Sermão preparado pelo pastor Pereira Neto
Leitura: Romanos 06.01-14
Texto: Colossenses 02.08-15

Amada congregação do Senhor Jesus Cristo,

Como será o amanhã? O Que o futuro me reserva? Essas são preocupações de muita gente em nossos dias. Mas a ansiedade, não é privilégio somente do mundo pós-moderno. Já no passado, no mundo antigo as pessoas estavam preocupadas com o amanhã. E o que elas faziam? Elas buscavam nos astros sinais de como seria o futuro delas. Elas também buscavam a proteção dos astros e dos poderes espirituais para suas vidas. Elas acreditavam que fazendo oferendas aos espíritos, teriam proteção e cuidado. O tempo passou, e apesar de todo progresso tecnológico e científico, as pessoas continuam nas mesmas crenças. As divindades pagãs continuam sendo adoradas, hoje com outros nomes. E até mesmo muitos ditos cristãos estão buscando poderes místicos para terem proteção e alcançarem aquilo que desejam para suas vidas.

Assim também era na igreja em Colossos, aqueles cristãos foram influenciados pela filosofia pagã da época, e pelo misticismo. Acreditavam em poderes espirituais, poderes de anjos, e eram influenciados pelos costumes judaicos. E é pra essa igreja que o apóstolo escreve esta epístola, para exortar, consolar e confortar na fé. Ele já mostrou a pessoa e a obra de Cristo. E agora ele mostra as consequências da obra de Cristo na vida da igreja. E baseado nisso eu prego o evangelho no seguinte tema:

Resultados práticos da obra de Cristo na vida do cristão

Veremos que, em Cristo temos:
1- Perdão dos pecados
2- Cancelamento do Escrito de dívida
3- Vitória sobre o mal.

1 – Em primeiro lugar irmãos, vemos que a obra de Cristo na cruz é suficiente para dar ao cristão aquilo de que mais ele necessita – o perdão dos pecados. E por isso a primeira recomendação do apóstolo para a igreja é que eles “não se deixem levar por qualquer ensinamento que não seja segundo Cristo, pois ele suprirá todas as suas necessidades, já que nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade, e uma vez que ele é o supremo Soberano de tudo”. Paulo mostra assim, que está muito preocupado com os ensinamentos dos falsos mestres, que estavam desviando o povo da fé verdadeira. Com suas doutrinas engenhosas eles estavam levando os crentes perderem a plena confiança em Cristo como único e suficiente Salvador.

Paulo exorta-os dizendo: “Cuidado para que ninguém vos leve como presa com sua filosofia e falsos enganos. Para que vocês que foram resgatados do domínio das trevas e transferidos para o reino do Filho do amor de Deus” (cf 1.13), não sejam levados como despojo e se tornem escravos outra vez (cf. Gal 5.1). Aqueles crentes viviam nas trevas, mas agora estavam livres, então como agora eles iriam voltar a se sujeitar a ordenanças de homens e superstições? Cristo não derramou o seu sangue na cruz, para que a igreja continuasse derramando seu sangue em circuncisões, ou se submetendo as festas cerimoniais, comida e bebidas ou adoração de anjos para alcançar a salvação.

E o apóstolo continua: “pois nele toda a plenitude da divindade habita corporalmente”. Cristo não é apenas a personificação da divindade, mas é o próprio Deus. A plenitude da divindade habita em Cristo desde a eternidade. E isso meu irmãos é algo que entendemos pela fé. E o texto diz que “nele vocês obtiveram a plenitude”, isto significa que, em Cristo vocês alcançaram a Fonte da qual jorra todas as bênçãos. NEle vocês tem tudo o que necessitam para esta vida e a futura. Por isso você precisa permanecer nEle (Jo 15.4,7,9) pois só assim você continuará a experimentar que “de sua plenitude todos nós recebemos graça sobre graça” (Jo 1.16; Ef 4.13).

Por isso a advertência aos Colossenses: Por que confiar na circuncisão quando vocês já foram sepultados com Cristo no batismo? Para que recorrer a principados e autoridades, quando em Cristo vocês obtiveram a plenitude? “Ele é o cabeça de todo principado e autoridade”, Cristo é o supremo Soberano de todos (1.16, Cf Ef 1.22), e fora dele nem os anjos bons podem fazer qualquer coisa para ajudar, e por causa dele o mal não pode fazer danos aos crentes.

