Pregação preparada pelo pr. Laylton Coelho
Leitura: Êxodo 20.1-6; Atos 4.8-12.
Texto: Dia do Senhor 05

Amados irmãos no Senhor. A primeira leitura bíblica de hoje foi feita a partir do texto de Êxodo 20.1-6. Estas palavras mostram a introdução e os dois primeiros mandamentos da Lei do SENHOR. Elas foram dadas por ocasião da saída dos judeus da terra do Egito. Deus falou estas palavras para preparar seu povo para uma nova vida. Uma vida que deixaria de lado os deuses do passado (deuses egípcios) e os deuses do futuro (deuses de Canaã). Em outras palavras, Deus estava advertindo seu povo a abandonar os ídolos do Egito onde eles moravam, e a não se deixar seduzir pelos deuses da terra de Canaã onde eles iriam habitar.

Naquele tempo, assim como hoje, o mundo estava repleto de idolatria. Havia muitos deuses no Egito e na terra de Canaã. A maioria desses deuses possuía uma aparência bastante esquisita. Seus corpos tinham uma parte humana e outra parte animal. Por exemplo: A imagem do deus egípcio Thoth possuía um corpo de homem e a cabeça de um pássaro; já a imagem do deus cananeu Dagon era a de um homem com cauda de peixe. Olhando para essas imagens, nós ficamos imaginando como foi que os egípcios e os cananeus tiveram essas ideias mirabolantes. Será que era somente pura imaginação, ou eles viram algum demônio disfarçado daquele modo? Seja como for, esses deuses, e outros mais, eram bastante reverenciados naquele tempo.

Era nesse mundo repleto de ídolos em que vivia o povo de Deus. Eles ouviam tantas histórias fantásticas sobre as ações desses deuses, e certamente ficaram impressionados com elas. Será que esses deuses existiam? Será que as histórias desses deuses pagãos eram realmente verdade? Será que esses deuses podiam salvar alguém? Em resposta a essas perguntas, Deus mostrou todo o seu poder durante a libertação do Egito. Deus mostrou que os deuses do Egito não eram nada. Eles não tinham nenhum poder. Deus derrotou e humilhou as divindades egípcias. Ele mostrou que existe salvação somente da parte do SENHOR. É isso que nos mostram as leituras bíblicas de hoje e também o Domingo 5 do nosso catecismo. Portanto, o tema do sermão de hoje é este:

O HOMEM SÓ PODE ENCONTRAR SALVAÇÃO NO DEUS VERDADEIRO.

Pois:

  1. Os seres que Deus criou não podem nos ajudar;
  2. Jesus Cristo é o nosso Salvador porque ele é homem e Deus.

1. Os seres que Deus criou não podem nos ajudar.

Infelizmente, os seres humanos têm buscado salvação nas coisas que Deus criou. Ao fazerem isso, os homens substituíram a verdade pela mentira. O apóstolo Paulo escreveu sobre isso, dizendo o seguinte: “A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça; porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis.” (Rm 1.18-23).

Ao longo dos séculos, o ser humano tem procurado seus deuses no céu, na terra e no mar; deuses que poderiam salvá-los tanto nesta vida quanto na vida depois da morte. Os homens olham para os seus deuses como se eles fossem verdadeiros salvadores e libertadores. Eles têm adorado as estrelas, o sol, a lua, montanhas, demônios disfarçados de seres espirituais, poderes da natureza, pretensos espíritos dos mortos, animais da terra, seres do mar e aves do céu. A humanidade tem se deixado levar por sua loucura e rebelião contra o criador para darem ouvidos às doutrinas dos demônios. Seus deuses são horripilantes, vingativos e possuem uma moral muito baixa. A razão disso é porque por trás desses deuses estão operando os demônios. Tudo isso mostra que os homens tem sempre recusado ouvir a vós de Deus para dar ouvidos a Satanás, o qual sempre se disfarça para enganá-los tal como enganou Adão e Eva.

Portanto, as palavras iniciais de Êxodo 20, junto com os dois primeiros mandamentos, funcionam como uma grande advertência para o povo de Deus, a fim de que eles se afastem completamente da idolatria vivenciada no mundo pagão. Deus disse que ele, o Deus verdadeiro, era quem tinha tirado os judeus do Egito. E, por causa disso, eles não deviam buscar outros deuses. Os judeus deviam confiar unicamente no SENHOR criador do céu e da terra. Eles deviam jogar fora os deuses do Egito e não tomar para si os deuses de Canaã. As criaturas de Deus não podem ajudar os homens. Elas não podem salvá-los dos perigos deste mundo, e também não podem ajudá-los na vida por vir. É tolice pedir ajuda ao sol, à lua e às estrelas. É loucura confiar em mamíferos, em répteis, em aves e em peixes. É blasfemo dar ouvidos aos demônios disfarçados de deuses ou defuntos.

