Pregação preparada pelo Pr. Kenneth Wieske

Leitura: Romanos 08

Texto: Dia do Senhor 17

 

Amados em nosso Senhor Jesus Cristo,

Há 2000 anos, um judeu chamado Jesus de Nazaré morreu uma morte singular. Muitas pessoas morreram naquele ano, mas a morte de Jesus de Nazaré era especial, única, pois ele foi executado—condenado pelas autoridades mais altas da época.

Muitas pessoas foram executadas naquele ano, mas a execução de Jesus era singular, porque três vezes ele foi declarado completamente inocente pelo mesmo governador Romano que o condenou à morte.

Não somente a morte e a execução de Jesus eram singular, mas também o seu sepultamento. Pois, apesar de ter sido enterrado como qualquer morto da época, Jesus não permaneceu na cova, mas no terceiro dia, se ressuscitou.

E até a sua ressurreição era algo singular! Pois, apesar de ter acontecido outras ressurreições na história deste mundo, e até naquele mesmo ano, a ressurreição de Jesus era completamente diferente por duas razões:
1. Ele se ressuscitou; ele decidiu de se levantar da morte. Em João 10:17,18 lemos: “… dou a minha vida para tornar a tomá-la. Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar, e poder para tornar a tomá-la.”
2. Ele é o primeiro homem no mundo, na história, que se ressuscitou com um corpo glorificado, e que nunca mais vai morrer.

Sim—sem dúvida a morte e a ressurreição de Jesus de Nazaré eram singular em todos os aspectos. Estas verdades históricas são fundamentais para a nossa fé—por isso, fazem parte do Credo onde confessamos que cremos que Cristo…

“… padeceu sob Pôncio Pilatus, foi crucificado, morto e sepultado, desceu ao inferno… no terceiro dia ressurgiu dos mortos…”

O Catecismo de Heidelberg, quando está explicando esta parte do Credo (no Domingo 17), pergunta: “Que importância tem para nós a ressurreição de Cristo?” O Catecismo é bem prático. Não era escrito para teólogos, mas sim para os jovens da Igreja. O Catecismo, como sempre, é bem pessoal. A pergunta é: “Que importância tem PARA NÓS…” Em outras palavras, Qual a diferença que esta doutrina fundamental faz em minha vida? Será que tem consequências para minha vida dia-a-dia?

A resposta: A ressurreição de Jesus tem consequências profundas para minha vida, porque pela ressurreição Ele ganhou para mim justificação, santificação, e glorificação. Em outras palavras, se Jesus não tivesse ressuscitado,

  • …eu nunca poderia ser JUSTO (livre da culpa do pecado) nos olhos de Deus;
  • …eu nunca poderia ser SANTO (livre da prática do pecado),
  • …eu nunca poderia ser GLORIFICADO (viver corpo e alma, sem pecado, na presença de Deus para sempre).

Fica bem claro, então, que a ressurreição de Cristo não é apenas uma doutrina erudita reservada para teólogos, mas é algo de profunda importância para nossa vida agora, e na eternidade.

Eu vos proclamo o evangelho de Jesus Cristo, sob o tema:

Tema: A ressurreição de Cristo é para o nosso benefício

  • 1. Garante a nossa justificação
  • 2. Garante a nossa santificação
  • 3. Garante a nossa glorificação

1. A ressurreição de Cristo garante a nossa justificação

“O qual por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para nossa justificação.” Romanos 4:25

A ressurreição é simplesmente uma declaração pública que o pagamento das nossas transgressões foi efetuado! Se Jesus estivesse ainda morto, nós não teríamos segurança nenhuma que Ele conseguiu pagar completamente os nossos pecados. Paulo diz na primeira carta aos Corintios, 15:14 – “E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé.” Ele reafirma no versículo 17, “E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados.”

Se Cristo não ressuscitou, ainda permanecemos em nossos pecados! Mas, graças a Deus, Cristo é ressuscitado! Por sua ressurreição, Jesus declara: “Missão cumprida! Paguei a sua dívida! Eu comprei a vida do meu povo por um preço alto—meu próprio sangue!”

Podemos pensar da seguinte ilustração. Vocês sabem o que é um fiador—alguém que garante que você vai pagar suas dívidas. Se você não pagar, o fiador está responsável para pagar. Antigamente, na Inglaterra, se você não pagou a sua dívida, eles te colocaram em prisão. Se você fugiu, eles pegaram o seu fiador, e o colocaram em prisão até que a dívida seja paga.

