Sermão preparado pelo Pr. Elissandro Rabelo

Leitura: Efésios 01:15-23; 06.10-20

Texto: Dia do Senhor 12

 

Amados irmãos no Senhor Jesus Cristo

No Antigo Testamento, havia três ofícios importantes no meio do povo de Israel: os ofícios de profeta, sacerdote e rei. Estes ofícios eram ocupados por homens escolhidos e capacitados por Deus. A unção com óleo era o sinal que indicava a escolha divina. Os profetas, sacerdotes e reis eram escolhidos por Deus para trabalhar em favor do povo de Israel. Os profetas falavam as palavras de Deus para o povo. Os sacerdotes ofereciam sacrifícios e oravam em favor do povo. Os reis, por sua vez, governavam e defendiam o povo de Deus contra os inimigos.

No AT, cada pessoa que era ungida por Deus se dedicava especificamente ao seu ofício. Cristo também foi ungido, não com óleo, mas com o Espírito Santo. Ele foi escolhido por Deus Pai para exercer não apenas um, mas os três ofícios: Profeta, Sacerdote e Rei. Hoje vamos atentar para a importância do seu ofício de Rei em nosso favor. Ao lado disso, vamos falar também do nosso ofício de reis. Cada crente que está ligado a Cristo por verdadeira fé é também chamado por Deus para desfrutar do reinado de Cristo e reinar com Ele agora e para sempre.

CRISTO É O NOSSO REI E NÓS REINAMOS COM ELE

  • 1) O Ofício Real de Cristo
  • 2) O Ofício Real dos Cristãos

1) O Ofício Real de Cristo

Confessamos no domingo 12 que Cristo foi ungido para ser o nosso Eterno Rei. Essa confissão não é uma invenção da igreja, mas uma confissão bíblica. A palavra de Deus nos ensina que Jesus Cristo é o Grande Rei que nos governa e nos protege dos inimigos.

A fim de compreender melhor o trabalho de Cristo como Nosso Rei, é importante atentarmos para o trabalho dos reis de Israel no AT. O dever principal de um rei era governar e proteger o povo de Deus. Os reis foram ordenados por Deus não para servirem a si mesmos, mas para servirem ao povo. Eles representavam Deus no governo e proteção do povo contra os povos inimigos. Os reis deveriam governar o povo com justiça e, além disso, eles tinham de sair á guerra para defender o povo de Deus contra os inimigos. Muitos dos reis do povo de Deus foram infiéis no exercício do seu ofício. Outros agradaram ao SENHOR, como por exemplo, o rei Davi. Davi exerceu um bom governo sobre Israel. No entanto, o próprio rei Davi era também um homem fraco e limitado. Tinha seus pecados e fraquezas e não tinha condições próprias de vencer os inimigos. Por isso, Israel precisava de um Rei Justo e Poderoso, capaz de dar vitória completa ao povo de Deus. Vitória não só dos inimigos terrenos, mas também sobre o pecado e o diabo.

Jesus é este Grande Rei. Ele é o Cristo Prometido no AT que vem para reinar sobre o seu povo com poder e graça (II Sm. 7.16; Is. 9.6,7; Sl. 2.6). Essas profecias se cumprem no NT. O anjo confirma que o menino Jesus veio para reinar eternamente (Lc. 1.33). Jesus é o rei que procede da casa de Davi. Isso significa que ele foi ordenado por Deus e, portanto, tem direito ao trono. Jesus não é mais um rei em Israel. Ele é o Rei dos Reis. Ele é o REI Superior e Perfeito. O seu reino é eterno, o seu governo é justo e sua proteção é segura.

Quando lemos atentamente os evangelhos, percebemos que Jesus exerceu entre os homens o seu ofício de rei. Ele falava a palavra de Deus com autoridade; ele sujeitou a si mesmo as forças da natureza; ele manifestou o seu poder sobre as doenças e a morte e sobre o próprio Satanás na expulsão dos demônios. Nestes atos Jesus mostrou que ele era o Cristo de Deus, o Rei Salvador de Israel. Mas ele não era o Rei Messias que os judeus de sua época esperavam. Os judeus esperavam um rei que implantaria o seu reino pela força e a violência destruindo o jugo dos romanos. Ao contrário disso, Jesus é o Rei que veio em humildade para entregar sua vida na cruz e conquistar a perfeita salvação para o seu povo.

