Pregação preparada pelo Pr. Julius VanSpronsen

Leitura: Romanos 06

Texto: Dia do Senhor 01

 

Amada congregação do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo,
Qual é o propósito da sua vida? Devem existir muitas respostas a esta pergunta. Muitas pessoas não têm um propósito nesta vida, apenas prosseguem em seu próprio prazer. Outras argumentam que o seu propósito é contribuir com a sociedade, mas a sua esperança na bondade da sociedade as deixa enganadas e nunca conseguem ajudar em certa situação. Muitos cristãos acham que têm só o propósito espiritual, mas fazem distinção entre as coisas físicas e as coisas espirituais – eles negam o seu mandato nesta terra e são desagradáveis ao Senhor.

Então, qual é o propósito da sua vida? A Bíblia diz que o nosso propósito deve estar no nosso relacionamento com Deus – e esse relacionamento tem consequências em todas as áreas da nossa vida: físicas, emocionais e espirituais! O ponto é que, o nosso propósito de viver, repousa completamente em Cristo – ele é o nosso dono, e somos escravos d’Ele . Esse conhecimento nos dá paz, alegria e consolo em todas as situações desta vida. Prego o evangelho de Cristo sob o seguinte tema:
Tema: Até os fios de nossos cabelos pertencem a Jesus Cristo, porque:

  • 1. Ele nos comprou
  • 2. Ele nos protege
  • 3. Ele nos renova

1. Ele nos comprou.

A confissão que nós professamos começa com as palavras: “Não pertenço a mim mesmo”. Estas palavras nos lembram de Romanos 6, onde Paulo se compara com um escravo. Naquela época, o escravo não tinha o direito de escolher a sua ocupação ou o lugar de residência. Se um amigo lhe pedisse ajuda, ele respondia: “Não pertenço a mim mesmo, fui comprado e agora não posso fazer nada fora da vontade do meu dono”. Hoje em dia, ninguém gosta de pensar em escravidão – todos acham que todo mundo deve ser livre, sem nenhum mestre nem dono. Mas, o que diz Paulo em Romanos 6, e o que diz o nosso catecismo, é que ninguém é realmente livre – escravidão é uma realidade para todos! Gênesis deixa claro que ninguém tem uma vontade livre. Embora tomemos decisões sobre várias coisas, somos, por natureza, escravos da vontade do diabo, e somos inclinados a odiar a Deus e ao nosso próximo. O homem sem Cristo, não está livre para fazer qualquer coisa que ele desejar, mas é como uma marionete ou um fantoche, nas mãos do diabo. Por natureza, todos são filhos da serpente, e ficam assim, a não ser que Deus transforme o seu coração. Em João 6.65 Jesus diz: “(…) ninguém poderá vir a mim, se, pelo Pai, não lhe for concedido”. Em Romanos 6, Paulo mostra que, ou a pessoa é um escravo do pecado, ou ele é um escravo da justiça. Cada pessoa é um escravo – ninguém é dono de si mesmo – então, a pergunta é: “(…) quem é o seu mestre?” A resposta a esta pergunta tem a ver com o seu único consolo na vida e na morte.

Se o mestre for o diabo, o escravo provavelmente não será capaz de reconhecer isso. Por natureza, os nossos corações são maus; e os nossos próprios desejos e a nossa própria vontade nunca nos conduzem a buscarmos a Deus. Uma pessoa sem Cristo escolherá fazer a mesma coisa que o diabo quer que ela faça – a vontade impura age de acordo com o desejo do diabo, e ela nem percebe isso. Não existem muitas normas na vida sem Cristo, e tal pessoa vive sem fundamento e propósito firmes; ela não gosta das coisas que causam atrito à sua vida, e sempre é dirigida pelos seus sentimentos e emoções. Então, elas estudam as novidades em sociedade, gostam do estudo científico mais atual ou das novidades nas modas do dia; ou elas estão rastreando a vida dos políticos; ou se interessam por qualquer esporte ou divertimento. Só nestas coisas consiste a vida: televisão, roupas, corpos, dinheiro, e uma diversão. Não pensam sobre morte, Deus, justiça e verdade; elas procuram os prazeres temporários deste mundo, a saber: dinheiro, saúde, direitos ou qualquer coisa que estimulem as suas mentes. São escravos do prazer mundano – não pertencem a si mesmos, mas os seus corações os conduzem a servir ao diabo, que é o seu mestre e rei. Não se engane – não há alegria na vida de quem está sob o domínio do diabo – ele é um mestre que odeia os seus súditos!

