enchei-vos”, porque às vezes a ideia é que, é necessário os cristãos se encherem do Espírito Santo constantemente, mas o sentido deste verbo é que devemos continuar a estar cheio do Espírito Santo. O fato é: continuemos a nos encher do Espírito Santo – é uma exortação para todos no corpo de Cristo. Sendo membros de Cristo, temos o Espírito de uma forma abundante. Agora, o Espírito Santo nos exorta que vivam como um povo cheio do Espírito Santo. Deixemos de ser envolvidos nas coisas pecaminosas, mas vivamos como filhos de Cristo, cheios do Espírito Santo! Se Deus habita no nosso coração pelo Espírito Santo, as consequências podem ser vistas em toda parte da nossa vida.

Paulo diz em 1Tessalonicenses 5.19: “Não apagueis o Espírito” – conhecemos que o Espírito Santo trabalha através da Palavra de Deus. Se negarmos a palavra de Deus, ou nos afastarmos dos cultos, da pregação e da comunhão dos santos, ou nos afastarmos da leitura da palavra, estamos atacando o Espírito Santo.

Os que persistem no mesmo pecado, sem uma luta, com mãos levantadas em rebelião, e sem amor para com o Espírito Santo e a comunhão dos santos, estão apagando o fogo do Espírito Santo. Porque, os que rejeitam Cristo, rejeitam o Espírito Santo; os que rejeitam o Espírito Santo rejeitam Cristo, rejeitam Deus, rejeitam a Trindade. Isto é o pecado contra o Espírito Santo.

As Escrituras falam também sobre o pecado de entristecer o Espírito de Deus (Efésios 4.30). Entristecer o Espírito Santo é impedir o trabalho d’Ele, é permitir que os pecados atrapalhem sua vida de forma perigosa. O fato é que, os que entendem o dom de Espírito Santo, querem ser santos, submetendo-se à vontade d’Ele e vivendo como os filhos da luz; guardando e protegendo os templos do Espírito Santo, a saber, os nossos corpos físicos. Cheios do Espírito Santo, falaremos a verdade, trabalharemos de forma honesta, e purificaremos as nossas vidas dos vícios desta vida. Por que existe mudança nas vidas dos cristãos? Por que mudamos? Porque o Espírito Santo não nos faz falar de forma estranha; não nos faz curar outras pessoas, mas nos aponta a Cristo Jesus, o nosso Salvador! Porque o Espírito Santo nos faz lembrar do trabalho de Cristo, mostrando os nossos próprios pecados, e a perfeição do trabalho de Cristo. O Espírito Santo nos traz alegria profunda, e o desejo forte de cantar com alegria, enquanto agradecemos a Deus por tudo que temos em Cristo Jesus.

As consequências da nossa confissão em o “Dia do Senhor 20” são visíveis. O Espírito Santo vai nos conduzir a Cristo, somente a Cristo! Como confessamos nos Cânones de Dort, III/IV 11: “Pela operação eficaz do mesmo Espírito regenerador, Deus também penetra até os recantos mais íntimos do homem, abre os corações fechados e abranda os endurecidos, circuncida o que era incircunciso e infunde novas qualidades na vontade: faz viver a vontade outrora morta; a que era má, converte em boa; a indisposta, em solícita; a rebelde, em obediente. Ele muda e fortalece de tal maneira essa vontade que, assim como uma árvore boa, seja capaz de produzir o fruto das boas obras”. Quando pensarmos sobre o Espírito Santo, pensemos numa luz de holofote… uma luz de holofote que ilumina a vida de Cristo, mostrando o trabalho de Cristo, e a redenção em Cristo; Ele chama atenção a Cristo, à nossa salvação. Ele aplica o trabalho de Cristo às nossas vidas, e nos dá confiança em todas as coisas. Sim, há muitas razões para a nossa confissão no Credo Niceno: O Espírito Santo, juntamente com o Pai e o Filho é adorado e glorificado.
Irmãos, vamos louvar o Espírito Santo; Ele fez muitas coisas grandes para nós; Ele mora no nosso meio.

Amém.

 

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

Compartilhe!

Pr. Julius VanSpronsen

Pastor da Igreja Reformada em Surrey, Colômbia Britânica. Desde 2008, serve as Igrejas Reformadas do Brasil como plantador de igrejas. B.A. Trinity University, M.Div. Theological College of the Canadian Reformed Churches.

Deixe um Comentário