Ele entregou sua vida e a reteve de volta. Ele venceu a morte e ressuscitou. Hoje, ele está à direita de Deus em glória exercendo seu reinado soberano sobre toda a criação. Um dia ele virá para julgar os vivos e os mortos e reinar eternamente com a sua igreja sobre toda a criação redimida. Cristo reina sobre a sua igreja e sobre os seus inimigos (Ef. 1.20-23). Cristo tem poder absoluto sobre todas as forças do universo, inclusive sobre Satanás e seus anjos. Mas ênfase do domingo 12 é sobre o reinado de Cristo sobre a sua igreja. Cristo é o Cabeça da igreja, a qual Ele governa com sua palavra e Espírito e a guarda na salvação.

Cristo é o Eterno Rei que nos governa com Sua Palavra e Espírito. Do céu, Cristo governa sua igreja que caminha peregrina na terra. Não estamos sozinhos. Temos um Rei Poderoso e Glorioso para nos governar e proteger. Não vemos o Nosso Rei, mas estamos sendo governados por ele todos os dias. Ele nos governa por sua Palavra e Espírito. Por meio da pregação e do ensino das Escrituras, Jesus está guiando a sua igreja no caminho da salvação. Vemos um exemplo claro do governo de Cristo com sua palavra quando ele envia através do apóstolo João suas cartas aos pastores das igrejas da Ásia (Ap.2 e 3). Cristo anda no meio das suas igrejas e conhece perfeitamente tudo que acontece no meio delas. Por sua palavra, ele elogia nossas boas obras, repreende nossos pecados e nos consola com suas ricas promessas. Cada vez que a palavra de Deus vem a nós, Cristo manifesta o seu governo sobre nós. Ele reina sobre nós com sua palavra por meio dos seus oficiais ordenados. Estes nos pregam e nos ensinam a palavra de Deus nos cultos e nas visitas em nome de Cristo e sob a autoridade de Cristo. Receber com alegria e humildade as exortações dos oficiais é o mesmo que se deixar governar pela palavra de Cristo.

Cristo nos governa por Seu Espírito. O Espírito Santo e a palavra de Deus andam juntos. É o Espírito quem aplica a palavra em nossos corações. É o Espírito que nos foi dado por Cristo que nos ajuda a vencer na luta contra os inimigos. Ele fortalece a nossa fé e nos torna dispostos a viver em santidade. Se não fosse a presença graciosa do Espírito Santo em nossas vidas, não conseguiríamos perseverar um só momento.

Cristo é o Eterno Rei que nos protege e guarda na salvação que conquistou para nós. Como Sumo Sacerdote, Cristo já conquistou a nossa salvação por meio do seu sacrifício e morte na cruz. Na cruz, Jesus garantiu o perdão dos nossos pecados e esmagou a cabeça da serpente. A derrota de Satanás foi selada na cruz. No entanto, ele ainda age a fim de destruir o povo de Deus. Ele é como um leão que ruge procurando alguém para devorar. Por causa disso, Cristo nos protege e guarda na salvação. Ele é o Bom Pastor que não só deu a sua vida por nós, mas também que nos protege e guarda dos nossos inimigos. Nada nem ninguém podem nos separar do seu amor porque ele é um Rei Poderoso para nos proteger. Em João 10.28 Jesus nos promete uma proteção segura contra os inimigos: “Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão”. Se fôssemos entregues a nós mesmos para perseverar na salvação, estaríamos perdidos. Mas graças a Deus, que temos um Rei Poderoso que nos protege e guarda contra os inimigos. Ele nos garante a vida eterna. Ele segura em nossas mãos e não permite que ninguém nos arrebate do seu aprisco. Nenhuma de suas ovelhas por quem ele morreu, há de se perder ou ser arrebatada por Satanás, porque Cristo mesmo a protege e guarda na salvação. E por que ele nos protege? Para reinarmos com Ele agora eternamente, como veremos a seguir.

2) O Ofício Real dos Cristãos

A Bíblia nos ensina que em Cristo possuímos o ofício de reis (I Pe. 2.9). Somos reis e rainhas do Senhor Jesus. Na ocupação desse ofício real em, nós desfrutamos de benefícios preciosos que Jesus nos garante: governo gracioso de Cristo, proteção segura na salvação, reinar eternamente com Cristo. Ao lado disso, como reis e rainha em Cristo nós temos uma responsabilidade: Confiados no poder de Cristo combater os inimigos nesta vida.