Porém, a Bíblia revela que há um outro mestre. Na sua misericórdia, o SENHOR Deus declarou que tiraria algumas pessoas das mãos do diabo. Embora todos os homens fossem destinados à condenação eterna, Deus escolheu alguns para si mesmo. Deus enviou o seu único Filho para pagar completamente todos os seus pecados, com o seu sangue precioso. Cristo pagou o preço de um resgate e libertou o seu povo escolhido da punição que merecia, da sua rebelião contra Deus! Agora, como membros da Igreja de Cristo, reconhecemos que pertencemos, de corpo e alma, tanto na vida quanto na morte, ao nosso fiel Salvador Jesus Cristo. Ele é o nosso mestre e dono – Ele nos comprou e pertencemos a Ele – Cristo é o nosso Senhor, e isso tem muitas consequências na nossa vida e na nossa morte.

Por que achamos que é um consolo ser um escravo? Por que confessamos que é um consolo que Jesus Cristo é o nosso Senhor e Mestre? Paulo responde a estas perguntas em Romanos 6.20-23 quando compara a vida dos escravos do pecado com a vida dos escravos de Deus: “Porque, quando éreis escravos do pecado, estáveis isentos em relação à justiça. Naquele tempo, que resultados colhestes? Somente as coisas de que, agora, vos envergonhais; porque o fim delas é morte. Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação e, por fim, a vida eterna; porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor”. Os escravos do diabo vivem com vergonha até da sua morte eterna; os escravos de Cristo experimentam bênçãos ricas já nesta vida e as bênçãos continuam para sempre! Os que foram comprados com o sangue de Cristo são salvos da vaidade na sua vida. Eis a resposta.

Temos um propósito na nossa vida! Deus nos concedeu corpos para um propósito; o nosso trabalho tem um alvo; temos famílias porque Deus tem planos para nós. Se alguém lhe perguntasse: “Por que você está ensinando os seus filhos assim?”, ou “Por que você mostra amor ao seu marido enquanto ele não a respeita?”. A resposta do cristão é simples: “Porque estou servindo meu Mestre, servindo ao seu reino e isso é a vontade divina na minha vida… E como escravo de Cristo, também reconheço que Ele me protege.

2. Ele nos protege.

A confissão continua, e fala sobre a natureza do nosso Mestre – Ele não só nos concedeu vida e nos libertou do diabo, mas também nos protege e guarda dia a dia – até nossos fios de cabelo! Em Mateus 10.28-31, o Senhor Jesus diz: “Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo. Não se vendem dois pardais por um asse? E nenhum deles cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai. E, quanto a vós outros, até os cabelos todos da cabeça estão contados. Não temais, pois! Bem mais valeis vós do que muitos pardais”. Jesus diz que “até os cabelos todos da cabeça estão contados”. Pensem nisso um momento… Vocês têm uma noção do número dos cabelos na sua cabeça? Vocês percebem quantos cabelos caem da sua cabeça cada dia? Cientistas dizem que todo dia a pessoa perde entre 25 a 100 fios de cabelo. Vocês percebem quando mais 01 (um) cabelo cai? Com certeza percebem em longo prazo que o número está diminuindo, mas quando mais 01 (um) cabelo cai?. Então, é bom notar que o SENHOR nos conhece melhor do que conhecemos a nós mesmos!

