Pregação preparada pelo Pr. Elso Venema

Leitura: 1ª Tessalonicenses 04:13-18

Texto: 1ª Tessalonicenses 04:13-18

Amada congregação do Senhor Jesus Cristo,

Como é que fica a situação daqueles crentes em Cristo que já morreram? Será que precisamos lamentar o destino deles? Parece que isto aconteceu na igreja dos tessalonicenses. Aqueles irmãos se tornaram crentes em Cristo. Crendo nele, todos eles esperavam a sua vinda, com poder e majestade. Os irmãos estavam cheios de fé e esperança. A fé em Deus lhes trouxe uma mudança de vida e muita alegria. Mas o que aconteceu, aparentemente, foi o seguinte: Alguns dos queridos irmãos que creram em Cristo, faleceram. Os corpos deles foram enterrados no cemitério. Os lugares deles na igreja ficaram desocupados. A tristeza tomou conta daqueles que ficaram para trás. Caiu uma sombra sobre a alegria da fé. Os irmãos inclusive começaram a ter dúvidas acerca de sua fé. Eles começaram até mesmo a questionar a esperança em Cristo, perguntando-se: “De que adianta crer em Cristo e esperar a sua vinda, se a gente morre antes? De que adianta crer em Cristo, se os nossos olhos param de ver, se o nosso ouvido pára de ouvir, se o nosso coração pára de bater e se o nosso corpo é posto no túmulo, onde se decompõe em pouco tempo? A morte não é o fim de tudo”? Parece que alguns ou até muitos tinham esse pensamento. Os irmãos não tinham ilusões. A morte de irmãos irmãos, que creram em Cristo, era motivo de profunda lamentação e desânimo.

Na sua carta aos tessalonicenses o apóstolo Paulo aborda este assunto e usa a oportunidade para passar alguns ensinamentos do próprio Senhor Jesus Cristo. Mas antes de entrar em detalhes, ele faz duas observações preliminares. Primeiro, antes de tudo, ele ensina que entre os irmãos em Cristo não deve haver ignorância. Se o assunto é vida e morte, ninguém dos filhos amados de Deus deve ter pensamentos sem fundamento. Ninguém deve ficar imaginando coisas ou questionando verdades. É preciso ter conhecimento. É preciso ter conhecimento sólido, que serve de base para a nossa esperança e a nossa alegria. Ser cristão não e um sentimento. Ser cristão também não é um sonho nem uma aventura com final indefinido. Ser cristão significa ter certeza de que nós, que cremos em Cristo, temos futuro. É este conhecimento que não pode faltar. No dia-a-dia o conhecimento muitas vezes é desprezado. Muitos vivem sem se preocupar com o futuro nem com nada. Há até pessoas que já estão totalmente satisfeitas quando podem encher a barriga. Mas o Senhor Jesus Cristo, os apóstolos e os profetas nunca desprezaram o conhecimento. Pelo contrário, eles sempre ensinaram as grandes verdades do SENHOR, que duram para sempre. Eles sempre combateram a ignorância do povo de Deus. O profeta Oséias já reclamou: “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento” (Oséias 4:6). O apóstolo Paulo não falou diferente, pois ele disse: “Não queremos, irmãos, que sejais ignorantes”. É necessário, então, termos conhecimento a respeito do nosso futuro. É necessário sabermos que a nossa esperança não se limita apenas a esta vida, mas vai além (1 Coríntios 15:19).

Outra observação muito importante feita pelo apóstolo Paulo, é que não devemos ser como os não-cristãos. Quando pessoas que não confiam em Cristo perdem seus queridos, elas se entristecem. Perdendo queridos, elas se entristecem profundamente, pois sabem que acabou tudo. Depois da morte, só ficam lembranças. Não há nenhuma perspectiva em relação ao futuro. “Eles não têm esperança”, afirma o apóstolo. Muitos até crêem que haverá novas existências depois da morte. Muitos até acreditam em reencarnação. Acreditam que a alma das pessoas volta para viver novamente, num outro corpo. É uma doutrina que até pode servir para amenizar a dor da morte, pois ela deixa a entender que a vida sempre continua. Só que esta doutrina não tem fundamento bíblico. A Bíblia ensina outra coisa. Ela ensina que o nosso destino é viver uma só vez e morrer uma só vez. Por isso a morte é uma realidade extremamente séria. A morte é nosso último inimigo (1 Coríntios 15). Aquele que é levado pela morte, deixa esta vida para todo o sempre. Temos apenas uma só vida. Neste momento, meus irmãos, onde não queremos nem podemos amenizar o impacto da morte, queria dizer-lhes o seguinte: A tristeza daqueles que confiam no Senhor Jesus Cristo deve ser bem diferente da tristeza daqueles que não têm esperança. Lógico, nós também ficamos muito tristes quando perdemos uma pessoa querida, um parente amado, ou um amigo de verdade. Ficamos muito tristes quando um querido nosso nos deixa para trás. Mas a nossa tristeza é bem diferente, pois mesmo na tristeza temos esperança. Sabemos que aqueles que foram comprados com o precioso sangue de Cristo, jamais perecerão. Cristo não comprou ninguém para depois abandoná-lo. Pois o preço que ele pagou foi alto demais: ele derramou a sua própria vida.

