Pregação preparada pelo Pr. Abram de Graaf

Leitura: Dia do Senhor 15

Texto: 1ª Pedro 02.21-25; 03.13-18

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,
Hoje vamos falar sobre o sofrimento de Jesus Cristo. O Credo Apostólico dá um grande passo. Ele pula do nascimento de Jesus até a Sua morte . Ele nasceu da virgem Maria …. E padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado. O Credo não fala sobre as coisas boas na vida de Jesus, mas focaliza no sofrimento e na morte de Jesus. Por quê?

Este por que é muito interessante, pois falando sobre isso nós vamos descobrir a importância do sofrimento de Jesus para nós.

Tema: A importância do sofrimento de Jesus para nós.

  • 1. O sofrimento de Jesus é um sinal para nós;
  • 2. O sofrimento de Jesus é uma bênção para nós;
  • 3. O sofrimento de Jesus é um exemplo para nós.

1. O sofrimento de Jesus é um sinal para nós;
Falando sobre o sofrimento de Jesus nas aulas de catecismo, muitos congregados diziam que Jesus Cristo sofreu no final da sua vida. Isso quer dizer que Jesus Cristo sofreu SÓ no final da sua vida. Mas será que isso é verdade, irmãos?

O nosso Catecismo, falando sobre o sofrimento de Jesus, diz: O que você quer dizer com a palavra “padeceu”? E a resposta é assim: Que Cristo, em corpo e alma, durante TODA a sua vida na terra, mas principalmente no final, suportou a ira de Deus contra o pecado de todo gênero humano. Então, a reposta é essa: “Ele padeceu durante TODA a sua vida”.

Os evangelistas nos dizem que Jesus padeceu durante toda a sua vida, desde o início até o fim. Ele DEVIA padecer. Isso fazia parte do trabalho dele. Sendo o Filho de Deus, que se tornou homem, ele ia sofrer no nosso mundo depravado. Jesus mesmo enfatizou isso e apontou para o Antigo Testamento. Ele falou com os dois discípulos de Emaús e lhes disse: “Insensatos e lentos de coração para crer tudo o que os profetas anunciaram! Não era preciso que o Cristo sofresse tudo isso e entrasse em sua glória? E começando por Moisés e por todos os Profetas, interpretou-lhes em todas as escrituras o que a ele dizia respeito” (Luc. 24, 25-27)

Jesus deixou bem claro que os profetas do Antigo Testamento falavam sobre o sofrimento do Messias. Isso faria parte da sua vida. Isso faria parte da sua missão. O verdadeiro Cristo sofreria aqui na terra. Quem profetizou sobre isso foi o profeta Isaías. Em Isaías 53, encontramos uma profecia sobre o Servo do Senhor, que sofreria muito na sua vida. Não é preciso ler o texto desta profecia agora, mas podemos dizer que esta profecia é usada várias vezes pelos evangelistas e pelos apóstolos no Novo Testamento, para apontar Jesus como o verdadeiro Messias.

Isaías recebeu uma revelação de Deus sobre este Messias: ele ia sofrer e morrer. Isso seria uma marca do verdadeiro Cristo. Salmo 22 fala também sobre o sofrimento de Jesus e nos revela em detalhes o que ia acontecer com a vida dele; como ele ia morrer. E é impressionante descobrir que tudo isso realmente aconteceu na vida de Jesus. O evangelista Mateus deixou isso bem claro, ele falou sobre a vida de Jesus e regularmente ele disse: Isso e aquilo aconteceu para que as escrituras se cumprissem. Por que ele disse isso? Para mostrar claramente que este homem, Jesus de Nazaré, é o verdadeiro Cristo!!

E baseado no salmo 22 e Isaías 53 nós também podemos dizer: o Servo do Senhor, que sofreu durante toda a sua vida – desde o inicio até o fim – é Jesus Cristo. O sofrimento dele é um sinal para nós. É uma marca que nos revela o verdadeiro Messias.

2. O sofrimento de Jesus é uma bênção para nós;
Ainda quero ficar um pouquinho com o texto de Isaías 53. Pois este texto nos mostra claramente como o sofrimento de Jesus Cristo é uma bênção para nós. Vamos ler este capítulo “Isaías 53” e preste atenção nos versículos 5, 6, 10 e 11.

A profecia de Isaías, irmãos, deixa bem claro que o sofrimento do servo do Senhor está num contexto. Esse homem não foi castigado por causa dos SEUS pecados, mas por causa das NOSSAS TRANSGRESSÕES. Ele foi esmagado em virtude das NOSSAS INIQUIDADES. “O castigo que havia de trazer-nos a paz, caiu sobre ele, sim por suas feridas fomos curados. Este texto já deixa claro que há uma conexão entre os NOSSOS pecados e o SEU sofrimento. Ele é tratado como um substituto, que é castigado em lugar do seu povo. O servo do Senhor é o mediador que representa o seu povo perante Deus. V. 6 diz: Todos nós como ovelhas, andávamos errantes, seguindo cada um o seu próprio caminho, mas Iahweh fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós.

O servo do Senhor, sendo representante do seu povo, sendo mediador, se ofereceu como substituto para receber o castigo de Deus por causa das nossas transgressões. Nós merecemos o castigo dele. A ira de Deus era contra nós e contra as nossas transgressões. Mas Cristo ofereceu a sua vida como sacrifício pelo pecado.