Deus não apenas vê os seus filhos no meio dos milhões que moram na terra (Salmo 139); Ele não apenas conhece a sua morada e a situação da sua família aqui em Recife, mas também conhece a sua situação de uma forma tão íntima que sem a vontade d’Ele nem um fio de cabelo pode cair da sua cabeça! Louvemos ao Senhor pelo seu poder! Aprendamos também sobre a profundidade do amor do SENHOR – Ele presta atenção às coisas insignificantes na nossa vida! A perda de cabelo é normal e, de qualquer forma, não nos afeta – quando estivermos correndo, um fio de cabelo caindo ao chão não nos impede, nem nos ajuda – não nos afeta de forma nenhuma. Mas, por causa do amor para conosco, Deus vê aquele cabelo caindo… e se cremos que um fio de cabelo não pode cair sem a vontade do SENHOR, também temos que confessar que tudo e qualquer coisa que acontece, sempre acontece por causa da vontade de Deus! Cremos na soberania do SENHOR – tudo está nas mãos d’Ele… e todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus! Devemos reconhecer isto também: desfrutamos da proteção do SENHOR somente porque pertencemos a Cristo! Somente os escravos de Cristo têm a proteção do Deus Soberano.

Cristãos pertencem a Cristo – as suas almas pertencem a Ele, os seus corpos pertencem a Ele, até seus fios de cabelo pertencem a Ele, porque Ele os comprou com o seu sangue.

Somos identificados com Cristo – quando falamos sobre Cristo, falamos sobre a Sua Igreja que é o Seu corpo! Então, o consolo do evangelho continua além desta vida na terra para a eternidade nos céus – pertencemos a Ele! Nada poderá nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor! E o consolo para a cristão é que Cristo cuida daquilo que pertence a Ele – Ele o protege para que permaneça com Ele para sempre — pertencemos a Cristo para toda eternidade! Temos certeza de que Cristo viverá para sempre, então, temos certeza de que nós também viveremos para sempre!

O verdadeiro consolo para o filho de Deus é mais do que a garantia da proteção nas tribulações desta vida. Temos raízes mais profundas do que as coisas que vemos.

O consolo do cristão não se baseia nos seus relacionamentos (esposo, esposa, filhos, pais, ou amigos), não se baseia nas suas posses, nos seus feitos, no seu dinheiro, ou na sua saúde… todas estas coisas são extras.

O verdadeiro consolo consiste no conhecimento que temos (na palma da mão) d’Aquele que criou tudo e reina acima de tudo e de todos. A coisa mais preciosa na nossa vida é o amor do SENHOR, e ninguém pode tirar de nós esse amor! Quando baseamos a nossa identidade em Cristo Jesus, o nosso Senhor, as tribulações da vida não podem nos abalar!

Seu consolo fique em Cristo – e ninguém pode lhe abalar, porque não depende de você, mas do seu Dono, que é Cristo. Nas tribulações mais difíceis, nenhuma coisa permanente é arriscada, porque tudo deste mundo é temporário, menos o seu relacionamento com Cristo! Por isso, vivamos todos como escravos de Cristo, com o consolo que não é abalado.

3. Vivemos para a glória d’Ele.

Se Deus não revelasse esse consolo a nós, nunca o perceberíamos. Confessamos que reconhecemos esse consolo só por causa do trabalho do Espírito Santo. Dizemos: Pelo Seu Espírito Santo, Ele também nos assegura a vida eterna. O Espírito Santo garante o que temos em Cristo, e nos lembra do trabalho de Cristo para que experimentemos esse consolo. Pelo Espírito Santo e a Palavra do SENHOR, somos lembrados do consolo indizível que temos em Cristo que nos comprou! Por isso, é muito importante que continuemos a ler a Bíblia e frequentemos os cultos para ouvirmos a pregação desta Palavra. E, reconhecendo o nosso consolo em Cristo, queiramos viver como escravos fiéis do nosso Mestre… O Espírito Santo nos torna dispostos e prontos de coração para vivermos para Ele de agora em diante.

Viver para Ele. O que significa esta frase? Basicamente confessamos que o Espírito Santo nos orienta a vivermos com o propósito de glorificarmos a Cristo que é o nosso Senhor e Dono. Não vivemos para o nosso prazer, o nosso bem, ou a nossa satisfação! Não temos vida para nós mesmos – as nossas vidas não nos pertencem! Antes, somos representantes do Senhor – temos que representar o nosso Dono – isto é o propósito desta vida. Devemos fazer tudo para a glória do Senhor – representemos constantemente a natureza do nosso Dono aos olhos das pessoas com quem nos encontrarmos.