Irmãos, para que todos tenham conhecimento fundamentado a respeito destas coisas, o apóstolo Paulo cita palavras do próprio Senhor Jesus Cristo. Ele faz uma declaração “por palavra do Senhor” (Tessalonicenses 4:15). Desta maneira o apóstolo procura convencer-nos, acabando de vez com qualquer ignorância em relação àqueles que morreram em. Se há ensinamentos que procedem do próprio Senhor Jesus Cristo, dá para confiarmos. Pois as Palavras do Filho de Deus procedem do Pai. São palavras verdadeiras. São Palavras que servem para a nossa alegria e para a nossa esperança. O que o Senhor Jesus ensinou? Foi o seguinte: “Nós, os vivos, os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem” (1 Tessalonicenses 4:15). Esta é uma afirmação muito importante! O nosso Senhor Jesus Cristo declarou com todas as letras que os irmãos queridos que morreram em Cristo, não serão esquecidos! Os queridos que morreram em Cristo, que morreram crentes, eles não ficarão para trás. Cristo não vai dizer, ao voltar nas nuvens: “Agora vou chamar todos aqueles que me amam, mas aqueles que já morreram ficam de fora!” Jamais Cristo diria uma coisa dessas, pois Cristo morreu na cruz e derramou seu sangue também pelos seus amados que já faleceram. Cristo pagou o preço mais alto também por aqueles que já foram deitados no pó da terra. Devemos saber o seguinte – sem ter dúvida alguma: Quando Cristo voltar, sobre as nuvens, com poder e glória, os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Todos os amados de Cristo, inclusive aqueles que já morreram, irão para o encontro do Senhor nos ares (1 Tessalonicenses 4:17).

Como será esse dia? Como será esse acontecimento, quando todos os filhos de Deus irão para o encontro do Senhor? Observemos alguns detalhes da Palavra de Deus, meus irmãos! Primeiro detalhe: Quando o Senhor vier, ele dará “a sua palavra de ordem” (1 Tessalonicenses 4:16). Quer dizer, o Senhor se apresentará como o vitorioso Rei dos reis, o grande General, que manda a sua palavra de ordem. Qual será a sua palavra de ordem? O Senhor ordenará que todos os que morreram nele, tornarão a viver! Será uma ordem de Cristo, uma ordem que será cumprida. O eterno Filho de Deus, o Todo-Poderoso, ele vai mostrar que é mais poderoso que a própria morte. Segundo detalhe: Quando Cristo voltar, será ouvido a voz do arcanjo. A ordem do Senhor será anunciado para todos ouvirem. Até os mortos ouvirão a voz do arauto do Senhor. Será que vai ser a voz do anjo Gabriel, o arcanjo que também foi encarregado de anunciar o nascimento de Cristo. Pode ser. Mas uma coisa é certeza: todos ouvirão a ordem do Senhor. Para o Senhor Deus os mortos são como pessoas que dormem. Deus tem poder para acordá-las. Ouvida a voz do arcanjo, os mortos se levantarão. Terceiro detalhe: a trombeta de Deus ressoará (1 Tessalonicenses 4:16). Esta trombeta é “a última trombeta”. Quando esta trombeta soará, “os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados” (1 Coríntios 15:52, Apocalipse 8). Neste momento de grande clangor de trombeta, o Senhor enviará os seus anjos, os quais reunirão os seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus (Mateus 24:31). Ninguém dos amados do Senhor vai ficar de fora.

Então, observando alguns detalhes revelados na Palavra de Deus, podemos ver que o Senhor virá como nosso todo-poderoso Rei e Salvador. Ele dará a palavra de sua ordem. O arcanjo fará o anúncio. A última trombeta soará. Neste momento os mortos que morreram em Cristo se levantarão. Os túmulos se abrirão. Os crentes em Cristo, que morreram, sairão. Eles serão transformados, num abrir e fechar dos olhos (1 Coríntios 15). Eles receberão os seus próprios corpos de volta, porém, corpos transformados e incorruptíveis. Os mortos em Cristo irão para a festa do casamento do Cordeiro. Todos juntos irão para o encontro do noivo, para recebê-lo com as devidas honras e glórias (1 Tessalonicenses 4:17). Quando antigamente um rei ou um imperador voltava vitorioso de uma guerra, o povo saia da cidade para o encontro dele. Todo mundo, idosos, mulheres, crianças, todos mesmo, saíram da cidade para logo em seguida voltarem juntos com ele, dançando e cantando, celebrando a grande vitória. Vai ser assim, meus irmãos. Todos os filhos de Deus receberão o Senhor para depois estarem para sempre com ele nesta terra, onde ele estabelecerá o seu eterno Reino. Os mortos não ficarão para trás. Os mortos não perderão nada. Eles ressuscitarão. Portanto, meus irmãos, não devemos ficar sem esperança quando temos que levar irmãos em Cristo para o cemitério. Cristo resgatará o corpo dos seus filhos amados. Quando ele voltar nenhuma das suas ovelhas vai faltar. Que ninguém seja ignorante! Que ninguém fique desesperado ao perder um querido que ama a Cristo. Os nossos queridos que amam a Cristo, jamais vão ficar perdidos. Consolemo-nos uns aos outros com estas palavras.

Amém.

___________________________________________________________________________________________________

* Exceto onde o contrário esteja explícito, todos os conteúdos deste site estão licenciados sob uma Licença Creative Commons “Atribuição – Não Comercial – Sem Derivados 3.0 Não Adaptada“.

** Este sermão foi originalmente escrito para uso do pastor e não passou por correção ortográfica ou gramatical.

Compartilhe!

Deixe um Comentário