Muitos anos atrás, um homem jovem tomou dinheiro emprestado. Quando chegou a hora do pagamento, ele não tinha condições de pagar. Ele fugiu para um outro país. Então, o fiador foi preso em seu lugar, até que a dívida seja paga.

Muitos anos depois, o homem volta para a sua cidade. Imagine sua surpresa e alegria, quando viu seu antigo fiador andando na rua, livre! O fato que aquele fiador estava fora da prisão, só podia dizer uma coisa: que a dívida já foi paga!

É assim que a ressurreição de Jesus proclama a nossa justificação! Ele rompeu os grilhões da morte! Por que? Porquanto não era possível fosse ele retido por ela! Por que a morte não podia retê-Lo? Porque Ele pagou completamente!

Quando o diabo está zombando de mim, dizendo que sou pecador e que mereço a morte—eu posso responder, “Cristo é ressuscitado! Nenhuma condenação há para aqueles que estão em Cristo Jesus! Ele é vivo!”

Quando meus pecados me acusam perante Deus, Jesus fala em meu favor. “Pai, Eu já paguei os pecados desta ovelha! Ele não merece a morte—pois Eu já recebi o salário do pecado em lugar dele.”

No final do capítulo 8 da carta aos Romanos, o apostolo Paulo canta um hino belíssimo acerca da certeza que nós temos da nossa justificação. Ele diz (v. 33), “Quem pode acusar os eleitos de Deus? Deus os justifica!” E ele continua no v. 34, enfatizando a mesma verdade: “Quem os condenara? Cristo que morreu, e ressuscitou, Ele está à direita de Deus, intercedendo por nós!”

Quando seus pecados pesam sobre sua consciência, o que você deve fazer? Não vai orar aos santos! Não vai orar à Maria! Não vai procurar justificar a se mesmo, através de “boas obras!”. NÃO! Olhe para Cristo! Lá, à direita de Deus Pai. Cristo ressuscitado! Ele é a garantia da sua justificação. Ele é a prova viva, que seus pecados foram pagos. Ele é a garantia que você, e eu, somos limpos nos olhos de Deus. E nada, em toda a criação, pode mudar este fato!

2. A ressurreição de Cristo garante a nossa santificação

O Cristo ressuscitado—o Cristo vivo!—não somente nos garante que somos justos, mas também ele nos dá uma nova vida. Podemos andar em novidade de vida, pois Cristo ressuscitou!

Quando Ele morreu, meu velho homem morreu. O antigo Kennedy—cheio de egoismo, de crueldade, de maus desejos, de odeio—morreu com Cristo. Paulo fala em Romanos 6:6 que “…o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado.” E quando Cristo ressuscitou, com Ele e nEle o novo Kennedy começou a viver. Paulo diz o seguinte (Romanos 6:4):

“De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.”

Minha nova natureza tem sua origem na ressurreição de Jesus! Minha nova natureza tem sua origem no Jesus vivo! O Jesus ressuscitado—Ele é a fonte da minha nova vida. Um Salvador morto não pode me dar vida! Mas meu Salvador vive! Ele ressuscitou! Ele é vida, e Ele habita em mim pelo seu Espírito—é assim que posso viver a cada dia mais na nova vida que Cristo ganhou para mim.

A ressurreição de Jesus é a prova da sua vitória! Ele venceu o pecado! Venceu a morte! Venceu o diabo! Então, o pecado não pode mais me dominar. O diabo não é mais meu patrão! Cristo ressuscitou! Me deu a oportunidade de começar de novo. Me tornou uma nova criação. Ele me deu uma vida nova.

Como é esta nova vida? É uma vida dedicada a servir meu Deus, a viver conforme a Sua vontade. É uma vida de crescimento em santidade, pois o Espirito de Jesus Vivo está em mim.

A Bíblia diz, (Romanos 6:22) “Mas agora, libertados do pecado, e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna.”

O que é a santificação? Paulo nos dá a resposta, quando ele canta, “Não sou em quem vive, mas Cristo vive em mim.” (João 4:14 Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna.)

E você? Será que você pode afirmar isto? Será que você está experimentado este benefício da ressurreição de Jesus?

3. A ressurreição de Cristo garante a nossa glorificação

Jesus ressuscitado é uma prova que Ele pagou os meus pecados. Sou justo!

