Pregação preparada pelo Pr. Abram de Graaf

Leitura: Mateus 01:18-25

Texto: Dia do Senhor 11

 

Queridos irmãos e irmãs em Cristo Jesus,

Quem é Jesus para você?
Pode pensar um momento sobre isso. Esta pergunta é para todos que estão aqui. Para as crianças, para os adolescentes, para os jovens, para os solteiros, para os casais, para as viúvas, para os visitantes. Quem é Jesus para você?

Na época de Natal muitas pessoas pensem em Jesus e se lembram do nascimento dele. Jesus é o filho de Maria, que nasceu em Belém, em circunstâncias extraordinárias. Houve anjos nos céus, que anunciaram o nascimento aos pastores, que foram os primeiros que visitaram Jesus. Muitas pessoas pensam nisso e colocam um pequeno estábulo em casa para mostrar que o Natal é de Cristo. Mas é só isso? Jesus é o menino fofinho de Natal?

Quando perguntaria às crianças, provavelmente vou ouvir que Jesus era um homem que fez muitos milagres! A Bíblia para as crianças ensina isso. Ela conta todas as milagres de Jesus. Uma história mais linda que a outra. Jesus curou a dor de cabeça da sogra de Pedro; curou pessoas com doenças mais sérias: pessoas cegas, surdas e paralíticas; pessoas na beira da morte e até levantou alguns cadáveres que já estavam no caixão e até Lazaro que já estava quatro dias no sepulcro!! Muitas crianças consideram Jesus com um homem milagroso. Um tipo de super-homem!

Outras pessoas pensam logo na morte de Jesus. Jesus na cruz. Esta imagem é muito forte aqui no Brasil. Esta imagem foi cultivada pelos apóstolos, que pregaram a mensagem da cruz. Como Paulo fez isso, dizendo: “Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus!” (1 Cor. 1,18). Jesus na cruz. Assim ele se tornou um exemplo para nós. O apóstolo Pedro nos ensinou isso, dizendo: “Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos, o qual não cometeu pecado, nem dolo algum se achou em sua boca; pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente, carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados”. Jesus como exemplo. Jesus como modelo para os que sofrem. Será que é por causa disso que muitas pessoas têm um crucifixo no pescoço? Porque querem seguir o exemplo humilde de Cristo? Porque são preparadas para sofrer como Cristo sofreu? A igreja antiga ensinava isso. A semana santa e a paixão de Cristo foram e ainda são festas populares neste mundo. Cristo na cruz é uma das imagens mais conhecida de Jesus.

Mas mais conhecida ainda é a mensagem da Páscoa. Páscoa é a festa mais antiga da igreja cristã. A ressurreição de Cristo foi o milagre mais poderoso de Deus! A ressurreição de Cristo se tornou a mensagem mais importante dos apóstolos. Como Paulo disse (1 Cor. 15, 12): “Ora, se é corrente pregar-se que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como, pois, afirmam alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos? E, se não há ressurreição de mortos, então Cristo não ressuscitou. E se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé”. A ressurreição de Jesus nos mostra a Gloria de Jesus. Esta mensagem é muito mais importante que as imagens do menino Jesus na manjedoura ou de Jesus na cruz. Essas imagens nos mostram a fraqueza de Jesus, mas a Bíblia termina com o poder de Jesus, com a glória de Jesus. Esta é a nossa fé.

Tem vários lugares aqui no Brasil que mostram esta mensagem ao mundo. Penso nas imagens famosas de Jesus Redentor. A estátua de Jesus Redentor em Rio de Janeiro, por exemplo. Esta imagem nos mostra Jesus com os braços estendidos. É a imagem de Jesus que deu a benção sacerdotal enquanto subiu ao céu. Uma imagem da ascensão de Jesus para tomar posse do trono de Deus. Cristo é Rei e Sumo sacerdote! Esta imagem é a imagem que deve estar em nossas mentes quando pensamos em Jesus! Cristo, é o nosso Sumo Sacerdote e Rei. E assim Ele é o nosso Salvador.