E Paulo prossegue falando sobre Cristo: “Nele, também fostes circuncidados”. Ele está dizendo: não permitam que esses falsos mestres os enganem, vocês não necessitam ser circuncidados para obter a salvação, pois vocês já foram circundados, com uma circuncisão feita sem mãos, pelo despojamento do corpo da carne na circuncisão de Cristo. Vejam a diferença: a circuncisão na Antiga Aliança era uma operação manual, agora é uma obra do Espírito Santo (feita sem mãos). A antiga era externa, a de vocês é interna, do coração (Rm 2.28,29; Fp 3.2,3). A antiga removia o excesso de pele, esta foi o despojar e o lançar fora de sua natureza pecaminosa (“o corpo da carne”). A outra foi uma aliança com Abraão e depois com Moisés. Esta é cristã (“a circuncisão de Cristo”).

E o apóstolo diz mais: “tendo sido sepultados com ele no seu batismo no qual vocês foram também ressuscitados”(v.12). Significando que: Cristo sofreu, morreu, foi sepultado em lugar de vocês e para o seu benefício. Ele levou a culpa e o castigo da lei que eram seus. Tomou sobre si a maldição que estava sobre vocês (Gl 3.13). Quando, pela soberana graça, vocês abraçaram a Cristo como seu Salvador e Senhor, receberam a certeza de que a sua antiga natureza, condenável e cheia de culpa, havia sido sepultada com ele, e que agora vocês estão justificados perante Deus (Rm 8.1-4; 5.1). E vocês não somente foram sepultados com ele, mas também foram com ele ressuscitados. Ele vos deu nova vida!

Como diz o verso 13: “E a vós outros, que estáveis mortos pelas vossas transgressões e pela incircuncisão da vossa carne, vos deu vida juntamente com ele, perdoando todos os nossos delitos”. Meus irmãos, nãos foram alguns pecados que foram perdoados, mas todos os nossos pecados. E, se fomos perdoados dos nossos pecados devemos irmãos, nós também perdoar uns aos outros.

2 – Em segundo lugar, Deus, em sua misericórdia, não apenas perdoou nossas transgressões contra sua santa lei, mas também cancelou o escrito de dívida, ou seja, as consequências da desobediência, a maldição que era nossa. Deus aboliu por meio do sacrifício de seu Filho. Paulo diz: “Tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz. (v14). Esse escrito ou documento manuscrito é a lei (cf. Ef.2.15). Num sentido, a lei era um adversário, um acusador dos transgressores. Ela confrontava os homens com a dura sentença: “Maldito o que não andar segundo todas as coisas escritas no livro da lei para praticá-las” (G13.10; cf. Dt 27.26). E mais, ela continha um sem número de regras e regulamentações de natureza cerimonial relacionadas a jejuns, festas, comidas, ofertas, etc.

Com a Vinda de Cristo uma grande mudança ocorreu, Paulo fala que todas aquelas regras e cerimônias que os falsos mestres estavam tentando impor, Deus eliminou completamente. E como ele fez isso? Ele responde: “ele o removeu encravando-o na cruz!”. Quando seu Filho lhe satisfez as exigências da lei, pela perfeita obediência, toda maldição da foi pregada na Cruz com Jesus. Por causa do sacrifício de Cristo, os crentes não estão mais debaixo da lei, mas debaixo da graça (Rm 7.4,6; 6.14; Gl 2.19). Isso não quer dizer, que a lei moral perdeu o seu significado para o crente. Não pode dar a entender que agora ele deve esquecer-se de amar a Deus acima de tudo e ao próximo como a si mesmo. Pelo contrário, a lei do amor possui validade eterna como diz Rm 13.8-10: “A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei. Com efeito: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor”. O crente Ele agora obedece a lei por causa da gratidão pela salvação que já recebeu pela graça.

No Novo Testamento grego esta palavra que foi traduzida como ‘o escrito de dívida’, representava a acusação de criminoso condenado. Onde ele estava preso lá estava a placa com a sua condenação. Quando ele cumpria a pena, ele aparecia diante da autoridade e ele recebia um carimbo naquela placa com a palavra TETELESTAI, esta palavra significa, está completo, está consumado. Então se alguém o acusasse novamente daquele crime ele poderia mostra aquele documento que comprovava que ele já cumpriu a pena. Como um alvará de soltura em nossos dias.