Quando uma pessoa do povo de Deus, no Antigo testamento, cometia um pecado, ela devia oferecer uma ovelha ou um boi como sacrifício pelo pecado. O animal morria como substituto do homem. O sangue do animal foi derramado em vez do sangue do homem; o sangue do holocausto salvou a sua vida.

Todo dia – pela manha e à tarde – o sacerdote no templo, oferecia um sacrifício pelos pecados do povo e por seus próprios pecados. Todos os dias! Isso quer dizer que o sangue dos animais não era suficiente ou eficaz para eliminar os pecados. Mas o sacrifício de Cristo é eficaz, pois Cristo fez um só sacrifício; ele ofereceu a sua vida uma única vez e, assim, ele cumpriu a vontade de Deus; assim, ele cumpriu a justiça de Deus e apagou a ira de Deus. Ele fez intercessão pelos transgressores. O castigo que esteve n’Ele nos trouxe a paz. Por suas feridas somos curados; A sua morte significa para nós, a vida. Assim, o sofrimento de Jesus é uma bênção para nós.

3. O sofrimento de Jesus é um exemplo para nós
Quem falou sobre isso foi o apóstolo Pedro na sua primeira carta (2, 21-25). Ele escreveu esta carta aos irmãos em Ásia menor, que foram perseguidos. Eles estavam sofrendo por causa do nome do Senhor, sendo cristãos. E para exortá-los e consolá-los, Pedro escreveu: Com efeito, para isto é que fostes chamados, pois que também Cristo sofreu por vós, deixando-vos UM EXEMPLO, a fim de que sigais os seus passos.

Ele não cometeu nenhum pecado; mentira nenhuma foi achada em sua boca. Quando injuriado, não revidava; ao sofrer, não ameaçava,
Antes, punha a sua causa nas mãos daquele que julga com justiça.
Sobre o madeiro, levou os nossos pecados em seu próprio corpo,
A fim de que, mortos para os nossos pecados, vivêssemos para a justiça.
Por suas feridas fostes curados, pois estáveis desgarrados como ovelhas,
Mas agora retornastes ao Pastor e Supervisor das vossas almas.

E depois disso, Pedro muda de assunto e começa a falar às mulheres e aos homens. Quer dizer: parece que ele está mudando de assunto, mas, na verdade, ele começa com o mesmo assunto. Pois ele quer mostrar aos casais a importância do sofrimento de Jesus Cristo. Ele quer dizer aos casais: Com efeito, para isto é que fostes chamados, pois que também Cristo sofreu por vós, deixando-vos UM EXEMPLO, a fim de que sigais os seus passos.

Um casal cristão deve observar o sofrimento de Cristo e entender o que isso significa para a sua vida. Cristo sofreu para nos dar a remissão dos pecados. Assim,um casal deve seguir os passos d’Ele e perdoar um ao outro.

Há situações em que as esposas sofrem em casa. O marido não é compreensivo com ela e não a respeita mais. Pode ser que ele esteja estressado, pode ser que ele esteja cansado, pode ser que ele não a ame mais. Então a mulher sofre, mas ela deve observar Cristo, pois também Cristo sofreu por ela, deixando um exemplo, a fim de que ela siga os Seus passos.Quando injuriado, não revidava; ao sofrer, não ameaçava. Mas ele punha a sua causa nas mãos d’Aquele que julga com justiça. Assim a mulher deve agir. Não ficar braba e lutar contra o seu marido, mas orar e pedir ajuda a Deus. Perdoar e procurar a paz em casa.

Essa mensagem também é válida para o marido, pois ele também pode sofrer em casa: Quando ele volta do trabalho, nada foi feito; a comida não está pronta; a mulher está mentindo; começa a brigar. Provérbios (19,13) diz: uma goteira sem fim são as queixas de umamulher. O homem sofre por causa disso, mas ele também deve observar o sofrimento de Jesus e deve seguir os passos d’Ele. Isso significa que ele deve perdoar os erros e os pecados da sua mulher, ele deve ser compreensível, tributando a honra devida a ela.

O casal cristão reage assim, pois eles aprenderam a perdoar. Cristo deu a remissão dos pecados e isso mudou a sua vida. Cristo morreu na cruz a fim de que, mortos para os nossos pecados, vivêssemos para a justiça. Por suas feridas fomos curados. O marido cristão se converteu da sua vida dominada pelo pecado e ele quer servir a justiça de Deus. Ele busca esta justiça na sua vida e, principalmente, na sua vida conjugal, tratando bem a sua esposa e seus filhos. A esposa cristã faz a mesma coisa: ela vive para a justiça, dando ao marido a honra devida, respeitando-o como cabeça da família.

Falando sobre o sofrimento de Jesus e sobre a vida dos casais, Pedro termina com as seguintes palavras:
“Finalmente, sede todos unânimes, compassivos, cheios de amor fraternal, misericordiosos e humildes de espírito. Não pagueis mal por mal, nem injuria por injúria; ao contrario, bendizei, porque para isto fostes chamados, isto é, para serdes herdeiros da bênção”.

Amém.

 

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

Compartilhe!

Pr. Abram de Graaf

O pastor Abram de Graaf é “Doctorandus” (Drs) em Teologia e um dos professores do Instituto João Calvino (Aldeia, Camaragibe-PE). Ele é pastor da Igreja Reformada de Hamilton, Canadá, enviado como missionário às Igrejas Reformadas do Brasil, desde o ano 2000. É Diretor do Projeto Dordt-Brasil. Ele mora em Maceió e também desenvolve projetos nessa cidade.

Deixe um Comentário