O apóstolo Paulo disse que o homem é indesculpável quando faz isso. Ele sabe que Deus existe, mas, mesmo assim, ele busca ajuda na criação de Deus. Porém, para o povo de Deus que saiu do Egito, a verdade ficava ainda mais clara. Deus se manifestou ao seu povo por meio dos seus milagres, da sua vinda ao monte Sinai e da nuvem que acompanhava os judeus através do deserto. Deus falou com Moisés, e Moisés falou como povo. Tudo que Deus mandou Moisés escrever, assim ele o fez. E desta forma o Deus verdadeiro mostrou que ele é o verdadeiro libertador do homem. Os outros deuses são deuses de mentira.

Por conta disso, todas as vezes que os israelitas abandonavam o Deus verdadeiro para confiar nos deuses das outras nações, eles se metiam numa grande encrenca. Ao lermos o AT, nós vemos as grandes enrascadas nas quais os judeus se meteram quando confiaram nos falsos deuses. Eles negaram a Deus, e Deus os castigou severamente. Israel aprendeu pela dor que só existe salvação no Deus verdadeiro.
Todavia, meus irmãos, essa mensagem não está somente no AT. Também no NT nós encontramos a mesma verdade de que somente o Deus de Israel é o verdadeiro Deus. Toda a Bíblia mostra que não há salvação nos seres que Deus criou, sejam eles animados ou inanimados. Portanto, não tem cabimento algum que os cristãos busquem ajuda em outros seres humanos, ou seja, nos apóstolos e demais santos do passado. Eles são apenas criaturas de Deus. Eles não podem salvar ninguém.

É verdade que quando eles estavam vivos era possível ir até eles a fim de que os mesmos manifestassem seus dons para o bem da igreja. Por exemplo, vamos ler o que está escrito em Atos 9.36-42. Este relato é apenas um dentre os vários momentos em que os santos apóstolos ajudaram a igreja em momentos de enfermidade e morte. Todavia, não existe nenhum texto bíblico ensinando que os crentes devem buscar a ajuda dos santos que já morreram. Toda a atenção da Bíblia está exclusivamente em Deus. Confiar em seres humanos, por mais que eles tenham sido santos, é deixar Deus de lado e buscar o favor das criaturas que Deus criou. Deus abençoou os apóstolos dando-lhes dons sobrenaturais para ajudar a igreja, mas acontece que eles morreram. Não é correto continuar pedindo a ajuda deles, pois eles não estão mais aqui conosco.

É muito estranho que os cristãos peçam a ajuda de alguém que já morreu. Uma coisa era um cristão antigo procurar pessoalmente o apóstolo Pedro para pedir que ele exercesse o seu dom de cura em benefício de algum irmão, e outra coisa é alguém hoje em dia invocar espiritualmente o apóstolo Pedro quando ele já morreu há muito tempo. Pedro está neste momento lá nos céus. Ele está muito distante de nós. Ele não pode vir até nós. Ele também não é um deus para que possa responder às nossas orações e lançar seus poderes aqui neste mundo. Somente Deus é quem pode ouvir alguém orando aqui na terra e fazer milagres a partir dos céus.

Infelizmente, a história do cristianismo tem mostrado que os homens continuam os mesmos. Eles sempre estão buscando socorro nas criaturas que Deus criou. Até mesmo os cristãos têm caído nessa armadilha. Muitas pessoas ficam juntando versículos bíblicos aqui e ali para tentarem provar que os santos apóstolos ainda podem ajudar os homens depois da sua morte. Mas a Bíblia não mostra isso de modo algum. Quem lê a Bíblia como um todo irá perceber claramente que somente existe esperança em Deus. Não adianta nada falar da doutrina da comunhão dos santos para tentar argumentar que os santos nos céus podem ajudar os santos na terra. Esse tipo de alegação teológica é algo claramente falacioso. Os antigos hereges também sabiam manipular a Bíblia para fazer com que ela dissesse o que eles acreditavam ser verdade.

Ficar juntando versículos para tirar a atenção do Deus verdadeiro é pecado. A Bíblia mostra que só existe salvação no Deus verdadeiro. Nenhuma outra criatura pode nos socorrer diante da ira Deus contra o pecado. Não existe na Bíblia nenhum fundamento para a doutrina romana do “tesouro da igreja”. A igreja de Roma ensina que o “tesouro da igreja” é formado pelas boas obras de Jesus Cristo, de Maria e dos santos. E que o cristão pode fazer uso desse tesouro de boas obras através da concessão das indulgências. Por meio das indulgências, os oficiais da igreja de Roma teriam poder para abrir os céus e derramar um pouco das boas obras dos santos sobre uma pessoa a fim de ajudá-la diante de Deus.
Para confirmar o que eu estou dizendo, ouçam agora as palavras do próprio Catecismo Católico Romano:

1476. Esses bens espirituais da comunhão dos santos também são chamados o tesouro da Igreja, que não é a soma de bens comparáveis às riquezas materiais acumuladas no decorrer dos séculos, mas é o valor infinito e inesgotável que têm junto a Deus as expiações e os méritos de Cristo, nosso Senhor, oferecidos para que a humanidade toda seja libertada do pecado e chegue à comunhão com o Pai. É em Cristo, nosso redentor, que se encontram em abundância as satisfações e os méritos da sua redenção.