Como rei, o cristão luta nesta vida contra os seus inimigos. O crente confessa: “Como rei combato nesta vida o pecado e o diabo, de livre consciência…”. A primeira coisa que vemos aqui é que a vida cristã aqui na terra é marcada por uma luta, um combate. Ser cristão é ser chamado a lutar, a combater os inimigos que tentam nos destruir. Seguir a Cristo é entrar na guerra; é combater diariamente nossos inimigos que são o pecado e o diabo. A cada dia lutamos contra nossa natureza pecaminosa (Gl. 5.16,17; I Pe.2.11). Na vida do crente existe um conflito entre fazer a vontade de Deus ou seguir os desejos pecaminosos dos seus corações. Nessa luta somos ajudados pelo Espírito Santo e temos a responsabilidade de nos abstermos do pecado que ainda habita em nós. Além do pecado, devemos combater também o diabo (Ef. 6.10-12). Satanás nos tenta continuamente. Ele põe armadilhas em nosso caminho para nos fazer cair. Como reis, somos chamados a combatê-lo. A palavra de Deus nos diz: “não deis lugar ao diabo” (Ef. 4.27); “Resisti ao diabo e ele fugirá de vós” (Tg. 4.7).

Como podemos vencer Satanás e também o pecado? O que temos de fazer? Lutar. Combater. Precisamos nos revestir das armas que o Senhor nos dar para lutar e vencer na batalha contra o pecado e o diabo. Cristo nos dá os recursos necessários para vencer nesta luta. Ele nos concede a sua Palavra e o seu Espírito. Nosso dever cristão é tomar posse das armas e sair à luta contra os inimigos (Ef. 6.10,11). Há coisas práticas que precisamos fazer para vencer na luta contra o pecado e o diabo. Podemos pensar no seguinte:

1. Usar a espada do Espírito Santo que é a palavra de Deus (Ef. 6.17). Por sua graça, Cristo nos dá a sua palavra e nos governa por meio dela. Se desejarmos vencer na luta contra o pecado e o diabo, nós precisamos ter a palavra de Deus guardada em nossas mentes e corações. Jesus venceu as tentações do diabo usando a palavra de Deus. O salmista escreveu: “Guardo no coração as tuas palavras para não pecar contra ti” (Sl. 119.11; 9). Temos usado a espada do Espírito na luta contra o pecado e o diabo? Lemos e meditamos na palavra de Deus? Recebemos com alegria e atenção a palavra de Deus nos cultos? Longe da palavra de Deus, somos um alvo fácil dos nossos inimigos. Por outro lado, apegados á palavra de Deus, receberemos do Senhor a graça e o poder de vencer na luta contra os nossos inimigos.

2. Viver na prática de oração constante (Ef. 6.18). A oração é um meio que Deus nos dá para praticarmos a nossa comunhão com Ele. Por meio da oração confessamos a Deus nossos pecados e pedimos a ele força para lutar e vencer os inimigos. Cristo nos exorta a vigiar e orar para não cair em tentação. Precisamos orar mais ao Senhor. Não existe cristão sem oração. Para vencer nossos inimigos, precisamos estar perto do Senhor e a oração é um meio de nos aproximarmos dele. Quando os desejos da carne nos tentam o coração, quando Satanás nos assalta com suas tentações, corramos para a presença de Cristo através da oração. Nele encontraremos força para vencer o pecado e o diabo.

3. Outra coisa prática para vencermos nossos inimigos é buscar a comunhão com os nossos irmãos. A comunhão dos santos é uma benção de Deus para nós. Somos muitos membros, porém, um só corpo. Precisamos uns dos outros. Sozinhos não vamos vencer. O Senhor deseja que ajudemos uns aos outros em nossa vida cristã. Devemos usar os nossos dons para a edificação uns dos outros. Se desejamos vencer o mal, temos de nos unir para aconselhar, fortalecer, exortar, repreender, orar e viver em amor uns para com os outros.

Como rei, o cristão reinará com Cristo na eternidade. “E depois na vida eterna vou reinar com Cristo sobre todas as criaturas”. Confessamos essa verdade com certeza e esperança. A promessa da palavra de Deus é que, aqueles que perseveram na sua luta contra o pecado e o diabo e não se entregam a eles, reinarão com Cristo eternamente (II Tm. 2.12). Depois do sofrimento da batalha, a alegria eterna com Cristo será uma realidade na vida dos crentes fiéis. A vida com Cristo na glória é uma promessa consoladora para os cristãos que, como reis combateram de livre consciência o pecado e o diabo e sofreram por causa de sua obediência e fé em Cristo. Eles reinarão com Cristo por toda eternidade.

No reino da glória com Cristo não haverá mais a luta contra os inimigos! Tentações e provações não mais existirão. Tudo será novo! Vamos participar de plena comunhão com o Nosso Grande Rei Jesus e reinar no novo céu e na nova terra sobre todas as criaturas. (Ap.22.1-5). Amém!

 

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Compartilhe!

Pr. Elissandro Rabêlo

Pastor na Igreja Reformada em Cabo Frio - RJ.

Deixe um Comentário