Quando nosso Senhor Jesus Cristo foi crucificado na cruz ele teve uma placa que foi colocada acima da sua cabeça, que estava escrito em hebraico, latim e grego, o título da acusação feita contra ele era: ESTE É JESUS, O REI DOS JUDEUS. Naquela época houve uma lei que dizia, “Não existe rei, senão César” – essa foi a lei que os judeus e os chefes dos sacerdotes usaram para acusar Jesus diante de Pilatos. Esse foi o crime que Pilatos achou para entregar Jesus para ser crucificado. E Mateus diz que Jesus clamando outra vez com grande voz, entregou o espírito. Qual eram as palavras que Jesus gritou? s João 19.30 diz que: Quando, pois, Jesus tomou o vinagre, disse: TETELESTAI. (Está consumado) E, inclinando a cabeça, rendeu o espírito. Cristo cancelou o Escrito de dívida que era contra nós, fazendo-se ele mesmo maldição em nosso lugar.

3- E em terceiro lugar, em Cristo, nós temos a vitória sobre os nossos inimigos. Vejam o que diz o verso 15: “E despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz”. Esses principados e potestades são seres angelicais, que aqui são apresentados como inimigos de Deus. Isso nos lembra Romanos 8, ali também fala que que a exigência da lei foi cumprida (Rm 8.1-4) (ler) e no v 33 o apóstolo pergunta: “quem intentará acusação contra os eleitos de Deus”? E no v 34 “quem os condenará”? E lembrem Paulo é um conhecedor do AT, é da lá que vem a idéia de que Satanás é o acusador dos crentes e não só acusador mais também: o tentador dos homens, que depois de os vencer, acusa esse mesmo povo perante Deus.

E aqui lembremos também da tentação sofrida pelos Colossenses. E Paulo está dizendo a eles, vocês não precisam temer estas hostes do mal. Pois a batalha já foi ganha para vocês. O próprio Deus desarmou esses principados e potestades. Ele nos resgatou do domínio das trevas (Cl 1.13), E nos transportou para o reino do seu filho, que é o cabeça de todo principado e potestade (Cl 2.10). E os principados e potestade o que são? Criaturas, criadas nele, por meio dele e para ele (Cl 1.16) Lembrem-se, então que, por intermédio desse mesmo Filho, Deus despojou esses principados e potestade do seu poder. Ele os desarmou completamente. Cristo triunfou sobre eles no deserto da tentação (Mt 4.1-11) Ele amarrou o homem valente (Mt 12.29), expulsando demônios vez após vez para prová-lo. Ele viu a Satanás caindo do céu como um relâmpago (Lc 10.18). Cristo, por sua morte, venceu Satanás, ele não tem nenhum direito legal para acusar os cristãos. Foi lançado fora o acusador dos irmãos, (Ap 12.10; Ef 1.20­23).

Por meio desses grandes atos redentores Deus expôs publicamente esses poderes à desgraça, levando-os cativos em vitória, acorrentados, por assim dizer, à sua carruagem triunfal. No Filho do seu amor, e por meio dele, esse Cristo triunfante, Deus obteve a vitória sobre Satanás e sobre todas as suas hostes. E essa vitória é a vida e alegria de vocês. Tudo o que vocês necessitam está em Cristo.

Talvez você esteja aqui hoje e o seu escrito de dívida não foi quitado. Você está tentando ser bom, obedecendo aos mandamentos e tentando amar a Deus com todo seu coração e seu próximo como si mesmo. E eu lhe digo que é impossível agradar a Deus fora da cruz de Cristo. Se você ainda não colocou sua fé só em Cristo para salvação, corra para a cruz e aceite o perdão completo de Deus através do sacrifico de Jesus. Mas você pode dizer: Eu já sou um cristão. Paulo escreveu esse versículo para cristãos que não entenderam completamente a obra de Cristo. Talvez seu coração esteja frio a respeito da cruz do calvário, hoje você precisa confessar novamente sua condição desesperada diante dele e sua lei. Agradeça a ele pelo sacrifício de Jesus Cristo e viva uma vida digna de um presente tão precioso. Além disso, talvez você esteja tendo um problema para perdoar alguém que lhe ofendeu. Eu pergunto: Como você pode deixar de perdoar alguém quando Deus cancelou o escrito de dívida que era contra você, na cruz do calvário? Entender que nossa dívida está quitada nos liberta para viver uma vida sem culpa e cheia de alegria! Amém.

_____________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Compartilhe!

Pr. José Pereira

Pastor Pereira Neto, serve à Igreja Reformada de São José da Coroa Grande/PE como Ministro da Palavra e dos Sacramentos. Casado com Mercia Pereira, pai de Vanessa e Kallebe.