Jesus ressuscitado é uma garantia que sou uma nova criatura. O Espírito de Jesus Vivo está me santificando a cada dia mais!

E, Jesus ressuscitado é uma garantia que eu vou também viver, corpo e alma, em glória eterna com Deus.

Precisamos muito ouvir disto. Olhamos para o nosso redor, e vemos só sofrimento. Vemos o ímpio e injusto prosperando, e os humildes e os justos sofrendo. Podemos nos perguntar, “Cadê a glória?!!”

Paulo responde a esta pergunta no capítulo 8 de Romanos. Ele fala sobre o sofrimento do tempo presente, que não pode ser comparado com a glória a ser revelada em nós! Ele mostra que até a criação está ansioso para ver o dia quando vamos entrar em glória, quando vamos receber a plenitude da nossa herança em Cristo.

Paulo nos lembra que fomos salvos nesta esperança:

“Porque em esperança fomos salvos. Ora a esperança que se vê não é esperança; porque o que alguém vê como o esperará? Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o aguardamos.” Romanos 8:24,25

A ressurreição de Cristo é uma dupla garantia que não estamos esperando a glória em vão. Vamos primeiro para Romanos 8:11,

“E, se o Espírito daquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dentre os mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita.” Romanos 8:11

“ O Espírito de Jesus habita em vós!” Sabe o que isto significa? Se o Espírito de Jesus habita em mim, como a morte pode me segurar? Se a morte não tinha condições de reter Jesus na cova, como a morte pode me reter? O Espírito de Jesus ressuscitado vive em mim! Eu posso morrer, sim—mas não posso permanecer morto! Cristo vive em mim! A morte não pode me reter, pois sou templo do Deus da Vida. Assim, tenho certeza que Ele vai me dar um corpo glorificado como Ele tem.

Isto é a primeira garantia da glorificação que temos na ressurreição de Jesus. Vamos agora para 1 Coríntios 15:20,

“Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem.” 1 Coríntios 15:20

A Bíblia diz que Cristo é as primícias! Quer dizer, que Ele é o primeiro… e vai ter muito mais! Hoje, só existe UM ser humano com um corpo glorificado—um corpo que nunca mais vai morrer, que nunca mais sofre dores e tristezas e doenças e sofrimentos.

Mas… um dia haverá uma multidão! O que a Bíblia diz (Romanos 8:29)? Que Cristo é o primogênito entre muitos irmãos! Nos estamos esperando, junto com toda a criação, o dia da glorificação dos filhos de Deus. Esperamos algo certíssimo! É tão certo, que Paulo usa o perfeito em v. 30, “aos que chamou, a esses justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou.”

Quando a Bíblia fala dos decretos de Deus, ela muitas vezes usa o perfeito. “Aos que justificou, a esses também glorificou.” E tão certo que a Bíblia fala como já tivesse acontecido!

Quando o diabo está querendo te incomodar, e está querendo tirar sua segurança da vida eterna, você pode olhar para Cristo ressuscitado! Ele vive em glória! Ele é as primícias dos que dormem. Você, junto com todos aqueles que confiam em Cristo, pode ter confiança inabalável que o cabeça da Igreja já está em glória, e que nós, o corpo, vamos seguir o nosso cabeça.

Ele ressuscitou! Cristo ressuscitou! Cristo é vivo!

Que importância isto tem para mim?

  • 1 – Sou justo! Ninguém pode me acusar!
  • 2 – Sou santo! Sou uma nova criatura; tenho uma nova vida.
  • 3 – Tenho a certeza inabalável, que vou viver para sempre em perfeição com Ele—com um corpo glorificado.

Quer saber por que o dia de domingo é o maior e o mais importante dia da semana para a Igreja?

É porque, neste dia, Jesus ressuscitou! Todos os domingos, nós—o povo de Deus—estamos celebrando os benefícios da Sua vitória. Estamos celebrando a justificação, a santificação, e a glorificação que temos em nosso Salvador ressuscitado.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Compartilhe!

Pr. Kenneth Wieske

Pastor da Igreja Reformada em Surrey, Colômbia Britânica. Desde 2000, serve as Igrejas Reformadas do Brasil como plantador de igrejas. B.A. McMaster University, M.Div. Theological College of the Canadian Reformed Churches. Estudos em línguas originais no Institut Farel de L´Église Réformée du Québec.

Leave a Comment