Já pensou sobre isso, irmãos, o que isso quer dizer? Jesus é o nosso Salvador? Você pode ter uma ideia limitada sobre isso OU uma ideia mais ampla. Muitas pessoas tem uma ideia limitada e dizem: Isso, quer dizer que Ele nos salva de todos os nossos pecados! E de certa forma elas têm razão!! O anjo disse isso a José. Ele tinha que dar ao menino o nome de ‘Jesus’, “porque Ele salvará o seu povo dos pecados deles”. Assim será o objetivo da vida dele e por causa disso as pessoas o chamam SALVADOR!

JESUS! Mas, não devemos limitar a salvação à nossa vida particular e mais nada.

Muitas pessoas pensam assim. Elas vão para igreja para receber a remissão dos pecados, porque durante a semana fizeram tantas coisas erradas que a consciência fica pesada. Então vão para igreja e participam do culto, fazem as suas orações e fazem as suas ofertas, participam da santa ceia. Tudo isso para receber a remissão dos pecados e paz no coração; Mas mais nada! Depois continuam com a sua vida fraca e pecaminosa e depois se repete o mesmo ritual para segurar a remissão dos seus pecados. Conforme elas a Salvação é essa: uma salvação particular.

Mas não é só isso. A Salvação que Jesus nos traz é muito mais ampla. Quando Jesus subiu ao palco desse mundo, ele disse: Arrepende-te! O Reino de Deus está perto! Jesus chegou para restaurar o Reino de Deus sobre toda a criação. Ele salvaria toda criação da vaidade: O universo, o mundo inteiro, o povo de Deus e a sociedade dos homens; Paulo nos revelou isso em Romanos 8, 18, dizendo: “Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós. A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus. Pois a criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus!”. O objetivo amplo da Salvação é este: a restauração de toda a criação! Como Salmo 110 diz a respeito do Salvador: “Assenta-te à minha direita, até que eu ponho todos os teus inimigos debaixo dos teus pés!”. Assim será a glória a ser revelada à nos e em nós!

No primeiro lugar será revelado à nos. Como aconteça agora. Jesus mesmo começou com isso. Ele pregou: “O Reino de Deus está perto”. E ele mesmo mostrou o poder do Reino de Deus fazendo milagres poderosos. Ele chamou a atenção das pessoas. Elas poderiam entrar no Reino de Deus, mas antes disso deviam segui-lo… até a cruz. Porque elas só podiam entrar no Reino de Deus, se confessariam os seus pecados e iam receber a remissão dos pecados. Só Jesus Cristo pôde dar a remissão dos pecados. Por causa disso Jesus morreu na cruz. E depois disso os apóstolos dele continuaram com seu trabalho. Eles pregaram e disseram: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para a remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar”.

Então, para entrar no Reino de Deus, uma pessoa deve ouvir e cumprir o chamado de Deus. Quer dizer:

  • 1) Se arrepender dos pecados e da sua vida fora do Reino de Deus;
  • 2) Se submeter a Jesus Cristo e segui-lo;
  • 3) Ser batizado em nome de Jesus; isso significa que recebemos a remissão dos pecados e pertencemos a Jesus;
  • 4) Receber o dom do Espírito Santo, que nos ensina como devemos ser ativos na igreja de Cristo e como devemos espalhar a luz de Cristo neste mundo.

Assim será a glória a ser revelada à nos e em nós! A glória de Jesus se manifesta em nós, quando nós manifestamos uma vida cristã. Quando nós manifestamos ao mundo em redor de nós, que somos salvos: que somos libertados do domínio do pecado; quando manifestamos que Cristo está em nós; que a luz de Cristo brilha em nós; quando o amor de Deus domina a nossa vida; isso faz uma diferença neste mundo e isso chama a atenção das pessoas; isso deixa a nossa vida diferente; isso deixa as nossas respostas estranhas; nós nos tornaremos estrangeiros; cidadãos do Reino de Deus, filhos de Deus. Discípulos de Jesus Cristo são a luz do mundo, como Jesus disse:
Vós são a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se ascende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus!” (Mt 5, 14-16).

Nós só podemos ser luzeiros de Cristo, quando Cristo está em nós. Immanuel! Deus está conosco! O anjo disse isso, quando ele falou sobre o nome de Jesus.

Ele disse: “Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles. Ora tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor por intermédio do profeta: Eis que a virgem conceberá e dará a luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco)”.

Alguém aqui já se perguntou por que o nome de Jesus é JESUS e não Emanuel? De acordo com a profecia de Isaías o nome deveria ser Emanuel e não Jesus.