Quando tivermos de tomar uma decisão na nossa vida, nunca devemos tomá-la para o nosso proveito, mas sempre para o proveito do nome de Jesus Cristo. A pergunta nunca deve ser: O que é melhor para mim? Mas sempre devemos perguntar: O que devo fazer como escravo de Jesus Cristo? O que é melhor para glorificar o Seu nome? Daí então, ganhamos paz e consolo em tudo que fizermos – temos que agradar à audiência de um só, que é Deus! Não somos escravos e servos dos nossos esposos, das nossas esposas, da nossa família, ou dos nossos próximos, mas somos escravos de Jesus Cristo, o nosso Mestre! Temos que dar contas somente a Ele das nossas decisões e ações.

Cristo vai perguntar: “Você era meu representante na sua vida? Mostrava gratidão pelo meu trabalho em seu favor, ou você ficava preocupado com a sua própria vida? Morava como meu escravo ou do seu dinheiro, ou do seu êxito, ou do seu trabalho?”

Quando o mestre ordena que seu escravo faça algo, e o escravo faz fielmente o que foi ordenado, se tiver consequências más, é o mestre e não o escravo que fica responsável pelo resultado. O escravo só tem que obedecer a seu Mestre.

Vivemos para o Senhor quando obedece a Ele. Os resultados ficam nas mãos do Senhor! Muitas vezes tomamos a responsabilidade pelos resultados, mas a nossa responsabilidade não é determinar as consequências, mas sermos fiéis na nossa tarefa para com o nosso Senhor. Quando confessamos os nossos pecados e nos arrependemos das ações odiosas, e tentamos obedecer às Leis do Senhor, os resultados ficam com Deus – podemos desfrutar paz. E quando crescermos também reconheceremos que aquilo que é para a glória de Jesus, é bom também para nossa vida.

Quando cessarmos de viver para a nossa própria satisfação, e quando não vivermos mais com base nas expectativas dos outros, começaremos a perceber a nossa situação com uma nova perspectiva.

As pessoas que somente pensam no seu próprio bem e sucesso são egoístas e julgam outros somente com base no proveito que têm para tirarem algo deles. Se eles os ajudam, por enquanto são tolerados, mas se alguém lhes impedem, acham que estão interrompendo o seu propósito; esquecem que não pertencem a si mesmos; esquecem que não devem servir ao seu próprio pequeno reino, mas que devem servir ao Mestre que é o Rei acima de todos! Quem colocou aquela pessoa, aquela família, aquele padrão no seu caminho, na sua vida, foi Deus e Ele quer que você sirva a Ele naquele relacionamento! Vivemos no reino do SENHOR Todo-Poderoso! Somos servos d’Ele, e com esta perspectiva (que é uma perspectiva eterna), vivemos com muita alegria e paz.

O coração do crente é transformado por Jesus Cristo que o comprou. O coração transformado reconhece a natureza da sua vida, que é um serviço para o Rei Eterno. Jesus Cristo nos comprou para nos libertar de todo o domínio do diabo, e pertencermos a Ele de corpo e alma, tanto na vida quando na morte. Vivemos para Cristo, não para nós mesmos. Ele nos guarda. Ele vê tudo que acontece na nossa vida, até os fios de cabelo caindo da nossa cabeça.. Ele nos conhece, e nesta situação de consolo e alegria, podemos viver para Cristo, nosso Mestre!

O seu trabalho não é para você; suas diversões na vida não são privadas. Trocando fraldas, visitando seus vizinhos, cuidando dos idosos, participando nos cultos, limpando a sua casa, faça tudo a serviço de Jesus Cristo!

Vivamos para Ele – não pertençamos a nós mesmos; estejamos em Cristo, o nosso Dono. Somos filhos adotivos do Pai celestial – é assim hoje e vai continuar para sempre.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

Compartilhe!

Pr. Julius VanSpronsen

Pastor da Igreja Reformada em Surrey, Colômbia Britânica. Desde 2008, serve as Igrejas Reformadas do Brasil como plantador de igrejas. B.A. Trinity University, M.Div. Theological College of the Canadian Reformed Churches.

Deixe um Comentário