1477. Pertence, além disso, a esse tesouro o valor verdadeiramente imenso, incomensurável e sempre novo que têm junto a Deus as preces e boas obras da Bem-aventurada Virgem Maria e de todos os santos que, seguindo as pegadas de Cristo Senhor, por sua graça se santificaram e totalmente acabaram a obra que o Pai lhes confiara, de sorte que, operando a própria salvação, também contribuíram para a salvação de seus irmãos na unidade do corpo Místico.

1478. A indulgência se obtém de Deus mediante a Igreja, que, em virtude do poder de ligar e desligar que Cristo Jesus lhe concedeu, intervém em favor do cristão, abrindo-lhe o tesouro dos méritos de Cristo e dos santos, para obter do Pai das misericórdias a remissão das penas temporais devidas a seus pecados. Assim, a Igreja não só vem em auxílio do cristão, mas também o incita a obras de piedade, de penitência e de caridade.

1479. Uma vez que os fiéis defuntos em vias de purificação também são membros da mesma comunhão dos santos, podemos ajudá-los, entre outros modos, obtendo em favor deles indulgências para libertação das penas temporais devidas por seus pecados.

Meus irmãos, essa doutrina romana coloca em pé de igualdade as obras de Jesus Cristo com as obras dos homens. A igreja romana está dizendo que as obras dos santos são tão boas quanto às obras de Jesus Cristo. Ela está pregando que as boas obras de certas criaturas de Deus podem ajudar na salvar a humanidade, tanto de vivos quanto de mortos. Entretanto, a Bíblia em nenhum lugar da base para isso. Se alguém quer buscar um nome dado entre os homens que possa salvá-lo, então ele deve buscar o nome de Jesus Cristo. Portanto…

2. Jesus Cristo é o nosso Salvador porque ele é homem e Deus.

Não há como comparar as criaturas que Deus criou com o nosso Salvador Jesus Cristo. Ele realmente é homem verdadeiro. E ele tinha que ser homem verdadeiro porque nenhuma outra criatura poderia assumir o nosso lugar diante do castigo de Deus. O ser humano pecou e somente um ser humano poderia receber o castigo de Deus. Nenhum animal, ou anjo, ou outro ser humano, poderia nos substituir na cruz do calvário.
A vida de um animal não pode pagar pela vida de um homem. A vida de um anjo também não pode pagar pela vida de um homem. E muito menos outro homem pecador poderia pagar pelos pecados dos seus semelhantes. Somente um ser humano completamente puro poderia fazer isso. E esse homem totalmente sem pecados é o nosso Senhor Jesus Cristo. Era isso que o apóstolo Pedro queria mostrar para as autoridades de Israel.

Conforme lemos em Atos 4.8-12, Pedro disse as seguintes palavras: “Autoridades do povo e anciãos, visto que hoje somos interrogados a propósito do benefício feito a um homem enfermo e do modo por que foi curado, tomai conhecimento, vós todos e todo o povo de Israel, de que, em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, a quem vós crucificastes, e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, sim, em seu nome é que este está curado perante vós. Este Jesus é pedra rejeitada por vós, os construtores, a qual se tornou a pedra angular. E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos”.

Pedro disse claramente que, se alguém quer ser salvo, então ele deve buscar somente o nome de Cristo. Prestem atenção: Quando Pedro falou de salvação ele não estava falando somente de salvação depois da morte. Ele estava falando de todo e qualquer tipo de socorro. Se existe alguém que está nos céus possuindo poderes suficientes para ajudar a igreja aqui na terra, este alguém é o Senhor Jesus Cristo. Invocar qualquer outro nome, ou venerar qualquer outra pessoa além de Jesus Cristo, é pecado. O único homem que já viveu aqui na terra que pode nos auxiliar lá dos céus é Jesus Cristo.

E você sabe por quê? É porque Jesus Cristo não é somente homem. Jesus Cristo também é Deus. Em João 1.1-4 está escrito: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez. A vida estava nele e a vida era a luz dos homens”. Foi por este motivo que Jesus ressuscitou, subiu aos céus e se assentou à direita de Deus Pai Todo-Poderoso.

Por ele ser o Deus verdadeiro, Jesus pode ouvir nossas orações. Ele consegue ler todos os nossos pensamentos. E, lá dos céus, ele estende as suas poderosas mãos em direção a este mundo para nos ajudar. Os santos que já morreram não podem fazer isso. Os santos falecidos não possuem poderes divinos para nos ouvir. Eles não têm poderes divinos para fazerem milagres depois de mortos.

Além disso, somente as obras de Jesus Cristo têm poder para nos salvar. Nenhum cristão, por mais fiel que ele tenha sido neste mundo, pode pagar a nossa dívida diante de Deus. As obras dos santos não servem para perdoar os nossos pecados. Lembrem-se: Em nenhum lugar das Escrituras é dito que as boas obras dos santos podem ajudar no pagamento dos pecados dos vivos, e muito menos dos mortos. Portanto, meus irmãos, continuem confiando no seu Salvador e Mediador entre Deus e os homens – O Senhor Jesus Cristo. Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Compartilhe!

Pr. Laylton Coelho

Pastor na Igreja Reformada em Imbiribeira.

Leave a Comment