Mas de acordo com o anjo o nome deve ser Jesus. Então, a profecia de Isaías se cumpriu, não pelo fato que Jesus recebeu o nome de Emanuel, mas pelo fato do nascimento dele. Sò Deus pode perdoar os pecados e Deus faz isso por meio de Jesus.

Por meio de Jesus Deus está no meio do seu povo. Este é o tema do evangelho de Mateus.

O Evangelho de Mateus nos mostra desde o início até o fim que Deus está no meio do seu povo por meio de Jesus. O início fala sobre isso, o final também. Por que no final Jesus se despediu dos seus discípulos e disse: E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século. O livro, que fala sobre os Atos dos apóstolos nos mostra como Deus estava com seus apóstolos e com sua igreja. Por meio do Espírito Santo! Cristo derramou seu Espírito Santo sobre os seus discípulos e eles ficaram cheios do Espírito Santo e começavam a pregar e fazer boas obras, de tal forma que as pessoas louvaram a Deus (Atos 2,47!). Cristo estava no meio do seu povo pelo poder do Espírito Santo. Dessa maneira a luz de Deus se espalha neste mundo. Isso é só possível quando Cristo está perto de nós, quando o Espírito de Cristo está dentro de nós!

Os Reformadores do século 16 observaram isso também e queriam reformar a igreja. Cristo em nós e nós em Cristo! Eles tinham observado que muitas pessoas estavam na igreja, mas Cristo não estava nelas. A religião das pessoas era falsa. Elas foram enganadas. Os Reformadores se perguntaram: Será que aqueles que buscam o bem e a salvação nos chamados “santos”, ou em si mesmos, ou em qualquer lugar, realmente creem no único Salvador Jesus? A resposta é: Não, não creem, pois na pratica negam o único Salvador Jesus, ainda que falam tanto dele!

Vou lhes dar um exemplo disso. Nós sabemos que Jesus é o filho de Deus e ele é onisciente e onipresente. Ele está em qualquer lugar como ele prometeu: “Eu estou convosco até a consumação do século”. Mas as pessoas não creem nisso; elas negam isso e oram para os chamados “santos” para chegar perto de Jesus. Eles oram para Maria, a mãe de Jesus, porque acham que Maria levará os pedidos para Jesus e Jesus não vai nega-la. E dessa maneira as pessoas têm um santuário na casa, uma mesa cheia de santos. A nossa Senhora, o Santo Antonio, o santo João, o santo Pedro etc. etc. para se aproximar de Cristo. Mas eu lhes digo, irmãos, quanto mais santos estão na casa, tanto mais distante alguém está de Cristo!

Imagine que quero falar com a minha esposa, mas em vez de falar com ela diretamente, eu chamo a minha filha e digo para ela, – na presença da minha esposa! – Marba (pode substituir por outro nome!), pergunta a sua mãe isso e aquilo. Não seria muito estranho? Se isso acontecer na vida real, um visitante ia pensar: “alguma coisa está errada aqui. Por que ele não fala diretamente com a sua esposa? Por que ele fala por meio da sua filha? Será que alguma coisa aconteceu?” Assim é a situação daquelas pessoas que usam os santos para falar com Jesus, que está onipresente. Elas estão longe de Jesus. Elas não sentem Cristo no coração, eles precisam de outras pessoas para falar com Jesus!.

Quem conhece Cristo, irmãos! Quem está em paz com Cristo! Quem sente que Cristo está em nós e nós em Cristo!! Ele não precisa de nenhum santo; ele joga todos os santos para fora, porque não precisa desses artefatos para chegar perto de Cristo. Nós já temos Cristo no coração. E nós encontramos nele tudo o que é necessário para a nossa salvação!! Amém.

 

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

*** Encontre mais sermões do Pr. Abram de Graaf em: bramdegraaf.com

Compartilhe!

Pr. Abram de Graaf

O pastor Abram de Graaf é “Doctorandus” (Drs) em Teologia e um dos professores do Instituto João Calvino (Aldeia, Camaragibe-PE). Ele é pastor da Igreja Reformada de Hamilton, Canadá, enviado como missionário às Igrejas Reformadas do Brasil, desde o ano 2000. É Diretor do Projeto Dordt-Brasil. Ele mora em Maceió e também desenvolve projetos nessa cidade.

Deixe um Comentário